BRDE

Ação recebe recursos via incentivos fiscais pela Lei de Incentivo à Cultura

O Projeto Vida e Arte é um programa sociocultural de atividades com artes musicais, com o objetivo de incluir culturalmente crianças e adolescentes de Curitiba e propósito de criar bons conceitos de cidadania e convivência social. Fundado pelo Pastor Paulo Davi, o projeto oferece aulas de prática instrumental e teoria musical com o instrumento de orquestra escolhido pelo aluno. Esse trabalho tem o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, por meio da Lei de Incentivo à Cultura 8.313 de 23/12/1991. O recurso auxilia na manutenção de projeto, na compra de novos instrumentos e remuneração dos professores. O próximo edital para inscrição de projetos da lei de incentivos fiscais está previsto para ser aberto final de junho.

Desde 2010, o Projeto Vida e Arte tem dado aos seus alunos uma formação técnica completa na área musical, com aulas de instrumento individual, teoria musical, prática coletiva, além de formarem uma orquestra com alunos atuais e já graduados. Os participantes se reúnem três vezes por semana, para ter aula de uma matéria por dia e, como os alunos entram no programa sem saber muito de música, levam aproximadamente quatro anos para se formar. Mesmo dirigido especialmente para crianças e adolescentes de periferia, o projeto é aberto para toda a comunidade, sem restrição de idade.

O ciclo do projeto – “O projeto é contínuo, mesmo após a sua formação, o aluno permanece no projeto, podendo participar da orquestra e dos concertos musicais. Muitos deles se tornam monitores do próprio projeto, para ajudar os novos alunos”, contou o gestor administrativo do programa, Hélcio Pimentel. Segundo ele, um dos propósitos do Projeto Vida e Arte é tirar crianças e adolescentes de áreas mais vulneráveis, do contato com o tráfico de drogas e melhor aproveitamento da qualidade do tempo livre. “O projeto é para formar cidadãos, não só para ensinar as pessoas a tocarem um instrumento. Sabemos dos benefícios que a música traz, desestressa, aumenta aptidões pessoais, mas a ideia é oportunizar uma melhor qualidade de vida, ampliar horizontes. Temos notado isso através dos relatos de muitos pais, que os filhos têm melhorado no comportamento. Então a motivação não é só ensinar música, mas dar uma oportunidade para a transformação de vidas”, concluiu.

Cerca de três mil crianças e adolescentes já passaram pelo Projeto Vida e Arte, que hoje mantêm núcleos do projeto nos bairros Portão e Uberaba, e um novo em processo de abertura em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, além de planos para abrir mais uma unidade no Parolin. Os estudantes se formam no curso com o preparatório para um vestibular de Belas Artes, já prestado por alguns participantes do projeto após sua graduação, e hoje trabalham profissionalmente na indústria musical. As aulas são ministradas por professores formados, que atendem a uma metodologia voltada não apenas para o ensino da música, em si, mas também para o acolhimento do aluno, de forma a garantir seu desenvolvimento como pessoa, com a família e a sociedade.

“O BRDE é um dos grandes incentivadores do Projeto Vida e Arte. Os nossos professores dedicam praticamente o seu tempo integral no projeto, então para isso eles são remunerados. Além da questão do custo de manutenção de projeto, a compra de novos instrumentos, tudo isso tem uma despesa muito grande. O projeto sobrevive graças aos incentivadores, agradecemos muito, e doações diretas de pessoas físicas. Se não fossem esses apoiadores, entre eles o BRDE, o projeto não existiria hoje.”

O coordenador pedagógico e diretor musical do Projeto Vida e Arte, Douglas Soares, que também é maestro da orquestra do programa, diz que ficou tão impressionado com o impacto das aulas na vida das crianças, que abdicou de sua carreira profissional como produtor musical para trabalhar integralmente no Projeto. “A pessoa entra no projeto totalmente desmotivada pelo meio que vive, pela situação em que se encontra, e nós notamos claramente no rosto e no olhar de cada um a transformação e a motivação que se forma. Elas começam a se sentir capazes, começam a vislumbrar um futuro diferente daqueles que vivenciam onde estão inseridos. Elas são transformadas pela arte.”

