BRDE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) prorrogou o prazo para recebimento de propostas para exposições temporárias do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, em Curitiba. Os interessados em participar da seleção poderão realizar suas inscrições até 25 de janeiro de 2019. O edital completo está disponível no site do BRDE.
Inaugurado em junho de 2005, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões já recebeu obras de variadas técnicas e artistas com diferentes trajetórias em propostas de exposições individuais, coletivas ou integrando circuitos institucionais. Além de exposições de arte contemporânea, sua programação diversificada contempla atividades musicais, lançamentos de livros e exibição de filmes.
O Palacete dos Leões, é uma edificação histórica que por si só é uma obra de arte. Concluído em 1902, foi a residência da família de Agostinho Ermelino de Leão Júnior, importante empresário da erva-mate no Paraná. A riqueza ornamental de sua arquitetura é a expressão da prosperidade econômica do ciclo ervateiro, com seu auge no séc. XIX e nas primeiras décadas do séc. XX.
O BRDE coordena o espaço cultural mantendo suas atividades e preservando suas principais características arquitetônicas de época.
Informações
Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões
Av. João Gualberto, 570 – Alto da Glória – Curitiba, PR
41. 3219-8184
Segunda à sexta-feira – 12h30 às 18h30.

Imagem da exposição “Tempo Matéria”, de André Nacli, realizada em 2017 no Palacete dos Leões.
Crédito: André Nacli/Divulgação BRDE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) encerrou nesta quarta-feira (26) o processo de seleção de projetos apoiados por meio das leis de incentivos fiscais no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com o repasse de recursos a entidades e instituições contempladas em 2018.
Foram selecionados no Paraná 40 projetos, entre 239 inscritos, no valor aproximado de R$ 1 milhão, sendo 24 pela Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), quatro pela Lei de Incentivo ao Esporte, três pelo Fundo da Criança e Adolescência (FIA), quatro pelo Fundo Municipal do Idoso e cinco pelo Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON).
O BRDE apoia projetos sociais, culturais e esportivos com base na apuração do imposto a pagar, com parte da política de responsabilidade socioambiental da instituição. “São projetos que ajudam a mudar a realidade de milhares de crianças, jovens e adultos, proporcionando maior acesso a serviços de saúde, ao esporte e à cultura”, afirma o presidente do BRDE, Orlando Pessuti.
Para marcar o encerramento do processo de seleção de projetos, entidades assistenciais, esportivas e culturais, hospitais e APAEs contemplados em 2018 foram recebidos na Agência Paraná do BRDE, em Curitiba, para uma grande confraternização. A celebração teve como ponto alto a entrega de cheques simbólicos com o valor do apoio ao projeto selecionado.
O diretor de Operações Guilherme Fumagalli Guerra abriu a celebração, abertura destacando a importância das instituições apoiadas pelo BRDE. “Cada projeto aqui representado tem grande importância no desenvolvimento social não só do nosso Estado, mas do Brasil todo”.
Participaram instituições e entidades de diversas cidades do Paraná, como Ibiporã, Londrina, Ipiranga e Francisco Beltrão, além de municípios da Região Metropolitana de Curitiba. “Saímos de Ibiporã às 4 horas da manhã para chegarmos a tempo”, contou Leila Assis, da Escola de Dança da Associação de Pais, Mestres e Amigos do Ballet da Fundação Cultural de Ibiporã.
“Nosso projeto tem o objetivo de levar cultura a crianças que não têm acesso a espetáculos, oficinais e outras ações culturais. E isso tudo está acontecendo porque recebemos recursos dos incentivos fiscais”, disse o jornalista Francisco Rocha, representante do Guritiba, projeto aprovado pela Lei Rouanet, que chegará a sua 10ª edição em 2019.
Contemplados – Entre as entidades e instituições contempladas neste ano estão a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, a Liga Paranaense de Combate ao Câncer, o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo, de Campina da Lagoa, o Pequeno Cotolengo do Paraná, a Associação Beneficente das Senhoras de Entre Rios e a APAE de Ipiranga.
