BRDE

BRDE e ANCINE tornam público a ata de resultado final de habilitação da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018 – Coprodução Uruguai-Brasil.

Acesse aqui a página desta Chamada.

Com um cenário favorável ao agronegócio e a perspectiva de ampliar os investimentos em inovação, energia, sustentabilidade e setor público, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) participará do Show Rural Coopavel 2019, de 4 a 8 de fevereiro, em Cascavel, Oeste do Paraná. O Banco terá estande próprio na feira para atender parceiros e futuros clientes.
O Banco levará ao Show Rural linhas de financiamento voltadas ao agronegócio, à inovação e a projetos de desenvolvimento sustentável. A novidade do BRDE nesta 31ª edição da feira será um segundo estande instalado no Show Rural Digital, para um atendimento diferenciado ao setor da inovação, uma das cadeias produtivas que mais crescem no mundo.
Durante a feira, o BRDE assinará contratos de financiamento com empresas, produtores e cooperativas da Região Oeste, no valor de aproximadamente R$ 100 milhões. Os contratos representam parte dos R$ 2,36 bilhões em financiamentos contratos pelo Banco em 2018 nos três estados do Sul. Desse total, R$ 776,4 milhões foram investidos no Paraná (32,89%).
Será assinado também convênio com a cooperativa de crédito Sicoob Cascavel Credicapital, no valor de R$ 10 milhões, para operações com recursos do Fundo Clima e outras linhas de financiamento a longo prazo do BRDE. A Sicoob Cascavel, fundada em 2001, tem 29 mil associados e 16 postos de atendimento na Região Oeste.
Tendências – O Show Rural Coopavel funciona como um termômetro de mercado e tendências para o ano por ser o primeiro grande evento do agronegócio no calendário do segmento e um dos maiores da América Latina. A feira promove a divulgação de produtos e conhecimentos agropecuários relativos à produção e a tecnologias voltadas para o campo.
O BRDE é um grande apoiador do agronegócio, com linhas de financiamento destinadas à produção de grãos e carnes, projetos de irrigação e armazenagem, florestas, recuperação de solos, inovação tecnológica em propriedades rurais e investimentos ligados ao beneficiamento, processamento e comercialização de produtos agropecuários.
Inovação – A edição do Show Rural 2019 terá 520 expositores. A expectativa de público nos cinco dias de evento é de 250 mil visitantes e de movimentação financeira, de R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões. A grande novidade será o Show Rural Digital, com a participação de cerca de cem empresas de tecnologia e inovação, que ocuparão um ambiente de 2,8 mil metros quadrados.
Entre as empresas já confirmadas estão a Microsoft, HP, Cisco, Totvs, Itaipu, Coca-Cola e Sebrae. O BRDE também participará do Show Rural Digital. As empresas integradas ao Show Rural Digital vão apresentar projetos de inovação e tecnologias para uma das cadeias produtivas que mais crescem e promovem transformações no Brasil e no mundo.
O BRDE tem na inovação um de seus principais focos de atendimento. No Show Rural, o Banco apresentará o BRDE Inova, programa destinado ao segmento e que facilita o acesso de empresas inovadoras ao crédito. O programa oferece três linhas de financiamento a projetos inovadores:
FINEP Inovacred – para empresas com receita operacional de até R$ 90 milhões, a linha financia o desenvolvimento e o aprimoramento de produtos, serviços e processos. Também pode financiar inovação em marketing ou inovação organizacional.
MPME Inovadora – para empresas de todos os portes que investem em inovação. Com financiamento a longo prazo, apoia o desenvolvimento e aprimoramento de produtos, processos, serviços; a inovação no ambiente produtivo ou social; a modernização de instalações de empresas inovadoras e a aquisição de softwares e serviços desenvolvidos no Brasil.
CRIATEC 3 – Fundo de Investimento em Participações criado por iniciativa do BNDES para investimento em micro e pequenas empresas. É a grande oportunidade para empreendedores que buscam o crescimento acelerado de seu negócio. Podem ser financiados projetos dos setores de inovação, agropecuária, biotecnologia, mídia, nanotecnologia e tecnologia da informação.
Para mais informações, visite no estande no Show Rural ou entre em contato pelo telefone (41 3219-8150) ou e-mail (brdepr@brde.com.br).