A orquestra realiza dois concertos por ano, o próximo acontecerá no dia 21 de junho, às 20h na Primeira Igreja Batista de Curitiba (PIB). Os ingressos para o recital, com tema “Trem da Vida”, já estão disponíveis para compra pela plataforma Disk Ingressos. Para participar do Projeto, o interessado deve entrar em contato com a equipe através do telefone (41) 998851313, redes sociais @projetovidaearteoficial ou pelo endereço eletrônico https://projetovidaearte.org.br/.

Leis de Incentivo Fiscal

Em 2021, o BRDE destinou R$ 4,6 milhões, por meio das leis de incentivo fiscal, igualmente distribuídos entre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. No Paraná, 37 projetos receberam apoio no valor de aproximadamente R$ 1,8 milhão. “Essa é uma política instituída no banco, que por meio de chamamento público, escolhe bons projetos sociais e culturais para serem apoiados por nossos incentivos. Dessa forma estamos devolvendo à sociedade um pouco daqueles resultados que o banco tem e fazendo com que haja promoção social para todos”, explica o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Para quem deseja cadastrar seu projeto para receber aporte por parte do BRDE, o cadastro inicia em junho e vai até outubro no endereço eletrônico: https://www.brde.com.br/incentivos-fiscais/

Encontro promovido pela Cresol Central Brasil ocorreu em Chapecó

Iniciativa da Cresol Central Brasil, o IX Fórum do Crédito Rural debateu, ao longo de dois dias, os resultados alcançados com os financiamentos através do Plano Safra 2021/2022 e as expectativas para a próxima etapa que iniciará em julho. Contando com o apoio do apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o evento encerrou nesta quarta-feira (8/06), reunindo em Chapecó (SC) parceiros, diretores e coordenadores de crédito das cooperativas singulares e agências.

A gerente de Operações Conveniadas do BRDE, Fernanda Costa Maia, foi uma das convidadas do IX Fórum. Segundo a gerente, até o momento foram mais de R$ 385 milhões em operações no convênio com a Cresol Central Brasil. Fernanda Maia ressaltou que as perspectivas são aumentar os volumes do convênio e apostar na produção agroecológica, financiamento para jovens e mulheres, entre outros.

Gerente regional Oeste do BRDE em  SC

Nas linhas de crédito com juro zero, a gerente do BRDE relatou que a Cresol foi a que mais financiou para novos associados, que era o objetivo dos governos estaduais e do banco. Também participaram do evento, realizado na Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), o gerente Operacional-Adjunto da Agência do BRDE em Florianópolis, André Diehl de Souza, e o gerente regional Oeste do banco, Paulo César Antoniollo.

A equipe do BRDE fez uma explanação sobre os resultados alcançados através dos programas SC Mais Renda e o Juro Zero RS, implementados respectivamente nos estados de Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.  Os dois programas têm os juros bancadas pelos governos estaduais e priorizaram o apoio a empresas de menor porte e Micro Empreendedores Individuais (MEIs).

Gerente Operacional-Adjunto do BRDE de SC

Já o presidente da Cresol Central Brasil, Elias de Souza, salientou que o Fórum do Crédito permite não apenas olhar para os números, mas para a parte social desenvolvida nos locais em que as cooperativas estão inseridas. Lembrou que na década de 1990, o volume de contratações em valores não era alto, mas contribuiu para o crescimento que se alcançou hoje. “Na época, muitas famílias que não estavam no mercado financeiro foram acolhidas por nós”, destacou.

