BRDE

Tão logo seja possível o retorno presencial, o público que costuma frequentar as instalações da Bibliotheca Pública Pelotense terá algumas novidades para conferir. A partir de recursos repassados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), via Lei Federal de Incentivo à Cultura, a instituição fundada no ano de 1875 investiu em melhorias no espaço destinado ao público infantojuvenil, além de adquiri um projetor para a exibição de filmes e documentários aos jovens que visitarem o Museu Histórico da Bibliotheca Pelotense.

Para conhecer de perto os investimentos e também a trajetória de um espaço que passa por três séculos diferentes, a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, esteve em visita à Bibliotheca nessa sexta-feira (22/01). Num rápido evento com a participação da prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, e da presidente da instituição, Lisarb Crespo da Costa, foram conferidas as intervenções realizadas ao longo do ano passado na sala infantojuvenil, que ganhou novo mobiliário, adaptações em termos de acessibilidade e um reforço de 60 livros para o seu acervo. “O apoio a iniciativas que contribuem para o desenvolvimento social, facilitando e ampliando o acesso à educação e à cultura, de forma inclusiva, faz parte da missão e da política de responsabilidade socioambiental do BRDE, assim como reafirma nosso compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, destacou Leany Lemos.

Na soma dos valores repassados desde 2017, o BRDE destinou mais de R$ 86 mil para a Bibliotheca Pelotense, o que viabilizou as melhorias ao longo dos últimos três anos. Um dos destaques foi o patrocínio do banco para a aquisição, ainda em 2019, de um scanner planetário. O equipamento possibilitou disponibilizar à população o acesso a documentos e publicações históricas, começando pelas edições do jornal A Alvorada, semanário liderado por um grupo de intelectuais negros surgido quase duas décadas depois da abolição da escravatura no Brasil e que se propunha a difundir os ideais da  luta pelo fim das desigualdades raciais e o maior acesso da população negra à educação.

Sala infantojuvenil ganhou novo acervo e maior acessibilidade

Foto: Gustavo Vara / Prefeitura de Pelotas

Entre livros raros e periódicos, são mais de 1.600 volumes e 150 mil páginas, além de 1.600 fotografias históricas que terão acesso facilitado em meio digital.  “O BRDE se faz presente na vida da Bibliotheca Pública Pelotense como um parceiro que reconhece o valor do patrimônio histórico e cultural que esta instituição centenária abriga, e que, com muita competência, coloca à disposição dos gaúchos por meio de novas tecnologias e de recursos atualizados”, acrescentou Leany Lemos. Até a chegada da pandemia da Covid-19, a Bibliotheca Pelotense recebia, em média, 30 mil pessoas por ano.

Novos investimentos

A instituição também teve aprovado pelo governo do Estado um novo projeto para 2021 agora por meio do edital de aquisição da Lei Aldir Blanc. Serão adquiridos computadores para atendimento ao público, tablets para que as crianças que frequentam o setor infanto-juvenil possam acompanhar aulas e outros conteúdos online; tablets para visitas ao Museu Histórico, com libras e audiodescrição; mobiliário e equipamento para o ônibus do projeto “Bibliocantos”, que possibilitará levar livros e peças históricas do Museu a bairros da cidade, com exibição de vídeos educacionais e turísticos durante as viagens. Além disso serão produzidos totem para pessoas com necessidades especiais e totem interativo para o Museu Histórico; aquisição de mobiliário para a Reserva Técnica do Museu, e de caixa acrílica para o projeto de escavação simulada, que busca incentivar a valorização do patrimônio.

 

Compromisso incluiu visitas ao Porto de Rio Grande e a empresas com projetos financiados pelo banco

Uma visita ao Tecon Rio Grande, principal terminal marítimo de contêineres do Rio Grande do Sul, na manhã desta quarta-feira (20/1), marcou o início de um roteiro da diretora-presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Leany Lemos, voltado a conhecer projetos com impacto na economia da zona sul do Rio Grande do Sul. A agenda no município de Rio Grande compreendeu uma série de visitas a empresas que tiveram projetos financiados pelo banco nos últimos anos e conhecer novas propostas de expansão. Nesta quinta-feira (21/1), a diretora-presidente terá um encontro com o prefeito Fábio Branco e, às 11 horas, participará de uma reunião com entidades empresariais da cidade.

