BRDE

O BRDE foi premiado nesta quarta-feira (22) pelo ranking 500 MAIORES DO SUL, da Revista Amanhã, por ocupar a 37ª posição entre as 500 melhores companhias da região e o 15º lugar na lista das 100 empresas do Rio Grande do Sul. A premiação foi na Expo Unimed, em Curitiba.
Estavam presentes o presidente Orlando Pessuti e os diretores Renato Vianna e João Luiz Regini, do governador Beto Richa, do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro e do juiz Sérgio Moro. Os diretores do BRDE aproveitaram a presença do presidente do BNDES e trataram com ele dos limites de crédito liberados pelo banco nacional.
Das 500 maiores companhias do Sul, 185 estão no Paraná, 186 no Rio Grande do Sul e 129 estão instaladas em Santa Catarina. Das cinco maiores do ranking, a líder é a Gerdau (RS), do setor de siderurgia e mineração, seguida da BRF, de alimentos e bebidas (SC), da Gaspar (SC), também de alimentos, da Companhia Paranaense de Energia – Copel (PR) e do Sicredi.
“É um orgulho ver empresas do Paraná mostrando a força, o vigor do Estado, a pujança do Sul, contribuindo para o Brasil sair de uma crise sem precedentes”, afirmou o governador Beto Richa. O governador citou o aumento dos investimentos do governo no setor produtivo, por meio do BRDE e Fomento Paraná. “A previsão de investimentos em 2018 é de R$ 8 bilhões”.
Richa afirmou ainda que as empresas paranaenses e da região Sul dão significativa contribuição para a retomada da atividade econômica no País. “O setor produtivo está pronto para um novo ciclo de desenvolvimento nacional. Nossas empresas ajudam o Brasil e ficar de pé. Quem trabalha e produz merece o apoio do Estado”, acrescentou.
O presidente Orlando Pessuti disse que o fortalecimento dos mecanismos de fomento do Estado foram ações importantes para consolidar o setor empresarial. “Fortalecer a estrutura de incentivos ao desenvolvimento e ao empreendedorismo, à geração de emprego e renda, está dando certo”, afirmou.
“É muito gratificante para todos nós, do BRDE, pontuarmos entre as maiores companhias da Região Sul, mostrando a importância da instituição no crescimento econômico dos três estados, apesar das adversidades do cenário nacional”, destacou o diretor de Operações, João Regiani.
Maiores e líderes – Pelo ranking da Revista Amanhã e da PwC Brasil, a soma de todos os patrimônios de 500 MAIORES DO SUL fechou em R$ 283,8 bilhões, praticamente repetindo o valor de 2015 – acréscimo de 1,1%. As 500 classificadas chegaram a R$ 516,4 bilhões em receita liquida, um ligeiro crescimento em relação ano anterior (0,3%).
“O ranking 500 MAIORES DO SUL é uma vitrine, um espaço para tratarmos da economia da região. Foram avaliadas empresas e instituições financeiras que unem os três estados, como o BRDE”, afirmou o presidente do Grupo Amanhã, Jorge Polydoro. Trazemos informações relevantes para o planejamento de empresas e governos”.
O juiz federal Sérgio Moro falou sobre o protagonismo das empresas em um momento de combate contra a corrupção sistêmica no Brasil. Parabenizou as companhias premiadas por colherem bons resultados em um cenário de recessivo. “Recessão sempre é muito ruim para as pessoas e empresas. Mas é muito bom conseguir sair dela”, destacou.
O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, parabenizou as empresas premiadas pelos resultados alcançados em meio à crise. Falou também sobre o momento de crédito escasso – o estoque de crédito teve uma queda de 28% do PIB para 22% – e afirmou que o maior desafio do BNDES é lançar novas linhas, para enfrentar a queda na liberação de recursos.