Organizada pela Associação Rural do município, a Expofeira de Pelotas alcançará neste ano sua 96ª edição, buscando fortalecer as cadeias produtivas do agronegócio na Zona Sul do estado do Rio Grande do Sul.  O evento acontecerá na primeira semana do mês de outubro, com a expectativa de reunir perto de 70 mil pessoas no Parque Ildefonso Simões Lopes, es especial produtores e técnicos que atuam nos setores da pecuária e da produção orizícola.

Para apresentar os primeiros detalhes da programação da Expofeira de Pelotas que vem sendo preparada, o diretor de Planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Otomar Vivian, reuniu-se nesta quarta-feira (8/06) com o presidente da Associação Rural, Augusto Rassier, e o deputado estadual Luiz Henrique Viana. “É uma feira que é importante para fortalecer o setor do agro do município e de toda a região, o que se reflete no desenvolvimento econômico do nosso estado”, frisou Vivian.

Diretor do BRDE salientou o impacto da feira no desenvolvimento regional

No encontro, o diretor salientou que, além do programa voltado ao setor primário (Meu Agro é BRDE), o banco irá disponibilizar uma equipe durante o evento outros programas de financiamento voltados a projetos de geração de energias com fontes renováveis e de apoio aos municípios. Além da exposição de animais de raça, a 96ª Expofeira de Pelotas terá novamente um espaço importante para comercialização de máquinas e implementos agrícolas, assim como de produtos da agricultura familiar. Na sua última edição, em 2021 e ainda em formato híbrido, a feira registrou R$ 8,5 milhões em vendas de animais.

Com foco na sustentabilidade, cooperação entre as duas instituições vence na categoria Instituições Financeiras de Desenvolvimento

A parceria entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), destinada a financiar projetos alinhados à produção e ao consumo sustentáveis, conquistou o primeiro lugar entre os projetos concorrentes ao Prêmio SAIN-ABDE. Iniciativa da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e da Secretaria de Assuntos Econômicos Internacionais (SAIN) do Ministério da Economia, a premiação ocorreu nesta terça-feira (7/06), em Brasília. A cooperação entre as duas instituições saiu vitoriosa na categoria Instituições Financeiras de Desenvolvimento.

Com investimentos que já ultrapassam R$ 450 milhões, a cooperação técnica e financeira entre as duas instituições já contabiliza 78 projetos financiados na região Sul do país.  A partir de um volume de 120 milhões de euros, foram apoiados projetos alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pelas Nações Unidas.

Presente ao evento de premiação, que ocorreu na sede do Ministério da Economia, o diretor de Planejamento do BRDE, Otomar Vivian, destacou o quando o prêmio renova os compromissos das duas instituições em atuar a favor da sustentabilidade. “Este prêmio reflete o quanto BRDE e AFD estão alinhados com a agenda climática global, uma parceria que se fortalece diante dos grandes desafios do momento. Estamos construindo, juntos, projetos que já trazem impactos positivos para diferentes cidades da região Sul e que devem se ampliar para o futuro”, destacou o diretor. Ele enalteceu a equipe do banco que atua nas operações em parceria com a AFD e lembrou que a instituição é signatária das metas da Agenda 2030.

Prêmio reflete alinhamento do BRDE e AFD, destaca diretor

A diretora Regional da AFD no Brasil e Cone Sul, Laetitia Dufay, participou do evento via plataforma digital e enalteceu a iniciativa do prêmio SAIN-ABDE. “É uma verdadeira honra receber esse prêmio ao lado do nosso parceiro histórico, que é o BRDE. Foi sobretudo uma parceria que tem uma importância fundamental, faz parte da nossa primeira parceria com instituições brasileiras e nos permitiu conhecer melhor o sistema de fomento do país”, descreveu Laetitia Dufay.

A solenidade de premiação contou na mesa principal com as presenças do diretor executivo do Brasil no Banco Mundial, Erivaldo Gomes; da presidente da ABDE, Jeanette Lontra (também diretora-presidente do Badesul); pelo secretário-substituto de Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Carlos Lampert; e pelo presidente da Fomento Paraná e diretor da ABDE, Heraldo Neves.

