BRDE

O longo dos últimos quatro anos o MARGS recebe recursos do Banco que permitem a realizações de exposições e qualificação do acervo

Criado em 1954, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) é o mais importante museu de arte do Estado e um dos principais do país. Seu acervo reúne mais de cinco mil obras diversas, entre pinturas, fotografias, esculturas, desenhos e outras. O MARGS é uma instituição pública e conta com apoio financeiro de parceiros, como o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), para dar seguimento ao importante papel de valorização da arte.

Com o apoio do banco desde 2017, o projeto ‘Plano Anual MARGS’ recebeu em torno de R$ 240 mil de incentivos fiscais O projeto é estruturado para dar continuidade aos trabalhos que já vêm sendo realizados pelo museu, tais como reparos de obras, manutenção interna, aquisições, elaboração de catálogos, realização de exposições, apresentações musicais e ações educativas com o objetivo de atrair o público para a visitar seu acervo. “Com a pandemia, foram acrescidas, a nossa programação, as atividades online”, destaca Ilita Patrício, tesoureira da instituição.

Museu voltou a receber público, mas seguindo protocolos de prevenção á Covid-19

Neste ano, grande parte do valor foi investido na exposição de retomada das atividades após a flexibilização das medidas de combate à pandemia, em catálogos e na garantia dos materiais necessários para o cumprimento dos protocolos. A reabertura, após as reformas de 2020 que foram também apoiadas pelo BRDE, ocorreu em maio deste ano e contou com duas exposições inéditas, ocupando oito galerias e o foyer do Museu.

 Valorização da arte

Por ser um processo de criação, fabricação ou produção de algo por sujeitos, a arte está sempre ligada à história da sociedade à qual ela pertence. Se um povo sem memória é um povo sem história, podemos compreender a importância de conservar e investir em acervos tão ricos quanto o do MARGS. Contribuir para que a cultura seja valorizada é o objetivo do BRDE ao ser um dos apoiadores do Plano Anual MARGS 2021.

“Sem esse apoio financeiro que recebemos, a gestão do MARGS seria praticamente impossível, porque as verbas públicas estão mais ou menos restritas. O que permite a vida e a manutenção do Museu são os patrocínios que a Associação de Amigos do Museu de Artes do Rio Grande do Sul Aldo Malagoli recebe. O BRDE é nosso fiel amigo há alguns anos, e, graças a ele, o museu continua funcionando”, destaca Ilita. A conservação permitiu, por exemplo, a abertura, em 2021, de uma exposição que repete a primeira da história do MARGS, que ocorreu em 1950, com as primeiras obras adquiridas e que estão na pinacoteca do museu.

Tal apoio possibilita o alcance dos objetivos estabelecidos pela gestão do MARGS: colecionar, catalogar, conservar, restaurar e exibir as obras. “O Museu se preocupa muito com a preservação e ampliação do seu acervo. Para isso, são necessárias ações que envolvam manutenção das obras presentes e aquisição de obras de arte por meio de compras com as verbas dos patrocinadores, as únicas que nós temos para este fim”, explica. Em 2021, o investimento do projeto foi utilizado para compra de novas peças. Além de preservar e ampliar o acervo, a atual gestão pretende viabilizar toda arte que tenha valor artístico, estético, histórico e cultural, seja brasileira ou estrangeira.

Serviço

O MARGS funciona de terça-feira a domingo, das 10 às 19 horas e possui entrada franca. Devido aos protocolos de combate ao Covid-19, o acesso às galerias é limitado em relação ao número de pessoas por ambiente e foram instalados dispensers de álcool em gel e medição de temperatura ao ingresso no prédio, localizado no Centro Histórico de Porto Alegre. É possível conferir a agenda completa de exposições em www.margs.rs.gov.br.

Incentivos Fiscais

O período de inscrições da seleção pública de projetos que terão apoio do BRDE em 2021 terminou na última sexta-feira (15/10). Agora os projetos serão avaliados por uma comissão específica e, depois de definas as propostas selecionadas, os repasses financeiros deverão ocorrer até o final do ano para as respectivas entidades.

