BRDE

O BRDE e a Fomento Paraná participaram de reunião da Associação dos Municípios de Entre Rios (Amerios), na última sexta-feira (22), para apresentação a prefeitos da região de linhas de financiamento destinadas a projetos de desenvolvimento dos municípios disponibilizadas pelas duas instituições. O assessor de diretoria da Agência Paraná Renato Machado representou o BRDE na reunião.
O BRDE apoia os municípios com diversas linhas de financiamento para obras de infraestrutura, mobilidade urbana, transporte e saneamento, com recursos do FGTS, programas Saneamento para Todos e Refrota, ambos do governo federal. O Banco também oferece apoio por meio do BRDE Municípios, programa que entrou em nova fase, com a ampliação das fontes de recursos.
Confira como foi a reunião da Amerios:
http://www.ameriospr.com.br/noticia/fomento-parana-e-brde-apresentam-linha-de-credito-especial-para-pequenos-empreendedores

A 4ª Expedição Avicultura, promovida pelo Núcleo de Agronegócio do jornal Gazeta do Povo – com apoio do BRDE – encerrará suas atividades na próxima terça-feira (26), em Palotina (PR), com a apresentação de um balanço das visitas de campo feitas pela iniciativa em seis estados, um trajeto de 15 mil quilômetros.
A expedição fez um diagnóstico técnico-jornalístico da cadeia produtiva do frango no Brasil, com visitas a regiões produtoras e exportadoras da proteína no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás. Os estados visitados respondem por 84% dos abates e 75% dos embarques de carne de frango do país.
“O setor avícola é um grande indutor de desenvolvimento no campo e na cidade. Por isso procuramos discutir sua importância, fazer um diagnóstico e apontar tendências, para criar um palco de debates permanente”, destaca o coordenador da Expedição Avicultura, Giovani Ferreira.
Números da avicultura nacional
A avicultura é responsável pela manutenção de 3,6 milhões de empregos diretos e indiretos no Brasil. Somente no primeiro semestre de 2017, o setor gerou mais de 12 mil novos postos de trabalho e deve fechar dezembro com receita 10% maior que a registrada em 2016.
O desempenho em produção e exportação também será positivo: os abates devem crescer até 4,6% até o final do ano e o volume de embarques em 1,55%. “Durante os roteiros de campo, foi possível perceber que as indústrias e os produtores trabalham com cautela, mas estão prontos para investir ainda mais no setor”, avalia Ferreira.
Encerramento da Expedição Avicultura
Data: terça-feira, 26 de setembro
Endereço: Cooperativa C. Vale – Avenida Ariosvaldo Bitencourt, 2000, Palotina (PR)
Horário: 8 horas
Sobre a Expedição Avicultura 2017: www.expedicaoavicultura.com.br

A Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) assinaram nesta quinta-feira (14), em Curitiba, memorando de entendimentos, cumprindo uma das etapas do acordo de cooperação financeira entre as duas instituições. O BRDE está captando 50 milhões de euros na AFD, que serão investidos em projetos voltados à produção e consumo sustentáveis.
A assinatura foi na Agência Paraná, com a presença do diretor-geral da AFD, Rémy Rioux, do presidente do BRDE, Odacir Klein, dos diretores João Luiz Agner Regiani, Orlando Pessuti, Luiz Corrêa Noronha e Renato de Mello Vianna. Participaram também os conselheiros do Banco Ogier Buchi e Valmor Weiss, o secretário do Codesul, Antonio Carlos Bettega, secretários estaduais e representantes do setor produtivo do Estado.
Rémy Rioux disse ser uma honra para a AFD ser a primeira instituição internacional a fechar uma parceria com o BRDE e destacou a importância econômica da Região Sul nas relações da França com o Brasil. O diretor anunciou que até o final do ano será assinada a liberação dos 50 milhões de euros ao BRDE. “Nesta relação, a AFD também poderá conduzir o BRDE aos fundos europeus de desenvolvimento, especialmente os fundos verdes”, acrescentou.
