BRDE

Nova linha de crédito aprovada pela Ancine é anunciada durante o South Summit Brasil

Com foco em financiar projetos de novas tecnologias e soluções de acessibilidade para o setor audiovisual, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciou, nesta quinta-feira (5/05), uma linha de crédito de R$ 215 milhões, o que contempla também projetos de infraestrutura para a indústria de jogos eletrônicos. Os recursos têm origem no Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) e que estão sendo disponibilizados pela Agência Nacional do Cinema (Ancine).

A novidade foi divulgada durante workshop que o banco realizou em parceria com a Ancine no South Summit Brasil, que está ocorrendo em Porto Alegre, quando foram apresentadas ao mercado de games opções de apoio para o fortalecimento na produção dos jogos digitais. O evento contou com a participação da gerente de Desenvolvimento de Mercado da Ancine, Fabiana Trindade. Ela explicou que desde 2016 não havia uma linha de crédito com foco nos games.

Nova linha incluindo games já está disponível

A linha de crédito oferece taxas bastante atrativas e terá o BRDE como operador exclusivo. Empresas interessadas já podem encaminhar solicitações através do site do banco:www.brde.com.br/fsa. O workshop foi coordenado pelo gerente de Planejamento do BRDE no Rio Grande do Sul, Alexander Nunes Leitzke.

A analista de Operações do banco na agência de Curitiba (PR), Patrícia Marquart, apresentou alguns aspectos que envolvem as operações de crédito para o setor audiovisual, um dos mais afetados pelas restrições sanitárias adotadas para conter o avanço do coronavírus.  Ela destacou que o banco há dez anos é parceiro operacional do FSA, inicialmente atuando em investimentos na produção (R$ 7 bilhões no total). Mas por conta dos efeitos da pandemia de Covid-19, entre 2020 e 2021 o banco registrou R$ 125,9 milhões em operações de financiamento de uma linha emergencial, em especial para capital de giro. Na soma com as operações do BNDES, foram R$ 323 milhões em financiamentos emergenciais para o setor audiovisual do país, o que permitiu que as empresas enfrentassem despesas de folha dos funcionários e evitar demissões.

Games

Setor que registrou uma expansão ainda mais expressiva durante a pandemia, o mercado de jogos eletrônicos deve movimentar US$ 196 bilhões de dólares neste ano em todo mundo. E as projeções são de alcançar US$ 219 bilhões até 2024, se consolidando como maior segmento entre as indústrias do entretenimento, superando inclusive o que a música e o cinema faturaram juntos.

Mesmo sendo o 5º mercado consumidor mundial, o Brasil ocupa a 13ª posição como produtor de games, motivo pelo qual o país viu crescer em 600% a importação no ano passado.

Fotos: Carolina Greiwe/BRDE

Painel com participação de instituições de fomento e banco privado reforça compromissos com a Agenda 2030

“Os conceitos de sustentabilidade não são mais considerados como elementos adicionais nos projetos que apoiamos, mas sim tornaram-se fundamentais. Não é mais uma agenda de futuro, mas para já.” A manifestação do representante do Grupo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) no Brasil, Morgan Doyle, indicou a tônica do painel “Sustentabilidade/ESG no âmbito de financiamento de Inovação e ODS”, que ocorreu na manhã desta quinta-feira (5/05), no South Summit Brasil, que está acontecendo em Porto Alegre (RS). Realizado no palco Corner Stage, o debate contou com a coordenação da diretora de Operações do Banco regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Leany Lemos.

O representante do Grupo BID salientou que é meta da instituição chegar em 2023 com 100% das operações de crédito vinculados com as metades do Acordo de Paris, Conforme Boyle, entre as prioridades estão os financiamentos com foco nas questões climáticas, geração de energias limpas e de gênero.

Para a vice-presidente executiva de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander, Patrícia Audi, os financiamentos com vinculação direta os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) tornaram-se fundamentais para o sucesso dos negócios em qualquer segmento. “Sem falar que estamos tratando da sobrevivência de todos nós. Então como não financiar?”, instigou Patrícia Audi.

