BRDE

Financiado por recursos do Fundo Setorial Audiovisual (FSA/Ancine), administrado pelo BRDE, o documentário de longa-metragem A Palestina Brasileira, escrito e dirigido por Omar L. de Barros Filho, segue trajetória marcada por sua presença em mostras e festivais no Brasil e no exterior.

Em setembro deste ano, o filme foi incluído entre os cinco finalistas de sua categoria no Heritales – International Heritage Film Festival, de Portugal. Na edição de 2020, em que mais de 800 produções de diferentes países participaram da seleção, os temas do Heritales foram Educação, Diversidade e Comunidade, centrais em A Palestina Brasileira, realização da Cena Um Produções, de Porto Alegre.

O evento, que manteve um portal na internet para que o público assistisse aos filmes escolhidos pelo júri, estabeleceu parceria permanente com a Unesco, a Universidade Lusófona e a Direção de Patrimônio Cultural, entre outras instituições culturais portuguesas.

Filmado no Rio Grande do Sul e no Oriente Médio, A Palestina Brasileira revela as origens de famílias árabes da Cisjordânia, que vieram para o Brasil a partir de 1948, como resultado da perda de seu território original. No Rio Grande do Sul, ganharam, então, uma nova oportunidade para reconstruir suas existências. As filmagens em território gaúcho incluíram Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, Santana do Livramento, Uruguaiana e Torres. Na Palestina, estiveram em Jerusalém, Ramallah, Belém, Hebron e Nablus.

Segundo o roteirista e diretor Omar L. de Barros Filho, “o filme apresenta narrativas do vivido, que resgatam lugares perdidos, familiares, amigos e histórias que ficaram para trás. São memórias compartilhadas, cartas, fotografias e recordações que revivem o passado e o quanto dele ainda resta no presente, aqui no Brasil e na Palestina”.

Falado em português e árabe, A Palestina Brasileira conta com versões legendadas em inglês, italiano, francês e espanhol. Desde seu lançamento na rede de TV a cabo brasileira, em 2018, o documentário foi selecionado e apresentado, até agora, em 20 festivais e mostras cinematográficas no Brasil, Argentina, México, Estados Unidos, Índia, Tunísia, Espanha, Itália, Reino Unido e Alemanha, o que comprova a universalidade de sua proposta cinematográfica e dos valores humanitários que defende. 

Pré-selecionado para outros dois encontros internacionais em 2021, na França e na Alemanha, A Palestina Brasileira tem ainda um longo caminho a percorrer, em sua jornada singular no gênero documental brasileiro, cuja importância é crescente e necessária.

Assista, no link abaixo, ao promo de estreia de A Palestina Brasileira:

https://bit.ly/35LaMUj

 

O processo de aceleração do Programa BRDE LABS no Rio Grande do Sul inaugurou nova etapa, nesta quinta-feira (20 de agosto), com a realização do primeiro Bootcamp dirigido às startups selecionadas na fase anterior. Conduzido pela aceleradora gaúcha Ventiur, o Programa tem o propósito de criar soluções inovadoras para a retomada da economia após a pandemia de Covid-19 e conta com o apoio dos parques tecnológicos das três universidades que fazem parte da Aliança para a Inovação – UFRGS, PUCRS e Unisinos.

A primeira trilha de conteúdo teve como tema “Cultura, Liderança, Pessoas e Atitude Empreendedora”. O palestrante convidado foi o diretor de Inovação da Metadados, Gustavo Casarotto. No bate-papo, o empreendedor compartilhou sua experiência à frente da empresa fundada por seu pai há 34 anos. Ele enfatizou a importância das equipes e a organização dos times internos para gerar inovação nas empresas e garantir o compromisso de todos com os resultados. Além disso, destacou a importância dos processos e da disciplina na hora de experimentar ideias novas. “Fui implementando e ajustando cada pergunta envolvendo performance, alinhamento e metas, sempre buscando métodos adequados”. Para Casarotto, a existência de laços de confiança entre as pessoas envolvidas em cada projeto é o fator crítico de sucesso.

Aprendizado coletivo

O gerente de Planejamento e coordenador do BRDE LABS no Rio Grande do Sul, Alexander Leitzke, destacou a participação significativa de colegas das áreas técnicas do banco que estão acompanhando o processo de aceleração de perto. “Esse é também um importante aprendizado para nós e possibilita conhecermos melhor o ecossistema de inovação e o trabalho das startups envolvidas. Nosso propósito é identificar oportunidades de aproximação e sinergias entre os projetos inovadores dos empresários e os clientes do banco para oportunizar novos negócios que beneficiem a todos”, avalia.