No ano passado, o BRDE alcançou a cifra de R$ 24,3 milhões em financiamentos para projetos de empresas localizadas nos municípios da região. O montante é 153% superior ao registrado no ano anterior. “A zona sul tem potencial para contribuir na retomada do crescimento econômico do estado e o papel do banco é justamente apoiar iniciativas voltadas ao aumento da produção e que garantam maior competitividade das nossas empresas”, destacou Leany Lemos.

Roteiro incluiu visita ao EGR 1
Fotos: Larissa Carvalho/Ascom Portos RS

Após ser recepcionada pelo prefeito Fabio Branco e pelo superintendente dos Portos RS, Fernando Estima, a presidente do BRDE participou de uma reunião-almoço. Ao longo da tarde, visitou a unidade de logística da Cooperativa Central Gaúcha Ltda (CCGL) junto ao Porto do Rio Grande, com o objetivo de conhecer os projetos de ampliação de capacidade dos terminais Termasa e Tergrasa para os serviços de recebimento, armazenagem e expedição de granéis agrícolas. Na sequência, ela esteve na empresa Granel Química. Ao lado do superintendente dos Portos RS, conheceu também a estrutura do Estaleiro EGR 1.

No roteiro por Rio Grande, Leany Lemos esteve acompanhada do superintendente da Agência do BRDE no Rio Grande do Sul, Paulo Raffin, e pelo chefe de Gabinete, Maurício Mocelin. Na tarde desta quinta-feira ela seguirá para o município de Pelotas onde, no dia seguinte, o primeiro compromisso será uma reunião com a prefeita Paula Mascarenhas. Ela estará presente também em evento na Bibliotheca Pública Pelotense, que nos últimos anos recebeu repasses do BRDE na ordem de R$ 86 mil através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Por meio de parceria para fomentar inovação e empreendedorismo, além de disseminar casos de sucesso, o Sebrae RS e o Instituto Caldeira divulgaram uma lista que destaca startups gaúchas. O levantamento foi feito a partir de análise do mercado, considerando startups já consolidadas e que estão escalando seus negócios com a entrega de soluções para problemas reais. Três das empresas em destaque já obtiveram o apoio do BRDE: Cowmed, Elysios (ambas agritechs) e Saipos (foodtech).

“É importante que todos conheçam essas startups e o que está sendo desenvolvido em termos de inovação no Estado para que inspire novos empreendedores e, também, quem já está no mercado para olhar para a inovação como uma forma de melhorar seus negócios”, afirma a coordenadora estadual de startups do Sebrae RS, Debora Chagas.

O levantamento foi dividido por verticais que impactam diretamente na economia do Estado: agronegócio (agritechs), varejo (retailtechs), indústria (indtechs), saúde (healthtechs), educação (edtechs), finanças (fintechs) e alimentos (foodtechs).

A Cowmed foi apoiada pelo Criatec, Fundo de Investimento em Participações (FIP) que o BRDE integra, e a Elysios foi uma das vencedoras do Programa BRDE Labs no Rio Grande do Sul. Em 2020, conquistou o terceiro lugar por seu desempenho entre as doze startups participantes do processo de aceleração conduzido pela VENTIUR com o apoio dos parques tecnológicos que fazem parte da Aliança para Inovação: Tecnosinos, Tecnopuc e Zenit. Já a Saipos recebeu apoio do BRDE mediante contratação de crédito.

