BRDE

A página oficial do Espaço Cultural BRDE – Governador Celso Ramos, da agência de Florianópolis, está oficialmente no ar!

O site conta com a possibilidade de agendamento online para a visitação das exposições e demais eventos culturais que ocorrem no espaço. Infelizmente as atividades presenciais no Espaço Cultural BRDE – Governador Celso Ramos estão temporariamente suspensas em decorrência da pandemia da Covid-19. Assim que as atividades forem retomadas, e que novas exposições fizerem parte da programação do local, ocorrerá uma notificação na plataforma, avisando que o agendamento presencial se encontra disponível novamente.

Pensando em disponibilizar conteúdo para o público durante o período pandêmico, o site também conta com um acervo de exposições que já foram realizadas no local, resgatando o trabalho dos artistas que ajudam a construir a história do Espaço Cultural.

A construção do site foi coordenada pela Gerência Administrativa (GERAD), que atualmente responde pela administração do espaço. O desenvolvimento se deu pela DeV2 que contou com o apoio da Assessoria de Comunicação (ASCOM) e da Comissão Cultural formada por funcionários da agência, para elaboração dos conteúdos e ideias criativas.

Quem quiser conferir a nova página e rever exposições que já ocorreram no espaço, pode acessar através do endereço: https://www.brde.com.br/espacoculturalflorianopolis/

Melhorar a qualidade de vida da população idosa e reduzir a sobrecarga juntos aos hospitais públicos. São com esses objetivos que a Associação Hospitalar São José de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, desenvolve o projeto 60+, que conta com o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) com repasses financeiros através das leis de incentivos.

De forma inovadora e sustentável, o projeto da Associação São José trabalha na assistência à saúde da população da faixa etária com mais de 60 anos, o que incluiu apoio psicológico e terapêutico aos idosos em situação vulnerável ou de solidão, socialização para com os seus pares e com a sociedade, além de promover sua reinserção no âmbito familiar. Com isso, há aperfeiçoamento nos serviços de saúde gratuitos já prestado aos idosos da região pelas políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS).

Desde o início do apoio do BRDE, em 2018, foram repassados cerca de R$ 55 mil à instituição. Com a verba, o hospital de Jaraguá do Sul investe em equipamentos para assistência hospitalar, assim como em ações de equipes multidisciplinares e sua qualificação na prestação da assistência aos idosos. Até o momento, foram 4.596 pacientes que foram beneficiados diretamente pelo projeto 60+, e 9.192 familiares alcançados indiretamente pelo programa.

“O apoio do BRDE foi de extrema importância para o início e execução do projeto, possibilitando o atingimento do objetivo de qualificação do atendimento ao Idoso. Foram diversas ações, histórias e conquistas vivenciadas e sabemos que o BRDE faz parte dessa transformação e dos resultados que alcançamos”, destaca o coordenador de Captação de Recursos do Hospital São José, Jeferson Ferrari.

Lei de Incentivos

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

O edital de seleção para os projetos que serão contemplados em 2021 já está disponível. Os pedidos de apoio aos projetos são recebidos exclusivamente em meio eletrônico, através do Portal de Incentivos, disponibilizado no site do BRDE. No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

 

Concebido e realizado pela SVB Par, o empreendimento Pontal Shopping foi lançado nesta quinta-feira (1º/7), em Porto Alegre, em evento virtual transmitido pelo YouTube. O shopping integra o grande complexo multiuso que está em construção na Orla do Guaíba, em localização privilegiada. Do valor total de R$ 235 milhões do investimento na construção do shopping, R$ 50 milhões foram financiados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul.

Serão mais de 28 mil metros quadrados de área bruta locável, com capacidade para abrigar 172 lojas em três pisos, além de salas de cinemas, 21 elevadores e 18 escadas rolantes. O conceito adotado é o Life Center, um local onde o visitante, além de fazer compras, poderá resolver pendências do dia a dia, descansar, fazer refeições e ter momentos de lazer.

“A experiência única do Pontal Shopping é complementada com o pôr do sol mais lindo do Brasil e com o contato direto com a natureza, tanto no parque quanto no interior do Life Center, que terá um projeto paisagístico para garantir conforto e qualidade de vida para todos que nele circularem”, informam os executivos da SVB Par.

O complexo multiuso no qual o Pontal Shopping está localizado contará com hotel, um hub de saúde, consultórios, escritórios, um centro de eventos e ainda um parque público que será totalmente revitalizado, contornando a Orla do GuaíbaA liberação dos espaços para ocupação dos lojistas e dos escritórios deverá iniciar a partir de abril de 2022 e a abertura do complexo para o público está prevista para a primavera de 2022. A expectativa é que seja marcada por um grande evento ao ar livre.