Unânimes no alinhamento com a pauta da sustentabilidade

A vice-presidente do Santander destacou que o banco hoje é responsável por 30% de todos dos financiamentos em energia renovável do país e o que programa de microcrédito lançando para enfrentar os efeitos da pandemia já atingiu mais de 720 mil clientes. Ela acrescentou que o banco opera com taxas mais atrativas na medida que o cliente atender determinadas metas ambientais, em particular no agronegócio.

Representando no painel o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o administrador Gil Vidal Borba igualmente reforçou a linha de alinhamento total dos projetos apoiados ao tema da sustentabilidade.  “Nossa grande missão é transformar todos os setores produtivos do país, pois não teremos desenvolvimento sem os princípios da sustentabilidade, numa economia verde”, sustentou.

Nova matriz

Leany Lemos: banco sustentável

Durante os debates, Leany Lemos ressaltou, também, a restruturação que o BRDE promoveu em 2021 na sua matriz de programas e linhas de crédito, tornando a instituição ainda mais aderente à realidade global, aos critérios ESG e a Agenda 2030. “Somos um banco cada vez mais comprometido com a sustentabilidade”, frisou ela, ao observar quer a nova matriz trouxe programas específicos para as mulheres empreendedoras e em favor da sustentabilidade ambiental. No ano passado, quando o banco totalizou R$ 4,1 bilhões em contratações na região Sul, três em cada quatro operações diretas (74,3%) apresentaram vinculação a pelos menos uma das 17 metas dos ODS.

Fotos: Carolina Greiwe/BRDE

A partir dos esforços em diversificar suas fontes de recursos, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está buscando contratações de crédito com instituições internacionais. Entre as operações externas, destaca-se a parceria com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que totaliza US$ 150 milhões.

Para discutir o estágio das operações, diretores doBRDE reuniram-se, nesta quarta-feira (4/05), com o representante do Grupo BID no Brasil, Morgan Doyle. O encontro aconteceu no estande do BRDE no South Summit Brasil, em Porto Alegre, e contou com as participações da diretora de Operações, Leany Lemos; do diretor Administrativo, Luiz Carlos Borges da Silveira, e do diretor de Planejamento, Otomar Vivian. Parte do empréstimo será destinada às micro, pequenas e médias empresas atingidas pela pandemia de Covid-19 visando à manutenção da atividade produtiva e, por consequência, dos postos de trabalho.

Foto: Carolina Greiwe/BRDE

Programa de aceleração de startups entra no seu terceiro ano

O programa de aceleração de startups do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está entrando na sua terceira edição. O BRDE Labs 2022 teve seu lançamento na tarde desta quarta-feira (4/05), dentro da programação do Souht Summit Brasil, com a celebração das parcerias do banco com as instituições que serão responsáveis pela aceleração das empresas nos estados do Rio Grande do Sul e no Paraná. Santa Catarina ainda está em processo de estruturação do programa para a segunda metade do ano

O lançamento ocorreu no espaço no RS Innovation Stage e contou com as participações do secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS, Alsones Balestrin, que destacou a iniciativa do BRDE em apoiar empresas de inovação ainda na fase inicial. “O país ainda tem muitas carências em termos de fundos para incentivar startups. Mas são iniciativas como essa do BRDE que irão nos ajudar não somente reter os nossos jovens que atuam na área de tecnologia, mas sim atrair talentos”, pontuou o secretário.

Secretário de Inovação: programa ajuda a reter talentos

A diretora de Operações do BRDE, Leany Lemos, salientou que o o programa, mesmo com apenas dois anos de execução, já é responsável por incentivar 73 startups. “O BRDE Labs vem ajudando a transformar nossas startups em empresas com impacto, o que mostra alinhamento com a missão do banco de estimular o desenvolvimento econômico e social da região Sul”, acrescentou ela.