“Estou convencido de que só com a colaboração entre os bancos de desenvolvimento seremos capazes de enfrentar grandes desafios mundiais, como a questão das mudanças climáticas”, destacou o diretor-geral da AFD. Rioux veio ao Brasil para comemorar os 10 anos de atuação da AFD no país. “Além da comemoração, vamos também fazer uma reflexão sobre a atuação da Agência nos próximos 10 anos”, acrescentou.
“Esse momento poderia ser apenas para assinatura de um memorando. Mas estamos assinando um memorando com intenções e consequências, lembrando que teremos até o fim do ano a liberação do financiamento solicitado”, destacou o presidente do BRDE, Odacir Klein. “Damos início a uma longa e proveitosa relação com a AFD, instituição que reconhece a importância do BRDE”, acrescentou.
O diretor de Planejamento do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, destacou a importância dos valores captados na AFD, que serão destinados a projetos sustentáveis. “São cinco grandes eixos de investimentos: água, agronegócio sustentável, tratamento de dejetos, cidades-sustentáveis e energias renováveis”, anunciou o diretor. “Hoje o BRDE trabalha com a visão do desenvolvimento com sustentabilidade”, completou Odacir Klein.
“Com os valores captados na AFD, o BRDE dá um importante passo para ampliar suas fontes de recursos, garantindo novos investimentos nos setores produtivos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, disse o diretor de Operações do BRDE, João Luiz Regiani.
“Estamos celebrando hoje o início de uma parceria entre duas importantes instituições que promovem o desenvolvimento. Que essa parceria seja profícua e duradoura”, afirmou o vice-presidente e diretor Administrativo do BRDE, Orlando Pessuti, ao saudar os presentes em nome da equipe técnica da Agência Paraná.
Presenças – Acompanharam o diretor Rémy Rioux no evento o cônsul geral da França em São Paulo, Brieuc Pont, os diretores da AFD Hervé Conan, Philippe Orliange e David Willecomme. Também fazem parte da delegação francesa Charles Trottmann, Laure Schalchli e Pascal Rubio. Após a assinatura do memorando, os presentes visitaram o Palacete dos Leões, onde funciona o espaço cultural do BRDE no Paraná.

O BRDE foi credenciado pelo Ministério do Turismo para operar empréstimos privados pelo Fundo Geral de Turismo (Fungetur). O Fungetur financia projetos de implantação, ampliação, modernização ou a reforma de empreendimentos turísticos como hotéis, agências de viagens e parques temáticos.
Os investimentos em turismo vêm crescendo no BRDE. Nos últimos 5 anos, foram investidos R$ 95 milhões na construção e revitalização da rede hoteleira do Paraná, com destaque para empreendimentos nas regiões litorânea e de Foz do Iguaçu, Oeste do Estado.
Em Foz do Iguaçu, o BRDE financiou a revitalização de uma área de 74 mil metros quadrados, na região conhecida como Marco das Três Fronteiras. O desembolso foi de R$ 20 milhões. As obras de revitalização foram executadas pela empresa Espaço das Américas S/A, do grupo Cataratas do Iguaçu.
A revitalização incluiu reformas e novas construções, resultando na criação de um complexo turístico, o Marco das Américas. O complexo segue um novo conceito em produto turístico no Brasil, que mescla educação e entretenimento, inclusive com espaços temáticos interativos que resgatam o histórico da Tríplice Fronteira e das Missões Jesuíticas nas Américas.
“Operar o Fungetur é uma forma de atrair novos investimentos para o setor turístico do Sul do país, levando em conta que o turismo é um dos segmentos da economia que mais geram emprego, renda e receita aos municípios”, diz a gerente adjunta de Planejamento da Agência Paraná, Lisiane Astarita.
FUNGETUR – o Fungetur foi criado para promover a melhoria da infraestrutura do setor, a partir do aprimoramento de serviços prestados a visitantes e da dinamização da vocação turística de todas as regiões do país.
