BRDE

  • Contato

SALA DE IMPRENSA

BRDE destina aproximadamente R$ 120 milhões para mulheres empreendedoras

Data08/03/22
|CategoriaNotícias

Dia Internacional da Mulher

Programa lançado há exatamente um ano, opera nos três estados do Sul  e faz mudança para facilitar acesso nas linhas de crédito

 

No Dia Internacional da Mulher, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), anuncia novidade no Programa BRDE Empreendedoras do Sul, que teve aproximadamente R$ 120 milhões de recursos destinados para projetos coordenados por mulheres, no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, exatamente há um de seu lançamento.

O programa é direcionado para empresas de diferentes portes que tenham ao menos 40% do seu capital social de sócias mulheres. A oferta de crédito para capital de giro é reservada apenas para pessoas jurídicas e com receita operacional bruta de até R$ 90 milhões no ano anterior ao pedido. Com a nova mudança, não há valor máximo por operação. ““O BRDE está comprometido com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável  e a Agenda 2030. Uma das metas já conquistadas, foi a criação do Programa Empreendedoras do Sul. Promover o empreendedorismo feminino financiando R$ 120 milhões em um ano de atuação, beneficiando projetos que geram emprego e renda é uma resposta prática do maior banco de desenvolvimento regional do Brasil à sociedade” – analisou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

As microempreendedoras individuais e pessoas físicas poderão ter o apoio através de parcerias do banco com outras instituições que atuam com programas de microcrédito, como as cooperativas.

Do valor total operado pelo Empreendedoras do Sul, o Paraná destinou R$ 44,7 milhões, Santa Catarina R$ 32,4 milhões e Rio Grande do Sul R$ 41,3 mi para micro, pequenos e médios empreendimentos, dirigidos à produção rural, inovação, construções e reformas, compra de equipamentos e adaptações de tecnologia.

 

Os casos em cada Estado – Com o total de 384 contratos nos três estados, firmados no programa em um ano de criação, a possibilidade de recursos para os projetos de trabalho, auxiliam na mudança de vida das mulheres, como no caso do Rio Grande do Sul.

Para que o programa BRDE Empreendedoras do Sul chegasse ao maior número de interessadas, em especial beneficiando pequenas e médias empresas, uma das alternativas é atuar através de instituições parceiras. A exemplo disso, foi o contrato no valor de R$ 700 mil do BRDE com a ICC Serra, instituição que atua em vários municípios do interior do Rio Grande do Sul. Por meio do Banco do Povo, são liberados empréstimos pela modalidade de microcrédito para empreendedoras de diferentes segmentos.

Do total liberado pelo BRDE, a ICC Serra já celebrou 66 contratações, totalizando R$ 636 mil em empréstimos. A grande maioria do crédito beneficiou empresas lideradas por mulheres do setor do comércio (63%), seguido do segmento de serviços (31%).

Para a gerente da ICC Serra, Jaqueline Pattis, o apoio do BRDE foi fundamental para disponibilizar uma linha de microcrédito na compra de matérias-primas, para a aquisição de equipamentos que viabilizam maior produção ou mesmo abrir um novo negócio. “Assim foi possível fomentar a economia dando uma atenção maior às mulheres empreendedoras”, salienta ela.  Conforme a diretora, o programa permitiu inclusive diversificar as atividades, citando o exemplo de uma empresária que atua há 14 anos na venda de roupas de porta em porta por uma equipe de sacoleiras e que, com o financiamento do BRDE, abriu uma cozinha para tele-entrega, viabilizando uma nova fonte de renda.

Na avaliação da diretora de Operações, Leany Lemos, o resultado alcançado no primeiro ano do programa comprova a demanda que existia em termos de maior apoio às mulheres que empreendem e auxiliam no fortalecimento da atividade econômica. “Além representar um caminho para maior inserção social, a iniciativa do banco em incentivar o empreendedorismo das mulheres trouxe impactos positivos nesse momento de retomada em meio à crise da pandemia, além de reafirmar nossos compromissos com o desenvolvimento sustentável”, destacou Leany Lemos, ela que foi a proponente do programa quando estava na presidência do banco (a primeira mulher em 60 anos da instituição) e que foi aprovado por unanimidade pelos demais diretores.  A diretora observa, também que o BRDE Empreendedoras do Sul tem alinhamento direto ao ODS 5, diante de gap de crédito para empresas e projetos liderados por mulheres estimado em US$ 5 bilhões pela ONU.