O fundador e diretor executivo da VENTIUR, Sandro Cortezia, sublinhou a importância da troca de experiências entre as startups durante a etapa de aceleração. “Nós buscamos conduzir um programa focado no desenvolvimento dos empreendedores. A parceria com a Aliança para Inovação é uma oportunidade para integrar essas múltiplas competências”.

Participaram do primeiro Bootcamp empreendedores das 12 startups selecionadas para a etapa de aceleração: 2Metric, Agência Besouro, BioIn, DigiFarmz, Elysios, Essent Agro, Faba, Insumo Fácil, Palma Sistemas, Polvo Spot, Prosumir e Optim. Até o final de 2020, serão realizados mais 14 Bootcamps sobre temas relevantes para quem deseja empreender e inovar com foco em resultados efetivos.

Na quarta-feira (05/08), às 10h, o BRDE anuncia, na presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, a contratação de financiamentos no valor de R$ 112,2 milhões pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre, destinados a melhorias na rede de abastecimento de água e saneamento, além de ações para a qualificação da gestão administrativa na capital.

Com a contrapartida da Prefeitura, o valor total dos investimentos chega a R$ 123,1 milhões. O anúncio será realizado em reunião online pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, e o presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, com participação de secretários estaduais e municipais.

A maior parte dos recursos se destina a investimentos estratégicos no âmbito do Programa Avançar Saneamento Porto Alegre, que totalizam R$ 86,97 milhões, sendo R$ 82,79 milhões para as obras de expansão da Estação de Tratamento de Água (ETA) São João, do Departamento Municipal de Água e Esgotos (DMAE), e R$ 4,18 milhões para estudos e projetos de tratamento de resíduos sólidos pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU).

Qualificação da gestão municipal

As melhorias relacionadas à gestão municipal, que representam investimento total de R$ 31,59 milhões, dos quais R$ 25,27 milhões são financiados pelo BRDE, abrangem:

– Projeto de Modernização da Secretaria do Desenvolvimento Econômico;

– Revisão do Plano Diretor;

– Gestão do Patrimônio Imobiliário;

– Sistema para Gestão do Patrimônio Mobiliário;

– Gestão de Frotas;

– Sistema de Gestão Escolar.

Projetos prioritários para o desenvolvimento do Estado contarão com recursos de R$ 300 milhões do Banco Regional de Desenvolvimento Econômico do Extremo Sul (BRDE). O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o diretor de Operações da agência paranaense do BRDE, Wilson Bley Lipski, lançaram nesta terça-feira (17) o Promove Sul, um fundo rotativo permanente para o apoio de projetos em diversas áreas.

Os recursos serão destinados ao financiamento de projetos ligados às áreas de energias renováveis, inovação, turismo, expansões consideradas grandes geradoras de emprego, bovinocultura, agricultura familiar e agroindústrias, micro e pequenas cooperativas, micro, pequenas e médias empresas, armazenagens, Parcerias Público-Privadas (PPPs) e concessões.

RECURSOS PRÓPRIOS – O Promove Sul é composto por recursos próprios do BRDE. De acordo com o Bley, o banco reavaliou toda a política de concessão de crédito e separou R$ 900 milhões do fluxo financeiro – R$ 300 milhões para cada estado do Sul – para constituir o fundo, que vai apoiar estratégias próprias para o desenvolvimento dos estados.

No Paraná, o fundo vai apoiar, além de outras áreas, o Banco do Agricultor Paranaense. “No Paraná, haverá um direcionamento para as áreas de inovação, turismo e agricultura. Tão logo tenhamos a lei com o equacionamento dos juros, utilizaremos esse fundo para apoiar a agricultura do Estado”, explicou Bley. “Desta forma, conseguimos apoiar de forma mais contundente o desenvolvimento econômico dos estados”, disse.

TRATOR SOLIDÁRIO – Na solenidade, o BRDE também renovou o convênio com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento para o programa Trato Solidário, que possibilita o financiamento com preços mais acessíveis de tratores, pulverizadores e colhedoras para agricultores familiares paranaenses.

Criado em 2007, o Trator Solidário já financiou cerca de 13 mil maquinários agrícolas para pequenos produtores paranaenses. O programa é fruto de uma parceria entre a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater, Fomento Paraná, agentes financeiros e cooperativas de crédito, além de fabricantes de implementos, equipamentos, tratores e máquinas agrícolas.

