BRDE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financiará a aquisição de soluções tecnológicas para empresas de todos os tamanhos. O financiamento será feito por meio do programa BNDES Soluções Tecnológicas, produto voltado ao mercado de comercialização de tecnologia no país.
O BNDES Soluções Tecnológicas foi lançado nesta terça-feira (18), na Agência do BRDE em Curitiba. O Banco foi escolhido pelo BNDES para ser o agente financeiro da nova linha de crédito na Região Sul. A linha, além de financiar a aquisição de soluções tecnológicas, será um canal de comunicação entre compradores e fornecedores.
“É uma oportunidade para as empresas incorporarem novas tecnologias a seus produtos e processos”, disse a gerente de Planejamento da Agência Paraná do BRDE, Tatiana Henn. “O novo produto é muito amplo, com um grande poder de mercado, porque oferece soluções em tecnologia para várias áreas da economia”, acrescentou.
A nova linha foi apresentada a parceiros e clientes do BRDE no Paraná pelos técnicos do BNDES Edson Moret e Raphael Azeredo, da equipe responsável pela operação do programa. “É um novo produto, que está ganhando escala, que aos poucos se tornará tão importante quando o cartão BNDES e o Finame”, destacou Azeredo.
Azeredo contou que o BNDES Soluções Tecnológicas surgiu depois de uma ampla análise de mercado, que apontou o surgimento de novas tecnologias, porém sem mercado para comercialização. “O programa chega para aproximar fornecedores de compradores de soluções tecnológicas”, acrescentou.
O QUE É UMA SOLUÇÃO TECNOLÓGICA
Solução tecnológica é o serviço de aplicação de uma tecnologia orientada a satisfazer as necessidades de criação/modificação/melhoria de produto ou processo das empresas e demais instituições. A tecnologia a ser fornecida deve estar disponível para aplicação imediata, ou seja, pronta para ser aplicada no mercado e gerar a solução tecnológica a que se propõe.
Para que a tecnologia seja considerada disponível para aplicação imediata, as etapas de pesquisa e de seu desenvolvimento devem ter sido cumpridas. Uma solução tecnológica depende da soma de diversos itens, como mão de obra especializada, testes, insumos e custos com licenciamento.
COMO FUNCIONA O BNDES SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS
As soluções tecnológicas que podem ser financiadas são oferecidas por universidades, empresas de base tecnológica e outras instituições fornecedoras de tecnologia/know-how credenciadas ao BNDES.
Empresas e instituições de todos os portes e setores da economia que estiverem interessadas em adquirir soluções tecnológicas podem solicitar o financiamento para contratar as soluções de seu interesse e incorporar, assim, novas tecnologias aos seus produtos e processos.
Há soluções tecnológicas credenciadas nas mais diversas áreas do conhecimento e disponíveis para aplicação nos mais diversos setores da economia. Os fornecedores podem se credenciar e cadastrar suas soluções, dando maior visibilidade as suas tecnologias e aumentando as chances de futuros negócios.
ITENS QUE PODEM SER FINANCIADOS
– Serviços prestados por mão de obra especializada (própria ou terceirizada), referentes à aplicação e adaptação/customização da tecnologia às necessidades específicas do cliente final.
– Serviços tecnológicos, também conhecidos como serviços de Tecnologia Industrial Básica (TIB), que uma vez fornecidos não geram modificação no produto ou no processo da empresa contratante do serviço.
– Pagamento de royalties referentes ao licenciamento da tecnologia que será aplicada para gerar a solução tecnológica. O pagamento será realizado pelo comprador da solução tecnológica (licenciado) ao fornecedor (licenciante).
– Serviços de modificação da posição relativa dos departamentos, seções, equipamentos ou quaisquer outros itens que integrem os processos de uma organização.
– Serviços de treinamento/capacitação para o usuário final da tecnologia. Este item se refere aos materiais e insumos necessários para implementar a solução. Não serão financiados valores relacionados ao fornecimento de máquinas, equipamentos, peças e componentes.
Para mais informações sobre linhas de financiamento consulte o site: www.brde.com.br ou entre em contato com a Agência Paraná pelo telefone (41) 3219-8000 ou e-mail brdepr@brde.com.br.

