Relatório de Administração e Sustentabilidade do BRDE de 2017 - BRDE - Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

NOTÍCIAS BRDE

Relatório de Administração e Sustentabilidade do BRDE de 2017

Por: Imprensa BRDE

Relatório de Administração e Sustentabilidade do BRDE de 2017 está publicado no site do Banco

O Relatório de Administração e Sustentabilidade 2017 que está publicado no site do Banco site do Banco é um instrumento de prestação de contas aos governos dos Estados-controladores e, principalmente, à sociedade da Região Sul. Mais do que registrar o desempenho do BRDE no ano que passou, o Relatório celebra conquistas e desafios.

O ano de 2017 ficará marcado como um período de adaptação e superação para o BRDE. Em paralelo ao enfrentamento à conjuntura de baixo crescimento da economia brasileira e aos reflexos do contexto político turbulento, o Banco teve de se ajustar às transformações estruturais promovidas no sistema brasileiro de fomento e em seu principal fornecedor de funding, o BNDES. Frente a estes desafios, o BRDE buscou novas alternativas e soluções, não só alcançando resultados financeiros e operacionais positivos, como também abrindo novos caminhos e possibilidades para a construção de um futuro próspero e sustentável.

· Do ponto de vista financeiro e patrimonial, o BRDE superou de forma exitosa as dificuldades enfrentadas: o lucro foi de R$ 118 milhões, similar ao do ano anterior, levando o Patrimônio Líquido a superar R$ 2, 5 bilhões. No plano operacional, apesar do contexto recessivo e de estreitamento dos recursos disponibilizados pelo BNDES terem levado ao recuo do valor contratado e desembolsado, o BRDE manteve posição destacada no ranking dos repassadores de recursos daquele banco, mesmo atuando apenas em âmbito regional:

1ª colocação nos desembolsos na Região Sul

6ª colocação no total de operações indiretas

5ª colocação no produto BNDES Automático

4ª colocação nos programas agrícolas do Governo Federal

· O BRDE também se destacou como o maior repassador nacional de recursos do Programa INOVACRED da FINEP, que se destina a financiar projetos de inovação. Foram desembolsados R$ 194,4 milhões até o final de novembro de 2017, o que corresponde a 32,5% do total.

· O desempenho do BRDE produziu repercussões socioeconômicas importantes para o Sul. Foram 33.065 postos de trabalho criados ou mantidos – 6.613 diretos e 26.452 indiretos. As operações também geraram o recolhimento de ICMS incremental de R$ 359 milhões aos Estados-Controladores.

· Das 4.744 operações de crédito executadas pelo BRDE, 79% foram para micros, pequenas e médias empresas (MPMEs). A média de R$ 463 mil por contratação demonstra o compromisso do BRDE com o fomento ao desenvolvimento econômico e social sustentável para empreendimentos de todos os portes.

· Dentre os programas de crédito do banco, o destaque em 2017 foi o BRDE Produção e Consumo Sustentáveis (PCS), com R$ 482 milhões destinados a empreendimentos de desenvolvimento sustentável – econômico, ambiental e social – na Região Sul do país.

· O Programa BRDE Municípios foi ampliado, passando a oferecer às prefeituras dos três estados da Região Sul novas modalidades de apoio, mediante linhas de crédito e assistência técnica. O programa busca promover o desenvolvimento institucional e a infraestrutura econômica, social e turística, urbana e rural dos Municípios da Região Sul do Brasil, por meio de prestação de serviços e apoio a investimentos em gestão, e nos tecidos urbanos e rurais, visando o atendimento da demanda por serviços básicos e bens públicos, a melhoria da qualidade de vida da população e melhores práticas de gestão e de sustentabilidade.

· Somado o valor de R$ 2,2 bilhões das contratações aos recursos próprios dos investidores, o total aplicado nos projetos financiados pelo banco chegou a R$ 4,071 bilhões. Assim, o BRDE elevou para R$ 132,7 bilhões, em valores atualizados, o volume de recursos que aplicou nos seus 56 anos de atuação na Região Sul.

· Continuando sua política de preservar o emprego e a geração de renda, o BRDE firmou contratos de reestruturação de dívidas da ordem de R$ 182,1 milhões, num total de 220 operações, permitindo, com isso, a manutenção do funcionamento de várias empresas com baixo grau de liquidez no curto prazo, mas avaliadas como viáveis no médio e longo prazo.

· Na busca pela diversificação de fundings, o BRDE assinou, em dezembro de 2017, convênio com o Ministério do Turismo para operar com recursos do Fundo Geral de Turismo (FUNGETUR). Os recursos do fundo têm como objetivo financiar a implantação, ampliação, modernização ou a reforma de empreendimentos turísticos como hotéis, pousadas, restaurantes, agências de viagens e parques temáticos, entre outros. Os recursos serão utilizados por meio do programa “BRDE PROTUR”, criado em junho de 2017 com o objetivo de fortalecer a atuação do Banco no segmento mediante assessoria e apoio técnico, além do apoio creditício a empreendimentos prestadores de serviços reconhecidos pelo Ministério do Turismo como de interesse turístico, em estreita consonância com os objetivos estratégicos e as metas traçadas no Plano Nacional do Turismo – PNT.

· No mesmo sentido, a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e o BRDE assinaram em setembro de 2017 memorando de entendimentos, cumprindo uma das etapas do acordo de cooperação financeira entre as duas instituições. A parceria do BRDE com a AFD permitirá ao Banco incrementar o apoio a projetos voltados à produção e consumo sustentáveis. Com isso, o BRDE amplia suas fontes de recursos, garantindo novos investimentos nos setores produtivos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

· O BRDE, perseguindo continuamente o tema da sustentabilidade, ampliou seu comprometimento com a Agenda Ambiental do Setor Público – A3P, mediante acordo de cooperação, assinado em maio de 2017, com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Secretarias de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O objetivo do acordo é a promoção e divulgação da A3P entre os órgãos públicos da Região Sul. Cinco oficinas foram realizadas em polos regionais do RS, e outras estão programadas para Santa Catarina e Paraná. O benefício direto da agenda se move em seis eixos: racionalização do uso dos recursos naturais, a destinação correta dos resíduos, licitação e compras sustentáveis, construções sustentáveis, qualidade de vida no trabalho, sensibilização e capacitação.

· Pela esfera cultural, o BRDE renovou o contrato com a ANCINE para seguir como agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA por mais 5 anos. Nesse período, a previsão de repasses ao setor chega a R$ 5 bilhões.

· Como agente mandatário do Fundo de Apoio aos Municípios (FUNDAM) desde 2013, o BRDE já repassou mais de R$ 587 milhões aos municípios catarinenses. Esses valores foram aplicados na pavimentação de ruas, construção e ampliação de escolas e creches, transporte escolar, equipamentos de saúde, além de obras voltadas para saneamento, esporte, lazer e assistência social.



VOLTAR