Também foram beneficiadas a Associação Paranaense de Cultura, a Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas de Curitiba, a Associação Paranaense de Apoio à Criança com Neoplasia, o Hospital do Câncer de Londrina, a Associação Norte Paranaense de Combate ao Câncer e a Fundação de Estudos das Doenças do Fígado Koutoulas-Ribeiro.
Entre os apoiados via Lei de Incentivo ao Esporte, está o projeto Esgrima em Cadeira de Rodas Rumo a Excelência-Ano III, da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná, que mantém a maior equipe de atletas da modalidade no país. Pela Lei Rouanet, foram apoiados projetos que envolvem orquestras, grupos de cordas, escolas de balé e de teatro, literaturas e fanfarras.
Interessados em inscrever projetos no edital de 2019 do programa de incentivos fiscais do BRDE podem obter informações no portal www.brde.com.br/incentivosfiscais.

O Ministério do Turismo autorizou o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) a operar um recurso adicional de R$ 76 milhões através do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para projetos no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
O Fungetur financia projetos de aquisição de equipamentos, modernização, ampliação ou reforma de empreendimentos turísticos privados, como hotéis, agências de viagens e parques temáticos. O BRDE já financiou pelo fundo cerca de R$ 24 milhões. Além disso, ainda há mais de R$ 80 milhões em operações destinadas ao turismo em fase de análise.
O Banco tem um programa destinado especialmente ao turismo, o BRDE Protur, que visa estimular a criação de novos produtos turísticos e o desenvolvimento do setor na Região Sul. Segundo o Mapa do Turismo Brasileiro, divulgado pelo Ministério do Turismo, o Sul possui 53 regiões turísticas divididas por 905 municípios.
O Ministério do Turismo disponibilizou ao Fungetur R$ 243 milhões, divididos entre cinco instituições financeiras, sendo que o BRDE ficou com o maior aporte. O banco, que é administrado pelos três estados do Sul, é o operador de quase 50% das operações do fundo.
Melhorias
O Fungetur foi criado para promover a melhoria da infraestrutura do setor, a partir do aprimoramento de serviços prestados a visitantes e da dinamização da vocação turística de todas as regiões do país.
Para capital fixo, o valor financiável é de até 80% do investimento total no projeto. O prazo de pagamento é de até 240 meses. Para máquinas e equipamentos, o prazo de pagamento é em até 60 meses e o nível de participação é de até 100% do valor total.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), a Itaipu Binacional e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) vão trabalhar juntos para acelerar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) na área de atuação da hidrelétrica, na Região Oeste do Paraná. A ação será feita por meio do fomento e da divulgação de oportunidades de investimentos aderentes à Agenda 2030.
As instituições oficializaram a parceria nesta quarta-feira (19), no escritório de Itaipu em Curitiba, com a assinatura de um protocolo de intenções. Assinaram o protocolo o presidente do Banco, Orlando Pessuti, e o diretor-geral brasileiro da hidrelétrica, Marcos Stamm. Participaram os conselheiros do BRDE Valmor Weiss e Altevir Rocha de Andrade, o secretário do Codesul Antonio Carlos Bettega, e técnicos do Banco e de Itaipu.
A proposta é promover o desenvolvimento sustentável na região de abrangência de Itaipu, com foco na implementação da Agenda 2030. Hoje, Itaipu mantém convênios com 55 municípios do Oeste paranaense. A parceria prevê o financiamento por parte do BRDE da contrapartida exigida nos convênios firmados pelos municípios com a hidrelétrica. Também participará da ação conjunta a Fundação Parque Tecnológico Itaipu-Brasil.
“Na verdade, é mais uma parceria convergente de ações de governo entre Itaipu e BRDE. O BRDE disponibiliza recursos para aqueles municípios que precisam de contrapartida e não têm onde buscar. Isto está dentro do contexto da Agenda 2030, dos ODS”, afirmou Marcos Stamm. “Este protocolo de intenções vai gerar uma série de outros trabalhos e o objetivo é isso, inclusive vindo a somar também ações com o PNUD”, acrescentou.
