BRDE

Objetivo é apoiar empresas que tenham presença feminina no comando a gerarem renda e empregos na região Sul

Com foco no estímulo ao empreendedorismo feminino e contribuir com o desenvolvimento econômico e social na região Sul do país, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) irá disponibilizar um programa de crédito exclusivo para empresas lideradas por mulheres. O anúncio do BRDE Empreendedoras do Sul ocorreu nesta segunda-feira (8/3), durante atividade organizada pelo banco para marcar o Dia Internacional da Mulher. Durante a semana estão programadas palestras diárias abordando temas da atualidade com impacto nas questões de gênero.
“Será um programa com condições atrativas e por meio de uma análise de crédito simplificada para que as mulheres empreendedoras tenham do BRDE o efetivo apoio para suas empresas, quer sejam elas grandes, médias e pequenas”, antecipou a diretora-presidente do banco, Leany Lemos. O financiamento será destinado para aquelas empresas que tenham mulheres como donas ou sócias detendo no mínimo 50% do capital social.
Os últimos detalhes do programa serão definidos em reunião de diretoria do BRDE nesta terça-feira (9), possibilitando o lançamento do novo produto já nos próximos dias. A ideia é disponibilizar financiamento para apoiar investimentos fixos a serem realizados na região Sul e capital de giro para empresas sediadas nos três estados de atuação do banco: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Semana da Mulher
Dentro das comemorações do Dia Internacional da Mulher, o BRDE organizou um ciclo de palestras, com transmissões diárias a partir das 14 horas pelo canal do Youtube (@brdeoficial). No primeiro dia, a participação foi da jornalista Kelly Matos, que atua há 15 anos no Grupo RBS. Nesta terça-feira (9/3) a convidada é a vice-presidente executiva do Banco Santander Brasil, Patricia Audi. Ela é responsável pelas áreas de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do banco, mas vem de uma longa experiência no setor público.

Para marcar as comemorações pelo Dia Internacional da Mulher, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está organizando uma série de palestras abordando temas da atualidade com impacto nas questões de gênero.  Com transmissões diárias a partir desta segunda-feira (8/3) e até a próxima sexta-feira (12/3), sempre iniciando às 14 horas, as lives terão a presença de mulheres com atuação em diferentes áreas, tratando de temas como a presença feminina em postos de liderança das organizações, ativismo, a questão da violência e os paradigmas que são enfrentados para alcançar o reconhecimento no seu meio profissional.

As palestras serão transmitidas pelo canal do banco no Youtube (@brdeoficial). No primeiro dia, a convidada é a jornalista Kelly Matos, que atua há 15 anos no Grupo RBS. Sempre com posições afirmativas em defesa dos direitos das mulheres, a jornalista vai tratar da importância e o significado do voluntariado para quem atua em diferentes causas sociais. No dia seguinte (9/3), o ciclo terá a participação da vice-presidente executiva do Banco Santander Brasil, Patricia Audi. Ela é responsável pelas áreas de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do banco, mas vem de uma longa experiência no setor público.

Parceiro estratégico ao desenvolvimento econômico e social da região do Sul do país, o BRDE está próximo de chegar aos 60 anos e, ao longo dessa trajetória, pela primeira vez tem uma mulher integrando a direção do banco. “Por isso, as comemorações pelo Dia da Mulher têm um significado muito especial e remetem a uma reflexão sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea e sobre equidade, assim como nos permite compartilhar histórias que servem de inspiração a todos e todas nós”, destaca a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos.

Paradigmas

Na quarta-feira (10/3), está prevista a palestra da delegada Nadine Anflor, primeira mulher a ocupar a chefia da Polícia Civil no Rio Grande do Sul em mais de 177 anos da instituição. Já quinta-feira 11/3), será a vez da cientista política, escritora e consultora Débora Thomé falar como a mulher ocupando lugar de liderança por impactar na sua organização, “na vida pessoal e no mundo”.

O ciclo encerra na sexta-feira (12/3) com a participação da empresária gaúcha Maristela Cusin Longhi, com forte atuação no segmento da indústria moveleira. Ela é sócia diretora da Multimóveis e tem uma longa trajetória em entidades do setor. É a primeira mulher a estar à frente do Conselho de Administração nos 96 anos de história do Tacchini Sistema de Saúde, de Bento Gonçalves (RS) e também preside atualmente a Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário.