O diretor Administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira, e o diretor de Planejamento, Otomar Vivian, igualmente estiverem presentes ao lançamento do programa, assim como o diretor-geral Hotmilk (PUC Paraná), Fernando Bittencourt Luciano, e a diretora de Inovação da Universidade Feevale, Daiana de Leonço Monzon.

Diretor Administrativo celebrou parceria com PUC-Hotmilk

A partir do lançamento do BRDE Labs, o programa já passa a receber a inscrição de projetos interessados em integrar a trilha que começa pela seleção, fase de imersão e o último estágio que é aceleração. As inscrições obedecerão calendário próprio de cada Agência do banco. A iniciativa do BRDE tem como foco a gestão e a estruturação das empresas, de forma a alavancar recursos futuros ou parcerias que contribuam para o seu êxito operacional, oferecendo de forma gratuita capacitação e oportunidades para geração de negócios às startups. Informações estão disponíveis no site do banco (https://www.brdelabs.com.br/).

BRDE Labs no RS

As startups do RS  interessadas em integrar a trilha que começa pela seleção inscritas, fase de imersão e o último estágio que é aceleração, já podem realizar suas inscrições. Para tanto, basta acessar o seguinte endereço eletrônico do Feevale Techpark.

A edição do programa em 2021 contou com 66 empresas inscritas no estado, processo que também  pelo Feevale Techpark.  Deste total 14 foram selecionadas nas áreas de saúde, tecnologia da informação, agronegócio, IoT e Indústria 4.0 para participar do processo de aceleração no Feevale Techpark. No final do ano, em um evento no Instituto Caldeira, foram conhecidas as cinco startups vencedoras: AlterVision, Latos, Ziel Biosciences, Agidesk e StarLearning, O Banco distribui R$ 100 mil em premiação às vencedoras.

 

Fotos: Carolina Greiwe

(mais…)

Como patrocinador oficial do South Summit Brasil, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) terá uma participação especial na programação do encontro, que é considerado um dos maiores do mundo voltados ao ecossistema de inovação e empreendedorismo e que acontece pela primeira no país. Além de integrar momentos de debates sobre temas como diversidade e oportunidades para aceleração de startups, o banco vai promover atividades voltados ao fortalecimento de projetos da indústria de jogos eletrônicos.

O South Summit acontece nesta semana, entre quarta-feira (4/05) e sexta-feira (6/05), nos armazéns do Cais Mauá de Porto Alegre (RS), às margens do rio Guaíba. O BRDE estará presente com sua equipe de atendimento em dois estandes, localizados no pavilhão Marketplace.

Já no primeiro dia da feira, está programado o painel “Investimentos em Diversidade”, que terá como mediadora a diretora de Operações do banco, Leany Lemos. Com início às 10h25min, no Palco Growth Stage, o debate reunirá a oficial de Investimentos do BID, Anita Fiori; o head do Google for Startups, André Barrence, e a founder Afroya Tech, Andreza Rocha.

No mesmo dia, o gerente de Planejamento do BRDE no Rio Grande do Sul, Alexander Nunes Leitzke, será um dos painelistas convidados para debater as oportunidades na aceleração de startups. As apresentações iniciam às 16h50min, logo após o banco realizar a apresentação do programa BRDE Labs 2022 para os estados do RS e Paraná. Os dois momentos ocorrem no RS Innovation Stage – Espaço SICT (Sec. Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia).

Sustentabilidade

Na quinta-feira (5/05), Leany Lemos será moderada em um novo painel, agora com foco nos temas de sustentabilidade e agenda ESG a partir dos financiamentos em projetos de inovação e vinculação aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Inicia às 10h30, no Corner Stage, com as presenças de Morgan Doyle (representante do Grupo BID no Brasil) e Patrícia Audi (vice-presidente Executiva de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander). O BNDES também participará no painel com a presença do administrador da instituição, Gil Vidal Borba.