“Essa parceria foi imaginada, sonhada e vem sendo lapidada desde que chegamos ao BRDE. Nós vimos que a parceria da Itaipu com os municípios aflorou de uma forma muito vigorosa e muitos deles têm dificuldade em obter as contrapartidas solicitadas pela Itaipu. É aí que nós entramos, financiando estas contrapartidas”, disse o presidente Pessuti, ao agradecer, em nome dos demais diretores do BRDE, o empenho de Itaipu na formalização da parceria.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está reforçando o apoio às prefeituras paranaenses. Nesta quinta-feira (6), em Foz do Iguaçu, o Banco assinou acordo de cooperação técnica com a Associação dos Municípios do Paraná (AMP), criando um canal de comunicação permanente com a entidade. O acordo foi assinado durante o Encontro Paranaense de Gestores Municipais, promovido pela AMP, com apoio do BRDE.
A proposta do acordo é ampliar a divulgação das linhas do BRDE nos municípios e auxiliar na elaboração de projetos que possam receber investimentos. Acompanharam a assinatura a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o governador eleito Carlos Massa Ratinho Júnior.
O BRDE assinou também durante o encontro de gestores protocolo de intenções com as prefeituras de Maringá, Londrina e Paranavaí, para financiamento de projetos voltados às áreas de segurança pública e cidades inteligentes. Os três projetos somam investimentos que superam R$ 100 milhões.
“Para o BRDE, a parceria é uma forma de aproximar ainda mais a instituição dos municípios, onde vivem as pessoas, e onde o banco pode alavancar investimentos que promovam o desenvolvimento econômico e social, gerando emprego, renda riquezas”, afirmou o presidente do BRDE, Orlando Pessuti.
Pessuti lembrou que o Banco vem ampliando sua atuação, principalmente a partir da capitalização feita pelos governos dos três estados, que alavancou investimentos da ordem de R$ 600 milhões na Região Sul, até chegar à criação do BRDE Municípios, para atendimento do setor público, que prevê, além de financiamento, assistência técnica.
“Vivemos um momento histórico no BRDE, quando o banco se coloca uma posição bastante afirmativa ao lado dos municípios”. Temos uma equipe altamente qualificada no BRDE, que deve ser demandada, inclusive para ajudar na elaboração de projetos locais e regionais”, acrescentou Pessuti.
“Temos o BRDE como um parceiro importante, pela sua estrutura e proximidade com os municípios. Essa parceria estreita o relacionamento dos municípios com o banco, que tem todas as condições de dar suporte aos gestores municipais para que possam fazer um trabalho melhor ainda”, afirmou o prefeito de Coronel Vivida e presidente da AMP, Frank Schiavini.
Cidades inteligentes e seguras – O BRDE também participará da implantação de projetos de segurança pública e outras ações na área de cidades inteligentes nos municípios de Londrina, Paranavaí e Maringá, que juntos somam investimentos de mais de R$ 100 milhões.
Assinaram os protocolos de intenções com o BRDE o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, o prefeito de Paranavaí, Carlos Henrique Gomes, e o secretário de Defesa Social de Londrina, Evaristo Kuceki, representando o prefeito Marcelo Belinati.
“É uma parceria muito importante para implantação do projeto Maringá Cidade Segura, que prevê numa primeira fase a instalação de mil câmeras de vídeo. Será um monitoramento diferenciado, com o que há de mais moderno em tecnologia na questão de segurança”, disse o prefeito Ulisses Maia.
“Precisamos sem dúvida da Guarda Municipal, da Polícia Militar, mas hoje bons resultados em segurança obtemos através de monitoramento. O projeto inclui também ações nas áreas de cidade inteligente e sustentável”, destacou o prefeito de Maringá.