O programa BNDES Soluções Tecnológicas será lançado nesta terça-feira (18), às 9h30, no Palacete dos Leões, o espaço cultural da Agência do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) em Curitiba. As inscrições para o encontro podem ser feitas pelo e-mail brdepr@brde.com.br. As vagas são limitadas.
O BRDE foi escolhido pelo BNDES para ser o agente financeiro da nova linha de crédito no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O novo produto é voltado ao mercado de comercialização de tecnologia no país.
A nova linha de crédito financiará a aquisição de soluções tecnológicas e servirá como canal de comunicação entre compradores e fornecedores. “É uma oportunidade para as empresas incorporarem novas tecnologias a seus produtos e processos”, avalia a gerente de Operações da Agência Paraná do BRDE, Tatiana Henn.
Podem solicitar financiamento empresas e instituições de todos os portes e setores da economia interessados em adquirir soluções tecnológicas. “O BRDE será o agente financeiro que permitirá a aquisição de soluções tecnológicas via financiamento de longo prazo”, diz o superintendente da Agência Paraná, Paulo Cesar Starke Junior.
SERVIÇO
LANÇAMENTO DO PROGRAMA BNDES SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS
Data: 18 de outubro de 2016
Horário: 9h30
Local – Palacete dos Leões / BRDE – Avenida João Gualberto, 530 – Alto da Glória

O Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões recebe na próxima quinta-feira (13) a abertura da IV Bienal de Artes Estudantil. A mostra reúne pinturas, desenhos, gravuras, fotografias e esculturas feitas por estudantes do ensino médio de colégios de Curitiba e Região Metropolitana.
Promovida pelo Colégio Estadual do Paraná, por meio da Escolinha de Arte, coordenada pelas professoras Cristine Amorim, Daniele Franco e Maura Probst, a mostra tem como objetivo promover e divulgar a vivência e a produção de arte dos estudantes da rede pública ou particular de ensino. Todos os trabalhos expostos são inéditos, nunca premiados em outros salões de arte.
Neste ano, foram selecionados mais de 60 trabalhos de diversas técnicas. A seleção das obras foi feita por uma comissão composta por pessoas de notório saber na área de artes visuais, incluindo profissionais, artistas e técnicos renomados.
Um dos requisitos para a inscrição era a originalidade, não sendo aceitas cópias ou releituras de outros trabalhos artísticos. Isso permitiu que os alunos mostrassem toda a sua criatividade, originalidade e talento artístico usando técnicas variadas como aquarela, colagem, nanquim, cerâmica e modelagem em argila, entre outas.
Além de definir as obras que serão expostas, a comissão também foi responsável por escolher os trabalhos que serão premiados. Todos os artistas selecionados para a Bienal recebem certificado de participação e os três primeiros colocados de cada categoria recebem troféus.
A abertura da mostra e entrega de premiações acontece na quinta-feira (13), às 19 horas. A partir da sexta-feira (14), o público pode conferir gratuitamente as obras da exposição no Palacete dos Leões, das 12h30 às 18h30.
Serviço
IV Bienal de Artes Estudantil
Quando: de 14 a 28 de outubro
Onde: Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões (Avenida João Gualberto, 530, Alto da Glória)
Horário de visitação: das 12h30 às 18h30
Entrada gratuita

O escritor e jornalista paranaense Aroldo Murá escolheu o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões como palco para o lançamento do oitavo volume da série Vozes do Paraná. Cerca de 400 pessoas participaram do evento.
Durante a noite, o autor foi homenageado pela Academia de Letras José de Alencar (ALJA) com um voto de louvor, em cerimônia que teve como oradores o jornalista Marcio Renato dos Santos e o ex-desembargador e escritor Joatan Carvalho. Após a homenagem, o autor e os biografados se colocaram à disposição dos presentes para autógrafos e fotos.
O livro Vozes do Paraná Volume 8, com 350 páginas, traz o perfil biográfico de 21 personagens que o autor Aroldo Murá considera terem contribuído expressivamente para a vida do Paraná.
Contabilizando os oito volumes de Vozes do Paraná, Aroldo Murá já escreveu o retrato de 197 personalidades paranaenses. O primeiro volume foi lançado em 2008.