No auditório Growth Stage, também na quinta-feira, às 16h30min ocorre o painel “Processo de Aceleração em Startups, a visão 360º”, cuja moderadora será a gerente de Planejamento do BRDE do Paraná, Lisiane Maldaner Astarita de Limas. O debate vai reunir startups, empresas âncora, aceleradoras e Fundo de Investimentos e Gestora de Investimentos em Capital Semente.

Games

Para apresentar ao mercado opções de apoio para o fortalecimento do setor de jogos digitais, o BRDE estará promovendo um workshop com a presença da Ancine (Agência Nacional do Cinema). Será na quinta-feira (5/05), às 17horas, no RS Innovation Stage.

Setor que registrou uma expansão ainda mais expressiva durante a pandemia, o mercado de jogos eletrônicos deve movimentar US$ 196 bilhões de dólares neste ano em todo mundo. E as projeções são de alcançar US$ 219 bilhões até 2024, se consolidando como maior segmento entre as indústrias do entretenimento, superando inclusive o que a música e o cinema faturaram juntos.

Mesmo sendo o 5º mercado consumidor mundial, o Brasil ocupa a 13ª posição como produtor de games, motivo pelo qual o país viu crescer em 600% a importação no ano passado. Haverá também uma reunião técnica sobre o tema ainda na sexta-feira (6/06), na sede do banco.

 

Confira a programação do BRDE no South Summit

Uma das marcas mais reconhecidas do setor de implementos rodoviários do país e fora do mercado havia quatro anos, a Guerra planeja comercializar cerca de 2.400 unidades até o final de 2022. Após ter a massa falida arrematada pelo grupo paulista Rodofort por R$ 90,2 milhões, a fábrica com sede em Caxias do Sul retomou sua produção ainda no segundo semestre do ano passado. Parte do projeto visando a reativação da empresa teve o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com financiamentos para investimentos e capital de giro.

A operação de crédito somou R$ 77,3 milhões e foi realizada em parceria entre o BRDE e Banrisul. O financiamento permitiu o pagamento de bens da massa falida, aquisição de matérias primas, despesas administrativas e manutenção/reforma das instalações, além de investimentos para adquirir novos equipamentos.

Para conhecer de perto o ritmo de retomada da produção da empresa, o comando do Grupo Rodofort-Guerra recebeu na última segunda-feira (25/4) a diretora de Operações do BRDE, Leany Lemos, e o diretor de Planejamento do banco, Otomar Vivian, assim como o vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna Junior, e dos diretores da instituição, Fernando Postal e Osvaldo Lobo Pires. Além dos impactos na geração de empregos e na economia de Caxias do Sul (houve forte reaproveitamento dos empregos antigos), o recomeço da linha de produção tem como objetivo estratégico atender as demandas dos clientes com uma linha de produtos mais diversificada e com capacidade de competir no mercado. Com sede em Sumaré (SP), o Grupo tem unidade também no estado do Paraná.

Encontros

Roteiro incluiu audiência com o prefeito de Caxias

Ainda durante o roteiro pela cidade, os diretores do BRDE se reuniram também com o prefeito de Caxias do Sul, Adiló Didomenico, quando trataram da possibilidade de uma parceria do banco em um novo projeto de saneamento. A audiência contou a presença da vice-prefeita Paula Ioris. Ainda na terça-feira, a comitiva do BRDE manteve encontro institucional com a diretoria da CIC (Câmara de Indústria e Comércio). O superintendente da Agência Porto Alegre do BRDE, Maurício Mocelin, e o gerente de Operações, Paulo Raffin, acompanharam as agendas.

 

Com objetivo de fomentar o desenvolvimento dos três estados do Sul, em busca de soluções para geração de emprego, pesquisa, inovação, aproximando as instituições de pesquisa, universidades e empresas, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), promoveu a primeira rodada de conversas com Fundação Araucária, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul.