CONFIRA AS 10 MAIORES EMPRESAS DO SUL
Grupo Gerdau Siderurgia e Mineração Porto Alegre RS
BRF Alimentos e Bebidas Concórdia SC
Bunge Alimentos Alimentos e Bebidas Gaspar SC
Copel e Controladas Energia Curitiba PR
Sicredi – Consolidado Financeiro Porto Alegre RS
Kirton Bank S/A – (Ex-HSBC) Financeiro Curitiba PR
WPA Participações e Serviços S/A (Weg) Máq e Equipamentos Jaraguá do Sul SC
Banrisul – Banco do Estado do RS Financeiro Porto Alegre RS
Klabin S/A Papel e Celulose Telêmaco Borba PR
Coamo – Agroindustrial Cooperativa Coop de Produção Campo Mourão PR
10 MAIORES POR ESTADO
PARANÁ
Copel e Controladas Energia
Kirton Bank S/A – Banco Múltiplo (Ex-HSBC) Financeiro
Klabin S/A Papel e celulose
Coamo – Agroindustrial Cooperativa Coop de Produção
Itaipu Binacional Energia
Rumo S/A (Ex-ALL e Controladas) Transporte e Logística
Renault do Brasil Automotivo
Sanepar Serviços Públicos
Banco Sistema S/A (Ex-Bamerindus) Financeiro
C. Vale – Coop Agroindustrial Coop de Produção
SANTA CATARINA
BRF Alimentos e Bebidas
Bunge Alimentos Alimentos e Bebidas
WPA Participações e Serviços S/A (Weg) Máquinas e Equipamentos
Engie (Ex-Tractebel Energia) Energia
Eletrosul Centrais Elétricas S/A Energia
Coopercentral Aurora Coop de Produção
Celesc e Controladas Energia
Tupy S/A e Controladas Metalurgia
Grupo Tigre Material de Construção
Coop Agroindustrial Alfa Coop de Produção
RIO GRANDE DO SUL
Grupo Gerdau Siderurgia e Mineração
Sicredi – Consolidado Financeiro
Banrisul – Banco do Estado do RS Financeiro
Yara Brasil Fertilizantes S/A Química
Lojas Renner S/A Comércio
Camil Alimentos Agropecuária
Grupo SLC Alimentos e bebidas
CEEE – Cia. Estadual de Energia Elétrica Energia
Grendene S/A Couro e Calçados
RGE – Rio Grande Energia S/A Energia

Com o objetivo de combater o problema de perdas e desperdícios, o Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Caio Rocha, junto com o diretor de Planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, Luiz Corrêa Noronha, e com a participação do Ministério do Meio Ambiente – MMA, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Abastecimento – SEAD e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa se reuniram hoje na SESAN para elaborar uma linha de financiamento do BRDE para o combate de Perdas e Desperdícios de Alimentos.
Estima-se que mais de 30% de tudo que é produzido de alimentos no mundo é perdido. Destes 30%, 6% é responsabilidade da América Latina e o Caribe, segundo a FAO (2014). Os impactos para a segurança alimentar e nutricional reduz o acesso aos alimentos influenciando nos preços e perdas econômicas para produtores e consumidores.
Ao que diz respeito ao BRDE, o projeto trará importantes linhas de financiamento direcionadas aos entes municipais que promovam incorporações tecnológicas ao de bens nessas etapas produtivas, e que possam qualificar o processo de trabalho de forma a reduzir as perdas e desperdícios de alimentos.

Entre os investimentos do BRDE no Paraná em 2017, foram destaque os repasses a projetos inovadores, de desenvolvimento sustentável, eficiência energética, energia renovável e mobilidade urbana. No setor de energia, duas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e uma Central Geradora Hidrelétrica (CGH) entraram em operação no segundo semestre.
São elas: PCH Castro, no rio Iapó, situada em Castro (PR), interligada com a Subestação da Copel na cidade; PCH Canhadão no rio Covó em Mangueirinha (PR) interligada com a Subestação Copel de Canteiro de Segredo (Usina Nei Braga); CGH Cabeça de Pato no rio Pedrinho localizada no Município de Turvo (PR) interligada com a Subestação Copel de Canteiro de Segredo (Usina Nei Braga).
Mobilidade – Uma das grandes operações contratadas pela Agência Paraná no segundo semestre desse ano, foi o financiamento ao grupo GBS (Viação Garcia, Brasil Sul, Princesa do Ivaí e LondriSul) com recursos do FGTS, repassados por meio do programa Refrota17. Essa contratação foi destinada a aquisição de 30 novos ônibus, com 100% de acessibilidade para cidades das regiões Norte e Nordeste do Estado.
A Viação Sorriso de Toledo também procurou o BRDE para melhorar seus serviços. A empresa é a única operadora do sistema de transporte coletivo urbano e metropolitano de Toledo. A empresa faz parte do Grupo Viação Sorriso, que iniciou suas atividades com a concessão para prestação de serviços na cidade de Curitiba.