Para capital fixo, o valor financiável é de até 80% do investimento total no projeto, com teto de R$ 10 milhões. O prazo de pagamento é de até 240 meses e o período de carência pode chegar a 60 meses.
Para saber mais sobre financiamento de projetos com recursos do Fungetur procure a equipe de atendimento da Agência Paraná do BRDE pelo telefone (41) 3219-8150 ou e-mail brdepr@brde.com.br.

O BRDE poderá ser o banco líder da estruturação do financiamento para construção de uma unidade de abate e processamento de aves da empresa Jaguafrangos em Ivaiporã, região do Vale do Ivaí. O projeto do novo frigorífico foi apresentado pela diretoria da Jaguafrangos ao governador Beto Richa, nesta quarta-feira (6), no Palácio Iguaçu.
Os diretores João Luiz Regiani e Orlando Pessuti, gerentes e assessores do BRDE acompanharam a apresentação. O BRDE e a Jaguafrangos são parceiros há cinco anos. O Banco financiou 90 aviários em Jaguapitã, no Norte do Paraná, onde fica a sede da empresa, e municípios vizinhos.
O novo frigorífico em Ivaiporã terá capacidade, ao final da implantação da unidade, para processar 420 mil aves por dia, gerar 3 mil empregos e faturar R$ 1,8 milhão anualmente. O BRDE deverá participar da implantação das duas primeiras fases do projeto, um investimento de R$ 145 milhões. O investimento deverá contar também com recursos repassados pela Fomento Paraná e BNDES.
“Vamos somar esforços para garantir a viabilidade desse importante projeto para Ivaiporã, que vai mudar a realidade não só do município, mas de toda a região, que precisa de novas indústrias e novos postos de trabalho, ainda mais nesse momento de crise nacional”, disse o governador. “Daremos toda atenção para fomentar o empreendimento”, afirmou o governador Beto Richa.
“Estamos aqui para levar adiante esse projeto de desenvolvimento perene da região do Vale do Ivaí”, disse o diretor de Operações do BRDE, João Luiz Regiani. “Hoje, os financiamentos a produtores associados da Jaguafrangos no BRDE somam R$ 38 milhões, investimento que movimenta a economia regional, gerando empregos, renda e receita aos municípios”, acrescentou o diretor.
O vice-presidente e diretor Administrativo do Banco, Orlando Pessuti, fez um relato histórico da luta dos municípios do Vale do Ivaí para consolidar a avicultura de corte na região. “Esse projeto grandioso da Jaguafrangos implanta definitivamente a avicultura na região”, afirmou. “E o BRDE está à disposição para liderar a operação que viabilizará o frigorífico e mudará o perfil econômico da região central do nosso Estado”.
“O governo, por meio do BRDE, já tem colaborado conosco com financiamentos a nossos parceiros, que abatem frangos e os enviam para nós, e agora se mostra disposto a ser parceiro em mais esse projeto”, disse o presidente da Jaguafrangos, Sidnei Bottazzari. “O empreendimento vai melhorar o IDH do município, vai mudar a empregabilidade, vai melhorar a vida das pessoas”, comemorou o prefeito de Ivaiporã, Miguel Amaral.
Empresa – A Jaguafrangos emprega 2.800 funcionários, tem 15 mil clientes, cinco filiais, capacidade de processar 210 mil aves por dia e um faturamento anual de R$ 800 milhões. As atividades da empresa têm impacto na economia de mais de 20 municípios da região. O frigorífico de Ivaiporã será construído em uma área de 36 mil metros quadrados. A previsão é que a nova unidade comece a funcionar em 12 meses.
Acompanharam também a apresentação do projeto da Jaguafrangos o secretário chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni; o secretário estadual da Justiça, Artagão Junior; o secretário para Assuntos Estratégicos, Edgar Bueno; deputados estaduais; o ex-prefeito de Ivaiporã, Luiz Carlos Gil; diretores da da Jaguafrangos e vereadores de Ivaiporã.

