BRDE

BRDE e ANCINE tornam público a retificação Nº 01 do Edital da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018 – Coprodução Portugal-Brasil em virtude de alterações no Edital.
 
Acesse aqui a página desta Chamada.

Por meio da utilização de mecanismos de renúncia fiscal, o BRDE aporta, a cada ano, recursos financeiros que viabilizam a realização de projetos de caráter social, cultural e esportivo relevantes para as comunidades dos três estados do Sul. Em 2018, o montante total distribuído foi de R$ 2.895.609,69 – um percentual do imposto de renda devido pelo banco que permanece na região para gerar bem-estar: mais assistência social, saúde, educação, valorização do patrimônio, cultura, promoção do esporte e do lazer.
No Rio Grande do Sul, a Agência do BRDE destinou R$ 963.575,29 a 28 projetos selecionados pela subcomissão interna e aprovados pela Direção dentre os 167 inscritos no portal do BRDE no âmbito do Estado. Desses, dois foram incentivados via Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon); um pelo Programa Nacional de Atenção à Pessoa com Deficiência (Pronas); 12 pela Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet); três pelo Fundo do Idoso; seis pelo Fundo da Infância e da Adolescência; e quatro por meio da Lei do Esporte. A maior parte dos projetos se desenvolve na capital e Região Metropolitana, mas foram contemplados outros 10 municípios gaúchos: Cachoeira do Sul, Campinas do Sul, Canoas, Gramado, Montenegro, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santiago e Vacaria.
Cultura e educação
Entre os contemplados via Lei Rouanet, estão a Bibliotheca Pública Pelotense, que fará aquisição de equipamento para digitalização e manutenção de importantes arquivos bibliográficos; a Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul, que completa 10 anos em 2019 e dá continuidade ao seu plano de atividades, promovendo educação musical para jovens; o projeto “Ouviravida”, que oferece aulas de música para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social no bairro Bom Jesus, na capital; o plano anual do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Margs), que possibilitará o reparo de obras, manutenção interna, aquisições e atividades culturais diversas abertas ao público, além das visitas escolares; e o “Porto Verão Alegre 2019”, que neste ano completa 20 anos de história e traz mais de 100 espetáculos teatrais a preços acessíveis nos meses de janeiro e fevereiro como opção para quem permanece na cidade.
Ainda na campo da literatura, há o Projeto Pró-Biblioteca, que distribuirá coleções de livros a escolas públicas do Estado, e o lançamento de três livros: “Poesia Líquida”, “Cavalo de Santo” e “De Pai para Filho na Migração Gaúcha”. Já a ópera “O Navio” mostrará a saga dos escravos trazidos da África, enquanto o Festival Primeiro Filme estimulará a produção audiovisual e cinematográfica entre jovens criativos e empreendedores. Em Santa Maria, a continuidade do projeto “Medianeira Instrumental” garantirá a oferta de música de qualidade ao grande público no interior da Basílica.
Esporte
Duas parcerias bem-sucedidas do BRDE foram renovadas por mais um ano: com a Associação Gaúcha de Futsal para Cegos (Agafuc), de Canoas, e a Sociedade de Ginástica de Porto Alegre (Sogipa), contempladas via Lei do Esporte com recursos para os projetos “Olhar no Presente, Visão de Futuro Ano II” e “Projeto Olímpico IV”, respectivamente. O sucesso dos atletas sogipanos tem sido motivo de orgulho para gaúchos e brasileiras, conferindo forte visibilidade à marca BRDE no meio esportivo. Aprendizagem e torneios de futebol e de tênis para crianças e adolescentes são também alvos de projetos contemplados, como o da Fundação Tênis.
Saúde e assistência social
Pelo Fundo da Infância e Adolescência, foram selecionados projetos do Instituto do Câncer Infantil, para manutenção e qualificação do atendimento; da Associação de Amparo a Meninos Assistidos Santa Cecília, de Vacaria, que promove atividades no contraturno escolar para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade; da Fundação de Atendimento de Deficiência Múltipla (Fadem), que atende cerca de 100 crianças e adolescentes com deficiência e do IPDAE, entidade que desenvolve atividades educativas e culturais para jovens no bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.
Os projetos “Mulheres Sem Câncer – diagnóstico precoce do câncer de mama no Hospital São José” e “Integração e Humanização no atendimento oncológico por completo”, do Hospital Ana Nery, foram contemplados via Pronon. A Casa do Menino Jesus de Praga recebeu apoio via Pronas e, através da Lei do Idoso, a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e a Associação Beneficente Casa de Amparo Mão de Deus receberam recursos para seus projetos “Um olhar sobre nossos idosos” e “Envelhecimento jovem”.
A relação completa dos projetos incentivados pelo BRDE em 2018 está publicada em www.brde.com.br/incentivos-fiscais/.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) prorrogou o prazo para recebimento de propostas para exposições temporárias do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, em Curitiba. Os interessados em participar da seleção poderão realizar suas inscrições até 25 de janeiro de 2019. O edital completo está disponível no site do BRDE.
Inaugurado em junho de 2005, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões já recebeu obras de variadas técnicas e artistas com diferentes trajetórias em propostas de exposições individuais, coletivas ou integrando circuitos institucionais. Além de exposições de arte contemporânea, sua programação diversificada contempla atividades musicais, lançamentos de livros e exibição de filmes.
O Palacete dos Leões, é uma edificação histórica que por si só é uma obra de arte. Concluído em 1902, foi a residência da família de Agostinho Ermelino de Leão Júnior, importante empresário da erva-mate no Paraná. A riqueza ornamental de sua arquitetura é a expressão da prosperidade econômica do ciclo ervateiro, com seu auge no séc. XIX e nas primeiras décadas do séc. XX.
O BRDE coordena o espaço cultural mantendo suas atividades e preservando suas principais características arquitetônicas de época.
Informações
Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões
Av. João Gualberto, 570 – Alto da Glória – Curitiba, PR
41. 3219-8184
Segunda à sexta-feira – 12h30 às 18h30.