CONHEÇA OS CINCO DESTAQUES DE CADA SETOR

Agronegócio – Agritechs

Aegro – software de gestão agrícola https://aegro.com.br

Checkplant – softwares inteligentes para o produtor https://www.checkplant.com.br

Cowmed – desenvolvimento de tecnologias para pecuária leiteira https://cowmed.com.br

Elysios – inteligência agrícola integrada https://elysios.com.br

Arpac – pulverização agrícola com drones http://www.arpacbrasil.com.br

Varejo – Retailtechs

James Tip – gestão eficiente de estoque para o varejo com uso de inteligência artificial https://jamestip.com/

Simbio – gestão e frente de caixa para lojas https://www.simbio.com.br/

Suitshare – plataforma de vendas e atendimento pelo WhatsApp https://suiteshare.com/

Kiskadi – sistema de programa de fidelidade, CRM, campanhas e pós-venda https://kiskadi.com

Cake ERP – gestão e PDV para lojas https://cakeerp.com

Indústria – Indtechs

Prosumir – transforma desperdício de energia em oportunidades http://www.prosumir.com.br

Sirros IOT – soluções de IOT e indústria 4.0 https://sirros.net

Pix Force – visão computacional e processamento de imagens com uso de IA https://pixforce.com.br

Mantoflex – tecnologia em extrusão reativa de TPU – materiais poliméricos https://www.mantoflex.ind.br

Seculor – soluções para indústria 4.0 com tecnologias cloud e IOT http://www.seculor.com.br

Saúde – Healthtechs

Web Med – gestão, organização e relacionamento dos processos de pagamento, feitos nos consultórios, clínicas, hospitais e operadoras de saúde https://www.webmedbr.com.br/site

Stargrid – gestão de escalas de trabalho https://stargrid.pro

Cíngulo – aplicativo de terapia online guiada https://www.cingulo.com

Fácil Consulta – plataforma de consultas médicas https://facilconsulta.com.br/site/home

Tummi – APP para pacientes oncológicos https://tummi.org

Educação – Edtechs

Me Salva – método de estudo online https://www.mesalva.com

Aula Livre – plataforma de aulas online https://aulalivre.net

Minha Escola – solução completa para educação https://www.appminhaescola.com

Diário Escola – agenda escolar online https://diarioescola.com.br

Cognitiva Brasil – soluções tecnológicas de apoio pedagógico usando técnicas de inteligência artificial http://www.cognitivabrasil.com.br

Finanças – Fintechs

Warren – plataforma de investimentos https://warren.com.br

Urbe.me – plataforma de investimento imobiliário simplificado https://urbe.me

Captable – investimento em startups https://www.captable.com.br

OpenBox – antecipação de recebíveis para empresas https://openbox.ai

Me Empresta – empréstimo e investimentos entre pessoas https://meempresta.net

Alimentos – Foodtechs

Saipos – sistema de gestão para restaurantes https://saipos.com

Delivery Much – delivery para restaurantes https://www.deliverymuch.com.br

Cozinhe.me – plataforma de experiências culinárias https://www.cozinhe.me

Anota Aí – automatização de delivery para restaurantes https://anota.ai/home

Loomos – APP que identifica os ingredientes nos produtos que você consome https://www.loomos.com.br 

Viabilizar maior competitividade da pecuária de corte e valorização do produto no mercado, porém combinadas com a conservação dos campos nativos do Bioma Pampa. É com este objetivo que o BRDE e o Sebrae/RS firmaram uma parceria que compreende cooperação técnica e financeira para envolver, ao longo dos próximos dois anos, cerca de 100 propriedades rurais na incorporação de práticas sustentáveis nos chamados campos sulinos. Mas o projeto tem potencial indireto com impactos em favor da biodiversidade do bioma também em países vizinhos.

Através dessa iniciativa, BRDE e Sebrae/RS estão se aliando à Associação para Conservação das Aves do Brasil (SAVE Brasil) no projeto da Alianza del Pastizal. Trata-se de uma iniciativa sul-americana liderada pela BirdLife International para a conservação dos campos naturais do Cone Sul, num esforço conjunto entre produtores rurais e profissionais de agronomia e biologia dedicados ao binômio “produção com conservação”.

