BRDE

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul exerce papel de protagonismo na economia paranaense ao priorizar investimentos no agronegócio, cooperativismo, turismo, inovação e em energias renováveis.

O primeiro ano do governo Ratinho Junior foi marcado por uma significativa retomada da atividade econômica no Estado. E o BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul -, no Paraná, exerceu papel de protagonismo nessa evolução.
Ao longo de 2019 o BRDE no Paraná viabilizou a oferta de R$ 850 milhões de crédito a empresas paranaense, em vários segmentos econômicos. Mais do que o crédito em si, é o resultado da aplicação desses recursos que faz a diferença. A viabilização do crédito pelo BRDE contribui com a geração de empregos, melhoria dos salários e com o desenvolvimento de negócios que geram prosperidade e contribuem para o crescimento da economia no Paraná.
Apenas no cooperativismo paranaense, foram mais de R$ 387 milhões investidos em projetos prioritariamente voltados para agroindústria, seguido de projetos de melhoria da infraestrutura. O volume total para o segmento considera tanto o financiamento para cooperativas como para cooperados. O papel das cooperativas agropecuárias é organizar atividades econômicas por meio do modelo de associativismo. Ao fortalecer suas atividades, gera-se um estímulo ao aumento da produção e uma melhora no poder de negociação, com condições comerciais mais justas para o produtor rural.
O apoio ao pequeno produtor também é parte integrante desse processo e gera benefícios para todo o setor do agronegócio. Não por acaso, este setor representa 65% de toda a carteira ativa do BRDE no Estado, com mais de R$ 180 milhões em crédito para os agricultores paranaenses apenas em 2019. Como resultado, gera-se impacto positivo em toda a produção do setor, além do aumento na geração de postos de trabalho. Os números positivos do setor evidenciam o acerto dessa estratégia: levantamento sobre a produção do terceiro trimestre divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o Paraná apresentou crescimento no abate de cabeças de suínos, de frango, na produção de leite e ovos. E segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, o Estado abriu 66.901 novas vagas considerando todos os segmentos até outubro. O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara explica que “Um fator importante foi o aumento na exportação de proteína animal do Paraná para a China”. “O ambiente político no Estado é muito bom e que, portanto há uma retomada interessante no processo de crescimento”, destaca o Secretário.
Outro segmento onde a atuação do Banco fez a diferença foi o de micro, pequenas e médias empresas. Há tempos, esse segmento vem se consolidando como uma das principais forças no processo de geração de novos postos de trabalho. Com o investimento do BRDE da ordem de R$ 135 milhões para micro e pequenas e mais R$ 261 milhões a médias empresas, empresários de pequenos e médios negócios puderam contar com um apoio determinante para contribuir com os bons números da economia paranaense.
O BRDE também é o principal agente financeiro do Fundo Geral do Turismo (Fungetur). Mesmo atuando somente em três estados, o banco é responsável por 48% do total de operações do Fundo em todo o País, com destaque para o Paraná, onde foram investidos mais de R$ 65 milhões, via Fungetur, em hotéis, pousadas, centros de convenções, parques temáticos e aquáticos em diversas regiões do Estado. O desempenho fez com que o Ministério do Turismo ampliasse o limite disponibilizado ao BRDE para novas contratações, o que se traduzirá em apoio ainda maior ao setor nos próximos anos.
Inovação tem sido palavra de ordem e uma das prioridades do atual Governo do Estado. Por essa razão, o BRDE destinou R$ 81 milhões a projetos ligados à inovação em empresas paranaenses de diversos segmentos. A esse recurso, somam-se ainda R$ 58 milhões destinados para eficiência energética e R$ 165 milhões para o setor de energias renováveis. Foram atendidos projetos que, por natureza, também são inovadores e orientados a aumentar a diversificação da matriz energética do estado e a promover um futuro cada vez mais sustentável e orientado ao uso de energias renováveis e não poluentes. Além de projetos para geração de energia através do sol, denominados sistemas fotovoltaicos que tradicionalmente incorporam o portfólio de investimentos do Banco, em 2019 também foram financiados PCHs (Pequenas Centrais Hidroelétricas) e CGHs (Geradoras Hidroelétricas).
Todos esses resultados, ao longo de 2019, foram potencializados pela visão estratégica do Governador Ratinho Junior, que criou, ao longo do ano, o Sistema Paranaense de Fomento, no qual somam-se ao BRDE, a Fomento Paraná e a Invest Paraná. O SPF tem como objetivo assegurar que as ações de cada uma das instituições envolvidas tenham estreita conexão com a visão que o atual Governo possui para o futuro do Estado, e garantir que as três instituições atuem sempre de forma complementar, sem sobreposição de ações e desperdício de esforços.
O diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, ressalta a importância do trabalho em conjunto: “A criação do Sistema Paranaense de Fomento está possibilitando que, pela somatória de ações das instituições envolvidas, alinhadas à visão estratégica do Governador, o estado do Paraná continue avançando de forma cada vez mais rápida e efetiva, na direção de ser não apenas o estado mais moderno e inovador do Brasil, mas também aquele com mais oportunidades, melhor ambiente para os negócios, e mais justiça social”.
Heraldo Alves das Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, destaca a complementariedade do SPF: “O Sistema Paranaense de Fomento representa um marco na criação de sinergia entre as instituições paranaenses de fomento às atividades econômicas. A atuação de forma complementar e organizada possibilita foco, racionalização de recursos e maior assertividade no implemento e na manutenção de investimentos no Estado do Paraná. Para a Fomento Paraná é importante fazer parte dessa estratégia que tangibiliza a visão do governador Ratinho Junior”.

O Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões inaugurou nesta sexta-feira, 20 de dezembro, a mostra fotográfica A Criação do BRDE, idealizada pela equipe da Biblioteca da Agência do BRDE do Rio Grande do Sul.

As fotografias foram impressas a partir de negativos originais encontrados por Adriana Reus, bibliotecária do BRDE, na ocasião da transferência de documentos que estavam armazenados em um antigo depósito da instituição. O historiador Corálio Cabeda, funcionário aposentado do BRDE, teve participação efetiva no processo de identificação de pessoas e situações apresentadas nas fotos. Embora não estivessem acompanhados de dados ou de seus autores, a série foi identificada como sendo dos dois primeiros anos do BRDE – 1961 e 1962, bem como de uma das primeiras empresas financiadas, localizada em Novo Hamburgo.

A seleção contempla registros de reuniões e atos oficiais de instalação do BRDE e de posse dos primeiros dirigentes e presidentes do Banco e do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul – CODESUL. Entre as imagens resgatadas estão algumas que mostram os três governadores que fundaram o BRDE: Leonel Brizola (RS), Celso Ramos (SC) e Ney Braga (PR).
A mostra fotográfica A Criação do BRDE é um importante resgate da história do BRDE nos primórdios de sua existência e após sua realização em Porto Alegre e Curitiba seguirá para Florianópolis. “Agradecemos a todos os envolvidos nesta iniciativa, assim como aos anônimos fotógrafos que ao registrar momentos do seu tempo também emprestaram seus olhares à história do BRDE.”, comenta Silvio De Bettio, funcionário e integrante da Comissão Cultural do Paraná que integrou a equipe da AGCUR responsável por realizar o recorte curatorial e montagem da exposição em Curitiba.
A inauguração da exposição de fotografias “A Criação do BRDE” foi realizada nesta sexta-feira, 20 de dezembro, no Espaço Cultural BRDE – Paraná, com a presença dos funcionários da AGCUR. A mostra segue em exposição até 17 de janeiro de 2020.

Serviço:

Exposição fotográfica “A Criação do BRDE”
Abertura: 20 de dezembro de 2019 às 14h
Período expositivo: até 17 de janeiro de 2020
Segunda a sexta, 12h30 às 18h30

Local: Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões
Av. João Gualberto, 570
Entrada Gratuita

 

20

O dia 18 de dezembro foi escolhido pelo Governo do Estado do Paraná como o Dia de Combate a dengue. Com a chegada do verão os índices da doença aumentam significativamente, pelas condições favoráveis de reprodução encontradas pelo mosquito causador da dengue, Aedes Aegypti.