“Os projetos que visam à sustentabilidade geraram desenvolvimento, impacto social e ambiental para a população dos estados do Sul. Dessa parceria premiada, temos investimentos em projetos pioneiros e sustentáveis com a visão de preparar um caminho melhor para o futuro “, comentou o vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Marcelo Haendchen Dutra.

Nova parceria – A primeira cooperação foi formalizada em 2018, mas ainda em 2020,  BRDE e AFD estabeleceram uma nova parceria, agora no montante de 70 milhões de euros, que é parte de um esforço conjunto para estimular a retomada da economia sustentável nos três estados do Sul. Além disso, está em fase final a negociação para assinatura da terceira operação de crédito entre AFD e BRDE, com valor previsto de 100 milhões de euros, o que poderá ocorrer ainda antes do final do mês de julho.

“A premiação na categoria Instituições Financeiras em Desenvolvimento é sobretudo, o reconhecimento de uma parceria de cooperação comprometida com a economia voltada à sustentabilidade e ao propósito do BRDE em abrir novos diálogos com a sociedade ” – conclui o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

 

 

Anúncio ocorreu durante conclusão da primeira turma do programa de formação de jovens desenvolvedores

Com foco em oferecer a estudantes da rede pública a possibilidade de formação como desenvolvedores, o programa Dev The Devs terá uma nova etapa e agora com abrangência nos três estados da região Sul. A novidade foi divulgada nesta segunda-feira (6/06), durante o evento de entrega dos certificados aos jovens oriundos das escolas estaduais do Rio Grande do Sul que concluíram todas as etapas da primeira edição do curso. Iniciada em novembro do ano passado e com aulas mesmo no período de recesso escolar, a capacitação ofereceu novos conhecimentos sobre conceitos de computação, funcionamento da internet e impacto na programação de sistemas, assim como de ferramentas e linguagens de programação para desenvolvimento de sistemas para web.

Presente ao evento, o governador Ranolfo Vieira Júnior, salientou que o programa representa um avanço importante na formação dos jovens na área da inovação e tecnologia. A educação tradicional é indispensável, mas não podemos ficar somente nisso. Temos de avançar, e é exatamente o que estamos celebrando. Não adianta falar em inovação e tecnologia sem ações concretas. E nosso governo tem tomado diversas iniciativas nesse sentido. Recriamos a Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) justamente para darmos especial atenção a esse tema, trouxemos eventos internacionais, como o South Summit Brazil, e estamos investindo R$ 112,3 milhões no Avançar na Inovação”, afirmou o governador.

Governador Ranolfo: ações concretas em favor da inovação

Após mencionar o quanto o primeiro curso permitirá “abrir novas portas aos estudantes a partir de um novo modelo de educação”, a diretora de Operações do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Leany Lemos, anunciou uma nova etapa do Dev The Devs para atender jovens no RS, Santa Catarina e Paraná. “Serão 2.100 estudantes, 700 em cada estado, e para isso contamos com o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). Precisamos muito de desenvolver talentos, o país precisa de cientistas”, destacou ela. Conforme a diretora, o CAF está repassado US$ 100 mil dólares para a nova etapa do programa.

Leany Lemos: nova etapa vai envolver três estados do Sul

Protagonismo

O Dev the Devs tem o apoio do BRDE e nesta primeira edição conrou com a parceria do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), da Rede Gaúcha de Ambientes Inovadores (Reginp) e da Associação de Empresas de Tecnologia (Assespro-RS). Ao todo, mais de 2.300 estudantes da rede pública (de 450  cidades gaúchas)  se candidataram às mil vagas disponibilizadas (50% para meninos, 50% para meninas). No evento realizado no Auditório Global Tecnopuc, 11 jovens das diferentes regiões do estado receberam o certificado por terem concluído todas as etapas.