Desde então, o grupo estabeleceu novos contratos de prestação de serviços para as cidades de Uberlândia (MG), Porto Seguro (BA) e Itabuna (BA), além de Toledo (PR). O investimento da Viação Sorriso será destinado a compra de carrocerias e chassis para melhorar a qualidade do serviço prestado, o conforto e a segurança do transporte em Toledo. Isso vai diminuir a idade média da frota da cidade.
Inovação – Mesmo operando somente na Região Sul, o BRDE é o maior repassador de linhas de financiamento à inovação de FINEP e BNDES no país. Em outubro o banco assinou um contrato com a empresa PGA Soluções em Tecnologia, inaugurando o convênio com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII). O financiamento liberado por meio da linha Inovacred se destina ao desenvolvimento de uma plataforma que terá a capacidade de atender diferentes assessorias e credores, para negociações de dívidas.
A empresa Akiyama S.A Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos e Sistemas buscou aporte do BRDE para o desenvolvimento de um novo produto que possibilita a identificação do recém-nascido, ainda na sala de parto. O equipamento tem interesse público: hospitais e maternidades para cadastramento de recém-nascidos; postos de fronteiras para reconhecimento de crianças; institutos de identificação.
O foco da Akiyama está na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, a empresa trabalha com inovação em produtos para leitura biométrica, voltados para identificação civil e criminal. Foi a empresa ganhadora, em 2009, da concorrência para o recadastramento do TSE no Brasil. Atua também junto a Institutos de Identificação de 10 estados brasileiros.
Outro projeto de inovação é da Mineração São Judas que extrai calcário em Sengés (PR) hoje utilizado na agricultura. A empresa está em uma região papeleira, mas o produto não serve para atender essas fábricas pois contém impurezas como sílica e filito. A mineradora inova no processo de extração e seleção manual do produto, e no uso de produto químico desenvolvido em conjunto com fornecedor que aumenta a brancura do calcário para que possa ser utilizado na indústria papeleira. Hoje o material precisa ser importado do Espírito Santo, onde o calcário tem a pureza necessária.
Linhas de financiamento – O BRDE apoia projetos de inovação, energia, sustentabilidade e mobilidade por meio das linhas Inovacred, FINEP, FGTS, PCS (Produção e Consumo Sustentáveis). Saiba mais sobre as linhas de financiamento. Acesse: www.brde.com.br ou entre em contato pelo e-mail brdepr@brde.com.br e pelo telefone da Agência Paraná (41) 3219-8150.

Orlando Pessuti é o novo presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Pessuti assumiu o cargo em 14 de novembro em cerimônia bastante concorrida na agência paranaense do banco, em substituição a Odacir Klein, que passa a ocupar a diretoria Financeira da instituição.
Participaram da solenidade o governador Beto Richa, a vice-governadora Cida Borghetti, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o chefe de Departamento Regional do BNDES, Guilherme Franco Motoro, demais diretores, conselheiros e colaboradores do BRDE, entidades do setor produtivo, entre outras autoridades. A orquestra Ladies Ensemble, formada exclusivamente por mulheres, saudou os presentes. A orquestra desenvolve o projeto Concerto das Rosas, que tem apoio do BRDE.
A cerimônia teve início com a assinatura de um memorando de entendimento (MoU) entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o BRDE. A proposta é o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU para combate às mudanças climáticas na Região Sul. Assinou o documento o diretor do PNUD no Brasil, Didier Trebucq.
O governador Beto Richa disse que o BRDE tem contribuído de forma decisiva para o fortalecimento da economia do Paraná e de toda Região Sul. Elogiou a equipe qualificada do banco e lembrou que nos últimos sete anos, o Governo do Estado aumentou em 1.400% os recursos disponibilizados ao setor produtivo, por meio de investimentos feitos pelo BRDE e Fomento Paraná.
Richa citou também a capitalização do banco pelo Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cada estado destinou R$ 200 milhões, totalizando R$ 600 milhões, que permitiram alavancar em sete vezes a capacidade de financiamento do banco. “Foi a maior capitalização feita por um governo nos 56 anos de história do BRDE”, destacou.
O ex-presidente Odacir Klein destacou o caráter regional do BRDE e a principal tarefa da instituição no momento, que é buscar novas fontes de recursos. “Enquanto a minha gestão enfrentou a crise econômica e problema da inadimplência, agora é preciso resolver o problema da diminuição dos recursos do BNDES. Estamos na busca de outros meios, recursos internacionais e das mais diversas origens”, afirmou.