Encontro – O Encontro Paranaense de Gestores Municipais reúne prefeitos, vice-prefeitos, secretários e gestores municipais, autoridades do Governo do Estado, técnicos do Tribunal de Contas do Paraná e parlamentares. O BRDE é um dos patrocinadores do encontro de gestores e participa do evento com estande e equipe técnica para atendimento de futuros clientes.
Sãos temas do encontro: ODS – O Pacto Global da ONU e o futuro dos municípios; governança municipal; improbidade administrativa; Parcerias Público-Privadas (PPPs); o novo financiamento público da educação; captação de recursos e prestação de contas – regras de sucesso; terceirizações na área de saúde e Agenda Municipalista do Paraná.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) assinou acordo de cooperação técnica com a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro/PR). A parceria prevê ações conjuntas de apoio técnico e creditício a empresas inovadoras.
O acordo beneficiará as empresas associadas a ter uma opção de crédito mais próxima e vantajosa para que possam financiar seus projetos inovadores. Aliada ao empreendedorismo, a Assespro promove a inovação há mais de 35 anos, além de facilitar o acesso das empresas a recursos e informação, sempre abrangendo as tendências tecnológicas da área.
Pelo acordo, a Assespro apresentará às empresas de TI associadas soluções de financiamento oferecidas pelo BRDE para os investimentos que tenham a realizar e prestará assistência na elaboração de projetos. Para isso, o BRDE capacitará a equipe própria da Assespro para elaboração e envio de projetos das empresas associadas. A capacitação já teve início.
Para o BRDE, o acordo de cooperação com a Assespro permitirá a prospecção de novos clientes na área de inovação e o recebimento de projetos melhor elaborados, aumentando assim o nível de aprovação dos pedidos.
Inovação – Com o objetivo de fortalecer a inovação no ambiente produtivo do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, oferece financiamentos de longo prazo para empresas e projetos inovadores com juros, condições, tarifas e acompanhamento diferenciados.
O programa de inovação do BRDE conta com três formas de apoio: financiamento de projetos de inovação em produto, processo ou modelos de negócio; financiamento de investimentos para empresas com histórico inovador; e um fundo de participação, o Criatec 3, que capitaliza empresas em estágio inicial com perfis inovadores.
Saiba mais sobre as linhas de financiamento do BRDE para a área de inovação. Entre em contato com o Banco e solicite um atendimento pelo endereço: www.brdepr@brde.com.br ou ligue para a Agência Paraná: (41) 3219-8150.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) formalizou nesta segunda-feira (26) contrato financeiro com o Banco Europeu de Investimentos (BEI) no valor de 80 milhões de euros (R$ 353 milhões) para financiar projetos com foco em energia renovável, eficiência energética e mobilidade urbana no Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.
A assinatura do contrato foi no Palácio Iguaçu, com a presença da governadora Cida Borghetti, do diretor-presidente do BRDE, Orlando Pessuti, do diretor de Operações, Guilherme Guerra, e do executivo-sênior do BEI para o Brasil e América Latina, Alexandre Staff Varela. “Este contrato demonstra que o Paraná e o BRDE estão comprometidos com a modernização, a sustentabilidade e a inovação”, afirmou a governadora Cida Borghetti.
O contrato como Banco Europeu é resultado dos entendimentos que foram iniciados em 2017, quando o BRDE recebeu a visita técnica do BEI no Brasil. A aproximação com a instituição se deu especialmente pelo reconhecimento da Política de Responsabilidade Socioambiental do BRDE na contratação de operações financeiras através de programas como o BRDE PCS (Produção e Consumo Sustentáveis).
“A nossa parceria só pode ser concluída porque o banco cumpre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os projetos a serem financiados devem seguir essa linha, que é uma das prioridades do BEI na região”, disse o executivo-sênior do BEI Alexandre Varela.
Varela disse também que os projetos elegíveis devem seguir as políticas de avaliação ambiental, social e de licitação do banco. “O BRDE é a primeira instituição financeira com quem o BEI faz uma operação destinada a energias renováveis e eficiência energética”, disse.