Para a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, a cooperação permitirá troca de experiência e assistência técnica impactando cerca de quatro mil pessoas que vivem no Bioma Pampa. “Vivemos uma mudança de paradigma no desenvolvimento global, onde produzir com sustentabilidade está na ordem central, com ações locais mas com impactos no planeta. E o BRDE tem em sua missão o compromisso de apoiar a região, sempre alinhado com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030”, destacou a presidente.

A cooperação técnica pretende atender diretamente um mínimo de 100 produtores rurais organizados em grupos e, indiretamente, todos os membros da Alianza del Pastizal, que hoje são mais de 240 propriedades rurais, bem como novas propriedades que venham a ser certificadas. Além dos produtores, o projeto inclui um conjunto de ações sistêmicas como eventos, seminários e dias de campo, que permitirão expandir a abrangência de seus impactos.

Recursos para cooperação técnica

A parceria compreende investimentos na ordem de R$ 350 mil nos dois anos de execução do projeto, que serão disponibilizados pelo Sebrae/RS. Desse total, a instituição que atua em favor das micro e pequenas empresas diretamente participará com R$ 200 mil. O BRDE, através da Agência de Porto Alegre, está participando com patrocínio de R$ 100 mil e a SAVE Brasil complementa a participação com R$ 50 mil.

Na visão do diretor-superintende do Sebrae/RS, André Vanoni de Godoy, a parceria neste projeto “ajudará a desmistificar a ideia equivocada de que desenvolvimento e preservação são coisas antagônicas”. “O Sebrae tem a virtude de trabalhar com boas parcerias e essa contribuição ao Bioma Pampa trará condições de melhorar a produtividade com a necessária proteção ambiental”, acrescentou.

O diretor de Planejamento do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, salientou que a preocupação em proteger os campos sulinos já vem desde a virada do século, buscando apoiar o produtor na atividade da pecuária ao invés de ceder à agricultura extensiva na região. “Hoje mais de 500 mil hectares de campos nativos estão preservados e esse convênio permitirá um ganho em escala”, destacou Noronha.

Conforme o diretor-executivo da SAVE Brasil, Pedro Develey, o ganho de competividade que o projeto busca oportunizar aos produtores rurais, sempre aliados à preservação das suas áreas, representa o agronegócio do futuro. “O nosso Pampa já é exemplo para outros biomas”, resumiu Develey. Na mesma linha, o consultor da Alianza, Michael Carroll, observou que, em recente encontro do Mercosul de que participou, o tema da integração entre a produção e as questões ambientais foi abordado, confirmando a atualidade da iniciativa.

O Bioma Pampa

O Bioma Pampa corresponde a uma área de 176,5 mil km² (cerca de 2% do território nacional) e é constituído principalmente por vegetação campestre. É conhecido também como campos do Sul ou campos sulinos. No Brasil, o Pampa está restrito ao Rio Grande do Sul, ocupando 63% do território gaúcho. Há também grandes extensões nos territórios da Argentina e do Uruguai.

Nos quatro países de atuação (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), a Alianza del Pastizal conta com mais de 40 organizações que compartilham sua visão, entre indústrias, sindicatos rurais, instituições de pesquisa e associações de produtores rurais. No Brasil, é mantida e coordenada pela SAVE, organização para a conservação das aves no território brasileiro.

O diretor-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, fez a entrega de 2.200 títulos de literatura em geral – nacional e estrangeira – que serão encaminhados para 11 penitenciárias do Rio Grande do Sul. A doação ocorreu nesta manhã (02/12) em encontro com o secretário estadual César Faccioli na sede da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado (SEAPEN), em Porto Alegre. O diretor da Editora LP&M, Paulo de Almeida Lima, diretores da SEAPEN e Marcelo do Canto (Consultoria Jurídica do BRDE) também participaram.

Cada estabelecimento penal receberá uma coleção de 200 livros doados pelo banco por meio do Projeto Pró-Biblioteca, da Editora L&PM, que o BRDE apoia via Lei Federal de Incentivo à Cultura. Serão beneficiados mais de 3.600 apenados, nas cidades de Sapucaia, Bento Gonçalves, Guaíba, Santa Vitória do Palmar, Lajeado, São Francisco de Assis, Sarandi, Arroio dos Ratos, Três Passos, Espumoso e Porto Alegre. Dois dos presídios são femininos, o de Porto Alegre e o de Guaíba.

