BRDE

  • Contato

SALA DE IMPRENSA

Governo do Paraná apresenta potenciais do Estado para comitiva da Embaixada de Luxemburgo

Data09/12/21
|CategoriaNotícias

O vice-governador Darci Piana e representantes do Governo receberam, na tarde desta quinta-feira (09), o Embaixador do Grão-Ducado de Luxemburgo no Brasil, Carlo Krieger, para apresentar os potenciais de investimentos do Paraná.

No encontro, o embaixador teve a oportunidade conhecer os projetos nas áreas de infraestrutura, investimentos, agronegócio, economia, turismo, ciência e tecnologia e ensino superior.

Darci Piana ressaltou que o Paraná tem buscado, desde o início da gestão do Governador Carlos Massa Ratinho Junior, atrair o interesse de investidores estrangeiros a fim de tornar o Estado uma referência nos mais diversos setores.

“Nós tínhamos a meta de atrair durante os quatro anos de gestão R$ 40 bilhões em infraestrutura no Paraná. Mesmo com todas as dificuldades da pandemia, o Paraná já atraiu mais de R$ 86 bilhões de recursos de investimentos”, afirmou o vice-governador.

Somente no setor de infraestrutura, o Paraná busca junto aos investidores internacionais o novo modelo de concessão das rodovias pedagiadas no Estado. São mais de 3.370 km de duplicação de estradas, nesta que será a maior licitação da América Latina dos últimos 20 anos, com investimentos de R$ 44 bilhões.

A modernização das ferrovias que atravessam o Estado é o outro grande projeto que pretende transformar o Paraná no mair Hub Logístico do país. A Nova Ferroreste vai ligar Maracaju (MT) ao Porto de Paranaguá e a estimativa é transportar cerca de 38 milhões de toneladas no primeiro ano de operação plena. O valor do investimento é de R$ 29,4 bilhões. O projeto deve ir a leilão no segundo trimestre de 2022.

Sustentabilidade

Na vanguarda dos setores de infraestrutura, agronegócio, tecnologia, inovação e turismo, o Estrado também tem investido em ações de preservação ambiental e sustentabilidade. O assunto foi um dos mais debatidos durante o encontro.

O litoral concentra a maior área contínua de Mata Atlântica preservada no do país, além de outros grandes biomas. São mais de 1,2 mil em hectares em unidades de conservação. Toda essa preocupação possibilita que o Estado passe a tratar o assunto como um ativo econômico importante.

Para o Diretor-Presidente do Banco de Desenvolvimento Regional do Paraná – BRDE, Wilson Bley, a aproximação com Luxemburgo, um país que é considerado o centro econômico da Europa e concentra um dos maiores fundos para investimentos, é fundamental e estratégica.

“Para o BRDE nós vamos trazer uma atenção especial. Nós queremos sair a mercado, capitar recursos e green bonds (títulos sustentáveis), lançando lá na bolsa de Luxemburgo, fazendo que haja uma atração de bons investidores para que nós possamos irrigar esses recursos através de empréstimos aqui na região sul”, explicou.

Parceria histórica

O Paraná tem uma história de laços econômicos e comerciais com o país europeu desde a década de 20, com serviços financeiros bancários, fundos de investimentos e na indústria do aço.

Em São José dos Pinhais, está localizada a maior empresa de carga aérea luxemburguensa, a Cargolux. A empresa é uma das maiores companhias aéreas e transporte de cargas da Europa.

Para o Embaixador de Luxemburgo, o Paraná é um grande parceiro potencial para assuntos econômicos, sociais, políticos, culturais e principalmente de sustentabilidade. “Estou muito feliz por estar aqui negociando com o governo do Paraná, um estado que tem um potencial muito grande, que possui laços históricos com Luxemburgo”, celebrou.

O diplomata acredita que investidores do seu país possam formar parcerias com o Paraná, principalmente nos projetos ligados à ao meio ambiente. “Eu acho que temos muitas possibilidades de trabalhar juntos, como por exemplo, os títulos verdes, força verde e outros investimentos, como os fundos luxemburgueses”.

Investimento responsável

Para o presidente da Ivest paraná, Eduardo Bekin, o Estado está trabalhando com dois pilares fundamentais. Um deles tem sido o trabalho feito para atrair os investidores estrangeiros, o outro seria promover a internacionalização. “Quando falo da internacionalização do Estado, eu falo da marca Paraná, somos um estado de um povo que trabalha, investimos em parceiras privadas com muita responsabilidade”, disse. Bekin explicou a criação do Comitê Público-Privado ESG, por exemplo, idealizado pra cuidar do meio ambiente, ficando no desenvolvimento da industrialização, porém com sustentabilidade, pensando no social e com a uma governança firme.

O encontro também serviu para estreitar as relações com o país europeu. Na oportunidade o assessor de Relações Internacionais da Superintendência de Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Luis Mascarenhas, pode apresentar o retrato da educação pública nas 7 universidades estaduais, que coloca o Paraná em situação de protagonismo em formação, pesquisa, e tecnologia.

Presenças

Estiveram presentes no encontro Diretor de Políticas Ambientais da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Rafael Andreguetto, Chefe de Missão Adjunto e Cônsul da Embaixada, Charles Schmit; Conselheira para Assuntos Políticos e Culturais da Embaixada, Nadia Mellina; Adido Econômico e Comercial da Embaixada, Felipe Diniz; Cônsul Honorária do Grão-Ducado de Luxemburgo em Curitiba, Andréa Vianna e o Chefe do escritório de representação do Itamarati no Paraná, Braulio Pupim.

 


Logo BRDE