As transmissões são abertas ao público e com duração máxima prevista de 30 minutos.

Serviço

PROGRAMAÇÃO SEMANA DA MULHER BRDE

Transmissão: canal do Youtube (@brdeoficial)

Palestras/Lives

Dia 8/3 – 14 horas

Kelly Mattos, Jornalista – Tema: “É ativismo, voluntariado… é inspiração”

Dia 9/3 – 14 horas

Patrícia Audi, Vice-Presidente Executiva do Santander do Brasil – Tema: “A mulher nos espaços de poder – desafios e conquistas”

Dia 10/3 – 14 horas

Nadine Anflor – Delegada e Chefe da Polícia Civil do RS – Tema: “Liderança feminina e as forças de Segurança Pública”

Dia 11/3 – 14 horas

Débora Thomé – Cientista Política, Escritora e Consultora – Tema: “Mulheres e liderança – como transformar você, sua empresa e o mundo”

Dia 12/3 – 14 horas

Maristela Cusin Longhi – Diretora da Multimóveis, Presidente da Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário e Vice- Presidente do CIERGS – Tema: “Quebrando Paradigmas”

Ação dá maior agilidade na oferta de crédito para projetos de desenvolvimento da região Sul

Dentro do processo de diversificação de suas fontes de captação de recursos, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) realizou essa semana sua primeira operação no mercado de capitais desde a década de 80. Ao efetivar a venda de R$ 10 milhões em Recibos de Depósitos Bancários (RDBs), o BRDE faz sua estreia na emissão e oferta de títulos dentro de um projeto piloto que prevê captação global de R$ 30 milhões. A operação foi fechada pela Agência de Curitiba e teve como comprador um cliente já com um longo histórico de relacionamento com o banco no estado do Paraná.

A ida ao mercado através da emissão de RDBs fez parte uma estratégia do BRDE definida no início de 2020 e autorizada ainda no mês de dezembro. Como projeto piloto, através da modalidade de depósito a prazo, a operação prevê a captação de até R$ 10 milhões por cada uma das três agências do banco. “É um marco importante para o banco e reflete, além de uma estratégia iniciada nos últimos anos em termos de diversificação de funding, um esforço muito grande de diferentes áreas da organização”, salienta a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos.

Os recursos serão alocados no Fundo BRDE de Promoção ao Desenvolvimento Produtivo, Sustentável e Social dos Estados da Região (BRDE Promove Sul) e serão aplicados no fundo rotativo estadual de respectiva agência que realizou a venda dos RDBs.

“Essa diversificação de funding é muito importante para a independência do banco. Isso mostra toda a estratégia que o BRDE vem traçando nos últimos anos para conquistar esse resultado agora”, comemora o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley. Ainda segundo o vice-presidente, isso garante maior agilidade na oferta de crédito para projetos de desenvolvimento da região Sul.

O projeto de emissão de RDB´s é conduzido pela equipe da Diretoria Financeira do banco, conta com o apoio de outros setores e tem como público alvo clientes ou instituições parcerias do BRDE devidamente habilitados conforme regras da Comissão de Valores Mobiliários. Para o diretor Financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, “esta ação reflete a dedicação das equipes do banco empenhadas no trabalho de ampliar a diversificação de oferta de recursos, contribuindo para desenvolver a Região Sul”.

“A ida ao mercado através da emissão de RDBs faz parte da estratégia do BRDE de ampliação da captação de recursos nacionais e internacionais. A se confirmar a tendência atual de disponibilidade de recursos, essa estratégia de diversificação para o mercado se ampliará nos próximos anos”, complementa o diretor de Planejamento, Luiz Corrêa Noronha. A emissão dos títulos tem valor unitário de R$ 1 mil e, por se tratar de uma primeira experiência da instituição com essa natureza, está direcionada a um único investidor interessado em cada agência.

 

O novo app tem o objetivo de aproximar o BRDE das pessoas e facilitar o acesso a todas as opções de crédito, solicitações de financiamentos e consultas ao andamento de suas operações com o banco

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) lançou, nesta terça-feira (23), um aplicativo com o objetivo de aproximar e facilitar cada vez mais o contato dos clientes com a instituição. Através do app, será possível solicitar financiamentos, conhecer todas as linhas de crédito do BRDE, consultar extratos e saldos de operações, acessar as informações das parcelas de financiamentos e tirar dúvidas. A plataforma já está disponível para os sistemas iOS (AppStore) e Android (PlayStore).

