BRDE

  • Contato

SALA DE IMPRENSA

BRDE supera meta histórica com movimento de R$ 4,14 bilhões em contratações

Data07/01/22
|CategoriaNotícias

Os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná atingem resultados 25% superiores ao ano anterior e o maior volume de negócios ultrapassando o recorde de 2013

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) atingiu em 2021 seu recorde histórico de negócios, com 4,14 bilhões movimentados em contratações, ultrapassando os números do ano anterior em 25%. Também foram superadas as projeções de contratos no mesmo período: o total de 8.428, enquanto em 2020 foram firmados 4.553. Esse foi o melhor desempenho na história do banco, no ano em que completou 60 anos de sua existência. Em 2013 era registrada a melhor marca até então, quando as aplicações chegaram a R$ 3,76 bilhões.

Para o diretor-presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski, em um ano ainda desafiador, por questões ligadas a pandemia da COVID-19, as estratégias de financiamento e liberação de recursos, entre outras ações “permitiram superar as metas estabelecidas e tornou 2021 um ano de resultados concretos e robustos, o que demonstrou o compromisso da instituição com o crescimento econômico e social, mesmo na adversidade”, refletiu Bley. “Há muitas parcerias com cooperativas de crédito, com operações de segundo piso, que nos dá uma pulverização desses recursos, uma redução do tíquete médio, traçando um perfil menos sisudo e mais acessível às necessidades da sociedade” – completou o presidente.

Os setores de Comércio e Serviço representaram cerca de 32% dos contratos firmados no BRDE, enquanto a Agropecuária atingiu em torno de 25%; a indústria e infraestrutura próximo aos 22% cada uma.

Quanto ao porte de investimentos, R$ 638 milhões foram destinados aos produtores rurais e R$ 824 milhões para micro e pequenas empresas. “É importante destacar também as captações das fontes de recursos: o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) representou 59%; BRDE 10,7% e Ministério do Turismo com apoio ao setor com R$ 287 milhões” , enfatizou Bley.

A Linha do Tempo do BRDE

Paraná

Foto: Marco Chameski

Agência do BRDE em Curitiba-PR. Foto: Marco Chameski

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) do Paraná ultrapassou a meta de contratações estipulada para 2021 e alcançou R$ 1,430 bilhões. Com esses números, o banco alcançou resultados 16% acima do volume de contratos do ano passado no Estado. “No Paraná, destaque para a superação da meta orçamentária em R$ 298 milhões e superação da meta gerencial motivada pela diretoria paranaense, que era de R$ 1,25 bilhões, o que representou R$ 180 milhões aplicados a mais em relação ao que se planejava. Isto foi possível com as conquistas de limites junto ao BNDES e fontes externas, além da disponibilidade de recursos próprios e do FUNGETUR para o setor de turismo”, ressaltou o diretor-administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira.

Em janeiro, o BRDE assinou um aditivo contratual com o Ministério do Turismo para administrar o Fundo Geral de Turismo, o FUNGETUR, quando foram adicionados mais R$ 100 milhões em investimentos no turismo da Região Sul do País, chegando ao total de R$ 646 milhões. Foram direcionados até agora R$ 181 milhões para o Paraná.

No Dia Internacional da Mulher foi criado o BRDE Empreendedoras do Sul, destinado às mulheres que empreendem. Do montante destinado ao Paraná, foram movimentados R$ 48,08 milhões em aprovações este ano, e efetivados R$ 33,8 milhões em contratos.

Em abril houve o lançamento do Banco do Agricultor Paranaense, para alavancar investimentos por meio da equalização de taxa de juros em diversas atividades agropecuárias, além de promover inovação tecnológica, sustentabilidade, geração de emprego e melhoria da competitividade do produto paranaense.

Dentro do valor total contratado, o BRDE liberou R$ 614,5 milhões em financiamento para projetos de cooperativas paranaenses. Outro fato relevante de 2021 foi a lei sancionada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, que autorizou a captação de recursos de até EUR 134,6 mil em infraestrutura e sustentabilidade.

E no fim do ano, foi realizado o Final Pitch do BRDE Labs, uma ação que envolveu nove startups finalistas no Paraná, de 177 inscritos no começo do programa, com apresentação de soluções para indústrias, em inovação e tecnologia.

60 anos do BRDE

Em junho o BRDE completou 60 anos, com carteira de crédito de R$ 13,5 bilhões, o que lhe colocou no ranking de melhores bancos públicos com apoio aos produtores rurais.