O ponto de partida para buscar uma ação coletiva de atuação entre banco e suas fontes de investimentos, aproximar tecnologia e inovação, pesquisa e tornar os ativos de conhecimento das instituições em projetos de transformação social, para os setores produtivos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, ocorreu na última reunião do Codesul, em março passado, com a presença dos governadores do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, e de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva e o vice-governador do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior.
Para o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski a soma de forças de todos os estados com “novos parceiros e suporte da Fundação Araucária nesse projeto, abre possibilidades para criar uma agenda comum que estimula a política da instituição a se tornar o maior banco de desenvolvimento do país, quando nossas ações se aproximam da qualidade de vida das pessoas”. Ele lembra que nesse processo em construção para fomentar novos negócios e a capilaridade do crédito, o BRDE alcançou sua meta histórica em 2021, com 4,1 bilhões de, contratos, o que representa um aumento de 61,4% comparado ao ano anterior.

Valor agregado – O presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig avalia que os estados do Sul têm sistemas de ciência e tecnologia consistentes. “Essa reunião proposta pelo presidente do BRDE e sua equipe de apoio à pesquisa do sul do Brasil, pode contribuir muito para criação de riqueza, emprego e renda de alto valor agregado”, concluiu.

Também participaram da reunião híbrida, o vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do BRDE Marcelo Haendchen Dutra (SC), o diretor administrativo Luiz Carlos Borges da Silveira, do diretor financeiro (SC) Eduardo Pinho Moreira, Anderson José Amâncio – chefe de Gabinete BRDE, Ramiro Wahrhaftig – presidente da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa – diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FA. Odir Antônio Dellagostin – presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (instituição de fomento à pesquisa científica do governo do Rio Grande do Sul), Fábio Zabot Holthausen – presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina.

O próximo encontro com pauta em construção está programado para maio, no Rio Grande do Sul.

Operações somam R$ 38,9 milhões em novos investimentos no município e região

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciou, nesta quarta-feira (20/4), a aprovação de duas operações que representam R$ 38,9 milhões em novos investimentos no Rio Grande do Sul, em especial no fortalecimento do agronegócio nas regiões da Campanha e Sul do estado. Entre as linhas de crédito aprovadas, o banco está disponibilizando R$ 33,92 milhões para a ampliação da capacidade de armazenagem da Cooperativa Tritícola Caçapavana (Cotrisul), além de R$ 5 milhões contratados pela prefeitura de Caçapava do Sul para a aquisição de máquinas e veículos.

Os termos foram assinados durante evento na sede da Associação dos Funcionários da Cotrisul e que contou com a presença do diretor de Planejamento do BRDE, Otomar Vivian. Nascido na cidade e prefeito por dois mandatos, o diretor salientou os impactos que os novos investimentos representam para Caçapava do Sul e municípios vizinhos. “É um momento de muita satisfação. Primeiro, por que estamos reafirmando a missão estratégica do banco em apoiar o agronegócio, que tem enorme peso na economia gaúcha. Fico igualmente feliz em ver mais uma parceria com os municípios, algo que me propus ao assumir como diretor do BRDE, além de ser na minha terra natal”, enfatizou Otomar.

Evento ocorreu na sede da Associação dos Funcionários da Cotrisul
Fotos: Ascom/ PM Caçapava do Sul

Com sede em Caçapava e unidades operando em Cachoeira do Sul, Santana do Boa Vista, Piratini e Lavras do Sul, a Cotrisul é referência na comercialização do arroz e outros grãos, beneficiamento de sementes, e venda de insumos e rações. Com a nova linha de crédito, segundo o presidente Gilberto Dickel da Fontoura, será possível ampliar a capacidade da cooperativa na armazenagem dos produtos colhidos na região.  Além da capacidade em produzir 100 mil fardos de arroz por mês, a Cotrisul presta assistência técnica aos produtores rurais associados.