Desenvolvida em parceria com a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), a ferramenta vai funcionar como uma espécie de internet banking para quem já é cliente do BRDE, onde será possível acessar a conta e todas as informações de contrato e parcelas. Para quem ainda não é cliente, o aplicativo permite acessar todos os produtos que o banco oferece.

O lançamento do aplicativo aconteceu durante a reunião online que mobilizou os funcionários dos três estados de atuação do banco: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Na oportunidade, a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, salientou que a necessidade de ampliar a oferta de serviços digitais aos clientes está em grandes desafios estratégicos da instituição. “Somos um banco que apoia projetos com grande impacto ao desenvolvimento econômico e social da região Sul, grande parte deles voltados à inovação. Portanto, é preciso que, internamente, tenhamos essa mesma visão, que assegura novas soluções no relacionamento com clientes e demais parceiros”, acrescentou ela.

O vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley, observou que, em seus 60 anos de atuação, o banco vem assumindo um compromisso com a inovação, sempre buscando novas formas de incentivar o desenvolvimento de seus parceiros e o seu próprio. “Além de buscar cada vez mais liberar créditos voltados à inovação, ajudar o estado do Paraná a estar sempre à frente em desenvolvimento e tecnologia, nós buscamos o nosso desenvolvimento, digitalizando processos e agora com o novo aplicativo facilitando a aproximação com nossos clientes”, completou Bley.

O diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, destaca que “o lançamento do aplicativo reforça ainda mais uma nova lógica de atuação, mais prática e 100% digital. E não poderia ser num ano mais significativo, quando o banco completa 60 anos. O projeto marca a modernização da instituição que busca sempre a inovação alinhada ao desenvolvimento da região Sul do país, fazendo com que a tecnologia colabore diretamente na melhoria de vida das pessoas”.

Para o presidente da Celepar, Leandro Victorino de Moura, o BRDE está entre os líderes nacionais que apoiam microempreendedores e empresas inovadoras. “O banco é um grande aliado nosso para fomentar a inovação dentro do nosso Estado. Essa parceria da Celepar com o BRDE está disponibilizando uma solução que vai permitir ampliar ainda mais o acesso ao crédito e fomentar o empreendedorismo”, diz Moura.

O lançamento contou com a participação dos demais integrantes da Diretoria do BRDE; do diretor de Tecnologia da Celepar, Aníbal Mendes, assim como representantes da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) do banco, que igualmente atuaram diretamente no projeto do aplicativo e fizeram uma apresentação técnica da ferramenta.

Durante visita à região do Alto Vale do Itajaí, a diretoria do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) esteve reunida com lideranças e empresários dos municípios de Presidente Getúlio e Ibirama, afetados pela enxurrada no fim do ano passado. Na oportunidade, o diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, o diretor de acompanhamento e recuperação de crédito, Vladimir Arthur Fey, e o superintendente da agência em Santa Catarina, Marcone Souza Melo, esclareceram dúvidas sobre os programas, linhas de crédito e prazos oferecidos pelo banco.

O empresário Cassio Roberto Tambani tem uma loja de paisagismo em Ibirama. Ele foi um dos atendidos durante a visita do BRDE. “Estamos parados desde a enxurrada. A chuva levou parte do nosso estoque e estamos analisando como recuperar isso”, menciona.

Historicamente, o BRDE tem sido parceiro nos momentos de recuperação das cidades. “Santa Catarina é atingida, frequentemente, por grande volume de chuva e o banco tem sempre se colocado à disposição dos empresários. Queremos dar prioridade para as empresas da região que precisam se reerguer”, reforça o diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra.

Os recursos do banco são destinados para investimento e capital de giro para diversos setores. Estão aptas a contrair as linhas de crédito do BRDE as empresas localizadas na região atingida.

Durante o encontro, foi reforçado o compromisso de atender rapidamente as demandas dos empresários e das associações. “Uma oportunidade para que o BRDE, este braço do Governo do Estado, possa estar junto com quem mais precisa de apoio. Dentro das possibilidades, vamos atender rapidamente as demandas do setor, colocando todo o nosso corpo técnico dedicado para isso”, destaca o diretor de acompanhamento e recuperação de crédito, Vladimir Arthur Fey.