Para o vice-reitor da PUCRS, irmão Manuir Mentges, a conclusão do curso aponta para um maior protagonismo da juventude. “O ensino de qualidade e o cuidado com as pessoas impacta não apenas aos jovens, mas faz um bem a toda a sociedade”, frisou o vice-reitor.

A secretária estadual de Educação, Raquel Teixeira, observou que as mudanças para tornar o ensino mais atrativo aos jovens precisa de parcerias como o Dev The Devs. “A evolução da informática, das tecnologias da informação e da comunicação no RS é algo visível e que cresce a passos largos. Se não oferecermos uma situação em sintonia com o espírito do tempo, essa educação vai se tornar obsoleta e irrelevante, mas as mudanças às vezes são lentas, e precisamos da parceria da sociedade. Esse é um exemplo de educação transformadora, que abre oportunidades para os gaúchos”, reforçou a secretária Raquel.

Também se manifestaram na entrega dos certificados o ex-governador Eduardo Leite a vice-presidente da Reginp, Daniela Eckert. Estiveram presentes, ainda, o superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc, Jorge Audy; o presidente da Assespro-RS, Julio Ferst, e a secretária-adjunta de Inovação, Ciência e Tecnologia, Simone Stülp.

 Fotos: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

O Espaço Cultura BRDE promoveu a atividade como início das celebrações de 120 anos

A comunidade artística Urban Sketchers Curitiba realizou um encontro no Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões em um evento que inicia as celebrações dos sete anos de atividades do grupo e dos 120 anos do Palacete Leão Jr, no último sábado (04). Todas as vagas disponíveis para a atividades foram rapidamente preenchidas, totalizando 35 desenhistas inscritos.

“Foi muito gratificante recebê-los no Palacete Leão Jr, especialmente no momento que a edificação completa 120 anos, uma atividade que reforça nosso propósito de manter o patrimônio cultual como um legado ativo.”, comenta Rafaela Tasca, coordenadora do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões.

O Urban Sketchers é uma comunidade de desenhistas que reúne pessoas de todo o mundo interessadas em produzir e compartilhar seus desenhos de observação feitos in loco. O termo define o desenhista que está sempre registrando seu cotidiano – a cidade, as paisagens, as pessoas – com desenhos e pinturas rápidas.

“Nesse sábado tivemos um encontro diferente no Palacete Leão Jr., pois além de desenhar uma extraordinária construção de Curitiba, tivemos uma aula de arquitetura eclética, história da cultura da erva-mate e também do Paraná. A mediação da equipe do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões foi o aperitivo para nossos traços no papel ficarem ainda mais repletos de significados”, Raro de Oliveira, ilustrador integrante dos Urban Sketchers Curitiba.

O grupo de Curitiba inclui pintores, arquitetos, jornalistas, publicitários, ilustradores, designers, professores, estudantes, e apaixonados pelo desenho das mais diversas profissões e idades. Desde junho de 2015, o Urban Sketchers Curitiba promove atividades aos sábados, com participação livre. O grupo já realizou mais de 272 eventos, em locais como a Biblioteca Pública do Paraná, Memorial Paranista, casarios do Largo da Ordem, Museu Oscar Niemeyer, Solar do Barão, Teatro Guaíra, Passeio Público, Catedral de Curitiba, entre outros.

Para o segundo semestre está prevista uma exposição dos trabalhos realizados pelo grupo. O encontro teve o apoio do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná (CAU/PR).

Com o apoio do BRDE, iniciativa envolveu estudantes da rede pública de diferentes regiões do RS

Lançado em setembro do ano passado e mobilizando alunos de ensino médio da rede estadual, o programa Dev The Devs chega agora à sua última etapa no processo de formação de estudantes como desenvolvedores. Com 240 horas-aula em formato on line, o programa representou uma oportunidade para os jovens se prepararem para o mercado de trabalho com novos conhecimentos sobre conceitos de computação, funcionamento da internet e impacto na programação de sistemas, assim como de ferramentas e linguagens de programação para desenvolvimento de sistemas para web.