“Sei do tamanho da responsabilidade que estou assumindo, mas assumo com tranquilidade, porque o BRDE superou dificuldades e avançou”, disse Orlando Pessuti. “Vamos, diretoria e funcionários, avançar ainda mais, fazendo do BRDE a trincheira em favor do desenvolvimento da nossa região”, acrescentou.
Pessuti lembrou que o banco está presente em 91 % dos municípios do Sul, com R$ 17 bilhões em ativos, dos quais R$ 5,7 bilhões no Paraná. Destacou o apoio do BRDE ao setor produtivo, em especial ao agronegócio e disse que os governadores foram decisivos para os avanços ao capitalizarem a instituição com R$ 600 milhões, o que a alavancou os investimentos em R$ 4 bilhões.
Agradecimento – A cerimônia mostrou o reconhecimento que o BRDE tem entre os setores produtivos do Sul. Por isso, agradece a todos que estiveram presentes e enviaram felicitações, por acreditarem na instituição e participarem da principal missão do banco, que é promover o desenvolvimento da região Sul, apoiando projetos que geram renda, emprego, receitas e riquezas.

Sustentabilidade
– Ao assinar o memorando de entendimento com o BRDE, o diretor do PNUD no Brasil, Didier Trebucq, lembrou que a ONU fixou, em 2015, um plano de metas e ações para atingir o desenvolvimento sustentável e combater as mudanças climáticas nos próximos 15 anos, a Agenda 2030.
“Entramos numa nova era baseada na sustentabilidade e na capacidade da nossa geração de cuidar da próxima. É muito importante a participação dos governos e das instituições financeiras para atingir os objetivos da Agenda 2030”, afirmou Trebucq. “É uma honra para o PNUD ter essa parceira pioneira com o BRDE, uma instituição tão importante para a Região Sul”, acrescentou.
O diretor Odacir Klein falou também da importância da parceria com o PNUD para ações conjuntas de desenvolvimento sustentável, lembrando que o BRDE foi a primeira instituição financeira a aderir aos compromissos da Agenda ODS e hoje oferece linhas de financiamento dentro do programa Produção e Consumo Sustentável. “Estamos pensando nas gerações futuras”.
O governador Beto Richa destacou que o Paraná foi o primeiro estado do mundo a aderir às metas da ONU e que o acordo envolve hoje empresas públicas e os 399 municípios paranaenses. “Em janeiro, o Paraná vai receber, na Suíça, um reconhecimento pela adesão aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, disse.
“A parceria com o PNUD e a ONU é o reconhecimento de que o BRDE está no caminho certo de suas ações”, afirmou o presidente Orlando Pessuti. “Este acordo demonstra que o BRDE, ao longo de sua história de 56 anos, trabalhou para que tivéssemos desenvolvimento, geração de emprego e renda, dentro dos preceitos do desenvolvimento econômico, social e sustentável”.

NOVO PRESIDENTE

Ex-governador do Paraná, Orlando Pessuti, 64 anos, é médico veterinário, graduado pela Universidade Federal do Paraná. Paranaense de Califórnia, foi deputado estadual por cinco mandatos, representando o Vale do Ivaí e a região Central do Estado. Exerceu a presidência da Assembleia Legislativa e participou da elaboração da Constituição do Paraná.
Pessuti também foi vice-governador do Estado do Paraná, secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, presidente do Conselho de Administração da CEASA, CLASPAR, CODAPAR, EMATER-PR e IAPAR. Fez parte ainda do Conselho de Administração do BNDES e da Itaipu Binacional. Em março de 2015, assumiu, a convite do governador Beto Richa, a Diretoria Administrativa do BRDE.
DIRETORIA DO BANCO
Como controladores do BRDE, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul estabeleceram governança colegiada na instituição, cabendo a cada estado assumir a presidência do Banco por um período de um ano e quatro meses, dentro do tempo de mandato de seus respectivos governadores.
A gestão 2015-19 no BRDE teve como primeiro diretor-presidente Neuto de Conto, de Santa Catarina, sucedido por Odacir Klein, do Rio Grande do Sul. Agora, caberá ao Paraná ocupar a presidência do banco.