O estágio das obras pode ser acompanhado pelo site https://pontalshopping.com.br/

Os diretores do BRDE se reuniram nesta quarta-feira (30) com o presidente da Sicredi Vale Piquiri ABCD PR/SP, Jaime Basso, para receber, em forma de homenagem aos 60 anos de história, um troféu em formato de escada. A instituição começou sua história no final anos 1980, contribuindo com a geração de riquezas para o povo paranaense.

“É uma escada da origem da cooperativa. Ela começou a funcionar em 1988 literalmente embaixo de uma escada. Este troféu é uma réplica de onde começamos e ajuda a destacar onde chegamos”, afirmou Jaime Basso.

O trabalho em conjunto iniciou com um projeto avícola implantado pela C.Vale e a Sicredi. No entanto, havia necessidade de financiamento para produtores rurais, recurso que a cooperativa não podia repassar. Assim nasceu a parceria com o BRDE, oferecendo recursos que geraram confiança e credibilidade.

Com a união, que cresceu ano a ano, a cooperativa conquistou mais associados, contribuindo para o crescimento da região Norte do Paraná. Hoje, nos 43 municípios do Estado, nos oito do ABCD paulista e São Paulo, a cooperativa reúne 180 mil associados. “Quando uma cooperativa se desenvolve, o associado também cresce e, claro, a sociedade”, completou Basso.

Junto ao BRDE, a Sicredi já realizou 2.236 contratações, totalizando R$ 68 milhões. O ticket médio é de R$ 30 mil, sendo a maioria financiamentos pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

“Estamos juntos há muito tempo, gerando frutos por onde passamos. Este é nosso objetivo, ajudar instituições e a população a crescer e gerar uma economia cada vez mais forte e igualitária”, disse o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley.

Qualidade de Vida

A parceria entre as instituições também gerou possibilidade de crescimento e diversificação de atividades de muitos produtores rurais. Assim, conseguiram melhorar sua renda e qualidade de vida, levando filhos à faculdade, cenário bem diferente da simples produção primária.

“Todo o investimento que foi feito pelo BRDE tem um papel importante não só no financiamento dos aviários, mas também na instalação da indústria e da geração de empregos e renda. Se formos analisar o Índice de Desenvolvimento Humano dessa região antes desses investimentos e agora muda completamente. A região está com mais qualidade de vida, mais renda, mais receita, mais empregos. Tudo isso graças a parcerias como essa”, disse o presidente da cooperativa.

Desde sua fundação, em 1988, a Sicredi Vale Piquiri ABCD PR/SP financiou em torno de mil aviários, levando recursos à região da divisa. “Os frangos produzidos nos aviários consomem milho e soja, o que resulta numa riqueza de R$ 1,2 bilhão. Vendendo a carne desse frango, alcançamos a marca de R$ 3 bilhões. É uma cadeia que agrega renda e promove o desenvolvimento”, completou Basso.

A diretora-presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Leany Lemos, recebeu em audiência, na manhã desta quarta-feira (30/6), o secretário nacional de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura,  Fernando Kohlmann Schancke. O encontro teve a participação também do diretor de Planejamento do banco, Otomar Vivian, e do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Sul, Edson Brum.

 Na oportunidade, foram abordadas as diferentes ações buscando o fortalecimento da agricultura familiar no país e projetos específicos desenvolvidos no âmbito do RS. Conforme Schancke, houve uma ampliação em termos de operações de crédito e da contratação do seguro rural para as atividades nas pequenas propriedades rurais. Ele está deixando a Secretaria para assumir em breve o cargo de diretor de Projetos do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), organismo que congrega 34 países em apoio ao desenvolvimento agrícola e bem-estar rural.

Através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), desde o ano passado foram cerca de R$ 70 bilhões em crédito concedido, aumento de 21.6% na comparação com a safra 2018/19. Apenas para o RS, foram liberados R$ 17,4 bilhões.

 O Programa de Seguro Rural ampliando a cobertura para mais de 2,6 milhões de hectares no ano passado, quando a média dos últimos períodos ficava em torno de 900 mil hectares. A agricultura familiar reúne cerca de 77% dos estabelecimentos rurais do Brasil e respondem por 23% do PIB Agropecuário.