Com apoio do BRDE, a Cooperativa Agrária Agroindustrial, de Entre Rios, distrito de Guarapuava, inaugurou nesta sexta-feira (7) três grandes projetos. O investimento do BRDE foi de R$ 175,7 milhões.
O governador Beto Richa e o ministro da Agricultura Blairo Maggi participaram da inauguração. O assessor de diretoria do BRDE Erikson Chandoa representou os diretores do Banco no evento.
Um dos projetos é a Maltaria III, a terceira torre de malteação da cooperativa. O BRDE financiou parte da nova unidade, com o repasse de R$ 107,6 milhões. A Maltaria III tem capacidade para produzir 130 mil toneladas de malte cervejeiro por ano.
Foi inaugurada também a indústria de processamento de milho da cooperativa, para produção de derivados do grão. A unidade tem capacidade para processar 180 mil toneladas de milho por ano. O investimento do BRDE no projeto foi de R$ 51,3 milhões.
Outro projeto apoiado é a ampliação da Unidade Vitória de armazenagem, que possibilitará um incremento de 60 mil toneladas na capacidade estática de armazenagem de cereais da cooperativa. O investimento do BRDE foi de R$ 16,8 milhões.
A AGRÁRIA
Fundada em 1951, no distrito de Entre Rios, por famílias de imigrantes do Sul da Alemanha, a Cooperativa Agrária Agroindustrial é cliente do BRDE há mais de 30 anos. Tem 600 cooperados e 1.500 colaboradores. O faturamento da Agrária em 2015 foi de R$ 2,5 bilhões.
A cooperativa atua na produção de malte, farinha de trigo, rações, óleo e farelo de soja, grits e flakes de milho, comercialização e armazenagem de cereais, venda de insumos agropecuários e suinocultura.
A partir da agricultura, a Agrária instituiu cadeias produtivas completas, que compreendem desde pesquisa agrícola, realizada pela FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) até a industrialização.
Para dar suporte à produção, a cooperativa conta com uma matriz energética própria, estrutura logística que engloba três unidades de armazenagem, além de um moderno laboratório central que realiza análises em todas as etapas da cadeia produtiva.

Técnicos da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística do Paraná (SEIL) estiveram na agência paranaense do BRDE para uma reunião de apresentação da Rede BIM GOV SUL. A rede abrange os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e prevê diversas ações integradas para implantação da tecnologia BIM na esfera pública estadual da Região Sul.
A Modelagem de Informação da Construção (BIM) é um processo integrado e multidisciplinar que permite, por meio de automatizações, análises qualitativas e quantitativas mais precisas de futuras obras. Na prática, isso implica num controle mais eficiente do andamento de obras públicas, minimizando erros e falhas de projeto, e permitindo mais transparência e eficiência dos gastos públicos.
Diversos países como Finlândia, Dinamarca, Holanda, Singapura e Estados Unidos já adotam a tecnologia BIM. Nos EUA, desde 2006, os edifícios públicos projetados devem usar o BIM na fase de projetos. No Paraná, a adoção da tecnologia está prevista no plano de metas do governo estadual, que está buscando parcerias com órgãos governamentais, empresas de tecnologia, academia e instituições de fomento para viabilizar o processo.
No BRDE, os técnicos da SEIL propuseram que o banco disponibilize uma linha de financiamento específica para modernização de escritórios de projetos de engenharia e arquitetura, para aquisição de máquinas e equipamentos de informática e softwares BIM.
A proposta foi acolhida pelo diretor de Operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani, que vai levar a ideia ao demais diretores da instituição. “A modernização da gestão de obras e projetos públicos é uma necessidade para os três estados do Sul e o BRDE, como instituição de fomento focada no desenvolvimento regional, precisa participar dessa discussão”, disse Regiani.
Seminário – Em novembro, será realizado o Segundo Seminário Regional Sul de BIM – “Juntos somos mais fortes” nos dias 3 e 4 de novembro, no Teatro Governador Pedro Ivo, em Florianópolis. O objetivo será compartilhar conhecimentos adquiridos desde de 2014, com o Primeiro Seminário Estadual em Florianópolis e com o Primeiro Seminário Regional em Curitiba, sobre a Rede BIM GOV SUL.
No dia 3 de novembro serão apresentados cases e ações em desenvolvimento nos três estados do Sul, na área governamental e privada. E no dia 4 acontecerá o Encontro Técnico de Soluções em BIM com apresentações por parte do mercado de tecnologia e usuários experientes das mais novas ferramentas, processos e inovação que já fazem parte da arquitetura, engenharia e construção.

