BRDE

Divulgamos, abaixo, inteiro teor da Declaração de Propósito publicada nos jornais Zero Hora e Notícias do Dia, nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2019.

“DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO

VLADIMIR ARTHUR FEY – CPF 580.019.649-49

DECLARA, nos termos do art. 6º do Regulamento Anexo II à Resolução nº 4.122, de 2 de agosto de 2012, sua intenção de exercer o cargo de Diretor Representante do Estado de Santa Catarina no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE.

ESCLARECE que eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de quinze dias contados da divulgação, por aquela Autarquia, de comunicado público acerca desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito a vistas do processo respectivo.

BANCO CENTRAL DO BRASIL
Departamento de Organização do Sistema Financeiro – DEORF
Rua Sete de Setembro, nº 586 – sala 1.201
90010-190 – Porto Alegre (RS)

                                 José Reynaldo de Almeida Furlani
Chefe do Departamento de Organização do Sistema Financeiro.

Divulgamos, abaixo, inteiro teor da Declaração de Propósito publicada nos jornais Zero Hora e Notícias do Dia, nos dias 31 de outubro e 1º de novembro de 2019.

“DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO

ALEX MUSSOI RIBEIRO – CPF 945.132.950-15

DECLARA, nos termos do art. 6º do Regulamento Anexo II à Resolução nº 4.122, de 2 de agosto de 2012, sua intenção de exercer o cargo de Membro do Comitê de Auditoria representante do Estado de Santa Catarina no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE.

ESCLARECE que eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de quinze dias contados da divulgação, por aquela Autarquia, de comunicado público acerca desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito a vistas do processo respectivo.

BANCO CENTRAL DO BRASIL
Departamento de Organização do Sistema Financeiro – DEORF
Rua Sete de Setembro, nº 586 – sala 1.201
90010-190 – Porto Alegre (RS)”

José Reynaldo de Almeida Furlani
Chefe do Departamento de Organização do Sistema Financeiro.

Na última quarta-feira (02) aconteceu na Associação Comercial e Empresarial de Laranjeiras do Sul (ACILS) a Rodada de Negócios, promovida pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Fomento Paraná.
Com o objetivo de desenvolver todas as regiões do Paraná, de acordo com a política de descentralização dos dois bancos, o diretor do BRDE, Wilson Bley Lipski apresentou soluções de empréstimo oferecidas pelas duas instituições ao agronegócio, inovação, indústrias, turismo, empresas, geração de energia e prefeituras. O evento contou também com a presença de Jonny Stica, assessor de mercado da Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento ligada ao estado do Paraná. Além disso, técnicos estiveram presentes para atendimento e resolução de dúvidas sobre as linhas de financiamento.
“Foi uma participação efetiva da classe empresarial. Vamos ver se isso traz uma efetividade no que foi planejado. Tudo o que apresentamos aqui vamos transformar em realidade. Esse é o nosso objetivo de ser um grande aliado dos interesses municipais e empresariais da região, disponibilizando crédito para torna-la ainda mais forte”, concluiu Lipski.