Estiveram presentes também na reunião, o deputado Jerry Comper, o prefeito de Ibirama, Adriano Poffo, e o vice-prefeito, Jucélio de Andrade, o vice-prefeito de Presidente Getúlio, José Adálcio Krieger, o secretário de desenvolvimento econômico e meio ambiente de Ibirama, Anderson Fozina Krüger, além de representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Empresarial de Ibirama e Presidente Getúlio.

 

Visita à empresa 

Após a reunião, a diretoria do BRDE visitou as instalações da Manoel Marchetti – uma das unidades da empresa, em Ibirama, foi atingida pela enxurrada, deixando prejuízos e paralisando a produção por cerca de 10 dias.

 

O valor disponibilizado pelo banco para o setor em 2020 foi o maior dos últimos 4 anos

Aproximadamente um terço do valor em créditos liberados pelo BRDE em Santa Catarina em 2020 foram destinados ao agronegócio.  O setor recebeu R$ 316 milhões – o maior volume em contratações desde 2017. Só as cooperativas juntas tiveram cerca de 230 milhões em recursos aprovados pelo banco. “Este número mostra a importância do trabalho do BRDE para Santa Catarina. O banco tem uma visão de sustentação do desenvolvimento, ou seja, de ser parceiro para o crescimento econômico e não somente de financiador”, ressalta o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Uma das últimas operações realizadas entre o BRDE e a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro) vai permitir melhorias em mais uma unidade de produção no estado. O recurso disponibilizado pelo banco para financiamento é de R$ 20,6 milhões. A parceria é para reforma e modernização da unidade de produção de fertilizantes em São Francisco do Sul, no Norte do estado, contemplando investimentos em obras civis, instalações e equipamentos.

Das três linhas de produção existentes, duas serão modernizadas e uma será inteiramente substituída, para obter avanços na produtividade, precisão e qualidade dos fertilizantes. Ainda serão executadas obras de adequação em um galpão para utilizá-lo na armazenagem de grandes volumes de matérias-primas.

Para o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE, Vladimir Arthur Fey, as ações executadas pelo banco em 2020 permitiram aumentar a capacidade de apoio ao setor e, de forma geral, para Santa Catarina. “Foram mais de 2,7 mil operações – número de contratações quase 60 por cento maior do que o comparado a 2019 e ainda destaque como uma das maiores pulverizações já realizadas pelas agências do banco”, ressalta.

Todas as regiões do estado e diferentes atividades econômicas tiveram créditos liberados pelo BRDE, “comprovando a forma plural de atuação do banco, contribuindo de maneira decisiva para o desenvolvimento harmônico do Estado”, reforça ainda Fey.

 

Repactuação das dívidas ajudou quem vive no campo

Além da liberação de crédito, mais de 1,3 mil empreendedores, entre eles agricultores, foram beneficiados com a postergação dos contratos por pelo menos seis meses. Foi uma espécie de “congelamento da dívida” durante o período mais crítico da pandemia. Somadas as parcelas postergadas desde o mês de março, quando empresas, prefeituras e trabalhadores do campo deixaram de desembolsar, o valor chega a aproximadamente R$ 115 milhões.

Ao todo, em 2020, foram aprovados cerca de R$ 4,1 milhões para projetos sociais, culturais e esportivos em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Como parte de sua política de responsabilidade socioambiental, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se mobiliza todos os anos para o recebimento, avaliação e deliberação de projetos que buscam apoio com base em leis de incentivo. Em 2020, após um longo trabalho de análise das inscrições, foram aprovados mais de 100 projetos sociais, culturais e esportivos nos três estados do Sul, por meio do Fundo do Idoso, Fundo da Criança e do Adolescente, Lei de Incentivo ao Esporte, Lei de Incentivo à Cultura, Pronas/Saúde e Pronon/Oncologia. O valor a ser repassado às entidades e organizações sociais chega a R$ 4,1 milhões. Apenas em Santa Catarina, são 33 iniciativas contempladas num total de R$ 1,1 milhão em recursos aprovados para investimento nos projetos sociais.

É o caso do Bairro da Juventude, de Criciúma, no Sul do Estado, instituição com 70 anos de história voltados ao atendimento gratuito de 1,5 mil crianças, adolescentes e jovens em risco social. “Existem três grandes vantagens para que os doadores colaborem com nossa Instituição através do Imposto de Renda. Primeiro, o recurso fica no estado; segundo, pode acompanhar o investimento, ver o que estamos realizando com as doações; e terceiro, está ajudando uma causa social. Esse fluxo de solidariedade certamente alcança quem mais precisa”, ressalta o diretor de Projetos do Bairro da Juventude, Anézio Luiz de Souza.