O evento para entrega dos certificados aos estudantes que concluíram o curso, na próxima segunda-feira (6/06), deverá contar com a participação do governador Ranolfo Vieira Júnior. O Dev the Devs tem o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), sendo uma correalização do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), da Rede Gaúcha de Ambientes Inovadores (Reginp) e da Associação de Empresas de Tecnologia (Assespro-RS).

As mil vagas disponibilizadas (500 vagas para meninos e outras 500, para meninas) foram preenchidas em poucas semanas, contemplando alunos da rede estadual de diferentes regiões do Rio Grande do Sul. Deste total, 455 jovens venceram todas as etapas de capacitação iniciadas ainda em novembro, o que incluiu aulas mesmo no período de recesso escolar, e receberão o certificado por via digital.

O evento de conclusão, que acontecerá no Auditório Global Tecnopuc, a partir das 16 horas, reunirá oito formandos representando cada uma das macrorregiões do Inova RS, que representam os ecossistemas regionais de inovação do Estado (Metropolitana e Litoral Norte; Sul; Fronteira Oeste e Campanha; Central; Vales; Noroeste e Missões; Produção e Norte e Serra e Hortênsias).

Ao longo do programa, professores e profissionais de Ambientes de Inovação de cada uma dessas regiões contribuíram para o engajamento e conexão dos estudantes com oportunidades locais. Na região metropolitana, 48 formandos do Dev the Devs participaram da seleção do Full Stack Social, programa Jovem Aprendiz que é realizado pelo Centro Social Marista em parceria com o Tecnopuc, sendo que oito jovens estão aptos para iniciar sua trajetória profissional nas empresas de tecnologia parceiras do programa.

O Dev The Devs contou também com apoio da Secretaria da Educação do Estado, da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia e do Inova RS. O evento da conclusão do programa terá transmissão através dos canais do YouTube do BRDE e da PUCRS.

A oportunidade atende empreendedores que possuem empréstimos com garantia do Fundo de Aval do Sebrae (FAMPE) interessados em renegociar os débitos e alongar o prazo de pagamento em até 12 meses.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) aderiu à Campanha Nacional de Renegociação de Dívidas promovida pelo Sebrae, para atender as empresas que possuem financiamentos junto ao banco com garantia do Fundo de Aval do Sebrae (FAMPE). A possibilidade de renegociação inclui as contratações feitas a partir de janeiro de 2018, para aquelas operações que ainda não tenham sido objeto de honra com garantia do fundo. A proposta contempla o recálculo do saldo vencido com taxas de adimplência, além da incorporação do saldo vencido recalculado ao saldo vincendo e alongamento do contrato por até um ano. As empresas adimplentes também poderão solicitar o benefício.

O vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Marcelo Haendchen Dutra, explica que “no âmbito do BRDE foi um programa que iniciou durante a pandemia chamado de Recupera Sul para atender principalmente pequenos empresários. Agora, estamos entramos numa segunda fase com a possibilidade de alongamento das dívidas de empresas que ainda enfrentam o efeito da pandemia”, afirma.

A expectativa é beneficiar microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte que estiverem enquadradas dentro da condição da campanha. Para o diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, é uma oportunidade para a empresa reorganizar sua capacidade financeira e fluxos de pagamentos. “Entendemos como uma oportunidade de regularização de créditos de pequeno valor, considerando o volume da inadimplência e a peculiaridade dos clientes que compõe a carteira do Recupera Sul do BRDE”, ressalta.

Período da campanha

O lançamento da campanha acontece nesta sexta-feira (3) e segue até o dia 31 de agosto para clientes do BRDE. No dia 7 de junho, às 15 horas, no canal do Sebrae no YouTube, acontece a palestra “Como renegociar sua dívida com o BRDE”, ministrada pela Superintendente de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Ana Claudia Silveira Camargo.