O presidente Orlando Pessuti destacou a atuação do BRDE como o maior financiador de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e de Centrais de Geração Hidrelétrica (CGHs) no Paraná. “Com mais este recurso, poderemos investir mais em projetos de energias renováveis, seja através da iniciativa privada ou por meio de projetos com foco em eficiência energética e mobilidade urbana nas cidades da região Sul”.
Pessuti afirmou também que a parceria com o BEI é um importante avanço no objetivo estratégico de diversificação de fundings, ampliando as alternativas do BRDE ao Sistema BNDES, além de reafirmar o compromisso do banco com o desenvolvimento econômico e socioambiental sustentável.
Participaram da solenidade os secretários estaduais do Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros; do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti; da Agricultura e Abastecimento, George Hiraiwa, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Décio Sperandio; o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Marcos Stamm; representantes da Ocepar e da Fecomércio; a superintendente da Agência Paraná, Juliana Dallastra, o chefe do GADIR, Paulo Starke, e os gerentes Lisiante Astarita, Tiago Pesch, Carmem Truite e Sérgio Sato.
Florestas – Na mesma solenidade de formalização do contrato com o BEI, o BRDE e o Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná (ITCG) assinaram acordo de cooperação técnica para criação de uma linha de crédito voltada aos concessionários das áreas de florestamento ambiental do ITCG.
O acordo beneficiará concessionários que utilizam os imóveis do Instituto para produção de madeira. O ITCG conta com uma área de aproximadamente 40 mil hectares de florestamento, provenientes do antigo Instituto de Florestas do Paraná, que foi incorporado ao órgão.
As áreas incorporadas ao ITCG são exploradas por concessionários parceiros, que pagam a contrapartida da concessão ao Instituto. Com a linha de crédito do BRDE, eles terão financiamento com juros mais acessíveis, melhorando assim a gestão das áreas públicas de floresta plantada do Paraná.
“A parceria também abre caminho para que, quando o Estado fizer a alienação desses imóveis, haja a possibilidade de um financiamento do BRDE para quem tiver interesse em comprar essas terras”, explicou o presidente do ITCG, Amílcar Cabral.

O BRDE participou do lançamento da Plataforma Oeste 2030, uma parceria da Itaipu Binacional com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O lançamento foi nesta quinta-feira (22), no Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu, Região Oeste do Paraná.
A plataforma consiste em um software que irá reunir 67 indicadores ambientais e vai monitorar o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na região. É a primeira plataforma das Nações Unidas para acompanhamento dos ODS em nível municipal. “É uma iniciativa inédita do PNUD e única do mundo”, afirmou a coordenadora de Desenvolvimento Humano do PNUD, Samantha Salve.
Dentro dos objetivos da nova plataforma, BRDE, PNUD e Itaipu discutem projeto de cooperação técnica para promover o desenvolvimento sustentável nos 54 municípios da região de abrangência da hidrelétrica, com foco na implementação da Agenda 2030.
Monitoramento – A origem da Plataforma Oeste 2030 vem do Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil, que também tinha como base os indicadores socioambientais para medir o IDH no país.
Em 2015, quando o Brasil assumiu o compromisso global de alcançar o desenvolvimento sustentável por meio da Agenda 2030, as ações começaram a se voltar para o monitoramento dos ODS.
O programa se baseia em indicadores oficiais, cobrindo cada um dos 17 ODS. Os dados do SUS, por exemplo, mostram a evolução do ODS 3, sobre saúde e bem-estar. As informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) apontam o andamento do ODS 4, sobre educação.
“Uma empresa que quer fazer um investimento precisa contratar uma série de estudos. E isso é bastante caro. Agora temos esta plataforma com uma riqueza enorme de dados. Com certeza usaremos para o desenvolvimento da região”, afirmou o presidente do programa Oeste em Desenvolvimento, Danilo Vendrusculo.