O governo do Paraná, junto com as principais organizações do Estado, efetuou uma ação contra à doença, por meio da campanha “Dengue mata. Mude sua atitude”. A ação tem o objetivo de combater a proliferação do mosquito através de atitudes simples, mas imprescindíveis para a mudança de quadro da dengue no Paraná, como por exemplo evitar o acúmulo de água parada e manter ralos e vasos sanitários fechados.

A agência paranaense do BRDE apoiou a campanha distribuindo material para funcionários e clientes durante o dia todo. Além disso, foi enviado um e-mail marketing de divulgação da campanha para todos os clientes ativos do Estado. Para mais informações acesse: http://www.dengue.pr.gov.br/

Agronegócio é o foco das duas inicativas lançadas pelo governo Ratinho Júnior. Objetivo é apoiar, capacitar e aportar recursos a startups que desenvolverão soluções para diversas áreas, principalmente agro.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta quinta-feira (12) dois projetos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) voltados à inovação: o BRDE Labs e o Fip Anjo. O objetivo é apoiar, capacitar e aportar recursos a startups que desenvolverão soluções para diversas áreas, mas com foco principal no agronegócio.

O BRDE Labs fará a seleção e aceleração de empresas startups, que desenvolvam soluções preferencialmente ao agronegócio, mas também empreendimentos voltados para a indústria 4.0 – IoT (Internet das Coisas), tecnologia da informação, energia, educação, saúde, logística e meio ambiente. A proposta é aproximar empresas inovadoras, academia e potenciais clientes, também levando a inovação ao Interior do Estado.

O programa será realizado em parceria com a Hot Milk, aceleradora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com apoio de cooperativas agroindustriais e clientes do BRDE. Após um processo de capacitação, startups consolidadas dentro da aceleradora poderão ter acesso a fundos de investimentos e linhas de créditos operadas pelo BRDE.

Um desses fundos é o Fip Anjo, chamada do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltada às startups e no qual o BRDE fez um aporte de R$ 15 milhões, que será destinado a empresas da região Sul.

Ratinho Junior afirmou que o Estado deve ser um grande indutor da inovação, que melhora os serviços e geram emprego e renda para a população, tanto na cidade como no campo. “Temos que trabalhar com o que temos de melhor nessa área. Por isso vamos potencializar os projetos de tecnologia no campo, já que o agronegócio está cada vez mais tecnológico, saindo da enxada e indo para os tablets e smartphones”, disse.

O governador ressaltou que o governo busca incentivar o ecossistema de inovação do Paraná, reunindo iniciativas e o know how do Estado, prefeituras, academia e do setor produtivo. Um exemplo foi o credenciamento de 18 parques tecnológicos em todas as regiões do Estado, para estimular o ambiente de inovação paranaense.

“O mercado de inovação gera muitos empregos. Temos empresas no Paraná que começaram há poucos anos como startups e já têm centenas de funcionários, uma mão de obra qualificada que recebe bons salários”, ressaltou o governador. “Trabalhamos muito para incentivar esse setor, o Paraná tem 18 parques tecnológicos espalhados por todo o Estado. Cidades como Londrina, Toledo, Curitiba e Pato Branco têm grandes empresas de base tecnológica”, citou.

INVESTIMENTOS – O BRDE é essencial nesse processo de implementar a inovação, afirmou Ratinho Junior. “Queremos que o BRDE, que é um banco que existe para o desenvolvimento econômico do Estado, possa fomentar novas empresas da área de inovação, para que elas gerem ainda mais oportunidades no Estado”, salientou.

De janeiro a novembro deste ano, o banco investiu cerca de R$ 70 milhões em projetos de inovação apenas no Paraná. A instituição é a maior repassadora no Brasil dos recursos da Financiadora de Estudos e Projeto (Finep), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Foram R$ 153 milhões da Finep destinados a projetos de inovação no período.