O que é o FAMPE?

É um Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (FAMPE), constituído pelo Sebrae para complementar garantias de até 80% em uma operação de crédito contratada pelos pequenos negócios, nas instituições financeiras conveniadas, dependendo do porte do solicitante e da modalidade de crédito. O FAMPE avalizou mais de 479 mil operações de crédito até janeiro de 2022, com viabilização de R$ 25,3 bilhões em crédito bancário, sendo avalizados pelo Sebrae R$ 18,3 bilhões para os pequenos negócios.

 Serviço:

  1. O que o BRDE oferece? Oportunidade para empresas renegociarem as dívidas e de alongar o prazo de pagamento em 12 meses, tanto para os clientes em atraso como para aqueles que estão em dia.
  2. Para quem é? A expectativa é beneficiar microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte que contrataram a partir de janeiro de 2018 operações com garantia do FAMPE.
  3. Quando começa e quando termina? A campanha de renegociação começa no dia 3 de junho e segue até 31 de agosto para clientes do BRDE.
  4. Quais as vantagens de participar da campanha? O empresário poderá renegociar as parcelas em atraso, de acordo com as condições estabelecidas pelo banco. A proposta contempla o recálculo do saldo vencido com taxas de adimplência, além da incorporação do saldo vencido recalculado ao saldo vincendo e alongamento do contrato em 12 meses.
  5. Onde renegociar? A solicitação em Santa Catarina deve ser endereçada para os e-mails: silvia@sc.sebrae.com.br ou sc@brde.com.br e através do telefone: 0800-570-0800.

Capacidade de produção será de 3,5 a 4 mil toneladas por dia

 

A tradicional parceria entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Cooperativa Agroindustrial C. Vale segue contribuindo para o desenvolvimento do Oeste Paranaense. Dessa vez, a cooperativa pretende concluir a construção da esmagadora de soja que vai gerar 1.500 empregos até 2023. Entre 2019 e 2021, o BRDE já liberou pela mesma linha de créditos utilizada pela C. Vale, mais de R$ 264 milhões para a região. Só no último ano, foram R$ 50,6 milhões.

Para Alfredo Lang, presidente da C. Vale, o projeto significa a realização de um sonho para os associados da cooperativa, devido à importância da construção para o desenvolvimento do Oeste Paranaense. “Para a região vai significar a agregação de valor à soja, maior circulação de riquezas, empregos e arrecadação de tributos. Cresce o produtor, movimenta a cidade,  o comércio,  tudo cresce em função disso”, destacou.

 

Alfredo Lang, presidente da C. Vale | Foto: C. Vale

 

“A consolidação dessa nova iniciativa com a C. Vale é resultado do compromisso assumido com o Governo do Estado em geração de renda, empregos e desenvolvimento do Paraná”, resumiu o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

A construção no parque industrial da cooperativa, em Palotina (PR), está em fase inicial, de terraplanagem e drenagem. No auge das obras, a estimativa é de que sejam criados 1.500 empregos. Segundo o presidente da C. Vale, a inauguração da esmagadora está prevista para o dia 7 de novembro de 2023. Depois de concluída, a obra pretende gerar 580 empregos diretos e indiretos. 

 

Áudio: Alfredo Land, presidente da C. Vale

 

Origem dos recursos – O presidente da C. Vale explicou que a indústria começará produzindo farelo e óleo de soja que serão usados na fabricação de rações. A capacidade de produção da construção será de 3,5 a 4 mil toneladas por dia. Para Alfredo, a conquista não seria possível sem a parceria firmada entre o BRDE e a C. Vale desde o início da cooperativa.

“O BRDE foi aliado da C.Vale desde que a cooperativa nasceu. Sempre foi um dos que mais nos apoiou. Não teríamos crescido tanto e em tamanha velocidade sem o suporte financeiro do BRDE”, afirmou. 