Imagem da exposição “Tempo Matéria”, de André Nacli, realizada em 2017 no Palacete dos Leões.
Crédito: André Nacli/Divulgação BRDE

BRDE e ANCINE tornam público o lançamento do Edital da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018 – Coprodução Chile-Brasil. O período de inscrições para a Chamada será de 17/01/2019 a 18/02/2019.
 
Acesse aqui a página desta Chamada.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) encerrou nesta quarta-feira (26) o processo de seleção de projetos apoiados por meio das leis de incentivos fiscais no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com o repasse de recursos a entidades e instituições contempladas em 2018.
Foram selecionados no Paraná 40 projetos, entre 239 inscritos, no valor aproximado de R$ 1 milhão, sendo 24 pela Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), quatro pela Lei de Incentivo ao Esporte, três pelo Fundo da Criança e Adolescência (FIA), quatro pelo Fundo Municipal do Idoso e cinco pelo Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON).
O BRDE apoia projetos sociais, culturais e esportivos com base na apuração do imposto a pagar, com parte da política de responsabilidade socioambiental da instituição. “São projetos que ajudam a mudar a realidade de milhares de crianças, jovens e adultos, proporcionando maior acesso a serviços de saúde, ao esporte e à cultura”, afirma o presidente do BRDE, Orlando Pessuti.
Para marcar o encerramento do processo de seleção de projetos, entidades assistenciais, esportivas e culturais, hospitais e APAEs contemplados em 2018 foram recebidos na Agência Paraná do BRDE, em Curitiba, para uma grande confraternização. A celebração teve como ponto alto a entrega de cheques simbólicos com o valor do apoio ao projeto selecionado.
O diretor de Operações Guilherme Fumagalli Guerra abriu a celebração, abertura destacando a importância das instituições apoiadas pelo BRDE. “Cada projeto aqui representado tem grande importância no desenvolvimento social não só do nosso Estado, mas do Brasil todo”.
Participaram instituições e entidades de diversas cidades do Paraná, como Ibiporã, Londrina, Ipiranga e Francisco Beltrão, além de municípios da Região Metropolitana de Curitiba. “Saímos de Ibiporã às 4 horas da manhã para chegarmos a tempo”, contou Leila Assis, da Escola de Dança da Associação de Pais, Mestres e Amigos do Ballet da Fundação Cultural de Ibiporã.
“Nosso projeto tem o objetivo de levar cultura a crianças que não têm acesso a espetáculos, oficinais e outras ações culturais. E isso tudo está acontecendo porque recebemos recursos dos incentivos fiscais”, disse o jornalista Francisco Rocha, representante do Guritiba, projeto aprovado pela Lei Rouanet, que chegará a sua 10ª edição em 2019.
Contemplados – Entre as entidades e instituições contempladas neste ano estão a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, a Liga Paranaense de Combate ao Câncer, o Lar dos Velhinhos São Vicente de Paulo, de Campina da Lagoa, o Pequeno Cotolengo do Paraná, a Associação Beneficente das Senhoras de Entre Rios e a APAE de Ipiranga.
Também foram beneficiadas a Associação Paranaense de Cultura, a Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas de Curitiba, a Associação Paranaense de Apoio à Criança com Neoplasia, o Hospital do Câncer de Londrina, a Associação Norte Paranaense de Combate ao Câncer e a Fundação de Estudos das Doenças do Fígado Koutoulas-Ribeiro.
Entre os apoiados via Lei de Incentivo ao Esporte, está o projeto Esgrima em Cadeira de Rodas Rumo a Excelência-Ano III, da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná, que mantém a maior equipe de atletas da modalidade no país. Pela Lei Rouanet, foram apoiados projetos que envolvem orquestras, grupos de cordas, escolas de balé e de teatro, literaturas e fanfarras.
Interessados em inscrever projetos no edital de 2019 do programa de incentivos fiscais do BRDE podem obter informações no portal www.brde.com.br/incentivosfiscais.