Para o diretor de Planejamento, Otomar Vivian, tanto o lançamento do programa há um ano, como os ajustes que agora facilitarão o acesso ao crédito, demonstram o esforço interno do banco em estar alinhado com as políticas públicas de cada um dos Estados. “Vivemos ainda um momento de muitos desafios para a economia e, assim como o Empreendedoras do Sul, o BRDE vem atuando em várias frentes para garantir renda e gerar empregos. Somos efetivamente parceiros dos empreendedores e das empreendedoras da região Sul nos seus projetos e resultados”, observou Vivian.

 

Caroline Dellacorte, criadora da PACK ID, de Chapecó (SC)

 

Chapecó, em Santa Catarina – A engenheira de alimentos Caroline Dellacorte da PACK ID, de Chapecó (SC), revelou ter buscado várias formas de melhorar o processo para evitar perdas financeiras que afetavam qualidade dos produtos. Com isso, se aperfeiçoou em modelos de inovação e através de prêmios ganhos com suas propostas de soluções e assim teve acesso a recursos pelas redes de fomento. ‘Hoje atendemos não somente o mercado alimentício, mas também o mercado de fármaco, afinal todos esses produtos precisam ter a sua qualidade e segurança garantida, para que nós como pacientes e consumidores possamos consumir produtos que de fato venham a ter a qualidade e eficácia desejada”, descreveu Caroline.

Ela detalha que apesar de seu modelo de negócio ser SAS (software as a servisse), necessita fazer a compra de equipamentos. “Para cada cliente que eu vendo esse monitoramento, há necessidade de instalar esse dispositivo, que vai ler esses dados e transmitir para a nuvem para que no software ele acompanhe todas as informações, receba os insights, os alertas e os benefícios que a gente oferece para poder ajudá-lo a evitar as perdas dos produtos e a manter a qualidade dos mesmos. O recurso do BRDE foi fundamental para apoiar esse financiamento e dar sequência no nosso projeto e ter uma solução rodando no mercado que cause esses efeitos benéficos na comunidade”, finalizou Caroline.

O vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra, explica que esse tipo de parceria é a essência do banco como fomentador de desenvolvimento, renda e expansão de negócios.  “Assim como o Governo Carlos Moisés tem trabalhado numa política de inclusão, o BRDE tem se esforçado para continuar sendo uma instituição que vai além de sua atuação para o crescimento de Santa Catarina, mas também como um agente importante dentro desta inserção social”.

“Por meio do programa, o BRDE também agilizou a fiscalização dos contratos, assim como reduziu as tarifas de análise e o percentual de comissão interna. Com as alterações para este ano, esperamos que o número de empresárias e empreendedoras beneficiadas possa ser ainda maior, ajudando no desenvolvimento dos negócios e crescimento do estado”, destaca o diretor financeiro, Eduardo Pinho Moreira.

 

Bruna Havresko, criadora da Modab | Foto: Douglas Camargo

Modab, o e-commerce de Irati, no Paraná – Bruna Havresko, de 32 anos, migrou da fotografia para a criação da Modab, o e-commerce com base em Irati (PR) e que hoje é a maior marca de roupas modeladoras e tecnológicas do Brasil. Em 2013, ela deixou a carreira de fotógrafa e realizou o sonho de “ajudar as pessoas pela moda”, com investimento modesto. Ao passar uma juventude sem se sentir confortável com as roupas tradicionais, Bruna desenvolveu peças que se moldam ao corpo da cliente, tornado o ato de vestir algo prazeroso, além de incrementar um nicho de empreendimento pouco explorado.

Com apoio de recursos do Programa BRDE Empreendedoras do Sul, a Modab pode investir na recomposição de estoque.  “Foi maravilhoso, pois conseguimos a expansão que sempre sonhamos e um papel fundamental nos resultados obtidos, uma vez que o sucesso das novas estratégias se deve em grande parte ao suporte oferecido pelo recurso do BRDE”, descreveu Bruna.

Além de recursos próprios, o BRDE vai se valer de outros fundigns nacionais e de captação de recursos em organismos internacionais para atender a demanda.

Para solicitar o financiamento, as empresas devem acessar o site www.brde.com.br, no ambiente do Internet Banking (IB) – https://ib.brde.com.br/Usuario/Login. Todos as operações serão através da plataforma digital e a documentação deverá ser inserida (upload) também através do site. O app do BRDE também traz as informações sobre o programa.


Logo BRDE