BRDE

  • Contato

SALA DE IMPRENSA

Experiência do Laboratório de Inovação Financeira e plataforma digital que atende MPE marcam primeiro dia de seminário

Data26/04/21
|CategoriaNotícias

Um modelo que libera crédito no prazo de até duas semanas, atendendo especialmente micro e pequenas empresas e totalmente on line. Essa a experiência do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) esteve entre os destaques do primeiro dia do seminário O Mercado Financeiro e as Oportunidades com as Fintechs. Iniciativa do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o evento está reunindo importantes instituições de fomento, bem como cases de empresas privadas que se destacam na utilização de soluções tecnológicas e inovadoras. Iniciada nesta segunda-feira (26/4), a programação prosseguirá até a próxima quinta-feira, sempre a partir das 14 horas e com transmissão via o canal de Youtube do banco.

Na abertura do seminário, a diretora-presidente Leany Lemos reafirmou suas expectativas que as experiências das outras instituições irão contribuir para que o BRDE possa avançar ainda mais em soluções inovadoras no atendimento dos clientes nos três estados onde atua.  “A inclusão de uma plataforma digital representará ao banco ampliar e melhorar a sua missão de apoiar o desenvolvimento no Sul do país”, destacou ela. “Teremos uma semana profícua”, resumiu. O seminário integra as atividades relacionados aos 60 Anos do BRDE, que serão comemorados agora no mês de junho.

Presidente do BRDE na abertura do seminário

O presidente do BDMG, Sérgio Gusmão, Suchodolski, que também é presidente da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), participou do seminário e destacou a importância do intercâmbio de informações entre os bancos de fomento. Buscando oferecer taxas menores, agilidade e menos burocracia, a plataforma digital com a qual BDMG contribuiu para que o banco conseguisse fechar 2020 atendendo quase 13 mil MPEs no estado de Minas Gerais.

Conforme o superintendente de Micro e Pequenas Empresas do BDMG, Thiago Magalhães Tavares, o modelo oferece a possibilidade de liberação de crédito em até duas semanas, “mas como uma média de prazo que fica em cinco dias”. Na sua participação no seminário, ele destacou que o modelo de atendimento está estruturado através de venda diretas (apoiada em ações de e-mail marketing) e por meio de correspondentes bancários, como cooperativas de crédito, em idades empresariais e até escritórios de contabilidade.   “Com isso e mesmo tendo apenas uma agência, o BDMG consegue estar presente na grande maioria dos municípios.

Uma das ferramentas que garantem agilidade na análise do crédito e sobre a situação da empresa é a parceria operacional com organismos como o Banco Central, Sebrae e Serasa. Segundo Thiago Tavares, o próximo passo já em implementação é incluir num ambiente seguro até mesmo a celebração do contrato de financiamento, descartando qualquer utilização de papel.

Sustentabilidade

As duas primeiras abordagens da tarde tiveram como foco a experiência do Laboratório de Inovação Financeira. Trata-se de um fórum de interação multissetorial criado ABDE, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O objetivo é criar soluções inovadoras de financiamento para projetos voltados às questões sociais e ambientais e, desta maneira, contribuir para o cumprimento das metas brasileiras associadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS (Agenda 2030) e aos compromissos para o enfrentamento dos riscos de mudança climática (Acordo de Paris).

 

José Alexandre Vasco, da CVM

Na sua participação no seminário, o superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM, José Alexandre Vasco, mencionou o quanto o mercado de capitais passa por transformações. Ele observou que existe a necessidade de até US$ 7 trilhões/ano em termos de fundos para financiar projetos comprometidos com a sustentabilidade.

Especialista em mercados financeiros da Divisão de Conectividade Mercados e Finanças do BID, Luciano Schweizwer, trouxe um breve histórico de atuação do banco e destacou as parcerias em andamento com o BRDE.  Através de dois programas, o BRDE deverá captar US$ 150 milhões junto ao BID tanto mitigar os efeitos da pandemia, especialmente de pequenos e microempresários, bem como por intermédio de investimentos em infraestrutura social, infraestrutura urbana, rural e turística em projetos a serem executados por prefeituras ou empreendedores privados dos três estados da região Sul.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA:

 14 horas- Abertura

Wilson Bley Lipski, Vice-Presidente do BRDE

14h15min – Gatner

Palestrante: Alexandre Blauth – Vice–Diretor de Programa Executivo – Gartner

Tema: Transformação Digital, Tendências de tecnologia e Fintechs

15 horas – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Socvial (BNDES)

Palestrante: – Rodrigo Hallak – Gerente de Canais Digitais – GEDIG Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)

Tema: Canal MPME e parcerias com Fintechs

15h30min – DesenvoveSP

Palestrante: Nelson de Souza – Presidente da DesenvolveSP

Tema: Modelo Negócios DesenvovleSP

 


Logo BRDE