O edital do Programa BRDE LABS foi lançado na sexta-feira (27/09) e está disponível no site do banco, em www.brde.com.br/licitacao-presencial-brde-2019-154/. A finalidade é a contratação de uma Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT) ou aceleradora de startups para realizar a etapa piloto do programa com 10 empreendimentos do Rio Grande Sul, sendo, no mínimo, dois do interior do Estado.
O anúncio foi feito na quinta-feira (26), em evento no auditório do BRDE, em Porto Alegre, coordenado pelo vice-presidente do banco, Luiz Corrêa Noronha, e o superintendente da Agência RS, Mauricio Mocelin. Participaram da mesa o secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, a diretora de Artes e Economia Criativa da Secretaria da Cultura, Ana Luísa Fagundes, representando a secretária estadual, Beatriz Araújo, e os sócios da Domo Invest, Franco Pontillo e Mário Letelier, gestores do FIP Anjo, Fundo de Investimento do qual o BRDE é cotista.
BRDE LABS
As startups selecionadas receberão capacitação em áreas como estratégia de vendas, relações públicas e financeira, entre outras. O programa terá duração de seis meses e não haverá custos para as startups. Serão considerados, prioritariamente, empreendedores que tenham soluções voltadas para o agronegócio, saúde, indústria 4.0 – IoT, tecnologia da informação, energia, educação, logística e meio ambiente.
Ao final do programa, o BRDE, em conjunto com a ICT ou Aceleradora, avaliará o desempenho de cada startup e premiará as três melhores colocadas, da seguinte forma: 1º lugar: R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais); 2° lugar: R$ 15.000,00 (quinze mil reais) e 3º lugar: R$ 10.000,00 (dez mil reais).
FIP ANJO
O objetivo do fundo é o aporte em empresas nascentes, sendo que 40% delas com faturamento anual de até R$ 1 milhão. O restante será destinado a empresas com faturamento de até R$ 16 milhões. Deverão ser contempladas cerca de 150 empresas.
O fundo já dispõe de R$ 60 milhões, com expectativa de elevar a captação para R$ 100 milhões. As empresas alvo são das áreas de Economia Criativa, Agronegócio, Saúde e Biotech, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Fintechs e Cidades Inteligentes.
“A nossa expectativa é aportar recursos para 150 empresas, durante um período de investimento de cinco anos. O patrimônio comprometido deverá ser de até R$ 100 milhões”, informou o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha.
RS CRIATIVO
Pela manhã, os sócios da Domo Invest, o diretor Luiz Noronha e a equipe do BRDE estiveram na Casa de Cultura Mário Quintana para conhecer os 17 empreendimentos que fazem parte do primeiro Ciclo de Residência Criativa do Programa RS Criativo, com a presença da secretária estadual de Cultura, Beatriz Araújo, da diretora de Artes e Economia Criativa, Ana Fagundes, e da cordenadora do Tecna/PUC-RS, Aleteia Selonk.
Cada residente teve dois minutos para expor os objetivos de seu empreendimento e, na sequência, conheceram a proposta do FIP Anjo e relatos de experiência dos sócios da Domo. Mario Letelier, um dos fundadores do Buscapé, enfatizou que empreender exige resiliência, persistência, e afirmou que o Fundo Anjo pretende ajudar a nova geração com conhecimentos e recursos. “Nosso objetivo é identificar um modelo de negócios com perspectiva de ganhar escala para mudar de patamar”, disse.

BRDE e ANCINE tornam pública a ata de seleção final das propostas da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018 – Coprodução Portugal-Brasil….

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

A ANCINE publicou nesta segunda-feira, 22 de julho, a segunda alteração ao Regulamento de Proposição de Investimento (RPI) das Linhas de Suporte…

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Entrando em sua 14ª edição sob o conceito curatorial “Fronteiras em Aberto”, a Bienal de Curitiba estará presente no Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões com a exposição “Pangrafias”.
Com curadoria do crítico Adolfo Montejo Navas, a exposição reúne obras de Fernando Lemos (Portugal), León Ferrari (Argentina), Cabelo (Brasil) e Shirley Paes Leme (Brasil). A mostra propõe discutir o limiar – a fronteira – entre escrita e desenho, pintura e caligrafia, entre cartografia e caligrafia a partir da textualidade visual apresentada pelas obras que integrarão a exposição.
A proposta desta Bienal de Curitiba é apresentar um diálogo com a situação de refronteiras e desfronteiras do mundo atual, com a desconstrução das noções de fronteiras físicas as transformações que elas sofrem no decorrer do tempo a partir das relações mutantes entre sujeito e espaço, procurando uma nova cartografia simbólica, de novos sinais. Os países membros do bloco BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) são os grandes homenageados desta Bienal, que apresenta, com destaque, trabalhos inéditos de artistas contemporâneos originários desses países.
SERVIÇO:
Exposição “Pangrafias” – 14ª Bienal Internacional de Arte de Curitiba
Curadoria: Adolfo Montejo Navas
Artistas: Cabelo, Fernando Lemos, León Ferrari e Shirley Paes Leme
Abertura: 25 de setembro de 2019, às 19h
Visitação: 26 de setembro a 06 de dezembro de 2019
Horário: segunda a sexta, das 12h30 às 18h30
Entrada gratuita
Local: Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões
Av. João Gualberto, 570
Curitiba – Paraná
41 3219-8184