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.  No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) fechou o mês de setembro alcançando a marca de R$ 118,4 milhões em operações de crédito já liberadas ou aprovadas para projetos de geração de energia com fontes renováveis apenas para o Rio Grande do Sul.  O volume representa um aumento de 350% em relação a todo o ano anterior, quando foram liberados R$ 26,1 milhões. Destaque para a implantação de uma pequena Central Hidrelétrica (PCH), no município de Tio Hugo, projeto liderado pela Coprel – Cooperativa de Geração de Energia e Desenvolvimento, que terá financiamento do BRDE de R$ 96 milhões.

Para este ano, foram disponibilizados R$ 300 milhões para atender a essa demanda de mercado no RS. Com um mix de fundos nacionais e internacionais e de recursos próprios, o BRDE vem financiando desde centrais de geração hídrica, parques eólicos, energia solar e até com o uso de biomassa em ações de sustentabilidade na atividade agropecuária. A procura maior é por pequenas centrais hidrelétricas (com potência instalada entre 5 MW a 30 MW) e centrais geradores (até 5 MW de potência).

Ciente das potencialidades da geração de energia com fontes renováveis para o estado e região Sul, o BRDE prepara ações mais ambiciosas para atender a demanda do setor. Conforme a diretora-presidente Leany Lemos, a ideia é definir um marco com forte aporte de recursos para financiamentos ao longo dos próximos anos. “É uma questão estratégica para a economia da região Sul, sermos a região sustentável do país”, destacou.

As perspectivas e demandas em termos de geração de energia com fontes renováveis ficaram evidenciadas durante seminário sobre o tema, promovido pelo banco ainda no mês de agosto. Na oportunidade, o evento debateu as alternativas de financiamento e o quanto a demanda de diferentes setores produtivos trazem de impacto ao desenvolvimento regional e nacional. Os debates contaram com a participação do Ministério de Minas e Energia e representantes dos governos dos três estados do Sul do país.

Em encontro organizado pela prefeitura de Uruguaiana, empresários, produtores rurais e gestores públicos de municípios que integram a Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul tiveram a oportunidade de conhecer, nesta quinta-feira (14/10), os principais programas de crédito que o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tem à disposição para apoiar projetos de desenvolvimento econômico e social da região. Na oportunidade, a diretora-presidente do BRDE, Leany Lemos, e o diretor de  Planejamento, Otomar Vivian, apresentaram as diferentes modalidades de financiamento voltados a investimentos de longo prazo e capital de giro disponíveis.

Encontro mobilizou empresários e gestores públicos

Além de ser um parceiro estratégico em apoio ao agronegócio, o BRDE vem atuando no financiamento de projetos na área do turismo, inovação e na geração de energias com fontes renováveis. Para auxiliar as empresas de diferentes portes diante dos impactos da pandemia de Covid-19, o banco ampliou sua disponibilidade de recursos para capital de giro, incluindo micro e pequenas empresas atendias através de parcerias operacionais. Destaque neste ano para o programa BRDE Empreendedoras do Sul, que passou a financiar empresas lideradas por mulheres na região Sul.

Diretor de Planejamento acompanha roteiro pela Fronteira Oeste

A reunião aconteceu no Salão Nobre Rio Branco e contou com as presentas do líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes; do prefeito de Uruguaiana, Ronnie Mello; dos secretários municipais Rodrigo Santariano (Desenvolvimento Econômico), Valdir Venes (Fazenda) e Marcelo Parraga (adjunto de Planejamento Estratégico). Prefeitos, vereadores e dirigentes de entidades empresariais, sindicatos rurais, sindicatos aduaneiros e instituições hospitalares da Fronteira Oeste também acompanharam a apresentação dos programas do BRDE.

Roteiro
O evento na prefeitura de Uruguaiana marcou o início de dois dias que os diretores do BRDE terão na região. Ainda nesta quinta-feira, a presidente e o diretor de Operações do banco participam da posse da nova diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município.

Já nesta sexta-feira (16/10), os diretores estão em Santana do Livramento. O primeiro compromisso é uma agenda na prefeitura local, seguindo de visitas a empresas que atuam em parceria com o banco.