Com financiamento do BRDE, a Viação Garcia, do Paraná, renovou sua frota de ônibus metropolitanos, beneficiando moradores de municípios das regiões Norte e Noroeste do Estado. São 30 novos ônibus, com 100% de acessibilidade, que passarão a circular em Londrina, Rolândia, Arapongas, Jataizinho, Bela Vista do Paraiso, Sertanópolis, Apucarana, Paranavaí e Nova Esperança.
A empresa, que faz parte do Grupo GBS (Viação Garcia, Brasil Sul, Princesa do Ivaí e LondriSul), investiu R$ 10 milhões na renovação da frota, dos quais R$ 9 milhões contratados no BRDE, com recursos do FGTS, repassados por meio do programa Refrota17. Os novos ônibus chegaram com novo projeto de identidade visual, nas cores prata e verde, substituindo o amarelo da frota atual.
O financiamento ao grupo GBS é uma das grandes operações contratadas pela Agência Paraná do BRDE neste ano com recursos do FGTS. O Banco é um dos agentes financeiros repassadores de recursos do FGTS, destinados ao financiamento de projetos dos setores público e privado nas áreas de saneamento e mobilidade.
Saneamento – Na área de saneamento, os recursos são repassados por meio do programa Saneamento Para Todos, do governo federal. O programa financia diversas modalidades como: abastecimento de água, saneamento, manejo de águas pluviais e manejo de resíduos sólidos incluindo a geração de energia a partir do resíduo, entre outros.
Pelo Saneamento para Todos, o BRDE participa, em parceria com a Caixa Econômica Federal, da maior obra de saneamento da história do Litoral do Paraná. São as obras de ampliação da rede de esgoto de Matinhos e Pontal do Paraná. O projeto prevê 25 mil ligações de esgoto nos dois municípios. O BRDE participa do projeto com o repasse de R$ 58,8 milhões.
Mobilidade – Para a área de mobilidade, o destaque é o Refrota, programa do governo federal que permite a modernização da frota de transporte público coletivo urbano com recursos do FGTS. A taxa é de TR +9,0%a.a.e, com prazos de até 20 anos. O programa visa renovar até 10% da frota de ônibus urbanos e metropolitanos do país.
Para saber mais sobre financiamento de projetos com recursos do FGTS procure a equipe de atendimento da Agência Paraná do BRDE pelo telefone (41) 3219-8150 ou e-mail brdepr@brde.com.br.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE divulgou nesta segunda-feira (28) as demonstrações financeiras referentes ao primeiro semestre de 2017. O Banco contratou no período R$ 1,27 bilhão em novas operações de crédito, destinadas a grandes, médios e pequenos empreendedores de todos os setores da economia da Região Sul.
O valor contratado no primeiro semestre representa o fomento de R$ 3,37 bilhões em investimentos no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O lucro líquido do banco foi de R$ 63,8 milhões, com o impacto de R$ 17,4 milhões referentes ao Programa de Desligamento Voluntário lançado no primeiro semestre.
Do total contratado, R$ 400 milhões são operações realizadas pela Agência Paraná, com destaque para a captação de projetos de inovação, financiados pela FINEP, e de infraestrutura, com recursos do FGTS; operações do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), para empreendimentos em Mato Grosso do Sul e a captação de recursos externos, além dos convênios com as Sociedades Garantidoras de Crédito (SGCs).
O BRDE mantém 35.377 clientes ativos, com média de financiamento de R$ 389 mil, atuando em 1.083 (91%) dos municípios do Sul. São operações de apoio a empresas, empreendedores, cooperativas, produtores rurais e projetos geradores de renda e oportunidades de trabalho. As operações do primeiro semestre permitiram a geração/manutenção de 22,9 mil empregos.
Considerando atrasos superiores a 90 dias, o índice de inadimplência ficou em 2,70% no período, abaixo dos 3,70% do Sistema Financeiro Nacional. O índice é atribuído à orientação da equipe do BRDE aos clientes na contratação de financiamentos.