Interessados em participar de exposições no Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, em Curitiba, poderão inscrever suas propostas até o dia 10 de janeiro de 2019.
O edital do calendário expositivo 2019/2020 está disponível no site do BRDE (www.brde.com.br). Para acessá-lo o candidato deverá clicar no banner “Espaço Cultural”, onde poderá obter o regulamento e a ficha de inscrição.
A seleção das propostas será realizada por uma Comissão Cultural formada por funcionários do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e um consultor convidado com formação em Artes Visuais.
Mais informações podem ser obtidas no Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, avenida João Gualberto, 570, Alto da Glória – Curitiba (PR) ou pelo telefone: (41) 3219-8184, de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30. O edital pode ser acessado clicando aqui.
História – Inaugurado em junho de 2005, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões já recebeu obras de variadas técnicas e de artistas com diferentes trajetórias em propostas de exposições individuais, coletivas ou integrando circuitos institucionais, a exemplo da Bienal Internacional de Curitiba.
Além das exposições de arte contemporânea, a programação do espaço é bastante diversificada, contemplando atividades musicais, lançamentos de livros e exibição de filmes.
Sua sede, o Palacete dos Leões, é uma edificação histórica que por si só é uma obra de arte. Construído entre 1896 a 1902, foi residência da família de Agostinho Ermelino de Leão Júnior, importante empresário da erva-mate no Paraná.
A riqueza ornamental da arquitetura do prédio é a expressão da prosperidade econômica do ciclo ervateiro, com seu auge no século 19 e nas primeiras décadas do século 20. O BRDE coordena o Espaço Cultural, mantendo suas atividades culturais e preservando suas principais características arquitetônicas de época.

Com participação do BRDE, começou nesta terça-feira (20), em Paranavaí, Noroeste do Paraná, a 2ª Feira Internacional da Mandioca – FIMAN. A feira deste ano traz 100 expositores de países da Ásia, África e América do Sul. A organização espera receber 5 mil visitantes nos três dias do evento. A expectativa de geração de negócios chega perto de R$ 100 milhões.
“É uma honra para o Paraná receber uma feira tão importante como essa, quando Paranavaí se torna a capital mundial da mandioca.”, afirmou a governadora Cida Borghetti na abertura da FIMAN. “Parabéns aos organizadores e expositores da feira, vocês são as pessoas que lutam diariamente para melhor o setor onde atuam”, acrescentou.
no traz 100 expositores de países da Ásia, África e América do Sul. A organização espera receber 5 mil visitantes nos três dias do evento. A expectativa de geração de negócios chega perto de R$ 100 milhões.
O presidente da FIMAN 2018, o empresário Maurício Gehlen, disse que a feira é o único evento que atende toda a cadeia produtiva da mandioca, produto eleito pela ONU como o alimento mais importante do século. “E a evolução do setor vem consolidando a mandioca como produto nobre, lembrando que o alimento é responsável no Paraná pela geração de 25 mil empregos somente no campo”, destacou Gehlen.
A FIMAN é dirigida a profissionais do setor industrial, produtores e fornecedores nacionais e internacionais da indústria da mandioca; varejistas e atacadistas de produtos à base de mandioca; produtores rurais e lideranças regionais. A proposta da feira é promover negócios e o intercâmbio entre as empresas produtoras de derivados da mandioca.
O BRDE participa da FIMAN com estande próprio para atender parceiros e potenciais clientes. Participam também, órgãos de pesquisa e desenvolvimento, produtores rurais, fecularias e farinheiras, empresas de soluções ambientais, cooperativas, indústrias química, alimentícia e têxtil e revendedoras de máquinas agrícolas.
São mais de 4 mil m² de perspectivas, no Parque Internacional de Exposições Costa e Silva, oferecendo uma programação com palestras técnicas, visitas a empresas locais, dias de campo, demonstração de novas tecnologias e rodadas de negócios. Paraná é o maior produtor de fécula de mandioca no país e o segundo na produção da raiz, respondendo por 14,79% do total nacional.