Luiz Noronha relatou o histórico de patrocínio do BRDE a projetos de caráter cultural, social e esportivo por meio das leis de incentivo fiscal e o apoio ao Pró-Biblioteca em 2019, que permitiu a doação de coleções para escolas estaduais de ensino fundamental e médio e, inclusive, para uma escola indígena da periferia de Porto Alegre.

Qualificação humana e ressocialização

“A leitura liberta”, disse o secretário Faccioli, destacando a importância de combater o ócio no sistema prisional. “A ressocialização é um processo invisível e há poucas opções para os nossos apenados. Um simples livro pode salvar uma vida”, enfatizou. “É um ganha-ganha maravilhoso que está de acordo com as diretrizes da política pública estadual”, destacou ao agradecer ao BRDE pela parceria com a SEAPEN.

“A responsabilidade do BRDE é muito grande nesse projeto”, contou o editor Paulo Lima. “Tínhamos pensado em fazer doações para a rede escolar e bibliotecas comunitárias, e foi por solicitação do BRDE que a editora consultou o Ministério da Cultura e obteve a autorização para distribuir os livros também ao sistema de penitenciárias”.

A iniciativa busca equipar e atualizar as bibliotecas dos presídios gaúchos oferecendo uma opção educativa e cultural. Também contribui para o desenvolvimento pessoal e a ressocialização de muitos homens e mulheres de todas as idades, para os quais é preciso oferecer alternativas para uma nova vida. A indicação dos estabelecimentos para o programa Pró-Biblioteca foi feita em conjunto com a DTP/ Divisão de Educação Prisional. Na seleção, foram considerados requisitos como necessidade de ampliar o acervo, existência de projetos de leitura e desenvolvimento de atividades de escrita com os apenados.

Financiado por recursos do Fundo Setorial Audiovisual (FSA/Ancine), administrado pelo BRDE, o documentário de longa-metragem A Palestina Brasileira, escrito e dirigido por Omar L. de Barros Filho, segue trajetória marcada por sua presença em mostras e festivais no Brasil e no exterior.

Em setembro deste ano, o filme foi incluído entre os cinco finalistas de sua categoria no Heritales – International Heritage Film Festival, de Portugal. Na edição de 2020, em que mais de 800 produções de diferentes países participaram da seleção, os temas do Heritales foram Educação, Diversidade e Comunidade, centrais em A Palestina Brasileira, realização da Cena Um Produções, de Porto Alegre.

O evento, que manteve um portal na internet para que o público assistisse aos filmes escolhidos pelo júri, estabeleceu parceria permanente com a Unesco, a Universidade Lusófona e a Direção de Patrimônio Cultural, entre outras instituições culturais portuguesas.

Filmado no Rio Grande do Sul e no Oriente Médio, A Palestina Brasileira revela as origens de famílias árabes da Cisjordânia, que vieram para o Brasil a partir de 1948, como resultado da perda de seu território original. No Rio Grande do Sul, ganharam, então, uma nova oportunidade para reconstruir suas existências. As filmagens em território gaúcho incluíram Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, Santana do Livramento, Uruguaiana e Torres. Na Palestina, estiveram em Jerusalém, Ramallah, Belém, Hebron e Nablus.

Segundo o roteirista e diretor Omar L. de Barros Filho, “o filme apresenta narrativas do vivido, que resgatam lugares perdidos, familiares, amigos e histórias que ficaram para trás. São memórias compartilhadas, cartas, fotografias e recordações que revivem o passado e o quanto dele ainda resta no presente, aqui no Brasil e na Palestina”.