DESTAQUES DO DESEMPENHO NO 1º SEMESTRE
INFRAESTRUTURA: subiu de 22% para 35% a participação nos valores de contratações totais dos financiamentos para o setor, principalmente para geração de energia de fontes renováveis como eólica, hídrica (PCHs) e biomassa (casca de arroz).
FSA: o BRDE renovou o contrato com a ANCINE como agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual por mais cinco anos. A previsão de repasses ao setor no período é de R$ 5 bilhões.
A3P: Acordo de Cooperação com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Secretarias de Meio Ambiente do RS, SC e PR que ampliou o comprometimento do Banco com a Agenda Ambiental do Setor Público – A3P.
Movimento Nós Podemos SC: convênio com o Movimento Nós Podemos SC, que tem como missão divulgar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU. Por meio do Convênio a Agência do BRDE em Santa Catarina torna-se embaixadora do ODS 12, Consumo e Produção Sustentáveis.
Convênio EMBRAPII: convênio amplia o apoio do BRDE à inovação tecnológica. O banco oferecerá crédito de longo prazo a empresas e empreendedores aptos a receber recursos subsidiados da EMBRAPII por meio de suas unidades e polos credenciados. Haverá ações conjuntas de divulgação do Programa BRDE Inova e das linhas de financiamento disponíveis dentro do convênio.
REFROTA: no primeiro semestre de 2017, o BRDE aprovou a primeira operação da Linha REFROTA, com recursos do FGTS, para aquisição de ônibus intermunicipais no Paraná.
Inovação: R$ 43,1 milhões em financiamentos que incluem as linhas MPME Inovadora (Micro e Pequena Empresa Inovadora), Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária) e Inovacred (Finep).
Cooperativas: R$ 294.848 milhões em contratações beneficiando 111.792 mil famílias beneficiadas nos três estados – RS/SC/PR.
Agricultura Familiar: Para agricultores familiares foram liberados no semestre R$ 214 milhões.
BRDE Municípios: contratações de R$ 12.035 milhões (valor residual do programa) beneficiando 4.670 mil habitantes. Também no primeiro semestre teve início a segunda fase do BRDE Municípios, programa que apoia projetos de investimentos em infraestrutura, desenvolvimento tecnológico ou de produção de bens. Na nova etapa, o BRDE Municípios terá recursos do PMAT e FGTS e do Programa Avançar Cidades. O BRDE ainda prestará serviços aos municípios, fornecendo orientações em relação à contratação de crédito externo e participação privada em negócios públicos.
Contratação total da Agência Paraná – Janeiro a Junho 2017
Setor Primário R$ 177.869.192,99
Agropecuária R$ 174.779.735,99
Floresta R$ 2.089.457,00
Extrativismo R$ 1.000.000,00
Indústria de Transformação R$ 48.136.669,20
Produtos Alimentícios e Bebidas R$ 26.292.164,00
Máquinas e Equipamentos R$ 1.328.000,00
Madeira, Móveis, Celulose e Papel R$ 5.196.559,00
Metalurgia e Prod. Metálicos R$ 3.350.000,00
Outras Indústrias R$ 11.969.946,20
Infraestrutura R$ 43.966.383,45
Armazenagem e Terminais Portuários R$ 19.659.096,57
Energia R$ 17.422.331,00
Água, Saneamento e Tratamento de Resíduos R$ 674.955,88
Adm. Pública R$ 6.210.000,00
Comércio e Serviços R$ 105.143.706,80
Comércio R$ 90.330.718,80
Saúde R$ 8.200.400,00
Educação R$ 146.000,00
Outros Comércios e Serviços R$ 6.466.588,00
Total *R$ 375.115.952,44
*Inclui contratos em todos os Estados da área de atuação do BRDE emitidos pela AGPR (PR e MS). A contratação firmada de 01/01/17 a 30/06/17 pela AGPR foi de R$ 401 milhões. Os dados acima não incluem três contratos que tiveram suas datas posteriormente alteradas para julho em função de ajustes técnicos.