feira2
feira
Exif_JPEG_420
feira3
Mais de 3 mil pessoas, de 10 estados brasileiros, passaram pela 7ª Feira Alto Verão 2017 (Expovest), promovida pela Associação das Indústrias de Confecções e do Vestuário de Cianorte (Asconvest), que terminou na noite desta quarta-feira (28). O BRDE foi um dos patrocinadores da feira. Em três dias de negócios, a Expovest movimentou, nos três grandes centros atacadistas de confecções, R$ 10 milhões em vendas.
Os três grandes shoppings atacadistas de Cianorte, conhecida como a “capital do vestuário”,reúnem 300 lojas, que apresentaram durante a feira as novas coleções para o verão, produzidas pelas grifes locais. “Mesmo com a crise, o setor de confecções mostrou que é forte e conseguiu manter o volume de vendas de 2015. Não houve queda no movimento”, disse o presidente da Asconvest, Márcio Ferreira dos Santos.
Luiz Carlos Felipe, administrador de um dos centros atacadistas, comemorou o resultado das vendas na Feira Alto Verão 2017, diante do momento desfavorável da economia. “A crise impactou em todos os setores produtivos, e o de confecções não ficou de fora desse cenário. Mais aqui, nós apostamos na qualidade de nossos produtos e no atendimento diferenciado ao cliente”, afirmou.
“A preocupação é melhorar sempre a estrutura de acolhimento dos clientes, facilitando sua estadia durante o período de compras, além de outros atrativos, como novas lojas e a busca por parceiros para o continuarmos crescendo”, disse Alessandro Sandaniel, administrador do maior dos centros atacadistas, com mais de 100 lojas.
Emprego e renda – Cianorte, na Região Noroeste do Paraná, tem na confecção sua maior fonte de renda e emprego. Cerca de um terço das vagas formais da cidade estão concentradas em estabelecimentos do segmento vestuário/tecido. Das 10 empresas locais que mais geram receita para o município, cinco pertencem ao segmento de confecção.
Com 78 mil habitantes, o município registra números significativos de arrecadação de ICMS, chegando a uma média anual próxima de R$ 40 milhões. Em 2015, Cianorte ficou em 20º lugar no ranking dos maiores arrecadadores do Estado.

A plataforma virtual MWXenergy foi apresentada nesta quinta-feira (22) à noite, no Espaço Cultural do BRDE – Palacete dos Leões, em Curitiba, durante encontro que discutiu o futuro das energias alternativas no Brasil, com foco nas perspectivas e soluções para o desenvolvimento de negócios e investimentos no setor a nível nacional e internacional.
O evento foi aberto pelo vice-presidente e diretor Administrativo do BRDE, Orlando Pessuti, que apresentou o perfil do Banco e os programas voltados a projetos de energia e sustentabilidade. “O setor de energia tem prioridade no Banco. O foco são PCHs, energias renováveis, funding externo e geração distribuída”, disse Pessuti.
O diretor mostrou as ações do BRDE focadas no setor, como a criação do programa BRDE Energia e o trabalho com parceiros estratégicos, entre eles a Associação Brasileira de Fomento às Pequenas Centrais Hidrelétricas (ABRAPCH).
Como resultado dessas ações, o BRDE acumula até este ano R$ 1,6 bilhão em financiamentos ao setor, no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Só em 2016, o valor das contratações chega a R$ 718,6 milhões, dos quais R$ 153,4 contratados no Paraná. “Isso mostra que, mesmo dentro da crise, o BRDE está agindo”, acrescentou.
Participaram do encontro técnicos do BRDE da Copel, ABRAPCH, ABiogás, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), além de diretores da MWXenergy e representantes de empresas ligadas ao setor de energia.
O presidente da ABiogás, Cícero Bley, falou do impacto da energia elétrica no desenvolvimento do país, diante do momento econômico do país, e mostrou que o Paraná tem boas perspectivas para o setor, por meio de investimentos em energias alternativas, como a solar e o biogás.
PLATAFORMA MWXenergy
A plataforma MWXenergy.com faz com que projetos de geração de energia e biogás se tornem realidade por meio do matchmaking entre empreendedores, investidores e fornecedores de serviços e equipamentos.
“Nosso foco é simplificar e ampliar a capacidade de fazer negócios. Sem energia, nada acontece e todo mundo precisa dela”, explicou o diretor Roger Rieger. “Além das hídricas, também há espaço na plataforma para as fontes biomassa, eólica, térmica de resíduos e solar”, acrescentou.
A ferramenta foi criada no Brasil, mas tem atuação global. Projetos, investidores e fornecedores de serviços e equipamentos de qualquer lugar do mundo podem fazer parte do MWXenergy.com.
DSCN1057
O