Os equipamentos adquiridos por meio do programa têm redução entre 15% e 20% no valor em relação ao preço de mercado. Só no ano passado, o Trator Solidário proporcionou economia de cerca de R$ 17 milhões para os agricultores familiares paranaenses. Eles adquiriram 820 máquinas agrícolas entre tratores, pulverizadores e colhedoras. O valor é resultado do desconto negociado pelo Estado com as fabricantes e concessionárias.

O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, explicou que o BRDE é o agente articulador, financiador e apoiador do Trator Solidário, que permitiu a entrada das cooperativas de crédito como agentes financeiros do programa. “Ele cumpre um bom papel ao permitir que o agricultor familiar acesse equipamentos modernos e mais eficientes ao menor preço do Brasil”, disse.

A renovação possibilitará grandes avanços ao programa, entre eles a expansão do número de agentes financeiros, com a entrada da Credialiança, que se junta ao BRDE, Fomento Paraná, Cresol e Sicredi no processo de contratação, visando abranger um número cada vez maior de produtores rurais. “Criamos uma capilaridade no Estado junto com esses parceiros, que permitiu chegar a 7 mil agricultores familiares, que são nossos clientes no programa”, explicou o diretor do BRDE.

Ratinho Junior destacou que as entidades financeiras do Estado, como o BRDE e a Fomento Paraná, são fundamentais para dar suporte à economia e ao desenvolvimento. “Neste momento em que enfrentaremos uma crise, com pelos menos quatro meses de muita tensão na economia, as instituições financeiras serão mais importantes do que nunca para fazer com que o impacto seja o menor possível”, disse.

“Essas instituições atuarão para alavancar os investimentos e aportar recursos para o pequeno agricultor, o comércio e o turismo, setores da economia que são estratégicos para a geração de emprego”, afirmou o governador. “O nosso foco para o BRDE é justamente criar linhas de crédito facilitadas, com juros baixos, para fazer com que o dinheiro chegue para quem produz e gera emprego. Será o momento de pisar no acelerador para apoiar a economia”, destacou.

Fonte: AEN

Foto: Rodrigo Felix Real

 

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, e o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, anunciaram, na tarde da quarta-feira (15/01), em Porto Alegre, a criação do Programa BRDE PROMOVE SUL. Realizado no Salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini, o evento foi prestigiado por autoridades, clientes, parceiros e equipe do Banco, com ampla cobertura de mídia.

A partir de um fundo gerado com recursos próprios do BRDE, serão destinados R$ 900 milhões para fomentar o desenvolvimento produtivo, sustentável e social nos três estados da Região Sul. Com base nas demandas identificadas pelos governos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, foi elaborado o Plano de Aplicação que define as áreas financiáveis e os valores de aportes do Programa, em partes iguais para os três estados. Serão beneficiadas empresas, produtores rurais e cooperativas.

Geração de empregos e renda

Em seu pronunciamento, Luiz Noronha explicou o processo de diversificação de fundings, tanto nacionais como internacionais, que o BRDE vem conduzindo nos últimos anos para disponibilizar aos empreendedores da Região Sul linhas de financiamento com taxas e prazos adequados aos seus projetos de investimento.

“Esse período foi marcado também pela mudança estrutural do modelo de financiamento ao investimento do setor privado, com o BNDES reduzindo seu papel como agente de crédito”, relatou o vice-presidente do BRDE.

Nesse sentido, no momento em que os analistas econômicos apostam numa retomada do crescimento em 2020, a iniciativa do BRDE é relevante porque ampliará a oferta de crédito de longo prazo para aumentar a capacidade de investimento dos empreendedores em áreas prioritárias, com a consequente geração de mais empregos e renda.

Competitividade e empreendedorismo

“Estamos focados em tornar o Estado mais competitivo. Para isso, estamos investindo em logística, redução da burocracia e melhores condições tributárias. Mas para que os investimentos privados aconteçam é necessário que quem empreende tenha capacidade de alavancagem dos seus negócios. Por isso, esse programa é tão importante”, afirmou Eduardo Leite.

Para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, o BRDE PRMOVE SUL vem ao encontro das políticas públicas que o Rio Grande do Sul está implementando. “Durante muitos anos exportamos talentos. Agora, o momento é de acolhimento aos empreendedores e às boas ideias”, destacou Irigaray.