Ao final do dia, está prevista uma reunião de trabalho as lideranças empresariais da cidade, no Palácio do Comércio. Será uma reunião conjunta da Associação Comercial e Industrial e da Câmara de Dirigentes Lojistas.

O centro hospitalar é referência em atendimento oncológico no estado do Paraná

Para pesquisar, diagnosticar e tratar um dos maiores estigmas da sociedade médica, o câncer, em 1970 nasceu o Hospital Erasto Gaertner. Hoje, depois de muitos avanços, o centro é considerado uma referência nos diagnósticos e tratamentos do câncer.

Com 80% de seu atendimento voltado para o Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Erasto Gaertner é um centro médico filantrópico localizado em Curitiba, capital paranaense. E para manter seu tripé no tratamento contra o câncer (cirurgia, quimioterapia e radioterapia) o hospital precisa de recursos, vindos por meio de Incentivos Fiscais. É o caso do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), que já apoiou dois projetos com o objetivo de apoiar iniciativas que fazem a diferença na vida da população.

Um dos projetos que recebe ajuda dos incentivos é o Vida do Idoso e Tratamento de Câncer. “Este projeto é direcionado para custeio do hospital, ou seja, vai para o fluxo de caixa. Este recurso é importante porque mantém o equilíbrio do centro hospitalar em funcionamento, já que esse dinheiro é direcionado para pagamento de medicamentos e pagamento de terceiros, como luz, água, lavanderia e outros”, afirma o analista de negócios e coordenador de projetos de incentivo fiscal do Hospital Erasto Gaertner, Carlos Roberto Schuster Pinto.

O projeto voltado ao idoso atende três mil pacientes pelo SUS no ano, totalizando 30 mil procedimentos de diagnóstico e tratamento do câncer no Erasto. Segundo Schuster, são nove mil cirurgias oncológicas, 300 mil doses de radioterapia e 70 mil doses de quimioterapia.

Outro projeto do hospital, também muito importante para o funcionamento do centro, recebe recursos de incentivos fiscais, o de Renovação Tecnológica da Unidade Oncopediátrica do Erastinho, hospital do centro que atende crianças e adolescentes de 0 a 18 anos que foram diagnosticadas com câncer.

Centro hospitalar é referência para tratamento do câncer em todo o estado

Inaugurado há um ano, o projeto veio para “rechear” o Erastinho, segundo o coordenador. “Com capacidade de 48 leitos, 17 mil consultas, 500 cirurgias e 85 mil procedimentos anuais, os recursos foram usados para compra de equipamentos para radio e quimioterapia, equipamentos de informática e demais materiais que ainda faltavam para atender o público”, conclui Schuster.

Em 2018, o projeto que recebeu recursos do banco foi o do idoso. Já em 2020, foi a vez do Erastinho, que estava se preparando para iniciar seus atendimentos. “O Hospital Erasto Gaertner é um centro de referência não só para quem é de Curitiba, mas de todo o Paraná. Visando sempre na melhoria e inovação dos atendimentos oferecidos por esta instituição que tem um trabalho tão sério e responsável, nós apoiamos dois projetos nos últimos anos do Erasto”, afirma o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley.

 Inscrições terminam nesta sexta-feira

 O período de inscrições da seleção pública de projetos que terão apoio do BRDE em 2021 termina nesta semana. As entidades interessadas terão até o próximo dia 15 de outubro (sexta-feira) para realizar o cadastramento de suas propostas ou concluir os processos em andamento.  O formulário segue disponível exclusivamente na forma digital no Portal de Incentivos. ser realizado através do Portal de Incentivos. O formulário está disponível exclusivamente na forma digital.

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.  No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

Fotos: José Fernando Ogura/AEN

BRDE mantém seu apoio à instituição desde 2015

Transformar a vida de crianças e adolescentes através da arte, proporcionando uma formação artística-cidadão de qualidade e a possiblidade de um futuro profissional na dança é a missão da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Única filial fora da Rússia, a escola é sediada em Joinville, em Santa Catarina, a entrada dos estudantes é feita através de seletivas nacionais em regiões ou extratos da sociedade menos favorecidos, visando resgatar essas crianças de uma possível marginalização, dando a elas uma formação profissional.