Foto: Hedeson Alves

Troféu BRDE 60 anos: homenagem concedida em 2021 aos parceiros do banco. Foto: Hedeson Alves

No mês seguinte, BRDE e Sicredi realizaram 2.236 contratações, totalizando R$ 68 milhões. O ticket médio é de R$ 30 mil, sendo a maioria financiamentos pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

Através do programa BRDE Promove Sul, o banco procurou fomentar o desenvolvimento produtivo, sustentável e social nos três estados da região Sul.

O BRDE e Banco Europeu de Investimento (BEI), disponibilizam financiamento para pequenas e médias (PMEs) empresas afetadas pela pandemia, nos três estados do Sul.

O BRDE estreou no Plano Safra 2020/21 com equalização de juros a pequenos e médios agricultores, usando recursos próprios.

No mês de agosto é lançada websérie com a Agência Francesa de Desenvolvimento, sobre projetos de energia limpa. A parceria totalizou 45 projetos na região Sul do Brasil, a partir de um fundo de 50 milhões de euros.

Em novembro, o Ministério do Turismo confirmou a disponibilidade de mais R$ 85,7 milhões para operações de financiamento às empresas do setor turístico nos três estados do Sul. No total de R$ 414,8 milhões, que a pasta federal se comprometeu com crédito emergencial diante dos impactos da pandemia.

Santa Catarina

Foto: ASCOM - BRDE SC

Entrada da agência do BRDE em Florianópolis-SC.

Os valores em contratos firmados em Santa Catarina totalizam R$ 1,44 bilhão. O montante em recursos representa um aumento de quase 45% em relação a 2020. A quantidade de contratos e recursos para os setores do agronegócio, infraestrutura, comércio e serviços alavancaram este crescimento expressivo. Das 8,4 mil operações realizadas pelo BRDE, a agência catarinense operou 5,4 mil contratos, fortalecendo a política de pulverização dos recursos e a necessidade atual de atendimento aos pequenos negócios.

“Com a pandemia ajustamos nosso foco, buscando viabilizar crédito especialmente para capital de giro, focado no micro e pequeno empreendedor. Nossa prioridade foi a pulverização do crédito, sobretudo para alcançar o maior número de empreendedores do estado, favorecendo uma política de abrangência social e de desenvolvimento, diretriz liderada pelo governador Carlos Moisés”, ressalta o vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra.

Os setores do comércio e serviços absorveram um terço de todo crédito ofertado pelo BRDE no estado. Foram R$ 472 milhões, 117% a mais que o setor recebeu em 2020. O agronegócio recebeu investimentos de R$ 353 milhões, número que equivale a um crescimento de 147%, comparado ao ano anterior. No setor de infraestrutura o valor dos contratos feitos pelo BRDE aumentou 66% – recursos que financiaram obras de saneamento, asfalto e até geração de energia limpa, seja com usinas fotovoltaicas ou PCH´s.

O diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, reforça os resultados positivos alcançados, apesar das dificuldades enfrentadas. “Nós mostramos uma capacidade de crescimento muito grande, apoiando empresas e pessoas físicas nesse momento de dificuldade. Das três agências do BRDE, a de Santa Catarina foi a que mais realizou contratos com valores abaixo de R$ 100 mil, democratizando assim o crédito”, explica.

SC Mais Renda Empresarial

 

Em agosto, o BRDE começou a operar o programa de crédito emergencial. As operações realizadas pelo banco, desde o início dos atendimentos do programa contrataram R$ 240,5 milhões para micros, pequenos empresários e microempreendedores individuais catarinenses (MEIs) dos setores mais impactados pela pandemia. São quase 4 mil contratos distribuídos em 218 municípios – o que corresponde a 74% do território catarinense. Além dos financiamentos a juro zero, subsidiado pelo Governo do Estado, o impacto na manutenção dos empregos também é destaque: são quase 15 mil empregos preservados.

 

Rio Grande do Sul

Com operações efetivadas para os mais diferentes setores da economia gaúcha, o banco atingiu a marca de R$ 1,428 bilhão em financiamentos ao longo de 2021. O crescimento é de 24,5% se comparado com as contratações fechadas no ano passado para o RS, quando o volume de crédito ficou em R$ 1,147 bilhão.

Reflexo do momento positivo que viveu o agronegócio ao longo do ano e da sua importância ao desenvolvimento regional, o setor responde por mais de R$ 345,6 milhões das operações de crédito. O total destinado a atender produtores rurais e cooperativas gaúchas ficou R$ 54 milhões acima do registrado em 2020. O maior incremento em termos de contratações, porém, foi registrado pelo setor da indústria de transformação, que fechou 2021 com um volume de R$ 391,2 milhões em financiamentos do BRDE no estado. É um salto de R$ 103 milhões diante do ano anterior.