“Faremos o circuito completo junto às empresas de inovação, começando pelo apoio ao Fip Anjo e também contribuindo com o desenvolvimento das startups”, explicou o diretor de Operações da agência paranaense do BRDE, Wilson Bley. “Vamos priorizar a agricultura. Junto com as cooperativas, que são as grandes parceiras e clientes do banco, faremos com que a agricultura 4.0 tenha destaque nessa iniciativa”, afirmou.

CADA VEZ MAIS – O secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, afirmou que agronegócio utiliza cada vez mais a inovação, desde a mecanização, genética, biotecnologia e agora a digitalização da agricultura.

“Estamos na terceira revolução agrícola do mundo, com ferramentas que vêm refinar os processos de produção e a agricultura de precisão. Acelerar isso é inteligente, particularmente em um espaço agro como o nosso. Isso traz vantagens competitivas ao Paraná”, afirmou Ortigara.

BRDE LABS – As startups selecionadas pelo BRDE Labs serão direcionadas para um dos dois hubs do programa, localizados em Toledo, no Oeste, ou Londrina, no Norte do Estado. Elas receberão capacitações em áreas como estratégia de vendas, relações-públicas e financeira, desenvolvimento de produtos. As cooperativas parceiras ajudarão com a seleção, mentoria e apoio técnico para o desenvolvimento dos produtos.

O diretor da Hot Milk, Fernando Bittencourt Luciano, explicou que além de acelerar startups, a instituição também faz a interface entre grandes corporações e empresas de base tecnológica de todo o Brasil. “Este programa é uma oportunidade única para trabalharmos em diversas áreas do conhecimento, muito focado no agronegócio. Vamos angariar startups do Brasil inteiro para trabalhar com parceiros do BRDE em todo o Paraná, que trarão resultados excelentes para o Estado”, disse.

SELEÇÃO – O processo de seleção das startups inicia em fevereiro de 2020, durante o Show Rural, evento que acontece em Cascavel e é um dos maiores do mundo na área de inovação para o agronegócio. O programa terá duração de seis meses e não haverá custos para as empresas.

Ao final do programa, o BRDE, a Hot Milk e as cooperativas farão uma avaliação do desempenho de cada startup. As melhores soluções poderão fazer parceria com as cooperativas ou receber investimento dos fundos em que o BRDE é cotista.

FIP ANJO – O Fip Anjo é um fundo de investimento do BNDES dedicado às startups. O BRDE é um dos principais cotistas do fundo, com um investimento de R$ 15 milhões, que será aportado em empresas inovadoras da Região Sul. A gestão dos recursos é feita pela Domo Invest, uma das principais gestoras de Venture Capital no Brasil.

O objetivo do fundo é o aporte em empresas nascentes, sendo 40% delas com faturamento anual de até R$ 1 milhão. O restante será destinado a empresas com faturamento de até R$ 16 milhões. Deverão ser contempladas cerca de 150 empresas, sendo aproximadamente 100 startups na primeira etapa, com aportes entre R$ 100 mil e R$ 500 mil em cada uma.

O fundo já dispõe de R$ 60 milhões, com expectativa de elevar a captação para R$ 100 milhões. As empresas-alvo são das áreas de Economia Criativa, Agronegócio, Saúde e Biotecnologia, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Fintechs e Cidades Inteligentes.

Todo investimento em empresas nascentes será acompanhado de coinvestimento de outro investidor anjo, que deve entrar com, no mínimo, o mesmo valor aportado pelo fundo.

A Domo Invest, gestora do Fip Anjo, é liderada por empreendedores que participaram da fundação de empresas como o Buscapé no Brasil. A equipe também esteve entre os primeiros investidores em startups de renome, como a Loggi, Gympass, Hotmart, Descomplica e Quero Educação.