Em Florianópolis, uma das instituições beneficiadas é o Instituto Guga Kuerten que atende 500 crianças com ações educacionais e esportivas no Programa Campeões da Vida. “Nada disso é possível sem as parcerias. Por isso gostaríamos de agradecer o apoio do BRDE neste projeto que faz a diferença na vida dessas crianças e seus familiares”, menciona a Superintendente Executiva do Instituto Guga Kuerten, Silvana Silveira Medeiros.

Nos últimos seis anos, o BRDE disponibilizou cerca de R$ 24 milhões para instituições dos três estados do Sul. Já são cerca de 600 projetos beneficiados que ajudaram milhares de crianças, idosos, artistas, portadores de necessidades especiais, pacientes com câncer e pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

“Acreditamos que como agente do desenvolvimento social, econômico e cultural da região, temos o dever de apoiar esses projetos. Se mais empresas aderirem a essa modalidade de doação, estaremos aumentando a nossa contribuição para o crescimento de toda a região Sul’, reforça o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Vladimir Arthur Fey.

Todas as propostas foram analisadas pela Comissão de Avaliação Interna do banco, que considerou a viabilidade e o impacto social dos projetos. As iniciativas mais bem avaliadas pela equipe técnica foram encaminhadas à diretoria que reconheceu os nomes dos proponentes contemplados e os valores a serem distribuídos. “Um trabalho que orgulha nossa instituição e que tem impacto em todas as regiões de Santa Catarina. O apoio a um projeto importante para Santa Catarina representa uma maneira de solidificar os valores do BRDE dentro e fora da nossa instituição”, ressalta o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Outro exemplo de como os recursos ajudam no desenvolvimento social das regiões vem de São Miguel do Oeste. O apoio do BRDE com o projeto de “Imersão Literária” possibilitou à Editora Mais que Palavras a produção, publicação e distribuição de pelos menos 3 mil livros ilustrados, impressos e digitais, destinados às crianças, famílias e educadores. “Tudo isso só é possível mediante as parcerias, como essa do BRDE”, destaca a editora e produtora cultural, Terezinha Osmari.

Um dos projetos atendidos este ano fica no município de Sul Brasil, no Meio Oeste catarinense. O apoio do BRDE ao projeto “Multiplicadores Maduros, conectando e fortalecendo os idosos no enfrentamento ao coronavírus”, vai proporcionar mais qualidade de vida e valorização da pessoa idosa. “Esse apoio que o BRDE tem dado tem sido fundamental para a realização de sonhos que foram construídos com parcerias e com objetivos em comum: tornar o mundo melhor”, comemora a Coordenadora do CRAS, Simone Rottava Ferrari.

O que é incentivo fiscal?

O incentivo fiscal é um instrumento que permite que as empresas escolham a destinação de parte de seus impostos a projetos que considerem importantes na transformação social do país. Os recursos podem ser diretamente aplicados em projetos sociais relacionados à cultura, pesquisa, esporte, saúde, entre outras áreas.

Como inscrever um projeto?

O interessado em inscrever seu projeto no Portal de Incentivos do BRDE necessita, primeiramente, ter seu projeto já aprovado no Diário Oficial do órgão competente e ter autorização para captar recursos no ano vigente. É preciso ressaltar que o BRDE apoia projetos que desempenhem suas atividades apenas nos estados em que o banco atua – ou seja – Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

 

O investimento total anunciado pelo banco este ano é dez vezes maior do que o operacionalizado em 2019 para o setor. O recurso vem através do Fundo Geral de Turismo (Fungetur) e será gerenciado pelo BRDE para atender micro, pequenos e médios empresários. 

Em cerimônia realizada nesta sexta-feira (18), em Balneário Camboriú, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciou a liberação de mais R$ 100 milhões para apoio ao setor turístico em Santa Catarina. O recurso será gerenciado na região Sul pelo BRDE via Fundo Geral de Turismo (Fungetur), do Ministério do Turismo. Ao todo, o programa prevê destinar R$ 300 milhões para o segmento, divididos em valores iguais nos três estados do Sul. Em Santa Catarina, desde o início da pandemia, o BRDE já disponibilizou R$ 52 milhões para o setor. O recurso total anunciado para atender o estado é dez vezes maior do que o operacionalizado em 2019.