Com a mudança na presidência, a diretoria do BRDE fica assim constituída:
ORLANDO PESSUTI – diretor-presidente
NEUTO FAUSTO DE CONTO – vice-presidente e diretor de Acompanhamento de Recuperação de Créditos
ODACIR KLEIN – diretor Financeiro
LUIZ CORRÊA NORONHA – diretor de Planejamento
JOÃO LUIZ AGNER REGIANI – diretor de Operações
RENATO DE MELLO VIANNA – diretor Administrativo
BRDE EM NÚMEROS
Fundado em 1961, o BRDE tem 536 funcionários, três agências e 10 espaços de divulgação nas capitais da Região Sul, um escritório de representação em Campo Grande (MS) e outro no Rio de Janeiro (RJ). Hoje são R$ 16,8 bilhões em ativos, dos quais R$ 13,9 bilhões em financiamentos, sendo R$ 5,7 bilhões investidos no Paraná. O patrimônio líquido do banco é de R$ 2,4 bilhões.
O BRDE tem 35.377 clientes ativos e está presente em 1.083 (90,9%) dos 1.191 municípios do Sul. É o maior repassador de recursos do BNDES na Região Sul e o 6º no Brasil. Foi o primeiro agente financeiro do país cadastrado para repasse da linha INOVACRED e o maior repassador de linhas de inovação do Brasil.
O banco é agente financeiro da ANCINE para produções de cinema e obras audiovisuais em todo o Brasil e também do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), para operações rurais e empresariais em Mato Grosso do Sul. É também agente financeiro do FGTS, beneficiando municípios e infraestrutura privada nas áreas de saneamento, resíduos sólidos e mobilidade urbana.
Neste ano, o BRDE fecha sua primeira parceira para captação de recursos externos, destinados ao financiamento de projetos de produção e consumo sustentáveis. O parceiro é a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Em 2017, o Banco foi credenciado pelo Ministério do Turismo para operar o FUNGETUR – Fundo Geral de Turismo, beneficiando a infraestrutura deste setor.
O BRDE apoia a indústria, empresas de todos os portes, comércio e serviços, agronegócio e infraestrutura. De 2012 a 2016, a média anual de investimentos no Paraná tem se mantido acima de R$ 1 bilhão.
No primeiro semestre de 2017, o banco contratou R$ 1,27 bilhão em novas operações de crédito, destinadas a grandes, médios e pequenos empreendedores de todos os setores da economia da Região Sul. Do total contratado, R$ 400 milhões são operações realizadas pela Agência Paraná.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) assinou nesta segunda-feira (30) em Curitiba contrato no valor de R$ 1 milhão com a empresa PGA Soluções em Tecnologia para financiamento de uma plataforma de assistente virtual de negociação. O contrato inaugura convênio firmado entre o BRDE e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), para facilitar o financiamento de projetos inovadores na Região Sul.
Assinaram o contrato os diretores Orlando Pessuti, Administrativo, e João Luiz Regiani, de Operações, e os sócios da empresa PGA Paulo Gastão e Ronaldo Nogami. O crédito será liberado por meio da linha Inovacred, com recursos repassados pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). O investimento final da PGA com a plataforma Assistente Virtual de Negociação (AVN) será de R$ 2,7 milhões.
Os diretores destacaram a importância do contrato dentro do acordo com a EMBRAPII e dos investimentos do BRDE voltados a projetos inovadores. Lembraram que, mesmo operando somente na Região Sul, o banco é o maior repassador de linhas de financiamento à inovação de FINEP e BNDES no país. Nos últimos cinco anos, o BRDE destinou quase meio bilhão de reais ao setor no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
O empreendedor Paulo Gastão explicou que a plataforma AVN poderá ser acionada por diferentes canais: web, mobile, facebook e telefone. O assistente vai falar e ouvir durante as negociações com os devedores em português (do Brasil). Terá capacidade para atender diferentes assessorias e credores (multi-tenant), com diferentes aplicações de negociação de dívidas e suas respectivas configurações.
“Fornecemos canais de relacionamento para empresas que querem falar melhor com seu público-alvo”, disse Paulo Gastão, ao apresentar a empresa PGA. “E o projeto da plataforma AVN se viabilizou pela participação do BRDE e da EMBRAPII, porque sozinhos não teríamos condições de desenvolvê-lo. Isso nos deu coragem para desenvolver um próximo projeto”, acrescentou Gastão.
Futuro – A empresa curitibana PGA Soluções em Tecnologia existe há oito anos. Tem 170 funcionários e desenvolve mais de 20 produtos e soluções em tecnologia. São mais de 300 clientes em todo o país, entre eles grandes bancos, lojas de departamentos e operadores de telefonia fixa e móvel. “Estamos desenvolvendo o futuro”, disse Paulo Gastão.