No segmento das cooperativas, o BRDE tem se consolidado como um grande fomentador da modernização e expansão de projetos, visando o fortalecimento dos milhares de produtores cooperados.
Apenas no primeiro semestre de 2016, a agência paranaense do BRDE liberou R$ 336 milhões a 17 cooperativas, abrangendo investimentos em municípios como Piraí do Sul, Ortigueira, Nova Laranjeiras, Medianeira, Matelândia, Marialva e Marechal Cândido Rondon.
Além disso, outros R$ 228 milhões foram financiados pelo BRDE diretamente a produtores rurais por meio de convênios do banco com cooperativas de produção e de crédito. Ou seja, apenas em seis meses, foram R$ 564 milhões em financiamentos relacionados ao setor cooperativista.
Uma das cooperativas atendidas pelo BRDE, a Cooperativa Agropecuária Candói (Coacan), fundada em 2000, aplicará os recursos do Banco em projetos de ampliação da capacidade de armazenagem de grãos, de 18 mil toneladas para 24 mil toneladas, e na construção de uma fábrica de rações com capacidade para produzir 1.600 toneladas ao mês. A fábrica de ração marca o início do processo de diversificação da empresa e deve entrar em funcionamento em abril de 2017.
Para o diretor-presidente da cooperativa, Mauro Mendes de Araújo, a parceria com o BRDE foi fundamental para o desenvolvimento da Coacan. “Somos uma cooperativa pequena, mas queremos crescer, e o BRDE já nos ajudou a dar primeiro passo para industrializar a produção dos nossos associados e agregar mais valor aos nossos produtos”, diz Araújo.
Para conhecer mais sobre as linhas de financiamento do BRDE para o setor do agronegócio, acesse nosso site: www.brde.com.br ou entre em contato com a Agência Paraná através do brdepr@brde.com.br ou do telefone (41) 3219-8150.

Estão abertas as inscrições para projetos que pretendem obter apoio do BRDE por meio das leis de incentivos fiscais. As inscrições devem ser feitas somente pela internet, através do portal www.incentivosfiscais.brde.com.br, até o dia 31 de outubro.
Podem ser inscritos projetos que já tenham sido aprovados para captação de recursos na Lei Federal de Incentivo à Cultura 8.313 de 23/12/1991 (Lei Rouanet); Lei Federal 8.685 de 20/07/1993 (Lei do Audiovisual); Lei Federal 11.438 de 29/12/2006 (Lei de Incentivo ao Esporte); Lei Federal 8.069 de 13/07/1990 (Fundo da Infância e da Adolescência); Lei Federal 12.715/2012 ou Decreto 7.988/2013 (Pronon – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica e Pronas – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência).
Os interessados em captar recursos do Banco deverão preencher o formulário da modalidade correspondente disponível na internet, anexando todos os documentos exigidos. Após a finalização do cadastro, um número de protocolo de recebimento da inscrição é gerado automaticamente.
A análise e seleção dos projetos acontecem de 1º a 30 de novembro. Outras informações sobre o processo de inscrição podem ser obtidas na página do BRDE (www.brde.com.br/incentivos-fiscais) ou pelo telefone (41) 3219-8186.