O governador Carlos Moisés participou do ato e enalteceu a iniciativa num momento importante para o setor turístico. “Santa Catarina tem o turismo como uma das forças econômicas, por isso, os recursos são essenciais para ajudar nesta retomada do setor afetado pela crise do coronavírus”, ressaltou.

O programa pretende disponibilizar capital de giro para empresas ligadas ao turismo, permitir a aquisição de máquinas e equipamentos turísticos, além de viabilizar a construção de novos empreendimentos ou reformas e obras de ampliação. Os investimentos em equipamentos e capital de giro terão carência de até 12 meses e outros 60 meses para pagamento. Já obras civis contam com 60 meses de carência e 240 meses para amortização da dívida.

“Em 2019 o banco disponibilizou R$ 15,7 milhões para empreendedores de Santa Catarina via Fungetur, valor que aumentou para 52 milhões em 2020. Com mais os R$ 100 milhões anunciados hoje, aumentamos dez vezes mais o recurso disponível para ajudar os empresários catarinenses”, comemora o diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra.

Um dos exemplos atendidos é o projeto turístico do Oceanário de Balneário Camboriú, que recebeu aporte desta linha de crédito, através do BRDE. O local é uma das mais novas atrações da cidade. “O banco vem se empenhando este ano para atender todas as regiões do Estado. Os recursos somam-se aos R$ 264 milhões que o BRDE, maior operador desta linha de crédito no Brasil, já havia executado até agora.”, destaca o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Vladimir Arthur Fey.

A entrega destes valores envolve a união de esforços entre BRDE, Governo do Estado de Santa Catarina e Agência de Santa Catarina de Desenvolvimento do Turismo (Santur), garantindo mais fomento, manutenção e desenvolvimento do segmento turístico.

“Essa era uma das  principais necessidades do setor no enfrentamento dos impactos da pandemia”, reforça o presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari.

 

FUNGETUR – Criado em 1971 para financiar empreendimentos, obras e serviços de interesse para o desenvolvimento do turismo nacional, o Fungetur é uma linha de financiamento, com recursos do Ministério do Turismo, destinada, preferencialmente, aos segmentos de micro, pequenas e médias empresas. Diante dos impactos causados pela pandemia de Covid-19, o governo federal autorizou um crédito orçamentário de R$ 5 bilhões para auxiliar empreendimentos turísticos de todo o país, com taxas e prazos diferenciados.

 

 

Quase mil negócios protegidos e mais de 10 mil empregos preservados em Santa Catarina. Esse é o balanço prévio do programa Recupera Sul, apresentado esta semana pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O programa iniciado em abril disponibilizou R$ 100 milhões para crédito emergencial, com condições diferenciadas aos empresários catarinenses para enfrentamento da crise provocada pelo coronavírus. Do montante, 82% já foram repassados e o restante está em processo final de liberação.  “A estimativa é de que, com a conclusão dos processos em andamento, outras 200 empresas devam ser beneficiadas, aumentando para 12 mil o número de empregos protegidos pelo programa de crédito”, destaca o diretor financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Um dos empresários já beneficiados é Wesley Silva, da cidade de Joinville. Dono de um negócio no ramo de vestuário, ele conseguiu a liberação de R$ 83 mil em menos de 20 dias. “O programa ajudou para que a minha empresa não parasse. Desta forma consegui manter os empregos e a venda dos produtos nas lojas”, destaca.

Sidinei Chieza, proprietário de uma padaria de Chapecó, também acessou o programa e diz que os recursos do BRDE vieram em boa hora. “Ter um programa que permitiu empréstimos sem burocracia e com condições de pagamento facilitadas, foi uma ótima maneira de ajudar empresários como eu”, afirma. Um dos diferenciais do Recupera Sul foi a possibilidade de acesso ao crédito sem a necessidade de garantias reais. Um formato que viabilizou aproximadamente 80% das operações do programa.

Adriana Bertelli, de Lages, garantiu R$ 200 mil para manter a empresa de autopeças da família funcionando. “O prazo e o juros são excelentes. Isso deu fôlego para me manter no mercado”, comemora.