A instituição recebe por ano 240 estudantes. Com o ensino fornecido de maneira gratuita, o curso tem duração de oito anos e as aulas acontecem no contraturno escolar. O teatro também conta com aulas de professores brasileiros e russos e pianistas nacionais. Projetos e ações sociais realizados pela escola, tais como palestras de formações e eventos, são apoiados por empresas parceiras através das leis de incentivo à cultura, com objetivo de difundir a arte-educação para toda comunidade.

Bolshoi proporciona mudanças na vida dos estudantes

O apoio financeiro das empresas é de extrema importância para o instituto, pois é a partir dele que a escola consegue manter as bolsas dos alunos além de custos de estrutura e despesas de funcionários. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) mantém seu apoio desde 2015, repassando valores que variam entre R$ 75 mil e R$ 120 mil por ano.

“O apoio de empresas como o BRDE, que chamamos de Amigos do Bolshoi, compõem uma das principais fontes de recursos para o custeio do Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.” afirma Alessandra Rocha responsável pelas Relações Institucionais da Escola. Ela ainda reitera, que o apoio do BRDE promove a sustentabilidade social e transforma a vida de crianças e adolescentes de baixa renda por meio de educação de excelência, numa estrutura adequada e com profissionais de qualidade.

Escola de Joinville é a única fora da Rússia

Um palco de sonhos

“Temos hoje um indicador que traduz todo o resultado do trabalho na Escola, que é a empregabilidade. 72% dos alunos formados na Escola estão trabalhando na área da dança, em 21 países do mundo, incluindo o Brasil também. São crianças que saem de uma situação de vulnerabilidade para um protagonismo”, comenta Alessandra, numa referência às mudanças que a escola proporciona a vida dos estudantes.

A Escola do Teatro Bolshoi é hoje uma das maiores referências no mundo da cultura e da arte. Não apenas por levar essas manifestações tão importantes para sociedade à jovens que não tem oportunidades de vivenciá-las, mas também por fomentar sonhos através de seus ensinos.

Novo prazo

Na última quinta-feira (30/9), o BRDE decidiu ampliar em mais duas semanas o prazo de inscrições para 2021. A prorrogação se deve em razão de relatos das entidades que estariam enfrentando dificuldades em obter as autorizações junto aos respectivos Ministérios.  Agora, o prazo se encerra no dia 15 de outubro.  Todo o processo de cadastramento deve ser realizado através do Portal de Incentivos. O formulário está disponível exclusivamente na forma digital.

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.  No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

 

Com investimentos de R$ 112,3 milhões com recursos próprios, o governo do Estado do Rio Grande do Sul anunciou, nesta quinta-feira (30/9), o programa Avançar na Inovação. Parte expressiva deste recurso será destinada a atender os editais lançados no mesmo evento por parte da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict), que contemplarão projetos para estimular empreendedorismo no setor de jogos, a criação de laboratórios de referência e de ambientes de negócios para emprego de tecnologia em locais inovadores, em qualquer cadeia produtiva.

Além da Secretaria, os recursos irão contemplar projetos da Universidade Estadual do RS (Uergs) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do RS (Fapergs). Ao divulgar o que é considerado o maior investimento público em favor da inovação nos últimos dez anos, o governador Eduardo Leite destacou a importância deste investimento estar conectado com uma agenda de futuro em termos do desenvolvimento do Estado.

Realizado no Instituto Caldeira, em Porto Alegre, o lançamento do programa contou com a participação do diretor de Planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Otomar Vivian. “Somos uma instituição que está voltada ao apoio de projetos de inovação e este evento, reunindo todos os atores do ecossistema gaúcho, mostra a sinergia entre as políticas públicas, universidades, parques tecnológicos e as empresas do setor”, destacou o diretor.

Além de financiar projetos de empresas, Vivian lembrou que o BRDE também se preocupa em preparar os futuros profissionais, uma vez que o mercado está com uma demanda crescente. O banco é patrocinador do programa Dev The Devs, que irá oportunizar que mil jovens da rede estadual tenham a oportunidade de realizar uma formação gratuita na área da tecnologia. Lançado há duas semanas, o programa é conduzido pelo Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), da Rede Gaúcha de Ambientes Inovadores (Reginp) e da Associação de Empresas de Tecnologia (Assespro-RS), com apoio das secretarias estaduais de Educação e de Inovação. O superintendente da Agência de Porto Alegre, Paulo André Raffin, também esteve presente no lançamento do Avançar na Inovação.