Segundo dados consolidados do IBGE que foram divulgados na última semana, o Paraná teve participação fundamental para o bom desempenho da pecuária nacional no segundo trimestre de 2019. O estado liderou o ranking nacional em dois segmentos, houve a alta na produção de abates de frango e na produção de leite.
Uma parte deste crescimento é resultado do apoio das instituições financeiras ao setor. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tem 60% de sua carteira vocacionada para agricultores e pecuaristas no estado.
Nos últimos 5 anos foram assinados mais de 850 contratos com pequenos produtores de aves. Somando a liberação de crédito destes contratos com o valor destinado às cooperativas que atendem as indústrias do segmento, o investimento do BRDE no Paraná foi de R$ 765 milhões apenas para este setor. O otimismo das indústrias avícolas em ter confiança no aumento da exportação ajuda o cenário. Segundo o SINDIAVIPAR, aproximadamente 34% do total produzido no primeiro semestre de 2019 foi destinado ao mercado externo.
Na criação de bovinos para leite, o setor tem como desafio principal aumentar a produtividade e a renda dos produtores. Neste sentido, o BRDE facilita o acesso às políticas de crédito, como forma de estimular os investimentos e qualificar os processos de produção, de gestão e sucessão das unidades produtivas.
O BRDE autorizou crédito no montante de R$ 180 milhões para o setor lácteo paranaense. Desde 2015 o banco assinou mais de 650 contratos com pequenos produtores de leite do estado, além dos projetos aprovados para a indústria do setor através de parcerias com as cooperativas.
“O agronegócio no Paraná vem melhorando a cada dia e é importante fomentar o setor que é um dos mais importantes para a economia do estado. O BRDE tem parcerias com cooperativas de crédito e de produção, que podem apoiar os produtores com recursos de longo prazo e com a agilidade que a dinâmica do segmento exige”, disse o diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Banco de desenvolvimento apura o maior número de contratações registrado em um primeiro semestre de sua história

