BRDE

Os leitos do hospital foram abertos com os recursos de incentivos fiscais do BRDE

Com mais de 140 anos de história, a Santa Casa de Curitiba foi inaugurada pelo Imperador Dom Pedro II e, por muitos anos, foi o único hospital da cidade. Com uma importante história, a Santa Casa de Curitiba depende de recursos, como incentivos fiscais, para manter seu funcionamento.

Somente em 2020, o hospital que é referência em transplante, atendeu 54 mil pessoas. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), participou, inicialmente, de um projeto da Santa Casa de Curitiba que visava reduzir a fila de espera de pacientes que aguardam para realizar exames de endoscopia e colonoscopia pelo SUS.

Mas, em 2019, quando o recurso foi liberado, a Santa Casa, para suprir a demanda, precisou abrir novos leitos de UTI. Com isso, foram abertos cinco leitos de UTI exclusivos para idosos na instituição. “No fim acabou sendo ainda mais importante a abertura desses leitos, já que veio a pandemia do novo coronavírus. O uso exclusivo desses leitos para idosos foi realmente algo especial”, afirma Cintia Lins, coordenadora de projetos da Santa Casa de Curitiba.

Um projeto como esse, segundo Cintia, é extremamente importante para o hospital, que atende pacientes do SUS. “Para a sociedade isso tem um impacto muito grande. Creio que ações como essa vão melhorar a vida das pessoas, sem contar que vai de encontro com as necessidades da sociedade”, diz.

Para o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley, a participação no projeto é muito importante para os impactos na sociedade. “É uma grande honra fazer parte de um hospital como a Santa Casa de Curitiba, que é uma instituição histórica que já fez muito pela sociedade curitibana. Hoje é nossa vez de ajudar e ver ela colher frutos que beneficia a todos”, finaliza.

Incentivos fiscais

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A iniciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

O edital de seleção para os projetos que serão contemplados em 2021 já está disponível no link Microsoft Word – ERRATA Incentivos Fiscais 2021 (brde.com.br). Os pedidos de apoio aos projetos são recebidos exclusivamente em meio eletrônico, através do Portal de Incentivos, disponibilizado no site do BRDE. No ano de 2020, foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

O Espaço Cultural BRDE abriu a exposição para visitação do público em geral nesta quarta (27)

Na tarde da ultima terça-feira (26/10), o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões realizou a cerimônia de abertura da exposição “Narrativas e Poéticas do Mate” com número reduzido de convidados.

Participaram da solenidade, os representantes das instituições que integram o Circuito Ampliado – Acervos em Circulação, programa inédito desenvolvido pelo BRDE em parceria com o Museu Paranaense. A cerimônia foi iniciada com as boas-vindas da equipe do BRDE, seguindo por um pronunciamento da Superintendente de Cultura do Estado do Paraná, Luciana Casagrande.

Discursaram também Dr. Wilson Andersen Ballão, presidente da Sociedade de Amigos de Alfredo Andersen, e Antônio Carlos Leão, economista que representou a família Leão. As palavras finais foram proferidas pelo diretor administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira, que enalteceu a importância do incentivo à cultura, a preservação do patrimônio cultural e o significado da erva-mate para o Estado do Paraná.

“Na história do desenvolvimento do Paraná, a erva mate foi durante muito tempo a mais importante cultura agrícola. O Palacete dos Leões representa essa época. E hoje, sob os cuidados do BRDE, essa exposição que contribui para resgatar essas memórias e comunicar à sociedade os fatos e personagens cruciais para as conquistas do nosso estado”, declarou.

Além dos já citados, participaram da solenidade a diretora do Museu Paranaense, Gabriela Bettega, a presidente da Academia de Cultura de Curitiba, Maria Inês Borges da Silveira, e o diretor do Museu Casa Alfredo Andersen, Luiz Gustavo Vidal.