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) superou em 2018 os resultados do ano anterior e atingiu a maior diversificação de fontes de recursos de sua história. As contratações nos três estados do Sul chegaram a R$ 2,36 bilhões no ano passado, valor superior ao registrado em 2017, quando as operações somaram R$ 2,18 bilhões.
“Chegamos a esses resultados, atingindo a meta para 2018, mesmo com o cenário econômico ainda desfavorável, a limitação de investimentos nos municípios estabelecida pela legislação eleitoral, a redução nos repasses do BNDES e as alterações nas taxas de juros, com a substituição da TJLP pela TLP”, comemora o presidente do BRDE, Orlando Pessuti.
Além da receita operacional, contribuíram para os bons resultados de 2018 a redução de custos, proveniente do programa de demissão voluntária, e a manutenção de níveis aceitáveis de inadimplência, medidas que promoveram o crescimento sustentável do Patrimônio Líquido do banco em 6,8%, o que permitirá a alavancagem de mais financiamentos nos próximos anos.
As contratações feitas pela Agência Paraná do BRDE representam 32,89% do total de R$ 2,36 bilhões em financiamentos, o equivalente a R$ 776,4 milhões investidos em empreendimentos no Estado. Dado o perfil econômico do Estado, o agronegócio é o setor com maior representatividade nos financiamentos no Paraná em 2018.
Desafio – O grande desafio do BRDE em 2018 foi buscar novas fontes de recursos, (fundings), diante da redução de repasses do BNDES, historicamente o maior parceiro do banco. Para diminuir a dependência do BNDES e principalmente captar mais recursos, o BRDE elaborou uma política de diversificação de fundings, buscando parceiros dentro e fora do país.
Foi assim que o BRDE tornou-se agente financeiro do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e do Fundo Clima, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e operacionalizado via BNDES. Além disso, o BRDE fechou as duas primeiras parcerias com instituições financeiras internacionais em 57 anos de existência.
O Banco captou 50 milhões de euros na Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), recursos destinados ao financiamento de projetos relacionados à produção e consumo sustentáveis na Região Sul. E assinou recentemente contrato com o Banco Europeu de Investimentos (BEI) para captação de até 80 milhões de euros.
Os recursos captados no BEI serão investidos em projetos voltados a energias renováveis, eficiência energética e mobilidade. As parcerias internacionais foram possíveis devido ao compromisso do BRDE com o desenvolvimento sustentável. Hoje, o banco tem 83% de suas operações alinhadas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.
Uma terceira parceria internacional está a caminho. O BRDE terá 100 milhões de dólares (mais de R$ 370 milhões) captados no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para aplicação em projetos nas áreas de saúde, turismo e mercado de trabalho. Os recursos serão investidos em projetos dos municípios e os elaborados em parceria entre os setores público e privado.
Além disso, o BRDE ampliou os seus limites junto a outras instituições parceiras, como a FINEP – mantendo a sua condição de maior repassador de recursos de inovação do Brasil -, a Caixa/FGTS, viabilizando recursos para o financiamento a municípios da Região Sul e o Banco do Brasil/FCO para financiamento a projetos em Mato Grosso do Sul.
Desenvolve Sul – Outro impacto positivo na política de diversificação de fundings foi o aumento no orçamento do programa BRDE Desenvolve Sul, que opera com recursos próprios para todos os portes de empreendimentos e setores da economia. As operações do programa chegaram a R$ 96, 8 milhões até o momento.
Para reforçar a captação de novos fundings, como complemento às receitas de crédito, o BRDE manteve a prestação de serviços a outras instituições, tendo como maior caso de sucesso as operações por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O FSA, que é operacionalizado pela Agência Paraná, gera receitas expressivas sem risco de crédito.