Na avaliação da diretora de Operações do BRDE, Leany Lemos, os resultados positivos refletiram a forte atuação do banco num período de retomada da economia, sua capacidade de dialogar com os parceiros e a diversificação dos recursos. “Atingimos resultados históricos no estado em toda a região Sul, o que reforça o nosso papel estratégico em apoiar setores com maior capacidade de inovação e geração de empregos”, destacou a diretora. Ela ressaltou, também, a restruturação que o banco promoveu em 2021 na sua matriz de programas e linhas de crédito, tornando a instituição ainda mais aderente à realidade global, aos critérios ESG e a Agenda 2030. “Somos um banco comprometido com a sustentabilidade”, acrescentou.

Empreendedorismo das mulheres

Na nova matriz foram criados, por exemplo, programas específicos de Sustentabilidade Ambiental, de Sustentabilidade Social, de Energias Renováveis e Mulheres Empreendedoras. Os projetos de geração de energia somaram financiamentos na ordem R$ 124 milhões. A principal contratação foi a respeito da implantação de uma pequena Central Hidrelétrica (PCH), no município de Tio Hugo, projeto liderado pela Coprel – Cooperativa de Geração de Energia e Desenvolvimento, com financiamento do BRDE de R$ 81 milhões.

Como primeira mulher a presidir o banco em 60 anos de trajetória, Leany Lemos lançou no mês de abril, o programa BRDE Empreendedoras do Sul, com o objetivo de apoiar empresas que tenham mulheres no comando (ou com mínimo de 40% de sócias) e produtoras rurais. O programa oferece financiamento para investimentos fixos e capital de giro, ambos disponíveis no valor de até R$ 1 milhão e fechou 2021 superando a marca de R$ 43 milhões em financiamentos autorizados apenas no RS.

Capital de Giro

Além de crédito para investimentos para as quais o banco se valeu de diferentes fundings, os contratos incluem linhas de capital de giro, algo que ganhou espaço entre as operações por conta dos impactos da pandemia. Conforme o diretor de Planejamento, Otomar Vivian, o BRDE se mostrou um importante aliado diante dos desafios do ano passado. Do total das contratações de 2021, mais de R$ 375 milhões foram para médias, micro e pequenas empresas que atuam no RS.

“A grande missão do BRDE é ser um instrumento de apoio aos projetos estratégicos para a economia regional, geralmente de médio e longo prazo. Somos uma instituição de fomento, porém o banco se mostrou sintonizado com as demandas de diferentes setores, em especial de quem mais sofreu os impactos da pandemia”, enalteceu Vivian. As linhas para capital de giro e microcrédito, disponibilizadas através de programas como Recupera Sul e Empreendedoras do Sul, valeram ao banco a conquista do Prêmio Banking Transformation 2021, na categoria inovação.

O diretor de Planejamento destacou, ainda, um importante crescimento em 2021 das operações celebradas com prefeituras, que totalizaram R$ 30,6 milhões para projetos de infraestrutura urbana, melhorias no sistema de iluminação pública e obras de saneamento. “Queremos estreitar ainda mais essa relação de parceria com as prefeituras, pois são investimentos com impactos muito positivos para a população de cada cidade”, avaliou ele.

Demais setores

Somados os segmentos do comércio, alojamento e alimentação, foram mais de R$ 149 milhões em crédito para as empresas do RS. O setor da saúde, fechou em R$ 130 milhões em crédito no estado, com destaque ao financiamento assinado com a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre – contrato para tornar viável o projeto de expansão do complexo hospitalar. A construção do novo Hospital Nora Teixeira, com 15 pavimentos, incluindo espaço para uma nova Emergência SUS, a unidade contará com 270 novos leitos de internação.

Desafios 2022

De acordo com avaliação do diretor-presidente do BRDE, “manter o nível de aplicação num contexto de alta de juros e incertezas quanto à capacidade do país crescer em 2022 é o maior desafio do BRDE, além da disponibilidade de recursos específicos para o agronegócio. Nosso olhar deve se voltar para a aceleração na captação de recursos diferenciados, no mercado nacional e internacional, e no foco contínuo no fomento ao financiamento de longo prazo a projetos de investimento”. E concluiu: “nosso otimismo é grande e vamos trabalhar para que continuemos gerando emprego e renda acima da média nacional”.


Logo BRDE