Multidisciplinar – Aberta ao público nesta quarta-feira (27), fazem parte da mostra diferentes ambientes com aspectos da história e significações da erva mate. “A exposição integra um programa de circulação de acervos que estruturamos em conjunto com o Museu Paranaense, instituição que mantém um expressivo acervo ervateiro, e articulou uma equipe interdisciplinar. O programa viabilizou uma pluralidade de ações, entre elas uma mostra de câmara que faz uma homenagem aos 160 anos do artista Alfredo Andersen, além de uma sala botânica, com exsicatas de erva-mate provenientes do acervo do Museu Botânico de Curitiba”, contextualiza Rafaela Tasca, coordenadora do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões.

SERVIÇO

Exposição “Narrativas e Poéticas do Mate”
Programa Circuito Ampliado – Acervos em Circulação / Em parceria com o Museu Paranaense
A partir de 27 de outubro de 2021

Andersen e a Erva-Mate
Em parceria com a Sociedade Amigos de Alfredo Andersen
Sala 2
Em cartaz até 26 de novembro de 2021

Verde é o Verde
Instalação da artista Eliane Prolik com curadoria de Adolfo Montejo Navas
Sala da Torre
Em cartaz até 26 de novembro de 2021

Horário de visitação: de terça a sexta (14h às 17h), somente mediante agendamento: www.brde.com.br/palacete.

Visita segura
Em sua reabertura, o Espaço Cultura BRDE – Palacete dos Leões adotou o agendamento das visitas e a certificação de boas práticas sanitárias pela Local Confiável. São obrigatórios o uso de máscara durante todo o período no Palacete, a medição da temperatura corporal, seguir as regras de distanciamento social, entre outras medidas. Mais informações podem ser encontradas no site www.brde.com.br/palacete e nas redes sociais @EspacoCulturalBrde.

Local: Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões
Av. João Gualberto, 570 – Alto da Glória – Curitiba
Entrada gratuita

Foto: Kraw Penas/SEEC

Na manhã desta quarta-feira (27), diretores do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se reuniram com prefeituras, associações comerciais e secretarias de desenvolvimento dos municípios paranaenses que foram afetados pelo temporal no fim de semana. A tempestade atingiu as regiões Oeste, Nordeste e Norte do Paraná. Alguns municípios decretaram situação de emergência ou calamidade em decorrência dos prejuízos.

A reunião foi um passo a passo de como eles podem obter a moratória no pagamento de financiamentos contratados com o BRDE, além de acesso a novos créditos para obras de reconstrução. A medida vale para financiamentos públicos concedidos às prefeituras, obras de infraestrutura e mobilidade urbana ou construção de bens públicos, e também para empreendedores privados dessas cidades que possuam contratos com as instituições financeiras. O banco liberou R$ 20 milhões para a situação emergencial.

“À pedido do governador Ratinho Junior, o BRDE está fazendo de tudo para ajudar a população desses municípios que foram fortemente afetados pelo temporal. É nosso dever, como um banco de desenvolvimento que está sempre em contato com a sociedade, ajudar neste momento de necessidade”, afirma o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley.

Para solicitar o auxílio, os responsáveis pelos municípios podem fazer todo o processo de forma online ou pelo aplicativo do banco, conforme explicado na reunião.

Ciclo de palestras promovido pelo banco terá sua 4ª edição nesta quinta-feira

Cuidar do meio ambiente, promover impacto social e adotar modelos corporativos éticos estão se constituindo, de maneira crescente nos últimos tempos, em fatores que impactam no desempenho das empresas.  Uma maneira das organizações serem reconhecidas por adotar estas práticas é medida através da sigla ESG (do termo em inglês Environmental, Social and Governance), que significa Governança Ambiental, Social e Corporativa.

O tema será pauta da próxima edição do BRDE Cenários, que acontece nesta quinta-feira (28/10), com a participação da especialista em Sustentabilidade/ESG, Vanessa Pinsky. Com mais de 20 anos de experiência profissional nesta área, ela vai realizar a palestra cujo tema é “Agenda ESG e o Papel dos Bancos de Desenvolvimento no Brasil”.

A palestra iniciará às 14 horas, com transmissão pelo canal de Youtube do banco.  Promovido pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o ciclo de palestras chega a sua quarta edição e tem por finalidade abordar temas sobre a conjunta econômica e fiscal do país, tendências de mercado e o papel das instituições de fomento. O evento é aberto ao público e não exige prévia inscrição.