BRDE e ANCINE tornam público o resultado final da Chamada Pública BRDE/FSA Suporte Automático – Desempenho Comercial Cinema 2018. A publicação no Diário Oficial da União dar-se-á no primeiro dia útil subsequente, 28 de janeiro de 2019.
Os recursos ficarão disponíveis por até dois anos, contados da publicação do resultado final no Diário Oficial da União, para investimento em novos projetos de PRODUÇÃO / COMERCIALIZAÇÃO / DESENVOLVIMENTO, aptos a constituir espaço qualificado, selecionados pelos Beneficiários Indiretos.
As destinações poderão ser realizadas a partir da publicação do resultado no Diário Oficial da União e deverão seguir as regras dispostas no Regulamento da Proposição de Investimento no Suporte Automático – https://www.brde.com.br/wp-content/uploads/2018/12/RPI-19-12-18.pdf
 
Acesse aqui a página desta Chamada.
 

Divulgamos, abaixo, inteiro teor da Declaração de Propósito publicada no Jornal Zero Hora e no Diário Indústria e Comércio, nos dias 15 e 16 de janeiro de 2019.
DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO
WILSON BLEY LIPSKI
CPF 694.920.859-68
DECLARA, nos termos do art. 6º do Regulamento Anexo II à Resolução nº 4.122, de 2 de agosto de 2012, sua intenção de exercer o cargo de Diretor Representante do Estado do Paraná no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE.
ESCLARECE que eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de quinze dias contados da divulgação, por aquela Autarquia, de comunicado público acerca desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito a vistas do processo respectivo.
BANCO CENTRAL DO BRASIL
Departamento de Organização do Sistema Financeiro – DEORF
Rua Sete de Setembro, nº 586 – sala 1.201
90010-190 – Porto Alegre (RS)
                                 Daniel Brito de Castro Bichuette
Chefe do Departamento de Organização do Sistema Financeiro, substituto.

Divulgamos, abaixo, inteiro teor da Declaração de Propósito publicada no nos jornais Zero Hora e Diário Indústria & Comércio, nos dias 22 e 23 de janeiro de 2019.
DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO
LUIZ CARLOS BORGES DA SILVEIRA
CPF 005.470.009-44
DECLARA, nos termos do art. 6º do Regulamento Anexo II à Resolução nº 4.122, de 2 de agosto de 2012, sua intenção de exercer o cargo de Diretor Representante do Estado do Paraná no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE.
ESCLARECE que eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de quinze dias contados da divulgação, por aquela Autarquia, de comunicado público acerca desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito a vistas do processo respectivo.
BANCO CENTRAL DO BRASIL
Departamento de Organização do Sistema Financeiro – DEORF
Rua Sete de Setembro, nº 586 – sala 1.201
90010-190 – Porto Alegre (RS)
                                 João Luiz Faustino Marques
Chefe do Departamento de Organização do Sistema Financeiro, substituto.

BRDE e ANCINE tornam público o lançamento do Edital de Coprodução Internacional 2019. As inscrições de projetos nas submodalidades A1 e A2 poderão ser realizadas a partir das 13:00h no dia 06/02/2019 e nas submodalidades B1 e B2 a partir das 13:00h no dia 13/02/2019.
Acesse aqui a página desta Chamada.

BRDE e ANCINE tornam público a ata de resultado preliminar da fase de habilitação da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018 – Coprodução Uruguai-Brasil.
 