Falado em português e árabe, A Palestina Brasileira conta com versões legendadas em inglês, italiano, francês e espanhol. Desde seu lançamento na rede de TV a cabo brasileira, em 2018, o documentário foi selecionado e apresentado, até agora, em 20 festivais e mostras cinematográficas no Brasil, Argentina, México, Estados Unidos, Índia, Tunísia, Espanha, Itália, Reino Unido e Alemanha, o que comprova a universalidade de sua proposta cinematográfica e dos valores humanitários que defende. 

Pré-selecionado para outros dois encontros internacionais em 2021, na França e na Alemanha, A Palestina Brasileira tem ainda um longo caminho a percorrer, em sua jornada singular no gênero documental brasileiro, cuja importância é crescente e necessária.

Assista, no link abaixo, ao promo de estreia de A Palestina Brasileira:

https://bit.ly/35LaMUj

 

O processo de aceleração do Programa BRDE LABS no Rio Grande do Sul inaugurou nova etapa, nesta quinta-feira (20 de agosto), com a realização do primeiro Bootcamp dirigido às startups selecionadas na fase anterior. Conduzido pela aceleradora gaúcha Ventiur, o Programa tem o propósito de criar soluções inovadoras para a retomada da economia após a pandemia de Covid-19 e conta com o apoio dos parques tecnológicos das três universidades que fazem parte da Aliança para a Inovação – UFRGS, PUCRS e Unisinos.

A primeira trilha de conteúdo teve como tema “Cultura, Liderança, Pessoas e Atitude Empreendedora”. O palestrante convidado foi o diretor de Inovação da Metadados, Gustavo Casarotto. No bate-papo, o empreendedor compartilhou sua experiência à frente da empresa fundada por seu pai há 34 anos. Ele enfatizou a importância das equipes e a organização dos times internos para gerar inovação nas empresas e garantir o compromisso de todos com os resultados. Além disso, destacou a importância dos processos e da disciplina na hora de experimentar ideias novas. “Fui implementando e ajustando cada pergunta envolvendo performance, alinhamento e metas, sempre buscando métodos adequados”. Para Casarotto, a existência de laços de confiança entre as pessoas envolvidas em cada projeto é o fator crítico de sucesso.

Aprendizado coletivo

O gerente de Planejamento e coordenador do BRDE LABS no Rio Grande do Sul, Alexander Leitzke, destacou a participação significativa de colegas das áreas técnicas do banco que estão acompanhando o processo de aceleração de perto. “Esse é também um importante aprendizado para nós e possibilita conhecermos melhor o ecossistema de inovação e o trabalho das startups envolvidas. Nosso propósito é identificar oportunidades de aproximação e sinergias entre os projetos inovadores dos empresários e os clientes do banco para oportunizar novos negócios que beneficiem a todos”, avalia.

O fundador e diretor executivo da VENTIUR, Sandro Cortezia, sublinhou a importância da troca de experiências entre as startups durante a etapa de aceleração. “Nós buscamos conduzir um programa focado no desenvolvimento dos empreendedores. A parceria com a Aliança para Inovação é uma oportunidade para integrar essas múltiplas competências”.

Participaram do primeiro Bootcamp empreendedores das 12 startups selecionadas para a etapa de aceleração: 2Metric, Agência Besouro, BioIn, DigiFarmz, Elysios, Essent Agro, Faba, Insumo Fácil, Palma Sistemas, Polvo Spot, Prosumir e Optim. Até o final de 2020, serão realizados mais 14 Bootcamps sobre temas relevantes para quem deseja empreender e inovar com foco em resultados efetivos.

Na quarta-feira (05/08), às 10h, o BRDE anuncia, na presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, a contratação de financiamentos no valor de R$ 112,2 milhões pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre, destinados a melhorias na rede de abastecimento de água e saneamento, além de ações para a qualificação da gestão administrativa na capital.

Com a contrapartida da Prefeitura, o valor total dos investimentos chega a R$ 123,1 milhões. O anúncio será realizado em reunião online pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, e o presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, com participação de secretários estaduais e municipais.