A sigla ESG acabou assumindo a condição de um selo que pode atestar o nível de compromisso de empresas com essas iniciativas, assim como servir de orientação para investimentos. Segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais), em 2020 havia cerca de R$ 700 milhões em fundos ESG, quase três vezes mais que no ano anterior.

Para a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, além de sua atualidade e importância para as empresas, a pauta do evento instiga uma reflexão interna no banco em termos de análise dos projetos de financiamento. “Como instituição cuja missão é apoiar o desenvolvimento econômico e social, cabe ao banco orientar-se por essa agenda. Estamos neste caminho, incorporando uma governança com base em uma conduta ética e de respeito à diversidade, além de oferecer crédito a projetos alinhados com a pauta ambiental e social”, destacou a presidente.

Por determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, municípios que decretarem situação de emergência ou calamidade em decorrência dos prejuízos provocados pelo temporal no fim de semana poderão obter uma moratória no pagamento de financiamentos contratados com o BRDE e com a Fomento Paraná, além de acesso a crédito novo para obras de reconstrução.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior determinou nesta terça (26) que municípios que decretarem situação de emergência ou calamidade em decorrência dos prejuízos provocados pelo temporal que atingiu as regiões Oeste, Noroeste e Norte do Estado no fim de semana poderão obter uma moratória no pagamento de financiamentos contratados com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e com a Fomento Paraná, além de acesso a crédito novo para obras de reconstrução.

A medida vale para financiamentos públicos, concedidos às prefeituras, para obras de infraestrutura e mobilidade urbana ou construção de bens públicos, e também para empreendedores privados dessas municipalidades que possuam contratos com as instituições financeiras.

O vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, informou que equipes da instituição estão em contato com associações comerciais, prefeitos, secretários de desenvolvimento, cooperativas e clientes para discutir alternativas de apoio.

Segundo ele, o banco disponibilizou R$ 20 milhões para empréstimos de capital de giro e para a reconstrução de empreendimentos de micro e pequeno porte. Os clientes também poderão postergar contratos de crédito já firmados com o BRDE, de acordo com as linhas contratadas, por um período de 6 a 12 meses, de acordo com cada contrato. Para empreendimentos de médio e grande porte o BRDE está disponibilizando todas as suas linhas de crédito e colocando sua equipe técnica para a encontrar as melhores opções.

“O BRDE mantém diálogo permanente com a sociedade e além das ações elencadas encontrará outras que possam mitigar os danos, para que possamos voltar à normalidade, para continuar a fazer o que de melhor fazemos, trabalhar em prol do desenvolvimento do nosso Estado”, afirma Lipski.

A Fomento Paraná estima que no âmbito do Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), gerenciado em parceria com a secretaria estadual do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas e o Paranacidade, a moratória de seis meses permitirá aos municípios usar até R$ 4,2 milhões em obras e ações para reconstrução e melhoria de instalações atingidas pelo temporal.

“Levar a moratória aos municípios que estão passando por calamidade pública significa dar mais condições para que eles tenham maior fluxo de caixa frente às demandas da cidade. E também é importante levar mais recursos novos para que novas obras de infraestrutura sejam feitas”, afirma o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

MUNICÍPIOS AFETADOS – De acordo com balanço publicado pela Coordenação da Defesa Civil do Paraná, este foi um dos piores temporais da história do interior do Estado, com ventos de mais de 70 km/h. Pelo menos 33 municípios registraram algum tipo de prejuízo, como casas e estabelecimentos comerciais destelhados ou derrubados pelo vento e chuva com granizo, e queda de energia provocada por postes também quebrados, o que levou a faltar água em diversas áreas.

EMERGÊNCIA – O acesso às condições de moratória e renegociação se dá a partir da homologação de Situação de Emergência ou Calamidade Pública por parte da Defesa Civil estadual. Os municípios que já iniciaram os procedimentos legais para decretar situação de emergência ou calamidade são: Alvorada do Sul, Centenário do Sul, Cruzeiro do Oeste, Farol, Indianópolis, Japurá, Lupionópolis, Mandaguaçu, Moreira Sales, Ourizona, Ramilândia, Rondon, São Jorge do Patrocínio, São Miguel do Iguaçu, Terra Roxa.