R$ 300 milhões para os gaúchos

No Rio Grande do Sul, serão R$ 300 milhões do BRDE para viabilizar projetos e sustentar o nível de investimento dos empreendedores. Dentre as prioridades estabelecidas para o Estado estão:

– projetos de modernização e expansão da atividade produtiva, contemplando investimentos em ativos fixos e capital de giro associado;

– projetos de inovação ou atualização tecnológica;

– ampliação da capacidade de armazenagem de grãos no Estado, com financiamento à modernização, expansão ou implantação de unidades de armazenagem construídas por cooperativas, empresas cerealistas ou produtores rurais;

– apoio a projetos sustentáveis com foco em geração de energias renováveis, tratamento de efluentes e de dejetos, compostagem e reciclagem, captação, armazenamento e distribuição de água.

O edital do Programa BRDE LABS foi lançado na sexta-feira (27/09) e está disponível no site do banco, em www.brde.com.br/licitacao-presencial-brde-2019-154/. A finalidade é a contratação de uma Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT) ou aceleradora de startups para realizar a etapa piloto do programa com 10 empreendimentos do Rio Grande Sul, sendo, no mínimo, dois do interior do Estado.
O anúncio foi feito na quinta-feira (26), em evento no auditório do BRDE, em Porto Alegre, coordenado pelo vice-presidente do banco, Luiz Corrêa Noronha, e o superintendente da Agência RS, Mauricio Mocelin. Participaram da mesa o secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, a diretora de Artes e Economia Criativa da Secretaria da Cultura, Ana Luísa Fagundes, representando a secretária estadual, Beatriz Araújo, e os sócios da Domo Invest, Franco Pontillo e Mário Letelier, gestores do FIP Anjo, Fundo de Investimento do qual o BRDE é cotista.
BRDE LABS
As startups selecionadas receberão capacitação em áreas como estratégia de vendas, relações públicas e financeira, entre outras. O programa terá duração de seis meses e não haverá custos para as startups. Serão considerados, prioritariamente, empreendedores que tenham soluções voltadas para o agronegócio, saúde, indústria 4.0 – IoT, tecnologia da informação, energia, educação, logística e meio ambiente.
Ao final do programa, o BRDE, em conjunto com a ICT ou Aceleradora, avaliará o desempenho de cada startup e premiará as três melhores colocadas, da seguinte forma: 1º lugar: R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais); 2° lugar: R$ 15.000,00 (quinze mil reais) e 3º lugar: R$ 10.000,00 (dez mil reais).
FIP ANJO
O objetivo do fundo é o aporte em empresas nascentes, sendo que 40% delas com faturamento anual de até R$ 1 milhão. O restante será destinado a empresas com faturamento de até R$ 16 milhões. Deverão ser contempladas cerca de 150 empresas.
O fundo já dispõe de R$ 60 milhões, com expectativa de elevar a captação para R$ 100 milhões. As empresas alvo são das áreas de Economia Criativa, Agronegócio, Saúde e Biotech, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Fintechs e Cidades Inteligentes.
“A nossa expectativa é aportar recursos para 150 empresas, durante um período de investimento de cinco anos. O patrimônio comprometido deverá ser de até R$ 100 milhões”, informou o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha.
RS CRIATIVO
Pela manhã, os sócios da Domo Invest, o diretor Luiz Noronha e a equipe do BRDE estiveram na Casa de Cultura Mário Quintana para conhecer os 17 empreendimentos que fazem parte do primeiro Ciclo de Residência Criativa do Programa RS Criativo, com a presença da secretária estadual de Cultura, Beatriz Araújo, da diretora de Artes e Economia Criativa, Ana Fagundes, e da cordenadora do Tecna/PUC-RS, Aleteia Selonk.
Cada residente teve dois minutos para expor os objetivos de seu empreendimento e, na sequência, conheceram a proposta do FIP Anjo e relatos de experiência dos sócios da Domo. Mario Letelier, um dos fundadores do Buscapé, enfatizou que empreender exige resiliência, persistência, e afirmou que o Fundo Anjo pretende ajudar a nova geração com conhecimentos e recursos. “Nosso objetivo é identificar um modelo de negócios com perspectiva de ganhar escala para mudar de patamar”, disse.

Representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) reuniram-se na segunda e terça-feira (21 e 22/5), na sede do BRDE, em Porto Alegre, para workshop de estruturação de um programa de estímulo a projetos de eficiência energética. A ação envolve a Superintendência de Planejamento e Sustentabilidade (SUPLA), a Coordenação de Responsabilidade Socioambiental (CRESA) e as equipes das Agências do BRDE do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.
Pelo BID, participaram dos encontros o executivo Luis Rodrigo Chaparro, os consultores Paulo Miotto, Fernanda Sant’Anna e a assessora Tatiana. A ABNT foi representada por Renata Rocha e a empresa Winexam por Henrique Fernandez. Pelo BRDE, estiveram presentes Luciano Feltrin, superintendente de Planejamento e Sustentabilidade; Eduardo Grijó, coordenador de Responsabilidade Socioambiental; Aline Mota, gerente de Operações Adjunta da AGPOA; Felipe Couto, gerente de Planejamento da AGFLO; Lisiane Astarita, gerente de Planejamento da AGCUR; e Fernando Gavronski, analista da DIGER. Os colegas de Santa Catarina e do Paraná participaram por videoconferência.
Eficiência energética assegurada
“A proposta inovadora traz a ideia de um seguro de performance, vinculado à certificação de fornecedores e à verificação de desempenho dos equipamentos, por parte da ABNT. O objetivo é reduzir a insegurança dos empreendedores no momento de investir em novos equipamentos mais eficientes quanto ao consumo de energia”, esclarece o superintendente de Planejamento e Sustentabilidade, Luciano Feltrin.
Desde 2017, o BRDE vem colaborando com o BID na estruturação desse programa, com a coordenação de Eduardo Grijó e a participação de Aline Mota e Fernando Gavronski. Um acordo de cooperação técnica nesse sentido foi firmado entre as duas instituições.
“O BID já desenvolve o Programa de Financiamento à Eficiência Energética Assegurada em outros países, como o México e El Salvador, por exemplo. Além de reforçar os conceitos de eficiência energética, a proposta é fornecer, por meio do seguro, uma garantia ao empreendedor quanto à adequada operação dos equipamentos financiados”, informa o coordenador Eduardo Grijó. Segundo ele, a expectativa é de que o programa seja lançado no segundo semestre deste ano, com boa perspectiva de direcionamento a projetos que se enquadram nas diretrizes do Programa BRDE PCS – Produção e Consumo Sustentáveis.

A Caixa Econômica Federal entregou ao BRDE contratos assinados que somam R$ 70.482.000,00 para operações de financiamentos do banco com recursos do FGTS. Os documentos foram repassados pelo vice-Presidente de Fundos de Governo, Valter Gonçalves Nunes, ao diretor-Presidente do BRDE, Orlando Pessuti, em reunião realizada em Brasília, dia 20/2, com as presenças do vice-Presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Neuto De Conto, e do chefe do GADIR, Paulo Starke, bem como do pelo vice-Presidente de Produtos de Varejo da Caixa, Fábio Lenza , e do Gerente Nacional de Estratégia e Produtos do Agronegócio, Abel Silvestre Reder.

Os R$ 70 milhões se referem a três contratos: Contrato de Pró-transporte, no valor de R$ 27.497.000,00 visando o financiamento de obras de infraestrutura aos municípios da Região Sul; Contrato de Saneamento para Todos, no valor de R$ 20.485.000,00, visando o financiamento de obras de saneamento para empresas públicas; Contrato de REFROTA, no valor de R$ 22.500.000,00, visando o financiamento de aquisição de ônibus para empresas privadas.

Atualmente, o BRDE já é repassador de recursos do FGTS, tendo já contratado R$ 74,7 milhões e possuindo ainda um limite disponível de R$ 81,5 milhões. A demanda atual, considerando o Programa Avançar Cidades, chega a aproximadamente R$ 468 milhões, sendo R$ 332.476.955,83 pré-selecionadas pelo Ministério das Cidades e R$ 135.708.718,93 em análise, o que motivou o BRDE a solicitar limite adicional junto a CAIXA no montante de R$ 360 milhões.

Na reunião, os representantes das duas instituições trataram ainda da ampliação da parceria institucional.