O BRDE está ampliando os investimentos em inovação. Pelo programa BRDE Inova, é possível financiar projetos inovadores nas áreas de tecnologia da informação, biotecnologia, agronegócio, nanotecnologia, novos produtos e desenvolvimento tecnológico.
São recursos liberados pelas linhas de crédito Inovacred, MPME Inovadora e o fundo de investimento Criatec 3. Conheça as linhas:
1. A FINEP Inovacred financia empresas de receita operacional de até R$ 90 milhões. O objetivo dessa linha é a aplicação em desenvolvimento e aprimoramento de produtos, serviços e processos. Também pode financiar inovação em marketing ou organizacional, para ampliar a competitividade das empresas. O valor financiado e o calculo dos encargos é diferente para Micro, Pequena e Média Empresa. A carência é de até 24 meses e o prazo total de 96 meses.
2. Empresas de todos os portes que investem em inovação podem participar do MPME Inovadora, que oferece condições, juros, tarifas e acompanhamento diferenciados. Essa modalidade de financiamento de longo prazo objetiva apoiar o desenvolvimento e aprimoramento de produtos, processos, serviços, marketing e inovação no ambiente produtivo ou social. Além de investimentos na modernização das instalações da empresa, e aquisição de softwares e serviços desenvolvidos no Brasil.
3. O CRIATEC 3 é um Fundo de Investimento em Participações (FIP) criado por iniciativa do BNDES, para investir em Micro e Pequenas Empresas inovadoras dos setores de tecnologia de informação e comunicações, agronegócio, nanotecnologia, biotecnologia e novos materiais. O BRDE é um dos principais cotistas do Fundo, com direito a voto no Comitê de Investimentos.
Interessados em financiar projetos inovadores podem acessar www.brde.com.br para outras informações ou entrar em contato com a Agência Paraná do BRDE: brdepr@brde.com.br e (41) 3219-8150. Para informações sobre o Criatec 3, acesse:
http://www.inseedinvestimentos.com.br/criatec3/.

O Núcleo de Agronegócio do jornal Gazeta do Povo deu a largada na noite desta quinta-feira (24) à Expedição Suinocultura 2017, no Museu Oscar Niemayer (MON), onde acontece o 5º Fórum de Agricultura da América Latina. O fórum e a expedição são apoiados pelo BRDE.
O diretor de Operações João Luiz Regiani representou o banco no lançamento da expedição, que chega a sua segunda edição. “É uma satisfação para o BRDE ser novamente parceiro de uma iniciativa importante como a Expedição Suinocultura”, disse o diretor.
“Estamos aqui porque o BRDE acredita no agronegócio e não mede esforços para apoiar todos os setores produtivos da economia. Do agronegócio se desdobram linhas da cadeia produtiva do estado, e sem dúvida esta expedição vem a proporcionar o aperfeiçoamento significativo da suinocultura”, destacou.
“Estamos chamando o roteiro da Expedição Suinocultura de a Nova Fronteira da Pecuária Nacional, porque é uma proteína animal em forte crescimento. Batemos recorde de exportação e de volume no ano passado. E nós vamos a campo investigar esse setor”, afirmou o coordenador do Núcleo de Agronegócio, Giovani Ferreira.
A expedição percorrerá seis estados com a maior produção de carne suína no país: Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais. Os seis estados representam mais de 90%da produção brasileira do produto.
“Estamos analisando as tendências desse produto. A carne suína é a proteína animal mais consumida do mundo”, disse Giovani Ferreira, destacando que a ideia é a quebrar paradigmas: “É uma carne que já atende a necessidade do consumidor. Não é apenas o pernil de fim de ano. Ela já é uma opção diária”, acrescentou.