O Ministério do Turismo autorizou o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) a operar um recurso adicional de R$ 76 milhões através do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para projetos no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
O Fungetur financia projetos de aquisição de equipamentos, modernização, ampliação ou reforma de empreendimentos turísticos privados, como hotéis, agências de viagens e parques temáticos. O BRDE já financiou pelo fundo cerca de R$ 24 milhões. Além disso, ainda há mais de R$ 80 milhões em operações destinadas ao turismo em fase de análise.
O Banco tem um programa destinado especialmente ao turismo, o BRDE Protur, que visa estimular a criação de novos produtos turísticos e o desenvolvimento do setor na Região Sul. Segundo o Mapa do Turismo Brasileiro, divulgado pelo Ministério do Turismo, o Sul possui 53 regiões turísticas divididas por 905 municípios.
O Ministério do Turismo disponibilizou ao Fungetur R$ 243 milhões, divididos entre cinco instituições financeiras, sendo que o BRDE ficou com o maior aporte. O banco, que é administrado pelos três estados do Sul, é o operador de quase 50% das operações do fundo.
Melhorias
O Fungetur foi criado para promover a melhoria da infraestrutura do setor, a partir do aprimoramento de serviços prestados a visitantes e da dinamização da vocação turística de todas as regiões do país.
Para capital fixo, o valor financiável é de até 80% do investimento total no projeto. O prazo de pagamento é de até 240 meses. Para máquinas e equipamentos, o prazo de pagamento é em até 60 meses e o nível de participação é de até 100% do valor total.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), a Itaipu Binacional e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) vão trabalhar juntos para acelerar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) na área de atuação da hidrelétrica, na Região Oeste do Paraná. A ação será feita por meio do fomento e da divulgação de oportunidades de investimentos aderentes à Agenda 2030.
As instituições oficializaram a parceria nesta quarta-feira (19), no escritório de Itaipu em Curitiba, com a assinatura de um protocolo de intenções. Assinaram o protocolo o presidente do Banco, Orlando Pessuti, e o diretor-geral brasileiro da hidrelétrica, Marcos Stamm. Participaram os conselheiros do BRDE Valmor Weiss e Altevir Rocha de Andrade, o secretário do Codesul Antonio Carlos Bettega, e técnicos do Banco e de Itaipu.
A proposta é promover o desenvolvimento sustentável na região de abrangência de Itaipu, com foco na implementação da Agenda 2030. Hoje, Itaipu mantém convênios com 55 municípios do Oeste paranaense. A parceria prevê o financiamento por parte do BRDE da contrapartida exigida nos convênios firmados pelos municípios com a hidrelétrica. Também participará da ação conjunta a Fundação Parque Tecnológico Itaipu-Brasil.
“Na verdade, é mais uma parceria convergente de ações de governo entre Itaipu e BRDE. O BRDE disponibiliza recursos para aqueles municípios que precisam de contrapartida e não têm onde buscar. Isto está dentro do contexto da Agenda 2030, dos ODS”, afirmou Marcos Stamm. “Este protocolo de intenções vai gerar uma série de outros trabalhos e o objetivo é isso, inclusive vindo a somar também ações com o PNUD”, acrescentou.
“Essa parceria foi imaginada, sonhada e vem sendo lapidada desde que chegamos ao BRDE. Nós vimos que a parceria da Itaipu com os municípios aflorou de uma forma muito vigorosa e muitos deles têm dificuldade em obter as contrapartidas solicitadas pela Itaipu. É aí que nós entramos, financiando estas contrapartidas”, disse o presidente Pessuti, ao agradecer, em nome dos demais diretores do BRDE, o empenho de Itaipu na formalização da parceria.

BRDE e ANCINE tornam público a retificação nº 03 do Edital da Chamada Pública Comercialização em Cinema 2018 em virtude de alterações no Edital.
 
Acesse aqui a página desta Chamada.

BRDE e ANCINE tornam pública a ata de resultado final da Chamada Pública BRDE/FSA PRODAV 03/2017. Conforme estabelecido no item 7.2 do Edital da Chamada as proponentes deverão encaminhar a documentação de contratação (Anexo II do Edital) no prazo de 60 (sessenta) dias contados a partir da publicação do resultado no Diário Oficial da União, o que ocorreu nesta data.
Consulte aqui a página desta Chamada.
 