Fotos: Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini

Entidades terão agora mais duas semanas para encaminhar seus projetos

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) decidiu prorrogar o período de inscrições da seleção pública de projetos que terão apoio da instituição por meio de leis de incentivo fiscal. Com a ampliação do prazo, agora as entidades interessadas terão até o próximo dia 15 de outubro para realizar o cadastramento de suas propostas ou concluir os processos em andamento.  O formulário segue disponível exclusivamente na forma digital no Portal de Incentivos.

A decisão em prorrogar o tempo de inscrições, que inicialmente se encerrava nesta quinta-feira (30/9), decorreu das limitações ainda impostas pela pandemia de Convid-19 na obtenção dos documentos necessários. Várias entidades relataram dificuldades nas últimas semanas na liberação de autorizações dos processos, o que limitaria o acesso à seleção promovida pelo Banco.

Já são mais de 400 entidades da região Sul que, até o momento, encaminharam os seus processos ou o iniciaram o cadastramento. A inciativa do BRDE constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná.

Desde 2015, o BRDE já disponibilizou mais de R$ 23,7 milhões para instituições dos três Estados.  No ano passado, foram selecionados 106 projetos, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Os projetos selecionados terão os recursos disponibilizados até o dia 28 de dezembro deste ano.

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar projetos por meio dos seguintes mecanismos de renúncia fiscal:

Para outras informações:

Rio Grande do Sul: duvida.incentivofiscalRS@brde.com.br

Santa Catarina: duvida.incentivofiscalSC@brde.com.br

Paraná: duvida.incentivofiscalPR@brde.com.b

Diretores do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) conheceram alguns dos primeiros empreendedores do Estado atendidos pelo Programa SC Mais Renda Empresarial. Marcelo Haendchen Dutra e Vladimir Arthur Fey conversaram com representantes de cooperativas parceiras em Pinhalzinho, Modelo e Faxinal dos Guedes, ouviram o feedback de micro e pequenos empresários que acessaram a linha de crédito, e participaram de eventos do Governo do Estado onde o programa foi apresentado a lideranças locais. Neste momento a região Oeste catarinense tem o maior número de contratos firmados, seguida pelo Vale do Itajaí e Norte catarinense.

“O dinheiro veio em boa hora, e com uma condição super vantajosa”, comemora a comerciante Ivania Salete Michelin, de Modelo. Ela é associada da Sicoob Creditaipu, uma das cooperativas parceiras do BRDE.

Desde agosto, quando o SC Mais Renda Empresarial foi lançado, o BRDE aprovou mais de 776 operações em 134 cidades, disponibilizando ao mercado aproximadamente R$ 65 milhões. Podem solicitar o empréstimo de até R$ 100 mil, MPEs com faturamento bruto de até R$ 4,8 milhões/ano, de áreas ligadas aos setores de turismo, bares, restaurantes, eventos, educação, transportes, salões de beleza e estética, comércio varejista e atacadista, atividades de contabilidade, artigos de vestuário e confecções de vestuário. Além do pagamento das parcelas em dia, para ter direito aos juros subsidiados pelo Governo do Estado, os micro e pequenos empreendedores beneficiados devem manter quadro de funcionários compatível com a realização da sua atividade econômica, mantendo, no mínimo, o mesmo quadro de funcionários pelo período da carência concedida. Além do BRDE a Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc) atua com esta linha, cujo juro é subsidiado pela Secretaria de Estado da Fazenda.

“Esse projeto atende uma determinação do Governador Carlos Moisés: garantir capital de giro para empresas fortemente impactadas pela pandemia. E a intensa procura pelo crédito nestes primeiros dois meses só comprova como é grande a demanda reprimida”, explica Marcelo Haendchen Dutra, diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE.