O vice-presidente e diretor Administrativo Orlando Pessuti e o diretor de Operações João Regiani, gerentes e técnicos do BRDE participam nesta quinta (24) e sexta-feira (25), em Curitiba, do 5º Fórum de Agricultura da América do Sul. O fórum é uma promoção do Núcleo de Agronegócio do jornal Gazeta do Povo e tem apoio do BRDE.
A conferência de abertura do fórum teve a participação do diretor Orlando Pessuti e do gerente de Relações Institucionais e Gestão Rural do BNDES, Tiago Peroba, como mediação do coordenador do evento, Giovani Ferreira. Antes da conferência, os presentes acompanharam por vídeo a saudação do diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo.
Pessuti disse ser um orgulho para o BRDE participar do fórum, principalmente pela sintonia da missão do banco com o futuro do campo, tema central do encontro, baseado no tripé sucessão, gestão e tecnologia. “Ouso colocar no tema o crédito, citando como exemplo as cooperativas do Sul, que não seriam o que são hoje sem o apoio de instituições comprometidas com o desenvolvimento, como o BRDE”, afirmou.
“Atravessamos no país uma crise econômica, ética e moral, mas mesmo assim o BRDE vem avançando”, acrescentou Pessuti, lembrando os bons resultados do Banco em 2016 e no primeiro semestre deste ano. “Estamos juntos, o BRDE é parceiro do agronegócio e demais setores produtivos, e assim vai deixando sua marca de trabalho no Paraná e toda Região Sul”.
Tiago Peroba, do BNDES, disse que o agronegócio ganhou enorme importância nas operações da instituição nos últimos anos, com destaque para as áreas de gestão e tecnologia, o que levou o banco a destinar R$ 218 bilhões ao setor agropecuário, no ano agrícola de 2017/18, para custeio, comercialização e investimentos. Peroba elogiou a atuação do BRDE, citando o banco como grande parceiro.
Peroba adiantou também os novos projetos do BNDES, entre eles o Cartão BNDES Agro, que será apresentado oficialmente na Expointer, em Esteio (RS), que começa neste sábado (26). O novo cartão é voltado à agropecuária e poderá financiar pessoas jurídicas e pessoas físicas que atuam no setor. Outros projetos são: o Canal Desenvolvedor MPME, o BNDES Online e o APP Agro.
Censo agropecuário – Durante o fórum, o diretor-executivo e vice-presidente do IBGE, Fernando José Abrantes, anunciou para 1º de outubro o início do Censo Agropecuário, que terá a duração de cinco meses, com 18 mil pesquisadores em campo, usando computadores de mão, pela primeira vez. Foi assinado um termo de compromisso e colaboração do IBGE com a Ocepar, Fetaep, Faep e governo do Paraná.
Futuro do campo – O Fórum de Agricultura da América do Sul reúne especialistas de 10 países e um público aproximado de 500 pessoas. O tema deste ano é “Sucessão, Gestão e Tecnologia – É o campo do futuro em transformação”. O fórum já está consolidado entre os principais espaços para discussão de perspectivas e desafios do setor agrícola no continente.
A proposta é discutir e debater as tendências do agronegócio mundial e globalizado a partir da realidade, potencial e liderança da América do Sul. Participam do fórum 30 palestrantes e representantes de toda cadeia do agronegócio, entre empresários, técnicos do setor, cooperativas, produtores rurais, lideranças e autoridades.
As conferências e painéis do evento abordam grandes temas como Mercados Agrícolas; Comércio Internacional; Tecnologia e Agricultura Digital; Gestão e Sucessão; Infraestrutura; Novas fronteiras; Cooperativas de Nova Geração; A Rússia das carnes e do trigo; Clima, a variável e a mitigação e América do Sul Rural.
No primeiro dia do fórum, os participantes acompanharam as apresentações do economista do IPEA José Eustáquio Vieira Filho e do diretor-técnico da Fundação Hanns Neumann, o equatoriano Max Uchoa, que falaram sobre sucessão no campo. O segundo dia começou com o painel “Cooperativas: uma plataforma para o Brasil”, seguido do fórum de presidentes de cooperativas.