Após assinatura do contrato, os sócios da PGA receberam dos diretores do BRDE um certificado, marcando a relevância da operação para o banco, dando início às atividades da parceria da instituição com a EMBRAPII. Uma cópia do certificado será enviada à EMBRAPII e outra ficará no espaço de memória do banco.
EMBRAPII – Para ampliar sua atuação na área de inovação, o BRDE assinou convênio de cooperação com a EMBRAPII, em maio deste ano. Pelo convênio, o BRDE ofertará crédito de longo prazo a empresas e empreendedores aptos a receber recursos subsidiados da EMBRAPII por meio das unidades e polos credenciados da empresa.
No caso da PGA, a EMBRAPII vai repassar a fundo perdido um terço do valor total do projeto, de R$ 2,7 milhões. O restante dos recursos para viabilizar o projeto virá do financiamento contratado pela PGA no BRDE e da participação da unidade da EMBRAPII em Campinas (SP) – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD).
A EMBRAPII oferece recursos financeiros não-reembolsáveis para a implantação de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em parceria com empresas. São 27 Unidades da EMBRAPII em operação no país.
No Paraná, a Unidade parceira da EMBRAPII é o Instituto Lactec, que está entre os maiores centros de ciência e tecnologia do país, sendo referência em soluções inovadoras para o segundo setor – empresas, indústrias e concessionárias de energia. O Lactec tem cinco unidades em funcionamento em Curitiba.

O empresário Roberto Zagonel, sócio administrador da Eletro Zagonel Ltda. está concorrendo ao Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense 2017, na categoria Protagonista da Inovação, com etapa final prevista para 6 de novembro.
Zagonel leva a Torneira Prima Touch como protagonista. A primeira torneira eletrônica brasileira com tecnologia touch, lançada recentemente, foi financiada por meio do programa BRDE Inova. “Foi com grande alegria que recebemos a notícia de sermos finalistas do Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense. A Zagonel desde seu nascimento tem perfil inovador, buscando sempre desenvolver produtos que revolucionam o mercado. A torneira Prima Touch é uma inovação que se destaca pela tecnologia aplicada, e temos muito agradecer ao BRDE por ter apoiado o projeto e assim possibilitar a realização de mais este sonho. Agradecemos também ao Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense, iniciativa que incentiva o espírito inovador em nosso estado. Para o sucesso deste projeto, foi fundamental a participação de todos os colaboradores e aceitação do mercado frente a uma nova tecnologia, que abre novos caminhos para o segmento de duchas e torneiras elétricas”, afirmou Roberto Zagonel.
O prêmio Stemmer de Inovação Catarinense nasceu em 2008, em homenagem à Caspar Erich Stemmer, personalidade destaque no desenvolvimento da ciência e da inovação.
Em cada categoria os vencedores serão premiados da seguinte maneira: para o 1º colocado certificado, troféu e R$ 60.000,00, para o 2º colocado certificado, troféu e R$ 30.000,00 e para o 3º colocado certificado, troféu e R$ 15.000,00.
O prêmio é coordenado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC). Executivos e empreendedores encontram nele reconhecimento público e financeiro pelos esforços de todos os envolvidos na prática e disseminação da inovação, tão importante para o desenvolvimento e crescimento das empresas e do Estado.

Dentro da programação do Outubro Rosa, a Agência Paraná recebeu nesta quarta-feira (25) a visita da vice-governadora Cida Borghetti. Cida é conhecida pelo trabalho que faz há mais de 20 anos pela saúde preventiva e em defesa dos direitos das mulheres, crianças e adolescentes. É autora da Lei do Dia de Luta contra o Câncer de Mama, comemorado no dia 27 de novembro.
Cida foi recebida pelos diretores Orlando Pessuti e João Regiani, por conselheiros do banco, gerentes, o superintendente Paulo Starke, o secretário do Codesul, Antonio Carlos Bettega e colaboradores da AGPR. A vice-governadora veio ao banco falar sobre o Outubro Rosa e outras campanhas de promoção de saúde e prevenção a doenças.
Para receber a vice-governadora, os funcionários usaram o boton da campanha e uma peça de roupa da cor rosa. Como uma homenagem de toda a equipe da agência pelo trabalho feito por Cida Borghetti em campanhas preventivas de saúde, a colaboradora Zilda Cunha entregou um buquê de flores à vice-governadora.