Outros empresários atendidos pelo programa foram retratados em uma série de vídeos produzidos pelo BRDE, e que começaram a ser exibidos na semana passada nas redes sociais. “A intenção é dar transparência e mostrar o impacto deste trabalho”, destaca o Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Vladimir Arthur Fey. O levantamento prévio mostra que os recursos disponibilizados pelo BRDE chegaram a 125 cidades catarinenses. A região que mais firmou contratos foi o Vale do Itajaí, seguido do Oeste Catarinense e Grande Florianópolis. Na sequência vem Norte, Região Serrana e Sul. “Alcançamos os mais diversos pontos do estado, ajudando muita gente que precisava de apoio neste momento difícil. E isso valoriza o papel do BRDE como banco de fomento”, complementa Fey.

 

O PROGRAMA – Entidades empresariais de Santa Catarina acessaram o Governo do Estado no início da pandemia, solicitando a liberação de crédito emergencial para os empreendedores catarinenses. A partir desta demanda o BRDE disponibilizou recursos próprios e criou o programa Recupera Sul, exclusivo para capital de giro. A linha de crédito disponibilizou entre R$ 20 mil e R$ 200 mil, com carência de 18 meses, prazo de 30 meses para pagamento e juro muito abaixo da média de mercado. As operações tiveram o apoio do Sebrae e cooperativas de crédito parceiras, que auxiliaram na análise dos processos e pulverização dos recursos. “As operações entre R$ 20 mil e R$ 80 mil puderam ser realizadas com o benefício do Fundo de Aval, que funciona como uma espécie de fiador, dispensando a apresentação de garantias como imóvel ou veículo”, complementa o Diretor Financeiro, Marcelo Haendchen Dutra.

Passada a fase aguda da crise o banco começa a estruturar outros programas de crédito que possam incentivar a retomada dos negócios. “O esforço é para atrair recursos, inclusive de fontes internacionais, para que o empreendedor catarinense possa fazer os investimentos que ficaram represados nos últimos meses. A expectativa é que isso possa ajudar a movimentar significativamente a economia local”, finaliza Dutra.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está disponibilizando 95% dos recursos para execução de duas importantes obras viárias em Rio do Sul/SC. Os recursos são do programa BRDE Municípios, com recursos do FGTS, e foram oficializados nesta segunda-feira (3). “O programa tem o propósito de auxiliar as prefeituras a dotar os municípios catarinenses de infraestrutura adequada. Isso melhora a mobilidade e, por consequência, a qualidade de vida dos moradores”, explica o Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito Vladimir Arthur Fey. Ele formalizou a liberação dos recursos ao prefeito José Thomé. O governador Carlos Moisés da Silva também prestigiou a cerimônia.

As duas obras financiadas pelo BRDE ficam na Zona Leste de Rio do Sul, importante região industrial da cidade. Um dos projetos totaliza R$ 7,9 milhões e prevê a construção de uma Estrada com 2,3 quilômetros, ligando Rio do Sul à vizinha cidade de Lontras. A obra já está em execução e contempla a implantação de um trecho de asfalto e reconstrução da pavimentação já existente, melhoria da drenagem, construção de ciclovia, passeios com acessibilidade e sinalização.

O outro projeto financiado pelo BRDE é orçado em R$ 12,7 milhões e contempla a construção de acessos e uma ponte de 192 metros sobre o Rio Itajaí-Açú. A obra ligando a Estrada Navegantes com a Rua Blumenau prevê ciclofaixa e passeio com acessibilidade, microdrenagem, sinalização e passeios com acessibilidade. O projeto faz parte de um pacote de obras do chamado Acesso Leste, que pretende facilitar a entrada e saída da cidade pela BR 470.

Infraestrutura – Em 2019 o Programa BRDE Municípios beneficiou mais de 20 cidades catarinenses com a liberação de R$ 85,9 milhões. Os recursos foram empregados na drenagem e asfaltamento de ruas, sinalização, construção de pontes, reservatórios de água e até automatização de processos administrativos. Neste ano, incluindo Rio do Sul, o programa está atendendo nove cidades com a liberação de mais R$ 66 milhões para obras de infraestrutura urbana. Os contratos têm, na média 24 meses de carência, e 240 meses para liquidação.

___________

Apoio: Vladimir Artur Fey, Governador Carlos Moisés da Silva e prefeito de Rio do Sul, José Eduardo Thomé. Foto: Jefferson Douglas da Silva.