 

 

Cobertores doados por funcionários do BRDE/AGFLO foram entregues nesta quarta-feira (30) para a campanha promovida pela Rede Laço de Voluntariado. O movimento de arrecadação começou no dia 21 de maio quando um ponto de coleta foi instalado na recepção da Agência. Dos cobertores recebidos ou adquiridos através de doações em dinheiro, vinte foram enviados no fim de maio para a cidade de Campos Novos, atingida por um tornado. Outros cento e um foram embalados e entregues em mãos para a presidente da instituição e primeira-dama, Késia Martins da Silva. A doação coincidiu com a chegada de uma massa de ar polar que nesta semana baixou bruscamente a temperatura em todas as regiões do Estado. “O BRDE foi a primeira instituição a trazer as doações para o nosso Dia D. E é muito legal ver que, além da quantidade muito significativa, tudo foi feito com muito carinho e esmero”, comentou a primeira-dama.

Os diretores Marcelo Haendchen Dutra e Vladimir Arthur Fey representaram a instituição durante a entrega. E destacaram o engajamento dos colaboradores do banco na campanha. “Sabemos que houve um esforço porque este é o tipo de trabalho que tem um resultado visível. E que reverte para quem mais precisa”, destacou o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra. “É o tipo de atitude que está conectado com os valores do nosso banco. E que, junto com as demais doações, deve ajudar milhares de pessoas por todo Estado”, complementou o diretor Financeiro, Vladimir Arthur Fey.

A Campanha Cobertor Solidário da Rede Laço de Voluntariado tem o objetivo de estimular a doação de cobertores, mantas e edredons, novos ou usados, higienizados, em bom estado e embalados, em todos os municípios catarinenses. As arrecadações ocorrem em todas as cidades e serão destinadas a pessoas e instituições.  Assim como o BRDE, pontos de arrecadação foram instalados em todo o estado de Santa Catarina em estruturas do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias e Escolas Estaduais. As informações sobre a campanha também estão disponíveis no site da Rede Laço de voluntariado: https://redelaco.sc.gov.br//

 

   

Um dos fundadores do Movimento Nacional dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Agenda 2030 da ONU em Santa Catarina, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) teve a oportunidade de apresentar nesta quarta-feira (30) a forma como apoia projetos que melhoram a qualidade de vida da população. Foi durante o webinar Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável: Os desafios e vantagens da sustentabilidade empresarial aplicada.

O Diretor Financeiro, Vladimir Arthur Fey, representou a instituição no evento online e explicou como os projetos financiados pelo banco estão conectados com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. “Mais de 80% dos projetos da nossa carteira de crédito tem aderência a causas como água limpa e saneamento, energia acessível e limpa, emprego digno e crescimento econômico, cidades e comunidades sustentáveis. Áreas que afetam diretamente a qualidade de vida de quem vive no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, explica.

O evento teve mediação de Gilson Zimmermann, Coordenador Geral do Movimento Nacional ODS em Santa Catarina e participação de Diana Zerbini Martins, presidente do comitê de ESG do Grupo Malwee, além de Felipe Brescancini, diretor de desenvolvimento de negócios do Sistema B.

Durante o webinar os participantes apresentaram cases e visões sobre sustentabilidade empresarial e de responsabilidades ambiental e social de empresas e organizações. “Estamos falando de um conjunto de políticas e ações, economicamente sustentáveis e socialmente responsáveis, aplicadas às operações e produtos de uma empresa. Ela tem grande peso nas tomadas de decisão estratégica das empresas e interferem na forma como esses negócios são percebidos pelo consumidor”, explica Diana Zerbini Martins, do Grupo Malwee.

O evento pode ser acessado no canal do Movimento ODS SC, no Youtube.

INCENTIVO

Dois expoentes paranaenses de esgrima em cadeira de rodas estarão em Tóquio. Eles são do projeto da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná, recebe recursos do Banco, via incentivo fiscal.

O Paraná tem dois atletas de esgrima em cadeira de rodas já confirmados para os Jogos Paralímpicos de Tóquio: Jovane Guissone, que conquistou ouro em Londres, em 2012 e Carminha Oliveira, campeã brasileira na modalidade.
Ambos fazem parte da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP), de Curitiba. O projeto da entidade com atletas de esgrima em cadeira de rodas recebe o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), por meio de incentivos fiscais.

“Precisamos apoiar e incentivar esses atletas, fazer com que o sonho deles seja possível. Nós, do BRDE, temos muito orgulho em ver que atletas do projeto chegaram tão longe, trazendo tanto prestígio ao nosso país”, afirma o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley.

