pl_exposicoes_banner_maemar_liviafontana

MÃE MAR

Livia Fontana
EM BREVE

O Programa de Artes Visuais do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões também seleciona propostas de jovens artistas e, desde 2019, a Torre do Palacete passou a abrigar propostas artísticas da cena contemporânea. A exposição MÃE MAR da artista Livia Fontana é um exemplo direcionado para a Sala da Torre, antiga cozinha da fase de moradia do Palacete. 

Assista ao vídeo “LOADING – prática artística com Lívia Fontana” preparado especialmente para a 12a. Semana de Arte, Cultura e Literatura Digital da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba.

O trabalho realizado por Livia é uma reflexão sobre a fotografia na sociedade contemporânea, a partir de uma poética crítica que envolve a manipulação de imagens antigas e atuais, que partem de apropriações e acontecimentos da internet. A exposição aborda esta temática a partir da evolução dos usos da fotografia, como em sua série Loading, que lidam com o estado de ansiedade de imagens que ainda não se formaram, “traz aqueles segundos de espera, um momento aparentemente sem sentido, que ao ser captado pela poética da fotografia, permite reflexões sobre a nossa relação com as imagens e sobre a potência estética desse “entre” lugar”. As imagens criada por Livia Fontana partem de apropriações e acontecimentos da internet.

“Num período em que somos todos constantemente vigiados, e que também monitoramos a vida dos outros através da internet, a ideia que vivemos uma `comunidade global´ também pode ser lida como uma assembleia geral dos vigilantes” 

– Livia Fontana –

#TextoCritico

Coletora de imagens: resgate, transformação e sublimação

_Amélia Siegel Corrêa

Num mundo com excesso de imagens, qual é o sentido de criar mais uma? Essa questão, que orienta a pesquisa de Lívia Fontana, fornece um caminho para refletir sobre Mãe Mar, em que a artista realiza uma reflexão sobre apropriação, autoria e o sentido das imagens no mundo contemporâneo.

O aceleramento do ritmo da vida e a efemeridade das imagens se materializam nos Loadings, que mostram também a beleza dos processos e a potência do entrelugar. A iminência do que não virá, a escalada do fugaz. Mas há também outra camada: aquela das memórias afetivas da recente maternidade da artista, vivenciada pouco tempo depois de perder a mãe. Imensidão de sentimentos, mar de ironias. Ironias também estampadas nos olhos saltados das Beatas Bordando, resgatadas da caixa de fotografias da família e que se agregam à arquitetura da casa como um site specific. São as guardadoras da moral que escrutinam a vida alheia. Nesse plano, as diferenças se diluem. A vida vigiada em rede, o imperativo de representar, a necessidade de conexão. Lívia recupera o que vemos sem enxergar.

Mãe Mar evoca o infinito emaranhado da vida, num movimento pendular entre o passado e o presente em busca de um entendimento de si, despertado pela morte e pelo nascimento. Em tempos de pandemia e de um cotidiano tão árido, o escapismo contemplativo evocado pelos Loadings traz uma centelha de paz, um suspiro, um descanso. E faz lembrar que é a falta e a imperfeição que nos tornam humanos.

Sobre a artista

Livia Fontana é artista visual. Nasceu em Curitiba, Paraná – Brasil, 1979. Formada em Publicidade e Propaganda em 2002 pela Universidade Positivo em Curitiba, cursou extensão em Design Gráfico e Fotografia na Central Saint Martins, em Londres em 2003/04. Depois de experiências com direção de arte, a artista decide dedicar-se ao que até então era uma atividade desenvolvida desde criança: a fotografia. Em Curitiba expôs no Museu Alfredo Andersen pinturas em fotografias na individual Ninhos em 2014. Participou da exposição coletiva Origami Curvo, durante a Bienal de Curitiba em 2016. Duas de suas obras Loading foram adquiridas, em 2018, pelo acervo do Museu Oscar Niemeyer. Em março de
2015 funda uma Galeria de Arte, a Boiler, representando artistas contemporâneos brasileiros. Aqui a artista traça um novo caminho, adentrando no mercado da arte, na representação de artistas, curadoria,
criação de acervo e mostras assim como o Festival de Vídeo Arte Mirada. Desenvolveu a curadoria em exposições nos 5 anos da Boiler galeria tanto em seu espaço físico no bairro Batel, em Curitiba quanto em Feiras de arte contemporânea nacionais e internacionais assim como a SP Arte, Arte Rio, Berliner Liste em Berlim e Pinta Miami. Em dezembro de 2019 Livia descontinua o trabalho de galerista para dedicar-se apenas à sua produção artística. Em 2020-21 ocupa o espaço Torre do Palacete com a exposição “Mãe mar”.

Texto Amelia Siegel Corrêa Identidade Visual Jaime Silveira Podcast Maya Weishof e Amélia Correia

A exposição #MÃEMAR é uma realização do #BRDE Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, por meio do Edital de Exposições de Artes Visuais (2019-2020). Comissão: Geraldo Leão, Rafaela Tasca, Silvio De Bettio.