Em sua saudação, Pessuti elogiou a postura de comprometimento da vice-governadora ao longo de sua trajetória na vida pública com o desenvolvimento do Paraná. Em seguida, a gerente de Planejamento Tatiana Henn fez uma apresentação do BRDE, mostrando atuação, produtos, fontes de recursos e números do desempenho do banco na última década.
“Agradeço a oportunidade de visitar uma instituição tão renomada, que trabalha com tanta dedicação em prol do desenvolvimento da nossa região”, disse Cida. “O BRDE faz um trabalho diferenciado. O Paraná só pode ser melhor com o trabalho de vocês”. Cida elogiou as campanhas de promoção de saúde e prevenção a doenças desenvolvidas na AGPR.
“Vocês estão fazendo um trabalho fantástico”. Cida destacou, além do Outubro Rosa, as campanhas relacionadas à saúde mental e ao câncer de pele. “A inclusão da saúde mental foi muito oportuna”, comentou, lembrando que outros órgãos não costumam mencionar o tema em campanhas semelhantes.
O diretor João Regiani lembrou o trabalho da vice-governadora pelo Paraná, quando exerceu mandatos na Câmara de Deputados e Assembleia Legislativa, com destaque para as causas sociais. “Só temos a agradecer pelos seus anos de dedicação em campanhas com enorme dimensão e interesse da população, como o Outubro Rosa”, afirmou.
Na Câmara dos Deputados (2011/14), Cida Borghetti se destacou na presidência da Comissão Especial da Primeira Infância, que trata de direitos e políticas públicas voltadas as crianças de zero a seis anos. Liderou também o processo de aprovação do Marco Legal da 1ª Infância e é Também é autora do projeto de Lei 267/2011, que assegura paz nas escolas.

A C. Vale inaugurou na sexta-feira (20) o frigorífico de peixes da cooperativa, em Palotina, Região Oeste do Paraná, um investimento de R$ 110 milhões, dos quais R$ 30 milhões financiados pelo BRDE. Estavam presentes o presidente Michel Temer, o governador Beto Richa, o vice-presidente e diretor Administrativo do BRDE,Orlando Pessuti, e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.
“Nada mais inteligente do que apoiar o setor produtivo, com financiamento e incentivo fiscal. O Governo do Paraná dá apoio irrestrito para o incremento e a ampliação da atividade produtiva, que se traduz em riquezas aos municípios e emprego aos paranaenses”, afirmou Beto Richa.
O governador destacou a ampliação do parque industrial do Estado, resultado do bom desempenho do programa Paraná Competitivo, das ações da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) e dos investimentos no Porto de Paranaguá e em rodovias, além do importante apoio do BRDE a projetos estruturantes em todo o Paraná.
O diretor Orlando Pessuti parabenizou a C. Vale pelo novo empreendimento, lembrando que o banco financiou R$ 30 milhões do total de investimentos no frigorífico, sendo um parceiro histórico da cooperativa. “O BRDE é parceiro da cooperativa desde quando ela começou, em 1963”, afirmou.
O presidente da C. Vale, Alfredo Lang, também ressaltou o apoio recebido para o empreendimento. “Sem essa parceria, a presença do BRDE e do BNDES, com recursos e outros repasses, não teríamos chegado a esse estágio. Não teríamos conseguido evoluir e nem as outras cooperativas aqui da região”, afirmou.
Frigorífico – O novo frigorífico da C. Vale Cooperativa Agroindustrial recebeu investimentos de R$ 110 milhões e vai abater 75 mil tilápias por dia até o fim de 2018. Serão gerados 400 empregos e a produção envolve 300 produtores integrados. O prefeito de Palotina, Jucenir Stentzler, disse que a abertura do empreendimento da C.Vale é histórico para o município.
“A cooperativa é uma líder do mercado avícola e agora inicia esta nova caminhada. É muito importante, pois movimenta a economia, gera renda para os pequenos, médios e grandes produtores e também cria possibilidades de emprego, ainda mais em um momento em que o cenário político e econômico enfrenta várias dificuldades”, disse o prefeito.
A estrutura do frigorífico, numa área de 10 mil metros quadrados, já prevê a duplicação da capacidade de processamento de peixes apenas com a instalação de novas máquinas. Será uma nova alternativa de renda aos associados. “A produção de peixe requer um investimento inicial baixo e dá tanto, ou mais, dinheiro que o frango”, disse o presidente da C. Vale, Alfredo Lang.