FONTE: AEN

Durante a última semana de novembro, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões recebeu crianças e adolescentes de colégios de Curitiba e região metropolitana para a realização de visitas mediadas. Os alunos puderam conhecer a exposição Pangrafias, que integra a 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba. Além de conversar sobre a Bienal, os alunos puderam conhecer mais sobre os artistas Fernando Lemos, León Ferrari, Cabelo, Shirley Paes Leme e suas obras.

Do Colégio Estadual do Paraná, cerca de 60 alunos foram conduzidos pela Professora de Artes, Rosângela Canetti. A mediação dos grupos foi realizada pelo estagiário da Bienal de Curitiba, Jonathan Brandão, acadêmico de História da Universidade Federal do Paraná, e Flávia Vogue, produtora do Espaço Cultural BRDE – Paraná.

O BRDE, através do apoio de projetos com base nas Leis de Incentivo Fiscal, recebeu alunos de Almirante Tamandaré por meio do programa Guritiba, que promove a inclusão do público-infantil de áreas periféricas a atrações artísticas. As crianças de 6 a 13 anos foram guiadas pelas atrações da Bienal e ao final da visita, uma oficina foi produzida com a participação de Elaine Prolik, responsável pela criação da logomarca da 14ª Bienal Internacional de Arte de Curitiba.

Nesta manhã de quarta-feira (27) foram recebidos no BRDE os representantes do Estado de Benue, situado no centro-norte da Nigéria. Paulo Starke, superintendente da AGCUR, e Daniel Ávila, gerente de acompanhamento e recuperação de crédito, apresentaram as áreas de atuação do BRDE e como o Banco auxilia no crescimento e desenvolvimento da região Sul do Brasil, em áreas como inovação, infraestrutura e agronegócio. Além disso, manifestaram o interesse do BRDE em financiar a exportação de empresas para o Estado nigeriano.
A delegação veio ao Brasil em busca de capacitação de agricultores, organização de cooperativas e auxílio para implementação de tecnologias para lavouras, a fim de garantir maior produtividade e menores perdas nas plantações. Além da presença na Agência Curitiba do BRDE, a delegação visitou a Ocepar, Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, e a Prefeitura Municipal de Curitiba.
O estado de Benue é reconhecido como um celeiro e é responsável pela maioria da produção de comida daquela nação. Mais de 70% da população trabalha com agricultura e é um estado reconhecido pela grande produção de soja, milho e arroz.

Instituto de Tecnologia do Paraná e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) firmaram um acordo de cooperação técnica que permite dar apoio a empreendimentos instalados dentro da Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec).
Em busca da consolidação de uma cadeia moderna e produtiva em todo o Estado, o Governo do Paraná ampliou o acesso a crédito voltado a projetos inovadores. O Instituto de Tecnologia do Paraná e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) firmaram um acordo de cooperação técnica que permite dar apoio a empreendimentos instalados dentro da Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec).

O termo foi assinado nesta terça-feira (26) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, pelo diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, e pelo diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, durante reunião do secretariado, no Palácio Iguaçu.

“Queremos facilitar o crédito para permitir que boas ideias saiam do papel, criando uma grande corrente de inovação que se espalhe pelo Estado inteiro”, afirmou Ratinho Junior. “Essa cooperação técnica reforça a preocupação do governo em transformar o Paraná no Estado mais inovador do País”, completou.

O acordo prevê o desenvolvimento de ações conjuntas para concretizar o apoio a crédito para empresas inovadoras, por meio da avaliação do mérito tecnológico e de inovação de projetos e de enquadramento para as linhas de financiamento disponíveis.

FUNCIONAMENTO – A ideia é que o Tecpar seja capacitado para poder validar projetos que atendam aos requisitos de financiamento do BRDE, tornando-se interveniente das empresas incubadas no acesso a crédito voltado a projetos inovadores.

Callado explicou que caberá à Intec chancelar o mérito tecnológico e de inovação do projeto. A partir disso, a empresa passa a ter um encaminhamento mais ágil ao financiamento junto ao BRDE. “Muitas vezes o empresário tem dificuldade em enquadrar seu projeto nas linhas de financiamento das instituições financeiras. Queremos, com esse acordo, oferecer um apoio extra aos incubados”, destacou.