COMO ACESSAR – Para acesso às linhas de crédito do BRDE o contato pode ser iniciado a partir do e-mail brdepr@brde.com.br e pelo telefone (41) 3219-8000 ou ainda pelo WhatsApp (41) 99234- 4575.

No caso da Fomento Paraná, a renegociação dos contratos para concessão de moratória será tratada caso a caso, mediante solicitação, que pode ser feita a partir da Rede de Parceiros, agentes de crédito ou correspondentes, nos municípios, ou mesmo pelo portal institucional da empresa.

Os resultados dos últimos dois anos do BRDE mostram uma gestão inovadora e que pensa no futuro

Na manhã de segunda-feira (25), a diretoria do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se reuniu com o G7, grupo composto por entidades representativas do setor produtivo do estado do Paraná, para apresentar os resultados do banco, as perspectivas para os próximos anos e entregar os troféus simbólicos em homenagem aos 60 anos do BRDE.

Durante a apresentação de resultados, Wilson Bley, que assumirá a presidência do banco em novembro, destacou os ótimos resultados da entidade desde 2019, como o BRDE sendo a 4ª maior instituição dentre os bancos de desenvolvimento e agências de fomento no Brasil em ativos e a 2ª maior considerando apenas os bancos de desenvolvimento puro no Brasil em ativos.

Além disso, o BRDE é a instituição que menos possui inadimplência, sendo 0,32% nos últimos 90 dias. Mas, para se tornar o maior banco de desenvolvimento do Brasil, tal como planeja a diretoria à frente do BRDE, é preciso ampliar e diversificar os fundings. “Nós precisamos fortalecer o Sul. Por isso, precisamos captar recursos, esta é nossa maior dificuldade hoje. Nós lançamos programas como Jovem Empreendedor, Mulheres Empreendedoras, que mostram uma ação inovadora do BRDE. Nós somos um banco e não podemos ficar nesta trajetória de menos risco”, declarou Bley.

Bley ainda reforçou os objetivos do banco, que estão bem alinhados com os do governo. Por isso, o vice-governador do Estado do Paraná, Darci Piana, estava presente e também destacou as inovações adotadas pelo BRDE nos últimos anos. “Muito do que está sendo feito hoje no Estado do Paraná, são frutos que saíram aqui do BRDE. Esta aproximação é extremamente importante de todas as formas”, disse Piana.

Entrega de troféus ao G7

Agradecido por todo o suporte por parte do G7, a diretoria homenageou os empresários com troféus simbólicos que comemora os 60 anos de história do Paraná. “Vocês fazem parte desta história. Gosto de dizer que o BRDE é um grande mosaico com pessoas que construíram tudo isso. Nós, da diretoria, somos passageiros. Por isso, gostaríamos de homenagear aqueles que sempre tiveram importância, sempre foram parceiros”, agradece Bley.

Nesta segunda, receberam os troféus: Ágide Meneguette, presidente da FAEP; Cel. Sergio Malucelli, presidente da FETRANSPAR; Camilo Turmina, presidente da ACP; Fernando de Moraes, presidente da FACIAP e Vitor Tioqueta, superintendente do Sebrae Parana.

Outros troféus foram entregues em todo o Paraná a empresas e entidades que fizeram parte da história do banco. Das homenagens já feitas, já foram entregues aos conselheiros e ex-conselheiros in memorian do BRDE, ao Conselho de Políticas Públicas para Juventude da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, e também ao Secretário da Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara.

Foram entregues também às entidades Assembleia Legislativa do Paraná, ao Tribunal de Justiça do Paraná, ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná e ao Procurador Geral da Justiça do Paraná, Gilberto Giacoia.

Receberam, também, o presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves, e os diretores do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra e Vladimir Arthur Fey.

Projeto oferece capacitação a jovens e adultos para trabalhar em bares e restaurantes

O vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, prestigiou nesta segunda-feira (25/10) a cerimônia de formatura da terceira turma da “Academia Abrasel”, promovido pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – ABRASEL.