 

Em parceria com a Rede Pampa de Comunicação e com apoio do Ministério Público do Rio Grande do Sul, o BRDE promoveu, na segunda-feira (3/12), no auditório do Ministério Público, em Porto Alegre, o Fórum Fomento ao Desenvolvimento Sustentável no Sul do Brasil. O evento, que teve 500 inscritos, reuniu autoridades dos setores público, privado e financeiro para debater, em três painéis temáticos, os problemas, soluções e expectativas sobre o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Estado, com foco nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e na Agenda 2030 propostos pela ONU.
Representatividade
A mesa de autoridades, na abertura oficial do Fórum, foi composta pela secretária estadual de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori – no ato representando o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; pelo procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Fabiano Dallazen; o diretor de Planejamento e Financeiro do BRDE, Luiz Corrêa Noronha; o presidente da Rede Pampa de Comunicação, Alexandre Gadret; o deputado estadual Ernani Polo, representando a presidência da Assembleia Legislativa gaúcha; o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan; o conselheiro do Tribunal de Contas do RS, Cesar Miola, representando a presidência do TCERS; a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do RS, Ana Pellini; o presidente do Sistema Farsul, Senar e Casa Rural, Gedeão Silveira Pereira; Gilberto Petry, presidente do Sistema Fiergs – Ciergs, SESI e SENAI; o presidente do Sistema Fecomércio– SESC, Senac e IEL, Luis Carlos Bohn; o superintendente Estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen; o vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna Júnior; o representante do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), Haroldo Machado Filho; o representante da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira; a presidente do Sindirádio, Christina Gadret, e o vice-presidente da Rede Pampa e coordenador do Fórum, Paulo Sérgio Pinto.
Ações sociais
No painel do setor público, as secretárias Maria Helena Sartori, Ana Pellini, e o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, apresentaram os avanços e desafios de suas áreas, respectivamente, social, ambiental e de justiça. A coordenação do painel coube a Haroldo Machado Filho, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), co-presidente da Força Tarefa no âmbito do Sistema da ONU no Brasil sobre os ODS.
A secretária Maria Helena destacou o valor da educação e da promoção da cultura da paz, em diversas ações e programas em desenvolvimento do Estado, que envolvem crianças e adolescentes. “Nossos cuidados começam com o Programa Primeira Infância Melhor – PIM, que está presente em 247 municípios, tendo beneficiado mais de 200 mil famílias e 250 mil crianças. Temos também o Criança Feliz, presente em 82 municípios do Estado, acompanhando mais de 5 mil e duzentas famílias e as Cipaves, presentes nas 2,5 mil escolas estaduais, com excelentes resultados como a redução, em 2018, de 60,3% nos índices de agressões físicas em relação a 2017″, informou, ressaltando a importância de avançar no campo das ações preventivas.
Para a secretária Ana Pellini, “emprego e renda são importantes em qualquer país do mundo, todos os problemas mais graves decorrem da pobreza”, enfatizando o ODS 8: trabalho digno e crescimento econômico. Ela defende a simplificação de processos burocráticos com o objetivo de dar agilidade à concessão de licenças ambientais sem, no entanto, descuidar do propósito central de proteção à vida no planeta.
Sobre o setor privado, debateram, com a coordenação do secretário executivo do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira, o presidente do Sistema Fecomércio/RS, Luiz Carlos Bohn, o presidente do Sistema Fiergs, Gilberto Petry, e o presidente do Sistema Farsul, Gedeão Silveira Pereira. Para os dirigentes empresariais, a geração de novos postos de trabalho é o maior desafio.
No terceiro e último painel, sobre o setor financeiro, o diretor de Planejamento e Financeiro do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, participou junto com o vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna, e com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen.
Oportunidade
Segundo Noronha, o Fórum veio ao encontro “da linha de trabalho do BRDE com foco realmente no desenvolvimento sustentável”. O diretor considerou que o Fórum foi uma excelente oportunidade para avaliar como está o Rio Grande do Sul frente à Agenda 2030, que hoje, em nível mundial, conta com o compromisso assumido por praticamente todas as nações alinhadas aos 17 ODS e às 169 metas para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. “Cada um dos interlocutores falou um pouco sobre o que está acontecendo na sua área no Rio Grande do Sul, foi uma prestação de contas dos três setores”, disse.
Na visão do diretor do BRDE, o conteúdo da Agenda 2030 é inquestionável, tanto que foi aprovada por inúmeros países no âmbito das Nações Unidas. “Todos assumiram um compromisso internacional”. Noronha considera que o Rio Grande do Sul é hoje um dos estados mais focados na sustentabilidade e um dos exemplos disso é a transformação da matriz energética.