Em paralelo às operações de Micro e Pequenos Empreendedores, o banco começou no dia 22 uma nova fase do programa SC Mais Renda, voltada à Micro Empreendedores Individuais (MEI’s) de todas as áreas. Também através de cooperativas parceiras eles poderão financiar até R$ 10 mil, com prazo de carência de seis meses mais doze meses para pagamento do empréstimo.

“Nesta primeira fase contamos com o apoio do Sicoob e Cresol, que nos permitem chegar a 64% da população catarinense. Mas a expectativa é que o número seja ampliado gradativamente, procurando atender todas as cidades do Estado”, complementa o Diretor Financeiro, Vladimir Arthur Fey.

Já com um histórico de aprimoramento das estruturas de governança, gestão de riscos e controle interno, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) acaba de formalizar sua adesão ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC). Com o objetivo de reduzir os níveis de fraude e corrupção no Brasil a patamares similares aos de países desenvolvidos, o projeto pretende mobilizar dirigentes, instituições de controle e gestores públicos.

Para integrar o programa e receber a marca de participante, o BRDE submeteu-se a uma avaliação sobre mecanismos que medem o nível de atuação da organização em termos de prevenção, investigação, detecção e correção da sua governança, buscando identificar eventuais pontos vulneráveis. “O banco vem se aprimorando de maneira contínua nos seus processos internos, buscando sempre agregar boas práticas. Com a adesão ao programa, reafirmamos nosso compromisso público em promover a integridade e a ética, sempre com transparência. Somos um banco público e precisamos prestar contas à sociedade”, destacou a diretora-presidente, Leany Lemos.

O PNPC busca avaliar todas as organizações públicas do Brasil, mobilizando as redes de controle e os gestores através dos Estados. A partir de um mapeamento e diagnóstico das situações mais suscetíveis à corrupção, o programa pretende apontar caminhos para padrões de integridade de alto nível, com geração de relatório, avaliação e homologação da rede de controle.

Banco já destinou mais de R$ 23,7 milhões a entidades por meio de leis de incentivo fiscal

Termina nesta quinta-feira (30/9) o período de inscrições das entidades interessadas em ter o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) por meio de leis de incentivo fiscal. Até o momento, perto de 300 entidades da região Sul já iniciaram os processos de cadastramento dos seus projetos através do Portal de Incentivos. O formulário está disponível exclusivamente na forma digital.

A inciativa do banco constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná. Desde 2015, o BRDE já disponibilizou mais de R$ 23,7 milhões para instituições dos três Estados.

Os projetos apoiados qualificam equipes e programações de entidades que prestam atendimento a crianças, jovens e idosos; promovem atividades de educação pelo esporte e competições que valorizam atletas; permitem a aquisição de equipamentos para hospitais, creches e asilos; estimulam a produção e a distribuição de livros para escolas e bibliotecas públicas; possibilitam apresentações de dança, música, artes visuais e cênicas, bem como a valorização do patrimônio arquitetônico e histórico, e ajudam a manter programações anuais de instituições como museus, centros de cultura e orquestras, entre outras.

Recursos

O edital de 2021 para seleção pública foi lançado em 17 de junho, durante as comemorações dos 60 anos de atuação do BRDE na região Sul do país. No ano passado, foram selecionados 106 projetos, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Os projetos selecionados terão os recursos disponibilizados até o dia 28 de dezembro deste ano.

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar projetos por meio dos seguintes mecanismos de renúncia fiscal:

Lei Federal de Incentivo à Cultura 8.313, de 23/12/1991;

Lei Federal 8.685, de 20/7/1993 (Lei do Audiovisual);

Lei Federal 11.438, de 29/12/2006 (Lei de Incentivo ao Esporte);

Lei Federal 8.069, de 13/7/1990 (Fundo da Infância e da Adolescência);

Lei Federal 10.741 (Estatuto do Idoso) e Lei Federal 12.213 (Fundo Nacional do Idoso);

Lei Federal 12.715/2012 e Decreto 7.988/2013 – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas).

Para outras informações:

Rio Grande do Sul: duvida.incentivofiscalRS@brde.com.br

Santa Catarina: duvida.incentivofiscalSC@brde.com.br

Paraná: duvida.incentivofiscalPR@brde.com.b