Na ocasião, Bley entregou ao diretor executivo da Abrasel-PR, Luciano Ferreira Bartolomeu, troféu de reconhecimento do BRDE, alusivo aos 60 anos do banco. A solenidade foi seguida de almoço executado pelos formandos.

O projeto contempla a formação de jovens e adultos carentes em cursos de capacitação (Cozinha Buffet, Cozinha a La Carte e Atendimento em Salão) para trabalhar em bares e restaurantes. A inciativa contou com o patrocínio do BRDE.

Em busca do apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) por meio de leis de incentivo fiscal no exercício de 2021, ao todo 427 entidades concluíram o cadastramento dos seus projetos. Do total de inscrições, mais da metade (52%) das propostas está concentrada nos repasses previstos na Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet) e na sequência, com 81 projetos, aparece os candidatos ao apoio do banco via Lei do Esporte.

Concluído o período de inscrições, as comissões internas das Agências de Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC) e Curitiba (PR) iniciaram as análises dos projetos que tiveram o credenciamento concluído. Este trabalho tem término previsto para o dia 19 de novembro, quando já serão conhecidos também os valores que o BRDE irá disponibilizar neste ano para repassar às entidades selecionadas.

O edital para seleção pública foi lançado em 17 de junho, durante as comemorações dos 60 anos de atuação do BRDE na região Sul do país. As inscrições fecharam no último dia 15 deste mês. No ano passado, foram selecionados 106 projetos, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Os projetos selecionados terão os recursos disponibilizados até o dia 28 de dezembro deste ano.

A inciativa do banco constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos nos três estados do Sul. Desde 2015, o BRDE já disponibilizou mais de R$ 23,7 milhões para instituições da região.

“Narrativas Poéticas do Mate” será inaugurada na próxima terça-feira (26/10)

Na manhã desta sexta-feira (22/10), a equipe do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões recebeu os retratos de Agostinho Ermelino de Leão Junior e Maria Clara Abreu de Leão, os primeiros moradores do edifício histórico e fundadores da empresa Matte Leão.

As obras executadas pelo artista Alfredo Andersen (1860 – 1935) integram a exposição “Narrativas Poéticas do Mate”, a ser inaugurada na próxima terça-feira (26/10), cujos preparativos estão a todo vapor. A mostra faz parte do Circuito Ampliado – Acervos em Circulação e conta com a cooperação do Museu Paranaense.

As duas peças, agora expostas na Sala da Lareira do Palacete dos Leões, foram recepcionadas pela coordenadora do espaço cultural, Rafaela Tasca, e preparadas pela conservadora Jessica Petri.

O diretor administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira, e o empresário Antônio Carlos Leão, proprietário do retrato de seu bisavô, também acompanharam a preparação dos quadros. O retrato de Maria Clara Abreu de Leão pertence ao acervo do Museu Paranaense.

Andersen e a Erva Mate

Outras seis obras do mesmo artista, um autorretrato e paisagens, vão compor a exposição em uma mostra de câmara intitulada “Andersen e a Erva Mate”. O artista norueguês radicado no Brasil foi pintor, professor, cenógrafo e jornalista.

Na última década do sec. XIX imigrou para o Paraná, primeiramente fixando residência em Paranaguá por dez anos. Depois de casado, já na primeira década do sec. XX, Andersen se mudou para a capital do estado, onde foi grande colaborador das artes paranaenses.

Estudo para tratamento de pneumonia viral decorrente do SARS-CoV-2 teve início em maio de 2020 e contou com aporte do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. Banco também apoia pesquisa sobre presença do vírus em cães e gatos que apresentou resultados este mês.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o estudo clínico da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) de um produto de terapia celular avançada para tratamento de pacientes com pneumonia viral em decorrência da Covid-19. O ensaio clínico faz parte de um dos projetos de pesquisa aprovados no edital interno da PUCPR, lançado em 2020, que contou com o subsídio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Contemplada pelo mesmo edital, outra pesquisa que avalia o estado de portador do vírus de cães e gatos domésticos apresentou resultados recentemente.