Jovane Guissone foi o primeiro atleta brasileiro de esgrima em cadeira de rodas a conquistar o ouro olímpico. Em 2020, foi campeão da etapa da Hungria da Copa do Mundo desta modalidade. Carminha Oliveira conheceu o esporte em 2016 nas Paraolimpíadas do Rio e procurou a ADFP. Ela começou a competir no mesmo ano, no Campeonato Brasileiro de Esgrima em Cadeira de Rodas, onde conquistou o segundo lugar. E nas três últimas competições (2017, 2018 e 2019) ganhou o primeiro lugar. Carminha conquistou a medalha de prata no Regional das Américas de Esgrima em Cadeira de Rodas de 2019, realizado no Canadá.

 

Projeto reúne 18 atletas com experiência em competições

A ADFP é uma organização do terceiro setor, de Curitiba, fundada em 1979, com o objetivo de instituir e coordenar serviços de assistência e reabilitação aos deficientes físicos. Ela auxilia no desenvolvimento, independência e autonomia da Pessoa com Deficiência Física nas suas relações sociais através da reabilitação e habilitação física, social, cultural, profissional e esportiva.

Exemplo

O curitibano Sandro Colaço não participa mais de competições como as Paralimpíadas. Mas sua trajetória no esporte é um exemplo do benefício que o apoio como o do BRDE ao projeto da ADFP proporciona à carreira de atletas. Há 21 anos, a vida de Colaço mudou totalmente. O atual atleta profissional de esgrima em cadeira de rodas sofreu um acidente que o fez perder o movimento das pernas e teve de reaprender, aos poucos, como viver e realizar tarefas simples do dia a dia. Desanimado com a nova forma de levar a vida, procurou a ADFP.

Foi lá que Sandro, e muitos outros atletas, puderam ter contato com novas formas de praticar esportes. Em 2010, ele conheceu a esgrima em cadeira de rodas. “Foi estranho ver um monte de gente mascarada se espetando”, brinca o atleta. Em 2011 teve sua primeira colocação para a seleção brasileira da modalidade.
Colaço participou de 15 competições internacionais, uma delas a Paralimpíadas no Brasil, em 2016. “Foi a realização de um sonho. Minha família toda lá, me vendo competir, foi inexplicável”, relembra.

Importância do projeto

O que auxiliou e motivou os atletas a chegarem às competições foi o projeto da ADFP, que garante a manutenção da equipe, com estrutura necessária, treinadores e colegas, já que, como todos os outros, é um esporte que precisa de prática com outros competidores e tem um alto custo de equipamentos.

Além disso, como princípio, o projeto esportivo é um dos caminhos criados pela ADFP para que a Pessoa com Deficiência tenha uma nova expectativa de vida. “Somos um facilitador de sonhos, tanto para quem pratica, ou para quem assiste nossos atletas competirem. O impacto do nosso projeto é esse, como aconteceu com a Carminha”, diz o coordenador de projetos e voluntário da ADFP, Fábio Ferreira da Silva Ingenito. Ele ainda destaca a importância das empresas se envolverem e apoiarem o projeto. “O paradesporto tem um valor para a vida das pessoas e da sociedade, sem estimativas”, afirma.

O projeto nascido, em 2004, mantém 18 atletas, sendo a maioria com experiência em competições. Atualmente, vem trabalhando para obter grandes conquistas dentro e fora das quadras, sendo uma das melhores equipes esportivas do Brasil em estrutura, número de atletas, vitórias e medalhas nas competições oficiais da modalidade. A pretensão é ranquear 4 atletas entre os 5 melhores do Brasil.

Incentivos Fiscais

O apoio do BRDE, via incentivo fiscal, ajudou a garantir a continuidade do projeto, a conquista de muitas medalhas para a equipe, além de impacto social relevante junto à sociedade e bastante exposição da marca dos patrocinadores.
Para o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley, projetos como esse são extremamente importantes não só para o crescimento do esporte no Brasil, mas também o papel social que a prática proporciona aos atletas.
Bley destaca que como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. “A inciativa constitui parte d política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná”, explica Bley.

O edital de seleção para os projetos que serão contemplados em 2021 já está disponível no link www.brde.com.br. Os pedidos de apoio aos projetos são recebidos exclusivamente em meio eletrônico, através do Portal de Incentivos, disponibilizado no site do BRDE. No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.