INOVA – O acordo entre as duas instituições prevê que os incubados terão acesso prioritário ao Programa de Fomento à Inovação – BRDE Inova, que tem como objetivo fortalecer a atuação do BRDE no segmento de inovação no ambiente produtivo.

De acordo com diretor de Operações do BRDE, a iniciativa atende a um pedido do governador para que o banco proporcione condições para ampliar a geração de emprego e renda no Paraná por meio de projetos inovadores. Lipski ressaltou que parte dos R$ 300 milhões separados pelo banco para ser aplicados no Estado serão destinados justamente a projetos que integram o BRDE Inova.

“O BRDE é o maior repassador de linhas de inovação do Brasil, mesmo trabalhando apenas nos três estados do Sul. Queremos levar as linhas de financiamento para que o Paraná se transforme de fato no Estado mais moderno do Brasil, com o banco atrelado à estratégia do governo”, afirmou o diretor.

Atualmente, cinco empresas passam pelo programa da Intec, com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas: Compracam, Forrest Brasil Tecnologia, Toys for Boys – Chemistry Automotive, Bley Energias e IJP.

INTEC – Criada em 1989 para estimular a geração e instalação de empresas de base tecnológica no Paraná, a Intec foi a primeira incubadora do Estado com este perfil. Ao longo de sua história, já deu suporte a mais de 100 negócios inovadores.

Atualmente a incubadora oferece vagas de incubação nas modalidades residente e não residente para empresas de Curitiba, Araucária, Jacarezinho e outras cidades que compõem o Sistema Regional de Inovação do Norte Pioneiro: Santo Antônio da Platina, Bandeirantes, Andirá e Cambará.

DETRAN – Também durante a reunião do secretariado nesta terça-feira (26), o diretor-geral do Detran Paraná, Coronel César Kogut, apresentou um balanço do ano de 2019, com destaque para a redução dos gastos e a ampliação do programa de sinalização viária. Os gastos caíram de R$ 434 milhões em 2018 para R$ 354 milhões neste ano. A sinalização viária foi expandida para mais 68 municípios, com investimentos de R$ 10 milhões. A previsão, informou Kogut, é investir R$ 15,3 milhões nesta área, em 2020.

PRESENÇAS – Também participaram da reunião os deputados estaduais Ademar Traiano, presidente da Assembleia Legislativa; Hussein Bakri, líder do Governo; Tiago Amaral, vice-líder do Governo; e Mabel Canto.

FONTE: AEN

O BRDE apoiou o evento Smart Energy CI&EXPO 2019, que impulsiona debates sobre a relevância do uso de fontes renováveis de energia como elemento de desenvolvimento do Estado. A programação aconteceu entre os dias 19 e 20 e novembro no Centro de Eventos FIEP em Curitiba.

O projeto Smart Energy Paraná é uma ação do Programa Paranaense de Energias Renováveis e tem como principal objetivo a otimização da geração de energia elétrica no Estado. O evento este ano apresentou diversas palestras e debates sobre temas como mobilidade elétrica, eficiência energética e soluções zero carbono.

O diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, participou do painel “Visão e Futuro da Energia para o Paraná” e explicou que as entidades do governo são complementares ao se falar em ofertas de linhas de crédito.

“Criamos um programa de consumo sustentável e oferecemos uma forma de atuação mais rápida. Como participantes do governo, nos vocacionamos para que os municípios do Sul do Brasil possam ter acesso ao crédito com taxas mais baixas que o mercado, com o intuito de fomentar as tendências de sustentabilidade e incentivar uma sociedade preocupada com o planeta” declarou Lipski.

A Associação comercial e empresarial de Foz do Iguaçú (ACIF) realizou no último dia 8, o 5º Congresso da Caciopar e o 6º Fórum do Programa Oeste em Desenvolvimento. Onze entidades e instituições da região e do Estado foram reconhecidas com o Selo Agente Transformador do Território Oeste do Paraná. Cerca de 300 empresários e líderes do movimento associativista da região participaram do evento, um dos maiores do Estado.