Em 2020, a instituição de ensino superior selecionou um total de 13 projetos, dos quais seis já tiveram divulgados resultados parciais ou conclusivos. De acordo com a diretora de pesquisa da PUCPR, Vanessa Sotomaior, alguns estudos já estavam em andamento e, com o auxílio do BRDE, foi possível concluí-los ou garantir a continuidade do projeto.

“A PUCPR com sua área de pesquisa científica vem contribuindo com estudos sobre o coronavírus, além de projetos humanitários que auxiliam a sociedade a enfrentar essa crise”, disse Vanessa.

Para o vice-presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski, a divulgação de avanços nestas pesquisas contribuem para confirmar o caráter de responsabilidade social dos patrocínios executados pelo banco. “Estamos felizes, não só pelo arrefecimento da pandemia, mas também pela contribuição dos pesquisadores da nossa região com o conhecimento científico global acerca dessa doença”, afirmou.

Esta é a segunda iniciativa bem-sucedida entre BRDE e a PUCPR. A primeira foi com o BRDE Labs, programa desenvolvido em parceria com a Hotmilk – Ecossistema de Inovação da PUCPR, que selecionou projetos inovadores de startups voltados às demandas de agroindústrias paranaenses.

TERAPIAS AVANÇADAS – Coordenada pelo professor da Escola de Medicina da PUCPR, Paulo Roberto Slud Brofman, a pesquisa em humanos avalia o potencial terapêutico das células-tronco mesenquimais (CTM) para tratamento de pacientes com síndrome respiratória aguda grave decorrente do novo coronavírus.

Serão incluídos no estudo 60 pacientes com pneumonia viral causada por Sars-CoV-2 confirmado por testes RT-PCR, em situação moderada ou grave. O protocolo inclui a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) pelos pacientes.

Participarão da pesquisa o Hospital do Trabalhador, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná e o Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, todos de Curitiba, além do Hospital Espanhol (Salvador), Hospital de Clínicas de Porto Alegre e do Instituto Nacional de Cardiologia (Rio de Janeiro).

Os produtos de terapias avançadas são desenvolvidos à base de células ou genes humanos, considerados medicamentos especiais, e necessitam de registro sanitário na Anvisa. O uso desses produtos sem a autorização da Agência pode colocar as pessoas em grave risco e configura infração sanitária e penal.

Para uso clínico na população, é necessário que haja a comprovação inequívoca da segurança, eficácia e qualidade dos produtos. Durante a fase de desenvolvimento e por meio de pesquisas controladas definem-se as indicações clínicas, as principais reações adversas observadas, os cuidados especiais com o paciente durante e após o uso, bem como os atributos críticos da qualidade do produto.

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO – De acordo com informações da Agência Brasil, a pesquisa coordenada pelo médico veterinário Marconi Rodrigues de Farias, professor da Escola de Ciências da Vida da PUC-PR, atestou que apenas 11% dos cães e gatos que habitam casas de pessoas que tiveram Covid-19 apresentam o vírus nas vias aéreas. Esses animais apresentam exames moleculares positivos para SARS-CoV-2, mas não têm sinais clínicos da doença.

Até o momento, foram avaliados 55 animais, sendo 45 cães e dez gatos. Eles foram divididos em dois grupos: aqueles que tiveram contato com pessoas com diagnóstico de Covid-19 e os que não tiveram. A pesquisa visa analisar se os animais que coabitam espaços com pessoas com Covid-19 têm sintomas respiratórios semelhantes aos dos tutores, se sentem dificuldade para respirar ou apresentam secreção nasal ou ocular.

Foram feitos testes PCR, isto é, testes moleculares, baseados na pesquisa do material genético do vírus (RNA) em amostras coletadas por swab (cotonete longo e estéril) da nasofaringe dos animais e também coletas de sangue, com o objetivo de ver se os cães e gatos domésticos tinham o vírus. “Eles pegam o vírus, mas este não replica nos cães e gatos. Eles não conseguem transmitir”, explicou Farias.

Segundo o pesquisador, a possibilidade de cães e gatos transmitirem a doença é muito pequena. O estudo conclui, ainda, que em torno de 90% dos animais, mesmo tendo contato com pessoas positivadas, não têm o vírus nas vias aéreas.