Os recursos destinados pelo BRDE à construção fazem parte da linha de crédito BRDE PRODECOOP, que engloba as seguintes áreas: agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, indústrias de transformação, comércio e reparação de automotores e motocicletas e transporte, armazenamento e correio. Considerando todas as contratações do banco pela PRODECOOP, foram mais de R$ 846 milhões investidos em 88 contratos, entre 2019 e 2021, e mais de R$ 271 milhões e 23 contratos, no último ano.

 

A COOPERATIVA C. VALE

Com atuação no Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Paraguai, a cooperativa agroindustrial C. Vale tem origem ainda nos anos de 1960, mas foi em 2003 que passou a ser chamada de C.Vale – Cooperativa Agroindustrial. Hoje, possui 181 unidades de negócios, mais de 25.000 associados e mais de 12.000 funcionários. Destaca-se na produção de soja, milho, trigo, mandioca, leite, frango, peixe e suínos, e atua na prestação de serviços. 

“Nossa principal função é agregar valor, é transformar a soja e o milho em ração e em carne de frangos, de peixes, de suínos, leite, transformar a mandioca em amido. Isso cria fontes alternativas de renda que permitem ao produtor passar pelos períodos de clima ruim com menos dificuldades. Essa estratégia também faz com que a receita da cooperativa fique mais estável e assim consigamos investir com mais tranquilidade”, destaca Alfredo Lang, presidente da C. Vale. Ele acrescenta que um dos principais papéis da cooperativa no desenvolvimento do Oeste Paranaense é a geração de empregos. “São tantos empregos que uma das nossas maiores dificuldades é encontrar gente para trabalhar.  Estamos buscando até em Mato Grosso do Sul e não está sendo suficiente”, ressaltou.

Para saber mais sobre as linhas de crédito do BRDE é só acessar o link BRDE.

Parceria do Banco com Agafuc via lei de incentivos fiscais já vem de cinco anos

A Associação Gaúcha de Futsal para Cegos (Agafuc), que por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte recebe apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), tornou-se tricampeã invicta do Regional Sul-Sudeste de Futebol de Cegos. A competição foi disputada no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, e a final ocorreu no último domingo (29/05).

Para chegar ao título, o time treinado pelo técnico Rafael Astrada conquistou seis vitórias em seis jogos, nove gols marcados e nenhum sofrido. Na decisão, a equipe gaúcha derrotou o Maestro e com muita expectativa, já que a equipe adversária, do ex-jogador de futebol Ricardinho, investiu forte na contratação de jogadores com o objetivo de levar o primeiro título.

“Todos apontavam o Maestro como favorito, o que foi muito bom para nós. Mas temos muita experiência e diversos títulos, nossa comissão técnica tem muita rodagem, conseguimos fazer um ótimo campeonato em mais uma decisão que vai entrar para a história. Estamos muito felizes com a conquista, obrigado a todos que acreditaram na gente”, comenta emocionado, o técnico Astrada.

Parceria BRDE e Agafuc

Desenvolvido pela Agafuc na cidade de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre (RS), o projeto “Olhar no Presente, Visão de Futuro” tem como objetivo promover o esporte adaptado para deficientes visuais e incentivar a participação das modalidades esportivas como forma de inclusão. Por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, desde 2017, o BRDE apoia o projeto, cuja prática é fundamental para o aumento da autoestima, motivação, autonomia e independência dos atletas. Até o momento, foram repassados R$ 85,1 mil para a Associação. Inclusive, a parceria bem-sucedida entre o BRDE e a Agafuc foi renovada para o ano de 2022.

Incentivos Fiscais

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Em 2021, o BRDE destinou R$ 4,6 milhões para projetos por meio das leis de incentivo fiscal e igualmente distribuído entre os três estados. Nos últimos seis anos, o montante aplicado pelo Banco na região Sul pelos mecanismos de renúncia fiscal ultrapassou a marca de R$ 22 milhões.