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE encerrou o primeiro semestre de 2019 com R$ 1,1 bilhão em operações de crédito contratadas. O montante representa um crescimento de 35,1% em comparação com igual período do ano anterior. Somados às contrapartidas dos próprios empreendedores, os financiamentos viabilizaram R$ 1,4 bilhão em investimentos na Região Sul e foram responsáveis pela manutenção e geração de mais de 20 mil postos de trabalho e o incremento de R$ 162 milhões/ano em impostos para os Estados da Região.
O lucro líquido apurado pelo BRDE no primeiro semestre de 2019 foi de R$ 109,6 milhões, o que representa um incremento de 66,7% em relação a igual período do ano anterior. Este é o melhor desempenho do primeiro semestre na história do banco.
O diretor-presidente da instituição, Marcelo Haendchen Dutra, explica que o desempenho foi favoravelmente impactado pela melhoria significativa da carteira. “O resultado reflete principalmente a redução da provisão para operações de crédito, um recuo de 44,4% no período, comparado ao mesmo período do ano passado”, explica.
Outro fator relevante para o resultado semestral recorde foi a redução do índice de inadimplência (a partir de 90 dias), passando de 2,84% no primeiro semestre de 2018 para 0,88% ao fim de junho de 2019. O percentual alcançado pelo BRDE é inferior ao apresentado pelo conjunto de bancos públicos (2,7%) e inferior ao de todo o Sistema Financeiro Nacional – SFN, com 2,93%.  “Hoje, a inadimplência do BRDE é a menor de todo o sistema financeiro, mais uma mostra de que nossa carteira de créditos tem um desempenho muito bom”, afirma Haendchen.
Neste período, o BRDE renegociou 91 contratos com empresas com baixo grau de liquidez no curto prazo, mas avaliadas como viáveis no médio e longo prazo. O montante contratado atingiu R$ 105,1 milhões, permitindo a continuidade operacional e a manutenção dos empregos.
FUNDINGS E RECURSOS EXTERNOS
O sistema BNDES segue como a principal fonte de recursos, com 72,4% das operações contratadas no período. Entre todos os agentes financeiros repassadores de recursos do BNDES, o BRDE liderou o ranking na região, e ficou em 6º lugar nacionalmente.
Os recursos próprios ocupam a segunda posição, com 9,9%, FGTS com 4,4%, Fungetur com 3,5%, AFD com 2,7%. Os financiamentos à inovação com recursos da Finep, equivalem a 5,8% do total contratado. De janeiro a junho deste ano, o BRDE manteve a liderança nacional entre os repasses da linha Finep Inovacred.
Em maio de 2019, a Comissão de Financiamentos Externos do Ministério da Economia aprovou a carta consulta do BRDE para operação de US$ 125 milhões com o Banco Mundial. Os recursos serão usados para financiar projetos voltados à redução do impacto negativo de eventos climáticos extremos e das consequências da mudança no clima e para a construção de uma maior resiliência dos municípios da região a desastres naturais.
O BRDE também está em negociação com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) uma linha de crédito no montante de até US$ 70 milhões de dólares para financiar programas estratégicos na Região Sul.  O BRDE também está em fase de estruturação de um segundo programa com recursos externos, no valor de US$ 100 milhões com o BID.
DESTAQUES OPERACIONAIS
No fim de junho, a carteira de crédito do Banco somava R$ 13,4 bilhões, distribuídos em 45.535 operações ativas e mais de 34,5 mil clientes. Estes clientes estavam localizados em 89,9% dos municípios do Sul.
O ativo total alcançou R$ 16,8 bilhões. Do saldo de financiamentos, 32% estava concentrado no setor agropecuário, 25% na Indústria, 22,3% no segmento de Comércio e Serviços e 20,7% na Infraestrutura.
No primeiro semestre deste ano, foram registradas 1.086 novas operações de crédito. O BRDE é tradicional financiador do agronegócio da Região Sul. Entre os programas agrícolas do governo federal, liderou os repasses das linhas do BNDES Prodecoop (para desenvolvimento de cooperativas) e PCA (para projetos de armazenagem), mesmo atuando apenas na região Sul.
Do montante de R$ 1,1 bilhão contratados no primeiro semestre, R$ 123,7 milhões referem-se à concessão de crédito ao setor agropecuário.
O diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, destaca ainda a capilaridade do BRDE, que tem conseguido levar os recursos para o pequeno produtor rural. Dos 471 novos contratos do setor, 395 correspondem a financiamentos concedidos a pequenos produtores.