Acesse aqui a página desta Chamada.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) terá US$ 100 milhões (mais de R$ 370 milhões) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para aplicação em projetos nas áreas de saúde, turismo e mercado de trabalho nos municípios dos três estados do Sul. Os recursos serão investidos em projetos dos municípios e os elaborados em parceria entre os setores público e privado.
A carta-consulta do BRDE para captação de recursos foi aprovada pelo governo federal em setembro de 2018. Nesta semana, tiveram início as reuniões entre os técnicos das duas instituições para formatação da proposta de investimento nos três estados.Gestores dos governos estaduais também participam das reuniões, para que a proposta leve em conta programas e diretrizes dos novos governantes.
Nas reuniões, são discutidos critérios de elegibilidade dos financiamentos e formas de identificação das demandas dos municípios. A previsão é que a autorização para contratação dos recursos seja anunciada antes do final de 2019. “O BRDE fez um bom trabalho para ter a captação de recursos aprovada”, disse a especialista em Saúde do BID, Márcia Rocha, em reunião em Curitiba, nesta quarta-feira (16).
“O projeto tem o objetivo de fazer com que recursos internacionais cheguem aos municípios com menos de 100 mil habitantes, que é uma limitação imposta pelo Tesouro Nacional. A expectativa é que esta fonte de financiamento de longo prazo tenha um impacto positivo no desenvolvimento da Região Sul”, comentou Túlio Cravo, especialista em Mercado de Trabalho e Previdência do BID.
O presidente do BRDE, Orlando Pessuti, destacou a robustez do banco, que passou de um capital social de R$ 85 milhões para R$ 1,2 bilhão em oito anos e os resultados de 2018, que alcançaram R$ 23,6 bilhões em investimentos no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, mesmo com a lenta recuperação da economia. “Parte desses bons resultados atribuímos à busca por novas fontes de recursos”, disse.
“Precisamos seguir um modelo de composição de investimentos, usando os recursos da maneira mais estratégica possível”, afirmou a especialista do BID Márcia Rocha, lembrando a importância de oferecer também aos municípios assistência técnica e ações de capacitação. “Devemos seguir a lógica do desenvolvimento integrado e regional, adicionando recursos aos planejamentos que já existem”, acrescentou.
Também integram a equipe técnica do BID a especialista em Turismo Juliana Bettini e o consultor de Mercado de Trabalho e Previdência Rodrigo Quintana. Os recursos contratados no Banco Interamericano de Desenvolvimento serão aplicados por meio do Programa de Promoção do Desenvolvimento Local da Região Sul, o Desenvolve Sul.
PARCERIAS – A captação de recursos no BID representa a terceira parceira internacional da história do BRDE, que já contratou 50 milhões de euros na Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e outros 80 milhões de euros no Banco Europeu de Investimentos (BEI). Os recursos contratados na AFD são destinados ao financiamento de projetos relacionados à produção e consumo sustentáveis na Região Sul.
Os recursos captados no BEI serão investidos em projetos voltados a energias renováveis, eficiência energética e mobilidade. As parcerias internacionais foram possíveis devido ao compromisso do BRDE com o desenvolvimento sustentável. Hoje, o banco tem 83% de suas operações alinhadas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.
As parcerias internacionais fazem parte da política de diversificação de fontes de recursos (fundings) adotada pelo BRDE para diminuir a “dependência” do BNDES e, principalmente, captar mais recursos. Em 2018, os novos fundings passaram a representar 26,7% do total das contratações do BRDE, ante 6,6% no ano anterior.
RESULTADOS – Dos R$ 2,36 bilhões contratados pelo BRDE no ano passado, 32,89% foram investidos em empreendimentos no Paraná, o equivalente a R$ 776, 4 milhões. Dado o perfil econômico do estado, o agronegócio é o setor com maior representatividade nos financiamentos paranaenses em 2018. O resultado geral superou os números de 2017, quando as operações somaram R$ 2,18 bilhões.
“Chegamos a esses resultados atingindo a meta para 2018, mesmo com o cenário econômico ainda desfavorável, as limitações de investimentos nos municípios estabelecidas pela legislação eleitoral, a redução nos repasses do BNDES e as alterações nas taxas de juros, com a substituição da TJLP pela TLP”, avalia o presidente do BRDE, Orlando Pessuti.
Saiba mais sobre as linhas de financiamento do BRDE para investimentos nos municípios. Acesse o portal www.brde.com.br ou entre em contato com a agência do banco em Curitiba pelo telefone (41) 3219-8150 ou endereço eletrônico brdepr@brde.com.br.

BRDE e ANCINE tornam público a retificação Nº 02 do Edital da Chamada Pública BRDE/FSA Concurso Produção para Cinema 2018: Coprodução Uruguai-Brasil em virtude de alterações do Edital.
 
Acesse aqui a página desta Chamada.