Estradas melhores

Com o objetivo de atender com maior eficiência as demandas por melhorias nas estradas e vias vicinais do município, o crédito de R$ 5 milhões permitirá à prefeitura de Caçapava adquirir máquinas pesadas e veículos para execução das obras no município que tem mais de três mil quilômetros quadrados e está entre os mais antigos do RS. Presente ao evento, o prefeito Giovani Amestoy da Silva observou que a comora do maquinário possibilitará também atuar em outras obras de terraplenagem.

Durante o evento de assinatura das novas operações, Otomar fez uma explanação sobre os resultados alcançados pelo banco em novos investimentos no estado. No ano passado, o BRDE fechou com R$ 1,43 bilhão em novos investimentos apenas no RS, com os maiores desempenhos ficando com o agronegócio e a indústria de transformação. As contratações em toda a região Sul igualmente atingiram uma marca histórica: R$ 4, 1 bilhões de novos financiamentos. Nos primeiros três meses de 2002, o banco registra R$ 311,12 milhões em novos investimentos apenas no estado, um crescimento de 26% se comparado ao mesmo período de 2021 (R$ 246,56 milhões).

Acompanhado do superintendente da Agência Porto Alegre, Maurício Mocelin, o diretor de Planejamento demonstrou a matriz de programas que o banco opera, em especial em favor do agronegócio, turismo, indústria e comércio, além dos projetos de energia com fontes renováveis. O evento reuniu, ainda, lideranças empresariais e políticas da cidade, entre elas as secretárias municipais Ihoko Nakashima Mota (Fazenda) e Cassia Sena de Freitas (Secretaria Geral), assim como diretores da Cotrisul.

Encontro global de empreendedorismo e inovação acontece na primeira semana de maio, em Porto Alegre (RS)

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é patrocinador oficial do South Summit Brasil, um dos principais encontros mundiais do ecossistema de inovação e empreendedorismo e que pela primeira vez acontece no país.  Além do apoio direto ao evento, o banco estará presente com estande próprio e terá atividades específicas com a participação de parceiros nos projetos de apoio à inovação, aceleração de startups e formação de jovens para atender a demanda do mercado por desenvolvedores. O South Summit ocorre entre os dias 4 e 6 de maio, ocupando os armazéns do cais de Porto Alegre (RS), no Centro Histórico da capital gaúcha.

Com foco estabelecer conexões entre startups, empresas e investidores nacionais e internacionais, o encontro reunirá nos três dias de atividade os principais líderes de negócios globais. Como parte da programação, o BRDE está auxiliando na estruturação de painéis que irão abordar temas como os investimentos em diversidade, a vinculação dos financiamentos de inovação com a pauta da sustentabilidade e agenda ESG e o papel dos bancos de fomento no apoio às startups e projetos inovadores.

Como líder nacional no volume de operações com repasses da Finep, o BRDE tem como ponto estratégico disponibilizar produtos e serviços que contribuam para promover o ecossistema de inovação da Região Sul. Neste sentido, o banco atua através de financiamentos, aporte de capital via Fundos de Investimento em Participações (FIP) e programas de aceleração de startups e, mais recente, como parceiro em projetos de formação profissional. Através do programa Mais Inovação é BRDE, a instituição acumula nos últimos oito anos perto de R$ 608 milhões em crédito para empresas e cooperativas incorporam modelos inovadores e baseados em novas tecnologias nas suas atividades.

Sobre o South Summit

O South Summit nasceu em 2012 em Madrid, durante a crise econômica na Espanha, com a confiança de que a inovação e o empreendedorismo são os motores de desenvolvimento de qualquer sociedade. Em suas 10 edições, o South Summit já movimentou mais de USD 6,7 bilhões em investimentos em startups. Na última edição, reuniu mais de 20 mil participantes, destacando-se como um dos principais eventos de conexão entre startups, empresas e fundos de investimentos mundiais na Europa. A edição no Brasil tem a coorganização do governo do Estado do Rio Grande do Sul e em colaboração com o Centro de Empreendedorismo e Inovação (IE University).