A maior parte dos recursos se destina a investimentos estratégicos no âmbito do Programa Avançar Saneamento Porto Alegre, que totalizam R$ 86,97 milhões, sendo R$ 82,79 milhões para as obras de expansão da Estação de Tratamento de Água (ETA) São João, do Departamento Municipal de Água e Esgotos (DMAE), e R$ 4,18 milhões para estudos e projetos de tratamento de resíduos sólidos pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU).

Qualificação da gestão municipal

As melhorias relacionadas à gestão municipal, que representam investimento total de R$ 31,59 milhões, dos quais R$ 25,27 milhões são financiados pelo BRDE, abrangem:

– Projeto de Modernização da Secretaria do Desenvolvimento Econômico;

– Revisão do Plano Diretor;

– Gestão do Patrimônio Imobiliário;

– Sistema para Gestão do Patrimônio Mobiliário;

– Gestão de Frotas;

– Sistema de Gestão Escolar.

Projetos prioritários para o desenvolvimento do Estado contarão com recursos de R$ 300 milhões do Banco Regional de Desenvolvimento Econômico do Extremo Sul (BRDE). O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o diretor de Operações da agência paranaense do BRDE, Wilson Bley Lipski, lançaram nesta terça-feira (17) o Promove Sul, um fundo rotativo permanente para o apoio de projetos em diversas áreas.

Os recursos serão destinados ao financiamento de projetos ligados às áreas de energias renováveis, inovação, turismo, expansões consideradas grandes geradoras de emprego, bovinocultura, agricultura familiar e agroindústrias, micro e pequenas cooperativas, micro, pequenas e médias empresas, armazenagens, Parcerias Público-Privadas (PPPs) e concessões.

RECURSOS PRÓPRIOS – O Promove Sul é composto por recursos próprios do BRDE. De acordo com o Bley, o banco reavaliou toda a política de concessão de crédito e separou R$ 900 milhões do fluxo financeiro – R$ 300 milhões para cada estado do Sul – para constituir o fundo, que vai apoiar estratégias próprias para o desenvolvimento dos estados.

No Paraná, o fundo vai apoiar, além de outras áreas, o Banco do Agricultor Paranaense. “No Paraná, haverá um direcionamento para as áreas de inovação, turismo e agricultura. Tão logo tenhamos a lei com o equacionamento dos juros, utilizaremos esse fundo para apoiar a agricultura do Estado”, explicou Bley. “Desta forma, conseguimos apoiar de forma mais contundente o desenvolvimento econômico dos estados”, disse.

TRATOR SOLIDÁRIO – Na solenidade, o BRDE também renovou o convênio com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento para o programa Trato Solidário, que possibilita o financiamento com preços mais acessíveis de tratores, pulverizadores e colhedoras para agricultores familiares paranaenses.

Criado em 2007, o Trator Solidário já financiou cerca de 13 mil maquinários agrícolas para pequenos produtores paranaenses. O programa é fruto de uma parceria entre a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater, Fomento Paraná, agentes financeiros e cooperativas de crédito, além de fabricantes de implementos, equipamentos, tratores e máquinas agrícolas.

Os equipamentos adquiridos por meio do programa têm redução entre 15% e 20% no valor em relação ao preço de mercado. Só no ano passado, o Trator Solidário proporcionou economia de cerca de R$ 17 milhões para os agricultores familiares paranaenses. Eles adquiriram 820 máquinas agrícolas entre tratores, pulverizadores e colhedoras. O valor é resultado do desconto negociado pelo Estado com as fabricantes e concessionárias.

O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, explicou que o BRDE é o agente articulador, financiador e apoiador do Trator Solidário, que permitiu a entrada das cooperativas de crédito como agentes financeiros do programa. “Ele cumpre um bom papel ao permitir que o agricultor familiar acesse equipamentos modernos e mais eficientes ao menor preço do Brasil”, disse.

A renovação possibilitará grandes avanços ao programa, entre eles a expansão do número de agentes financeiros, com a entrada da Credialiança, que se junta ao BRDE, Fomento Paraná, Cresol e Sicredi no processo de contratação, visando abranger um número cada vez maior de produtores rurais. “Criamos uma capilaridade no Estado junto com esses parceiros, que permitiu chegar a 7 mil agricultores familiares, que são nossos clientes no programa”, explicou o diretor do BRDE.

