BRDE

  • Contato

SALA DE IMPRENSA

Com apoio do BRDE, Bibliotheca Pelotense investe no espaço infanto-juvenil e na digitalização do acervo

Data22/01/21
|CategoriaNotícias

Tão logo seja possível o retorno presencial, o público que costuma frequentar as instalações da Bibliotheca Pública Pelotense terá algumas novidades para conferir. A partir de recursos repassados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), via Lei Federal de Incentivo à Cultura, a instituição fundada no ano de 1875 investiu em melhorias no espaço destinado ao público infantojuvenil, além de adquiri um projetor para a exibição de filmes e documentários aos jovens que visitarem o Museu Histórico da Bibliotheca Pelotense.

Para conhecer de perto os investimentos e também a trajetória de um espaço que passa por três séculos diferentes, a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, esteve em visita à Bibliotheca nessa sexta-feira (22/01). Num rápido evento com a participação da prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, e da presidente da instituição, Lisarb Crespo da Costa, foram conferidas as intervenções realizadas ao longo do ano passado na sala infantojuvenil, que ganhou novo mobiliário, adaptações em termos de acessibilidade e um reforço de 60 livros para o seu acervo. “O apoio a iniciativas que contribuem para o desenvolvimento social, facilitando e ampliando o acesso à educação e à cultura, de forma inclusiva, faz parte da missão e da política de responsabilidade socioambiental do BRDE, assim como reafirma nosso compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, destacou Leany Lemos.

Na soma dos valores repassados desde 2017, o BRDE destinou mais de R$ 86 mil para a Bibliotheca Pelotense, o que viabilizou as melhorias ao longo dos últimos três anos. Um dos destaques foi o patrocínio do banco para a aquisição, ainda em 2019, de um scanner planetário. O equipamento possibilitou disponibilizar à população o acesso a documentos e publicações históricas, começando pelas edições do jornal A Alvorada, semanário liderado por um grupo de intelectuais negros surgido quase duas décadas depois da abolição da escravatura no Brasil e que se propunha a difundir os ideais da  luta pelo fim das desigualdades raciais e o maior acesso da população negra à educação.

Sala infantojuvenil ganhou novo acervo e maior acessibilidade

Foto: Gustavo Vara / Prefeitura de Pelotas

Entre livros raros e periódicos, são mais de 1.600 volumes e 150 mil páginas, além de 1.600 fotografias históricas que terão acesso facilitado em meio digital.  “O BRDE se faz presente na vida da Bibliotheca Pública Pelotense como um parceiro que reconhece o valor do patrimônio histórico e cultural que esta instituição centenária abriga, e que, com muita competência, coloca à disposição dos gaúchos por meio de novas tecnologias e de recursos atualizados”, acrescentou Leany Lemos. Até a chegada da pandemia da Covid-19, a Bibliotheca Pelotense recebia, em média, 30 mil pessoas por ano.

Novos investimentos

A instituição também teve aprovado pelo governo do Estado um novo projeto para 2021 agora por meio do edital de aquisição da Lei Aldir Blanc. Serão adquiridos computadores para atendimento ao público, tablets para que as crianças que frequentam o setor infanto-juvenil possam acompanhar aulas e outros conteúdos online; tablets para visitas ao Museu Histórico, com libras e audiodescrição; mobiliário e equipamento para o ônibus do projeto “Bibliocantos”, que possibilitará levar livros e peças históricas do Museu a bairros da cidade, com exibição de vídeos educacionais e turísticos durante as viagens. Além disso serão produzidos totem para pessoas com necessidades especiais e totem interativo para o Museu Histórico; aquisição de mobiliário para a Reserva Técnica do Museu, e de caixa acrílica para o projeto de escavação simulada, que busca incentivar a valorização do patrimônio.

 


Logo BRDE