 

O empresário Roberto Zagonel, sócio administrador da Eletro Zagonel Ltda. está concorrendo ao Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense 2017, na categoria Protagonista da Inovação, com etapa final prevista para 6 de novembro.
Zagonel leva a Torneira Prima Touch como protagonista. A primeira torneira eletrônica brasileira com tecnologia touch, lançada recentemente, foi financiada por meio do programa BRDE Inova. “Foi com grande alegria que recebemos a notícia de sermos finalistas do Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense. A Zagonel desde seu nascimento tem perfil inovador, buscando sempre desenvolver produtos que revolucionam o mercado. A torneira Prima Touch é uma inovação que se destaca pela tecnologia aplicada, e temos muito agradecer ao BRDE por ter apoiado o projeto e assim possibilitar a realização de mais este sonho. Agradecemos também ao Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense, iniciativa que incentiva o espírito inovador em nosso estado. Para o sucesso deste projeto, foi fundamental a participação de todos os colaboradores e aceitação do mercado frente a uma nova tecnologia, que abre novos caminhos para o segmento de duchas e torneiras elétricas”, afirmou Roberto Zagonel.
O prêmio Stemmer de Inovação Catarinense nasceu em 2008, em homenagem à Caspar Erich Stemmer, personalidade destaque no desenvolvimento da ciência e da inovação.
Em cada categoria os vencedores serão premiados da seguinte maneira: para o 1º colocado certificado, troféu e R$ 60.000,00, para o 2º colocado certificado, troféu e R$ 30.000,00 e para o 3º colocado certificado, troféu e R$ 15.000,00.
O prêmio é coordenado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC). Executivos e empreendedores encontram nele reconhecimento público e financeiro pelos esforços de todos os envolvidos na prática e disseminação da inovação, tão importante para o desenvolvimento e crescimento das empresas e do Estado.

Durante a 40ª Expointer, o BRDE assinou quatro contratos de financiamento com produtores rurais associados à Cresol Central – Sistema de Cooperativa de Crédito Rural com Interação Solidária, no Pavilhão de Agricultura Familiar, na tarde da quinta-feira (31), em Esteio. O acesso a recursos para aquisição de equipamentos e de insumos proporciona incremento de renda para os agricultores e suas famílias, agrega valor aos alimentos que produzem e comercializam, além de contribuir para a permanência no campo.
O ato contou com a presença do presidente do BRDE, Odacir Klein; dos diretores de Planejamento, Luiz Corrêa Noronha e de Operações, João Luiz Regiani; do presidente da Cresol Central SC/RS, Rudemar Casagrande; dos diretores Bráulio Zatti (Cresol Central) e Cláudio Risson (Cresol Sicoper), produtores associados, gerentes e assessores do BRDE.
Produtores gaúchos beneficiados
Gabriel Scherner Zanotto, da Linha Rodrigues, Ipê, obteve financiamento no valor de R$ 16.500,00 para aquisição de uma grade aradora nova, por meio da linha PRONAF Jovem. Junto com sua família, Gabriel, que está por concluir o curso Técnico em Agropecuária, trabalha com produtos ecológicos em cultivos de milho, cebola, hortaliças e pastagem, entre outros. Sua produção é comercializada em feiras semanais em Porto Alegre e também na Cooperativa Econativa – Cooperativa Regional de Produtores Ecologistas do Litoral Norte do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Gilmar Granzotto, da Linha Gaboardi, São Valentim, tomou crédito via PRONAF Mais alimentos BRDE para construir um silo secador com capacidade para 1037 sacas de milho, no valor de R$ 21.370,09. Com esse investimento, fará estocagem para vender nas entre safras e agregar valor ao produto comercializado, podendo usá-lo também na propriedade para consumo de seus bovinos de leite.
Associado assíduo da Cresol, Ivonir Luiz Culau, de Linha Vista Alegre, São Valentim, firmou contrato no valor de R$ 40.000,00 para adquirir o sistema de painéis solares que pretende implantar na agroindústria familiar (via PRONAF Eco BRDE). A cooperativa já financiou o investimento familiar inicial na agroindústria, com retorno imediato. Agora, com o emprego de um sistema de energia limpa e renovável, a família espera reduzir os gastos com energia elétrica e contribuir para a saúde do meio ambiente.
O empresário individual Neodi Antonio Brandão, de Florestal, Constantina, buscou capital de giro via PROGEREN BRDE, no valor de R$ 180.000,00, para investir na empresa criada há menos de um ano. Ele trabalha com festas e eventos, aluguel de equipamentos recreativos e esportivos, serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas e comercio varejista de artigos esportivos.
A gerente-adjunta de Operações Conveniadas, Fernanda Costa Maia, recebeu menção especial no evento de assinatura por sua importante atuação no atendimento à Cresol no Rio Grande do Sul.