O presidente da Caciopar, Alci Rotta Júnior, informa que a gratidão é um dos sentimentos mais nobres e deve ser exercido com o máximo de frequência. “Boas ações e o devido reconhecimento se multiplicam em novos projetos em benefício da comunidade e do desenvolvimento, gerando oportunidades a todos”, diz ele.

O BRDE foi representado pelo colega Paulo Marques Ferreira, responsável pelo atendimento da região oeste do Paraná. As entidades que receberam o Selo Agente Transformador do Território Oeste 2019, além do BRDE, são: Cresol (Cooperativa de Crédito e Investimentos), Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), Frimesa Cooperativa Central, Biopark (Parque Científico e Tecnológico de Biociências), Sebrae Regional Oeste/PR, Sicoob Credicapital, Sicoob Meridional, Sicoob Três Fronteiras, Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ e Sindilojas Saúde.

O diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, afirma que “além de ser referência no agronegócio, com produção agrícola equivalente a 26% do estado e responsável por mais de 70% de toda a produção suína paranaense, a região é destaque no turismo com as cataratas em Foz do Iguaçu. O BRDE valoriza as parcerias locais e sente orgulho em poder contribuir com o desenvolvimento da região”.

As entidades e instituições que foram reconhecidas deram contribuições, entre outras, a obras e projetos como o Aeroporto Regional do Oeste do Paraná, programas de incentivo à isenção de tributos para a disseminação de novas tecnologias e programa de produção de energia, luta por novo traçado ferroviário entre o Oeste e o Sul do Paraná e extensões, reforma tributária, melhorias rodoviárias e medidas de enfrentamento da violência.

Recursos para melhoria urbana, linhas de crédito a juros mais baixos, incentivos às vocações regionais e ações para criação de emprego e renda. Essa é a estratégia do Governo do Estado para estimular o desenvolvimento dos municípios, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas e também da Fomento Paraná, da Invest Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

A política de apoio aos municípios foi apresentada nesta quinta-feira (31) pelo secretário João Carlos Ortega e os dirigentes dos demais órgãos a prefeitos e lideranças que participam do evento Governo 5.0, em Foz do Iguaçu, na Região Oeste. Segundo Ortega, o volume de recursos destinado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria nos dez primeiros meses do ano, chega a R$ 456 milhões.

“Somos um governo municipalista, que trabalha pelo fortalecimento e desenvolvimento de todos os municípios”, afirmou o secretário. De acordo com ele, o Governo do Estado atua para fomentar práticas modernas, buscando incentivar a criação de cidades inteligentes em todo o Estado. “Não é só levar asfalto. É calçamento, ciclovias, iluminação de LED, tudo aquilo que for necessário para melhorar a vida da população”, destacou.

BRDE – Diretor de operações do BRDE, Wilson Bley colocou o banco à disposição das administrações municipais. “Temos 35,3 mil clientes ativos e 45% da nossa carteira está no Estado do Paraná”, destacou. “Vendemos soluções de crédito para tornar o Paraná mais forte e moderno”, completou.

FOMENTO PARANÁ – Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, ressaltou que a autarquia passa por reformulação, apostando fortemente no microcrédito. Entre as iniciativas, destacou o Banco da Mulher, que disponibiliza empréstimos a mulheres empreendedoras com taxa de juros menores do que o mercado. “São os micro e pequenos empresários que ajudam a impulsionar a economia das cidades, gerando emprego e renda”, disse.

INVEST PARANÁ – Porta de entrada de grandes investimentos no Estado, a Invest Paraná contabiliza R$ 17,96 bilhões em aplicações no Paraná apenas em 2019, valor bem acima dos R$ 10 bilhões estipulados inicialmente.

De acordo com o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, o foco agora será mudado para dentro do Estado, apostando na ampliação de grandes plantas que já estão instaladas no Paraná. “As indústrias locais têm um potencial enorme para gerar emprego, isso em todas as regiões do Estado”, disse.

Fonte: AEN