De janeiro a junho deste ano, o segmento da Indústria foi responsável por R$ 352 milhões em contratações em 95 operações, enquanto empresas da área de comércio e serviços realizaram outras 175 operações de crédito, num montante de R$ 386,2 milhões. O setor de infraestrutura foi responsável por R$ 219,9 milhões em contratações, em 345 operações.
“Também vale a pena destacar o desempenho do Banco por meio do programa BRDE Municípios. Desde que foi criado até junho deste ano, o BRDE já financiou R$ 485,6 milhões para as prefeituras da região Sul,” destaca Lipski.
PARANÁ
No Paraná, o BRDE contratou 35,7% deste montante que correspondem a R$ 386,2 milhões em operações. Comércio e serviços é o segmento de destaque no Estado com 61% do total de recursos, correspondentes a R$ 236 milhões. Mostrando sinergia com o Governo e com o objetivo estratégico de fomentar o Estado, 58,6% dos financiamentos paranaenses foram para produtores rurais e micro, pequenas e médias empresas, valor que chega a R$ 226,3 milhões.
Esse resultado foi anunciado pelos diretores Wilson Bley Lipski (de Operações) e Luiz Carlos Borges da Silveira (Administrativo Financeiro) na sexta-feira (30) em reunião com os colaboradores do Paraná.
“O desempenho é um reflexo das diretrizes dadas pelo governador Ratinho Junior e também do comprometimento de toda a equipe do BRDE, que tem trabalhado para oferecer soluções de crédito adequadas para todos os empreendedores que acreditam no potencial de desenvolvimento do Paraná”, explica o diretor de Operações, Wilson Bley Lipski.
RIO GRANDE DO SUL
No Rio Grande do Sul, houve aumento de 27,8% nas contratações do primeiro semestre de 2019 em comparação ao mesmo período do ano anterior.
Levando-se em conta que o BRDE é um banco de desenvolvimento, trata-se de um resultado importante, que evidencia o esforço da instituição para ampliar as operações de crédito em um cenário de recuperação econômica.
“O BRDE tem fortalecido sua estratégia de diversificação de fundings, o que tem permitido ao Banco não só uma maior independência do BNDES, mas também a oportunidade de ofertar a seus clientes opções de crédito mais diversificadas”, segundo explica o vice-presidente Luiz Corrêa Noronha.
SANTA CATARINA
Em Santa Catarina, o BRDE contratou R$ 356,8 milhões em operações, 25% a mais que o mesmo período do ano anterior. Foram R$ 144 milhões na Indústria, R$ 106,8 milhões em Infraestrutura, R$ 65,6 milhões em Comércio e Serviços e R$ 38,3 milhões no segmento Agropecuário. Somados às contrapartidas dos próprios empreendedores, os financiamentos totalizaram R$ 406 milhões de investimentos em Santa Catarina, valor que auxiliou na manutenção ou geração de mais de 5,7 mil empregos nas mais diversas regiões do estado.
Os números foram comemorados pelo Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Neuto Fausto de Conto, que atribuiu o bom desempenho ao trabalho de equipe. “Estes números são fruto do alinhamento dos nossos profissionais, do trabalho focado e que segue com consistência as diretrizes apresentadas pela diretoria”.
Acesse o Balanço do BRDE completo neste link.
Saiba mais sobre as linhas de financiamento do BRDE. Consulte a página do Banco na internet: www.brde.com.br.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Agência Nacional do Cinema ­ ANCINE divulgaram nesta sexta feira, 30 de agosto de 2019, o resultado final da Chamada Pública BRDE/FSA Suporte Automático – Desempenho Comercial TV & VOD 2018. A publicação no Diário Oficial da União dar-se-á no primeiro dia útil subsequente, 02 de setembro de 2019.
Os recursos ficarão disponíveis por até dois anos, contados da publicação do resultado final no Diário Oficial da União, para investimento em novos projetos de PRODUÇÃO/COMERCIALIZAÇÃO/DESENVOLVIMENTO, aptos a constituir espaço qualificado, selecionados pelos Beneficiários Indiretos.
As destinações poderão ser realizadas a partir da publicação do resultado no Diário Oficial da União, 02 de setembro de 2019, e deverão seguir as regras dispostas no Regulamento da Proposição de Investimento no Suporte Automático – https://fsa.ancine.gov.br/sites/default/files/regulamento-geral-do-prodav/Regulamento%20de%20Pontua%C3%A7%C3%A3o%20%E2%80%93%20vers%C3%A3o%20aprovada%20em%2022072019.pdf
Acesse aqui a página desta Chamada.