 

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) seguindo o propósito de aproximação junto aos projetos desenvolvidos nas cidades catarinenses esteve representado pelo diretor financeiro, Vladimir Arthur Fey, e o gerente de operações, Júlio Oliveira, durante a Assembleia Geral Ordinária da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel), realizada nesta sexta-feira (25). De forma virtual, foi feita uma explanação aos prefeitos sobre a estrutura de atendimento, resultados do banco e as possibilidades de parcerias para o desenvolvimento dos municípios.

Fey ressaltou a importância do BRDE em contribuir com as ações de fomento para o crescimento econômico e social de toda a região Sul. “Os gestores municipais possuem no BRDE um parceiro para fazer com que os projetos sejam concretizados”.

Durante a reunião, os prefeitos receberam informações detalhadas sobre os produtos financeiros e parcerias para investimentos no setor público, além de opções de financiamento, taxas de juros e prazos de pagamento. Entre as áreas que o BRDE apoia no setor público estão projetos de Mobilidade Urbana e Rural, Saúde, Educação, Saneamento e Energia renovável.

Um dos exemplos é o programa BRDE Municípios. “Com ele, cidades de todos os tamanhos ganham mais capacidade para investir em projetos que visam à qualidade de vida da população”, destaca o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra.

“Agradecemos o BRDE pela apresentação e deixamos aberta esta comunicação para que os prefeitos possam ter o apoio necessário”, destacou o presidente da Amurel e prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn da Silva de Souza.

Com sede em Tubarão/SC, a Associação de Municípios da Região de Laguna é composta por 17 cidades do Sul de Santa Catarina.

Por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tem poiado o projeto olímpico desenvolvido pela Sociedade de Ginástica Porto Alegre (Sogipa), que busca oferecer a atletas de alto rendimento melhores condições de treinos. Além de uma preparação de excelência para as competições nacionais e internacionais, a Sogipa está prestes a enviar entre sete e nove atletas para representar o Rio Grande do Sul e o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a partir do próximo dia 23 de julho.

Desenvolvido pela o único clube gaúcho que tem quatro medalhas olímpicas nos esportes individuais, o projeto recebe apoio do BRDE há quatro anos. Desde 2017 foram repassados R$ 167 mil. No ano passado, o valor foi de R$ 40 mil. Os repasses foram usufruídos na criação de uma estrutura de treinos, que compreende alimentação, infraestrutura e manutenção das comissões técnicas, além da própria remuneração aos atletas.

Um dos destaques da equipe é a judoca Mayra Aguiar, campeã pan-americana, mundial e medalhista olímpica. Inicialmente a meta do clube era classificar cinco atletas de duas modalidades diferentes para os jogos olímpicos. No entanto, a expectativa possivelmente será superada, com a expectativa de conquistar ao menos uma medalha. Quem já está coma vaga garantida em Tóquio é o atleta de salto triplo, Almir Júnior.

“Sempre foi uma meta ambiciosa que graças a muito trabalho e ao apoio de parceiros, como o BRDE, estamos próximos de alcançar. O valor repassado dá tranquilidade e segurança para os atletas competirem e se desenvolverem”, destacou o presidente da Sogipa, Carlos Wüppel.

 


Almir Júnior, atleta de salto triplo da Sogipa, já tem vaga garantida em Tóquio

Esporte como inclusão social

A Sogipa sempre encarou o esporte como uma poderosa ferramenta de educação e de inclusão social. O clube trabalha o esporte como ferramenta de promoção na formação das crianças e dos jovens. A oferta de treinos de qualidade, a cobrança da disciplina, respeito, dedicação e empatia, desenvolve as potencialidades dos atletas. Não são todos que atingem o ápice de uma carreira bem-sucedida, disputando e vencendo competições internacionais. Mas, mesmo aqueles que não chegam ao estrelato, tornam-se cidadãos, com abertura de oportunidades para uma vida mais promissora.

Neste sentido, na avaliação de Wüppel, o apoio do BRDE é fundamental para a continuidade desta iniciativa. “Acho que estamos no caminho certo, mas a Sogipa não faria nada disso sozinha,” concluiu.

 Incentivos Fiscais

Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como política apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde. A inciativa constitui parte de sua política de responsabilidade socioambiental e compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aplicando de forma direta recursos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Na última quinta-feira (17/6), o banco publicou o edital de seleção para os projetos que serão contemplados em 2021. Os pedidos de apoio aos projetos são recebidos exclusivamente em meio eletrônico, através do Portal de Incentivos, disponibilizado no site do BRDE. No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. Desde 2015, foram ao redor de R$ 24 milhões de repasses.