O presidente da cooperativa explicou também que a decisão de investir no frigorífico para tilápias levou em conta a vocação do Oeste paranaense para a diversificação de atividades. A região é o maior polo de produção de peixes do Estado.

Fonte de renda
– A fábrica de rações que vai fornecer o alimento aos peixes entrou em operação em agosto. A indústria foi construída com tecnologia suíça e norte-americana, e tem capacidade de produção de 200 toneladas/dia. A estrutura física construída permite triplicar a produção.
O cultivo de peixe no Paraná, concentrado na região Oeste, é fonte de renda de pequenos produtores, que investem principalmente na criação de tilápia. A espécie, originária de Ásia, representa 74% da produção de pescados no Paraná.
BRDE e C. Vale – O banco e a cooperativa mantém uma parceria de sucesso praticamente desde a fundação do BRDE. Para se ter ideia dos bons resultados da parceria, de 2011 até outubro de 2017, as contratações de financiamento diretamente com a C. Vale passam de R$ 300 milhões. Além disso, são mais R$ 67 milhões financiados diretamente com cooperados no mesmo período.
Entre os principais projetos apoiados pelo banco estão: modernização de diversas unidades de recebimento de grãos; investimentos em abatedouro de aves; investimentos em silos para armazenagem; reformas e ampliações de supermercados.

A Revista Amanhã lançou nesta quarta-feira (4) o ranking das 50 empresas mais inovadoras da Região Sul, das quais 15 no Paraná, sendo cinco clientes ativos do BRDE. São cooperativas e companhias dos setores de telecomunicações, tecnologia, papel e celulose, saúde, varejo e logística, que investem em pesquisa e desenvolvimento para gerar inovações tanto em processos quanto em produtos.
As cinco empresas que têm apoio do BRDE são: as cooperativas Frimesa e Cocamar, o laboratório farmacêutico Prati-Donaduzzi, a Usina de Açúcar Santa Terezinha e o Positivo Tecnologia. A Frimesa, com sede em Medianeira, Oeste do Paraná, foi a melhor colocada do Estado no ranking, além de ser considerada líder do setor.
No próximo dia 19, será lançada a pedra fundamental do novo frigorífico da Frimesa em Assis Chateaubriand, do qual o BRDE é um dos financiadores, dando início à construção do empreendimento. Será o maior frigorífico de abate de suínos da América Latina, com investimentos de R$ 2,7 bilhões.
Filantrópicas – Além das 50 mais inovadoras, o levantamento também elegeu as cinco empresas estatais e filantrópicas da região Sul que mais inovam. Das cinco, três são paranaenses: Sanepar; Copel e Hospital Santa Casa de Misericórdia de Curitiba.
A Santa Casa recebeu apoio do BRDE para o projeto “Senhora Saúde”, em 2016, por meio das leis de incentivos fiscais, na modalidade Fundo do Idoso. Os recursos foram destinados à compra de equipamentos médicos, serviços de manutenção e melhorias na infraestrutura e mobiliários.
RANKING REVISTA AMANHÃ – AS 15 EMPRESAS MAIS INOVADORAS DO PR
1. Frimesa
2. Algar Telecom
3. Prati-Donaduzzi
4. Positivo Tecnologia
5. Klabin
6. Bematech (Totvs)
7. Ceabs Serviços
8. Clinipam
9. Cocamar
10. Neodent
11. Perkons
12. Potencial Biodiesel
13. Radiante Engenharia de Telecomunicações
14. Sascar
15. Usina de Açúcar Santa Terezinha

Atualmente, 38% do frango consumido no mundo vêm do Brasil. Para manter o ritmo, a produção vai continuar crescendo. No encerramento da Expedição Avicultura 2017, que ocorreu nesta terça-feira (26), na sede da cooperativa C.Vale, em Palotina (PR), foram divulgados os balanços dos trabalhos realizados ao longo de três meses, com apoio do BRDE, nos seis maiores estados produtores e exportadores do país: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás.
A gerente adjunta de Operações da Agência Paraná, Carmem Truite, representou a diretoria do Banco no evento. Carmem elogiou a iniciativa, promovida pelo Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo, e mostrou a importância do setor da avicultura nas operações do BRDE. Confira os resultados da Expedição Avicultura:
http://www.gazetadopovo.com.br/agronegocio/expedicoes/expedicao-avicultura/2017/maior-exportador-mundial-de-frango-brasil-ainda-tem-espaco-para-ampliar-mercado-4f4vn4jemg8dtpzyp55inq3yh