Ratinho Junior destacou que as entidades financeiras do Estado, como o BRDE e a Fomento Paraná, são fundamentais para dar suporte à economia e ao desenvolvimento. “Neste momento em que enfrentaremos uma crise, com pelos menos quatro meses de muita tensão na economia, as instituições financeiras serão mais importantes do que nunca para fazer com que o impacto seja o menor possível”, disse.

“Essas instituições atuarão para alavancar os investimentos e aportar recursos para o pequeno agricultor, o comércio e o turismo, setores da economia que são estratégicos para a geração de emprego”, afirmou o governador. “O nosso foco para o BRDE é justamente criar linhas de crédito facilitadas, com juros baixos, para fazer com que o dinheiro chegue para quem produz e gera emprego. Será o momento de pisar no acelerador para apoiar a economia”, destacou.

Fonte: AEN

Foto: Rodrigo Felix Real

 

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, e o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, anunciaram, na tarde da quarta-feira (15/01), em Porto Alegre, a criação do Programa BRDE PROMOVE SUL. Realizado no Salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini, o evento foi prestigiado por autoridades, clientes, parceiros e equipe do Banco, com ampla cobertura de mídia.

A partir de um fundo gerado com recursos próprios do BRDE, serão destinados R$ 900 milhões para fomentar o desenvolvimento produtivo, sustentável e social nos três estados da Região Sul. Com base nas demandas identificadas pelos governos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, foi elaborado o Plano de Aplicação que define as áreas financiáveis e os valores de aportes do Programa, em partes iguais para os três estados. Serão beneficiadas empresas, produtores rurais e cooperativas.

Geração de empregos e renda

Em seu pronunciamento, Luiz Noronha explicou o processo de diversificação de fundings, tanto nacionais como internacionais, que o BRDE vem conduzindo nos últimos anos para disponibilizar aos empreendedores da Região Sul linhas de financiamento com taxas e prazos adequados aos seus projetos de investimento.

“Esse período foi marcado também pela mudança estrutural do modelo de financiamento ao investimento do setor privado, com o BNDES reduzindo seu papel como agente de crédito”, relatou o vice-presidente do BRDE.

Nesse sentido, no momento em que os analistas econômicos apostam numa retomada do crescimento em 2020, a iniciativa do BRDE é relevante porque ampliará a oferta de crédito de longo prazo para aumentar a capacidade de investimento dos empreendedores em áreas prioritárias, com a consequente geração de mais empregos e renda.

Competitividade e empreendedorismo

“Estamos focados em tornar o Estado mais competitivo. Para isso, estamos investindo em logística, redução da burocracia e melhores condições tributárias. Mas para que os investimentos privados aconteçam é necessário que quem empreende tenha capacidade de alavancagem dos seus negócios. Por isso, esse programa é tão importante”, afirmou Eduardo Leite.

Para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, o BRDE PRMOVE SUL vem ao encontro das políticas públicas que o Rio Grande do Sul está implementando. “Durante muitos anos exportamos talentos. Agora, o momento é de acolhimento aos empreendedores e às boas ideias”, destacou Irigaray.

R$ 300 milhões para os gaúchos

No Rio Grande do Sul, serão R$ 300 milhões do BRDE para viabilizar projetos e sustentar o nível de investimento dos empreendedores. Dentre as prioridades estabelecidas para o Estado estão:

– projetos de modernização e expansão da atividade produtiva, contemplando investimentos em ativos fixos e capital de giro associado;

– projetos de inovação ou atualização tecnológica;

– ampliação da capacidade de armazenagem de grãos no Estado, com financiamento à modernização, expansão ou implantação de unidades de armazenagem construídas por cooperativas, empresas cerealistas ou produtores rurais;

– apoio a projetos sustentáveis com foco em geração de energias renováveis, tratamento de efluentes e de dejetos, compostagem e reciclagem, captação, armazenamento e distribuição de água.