BRDE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, foi o maior investidor ambiental da Região Sul, segundo a 24ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia, entregue na última sexta-feira. O ranking Expressão dos Maiores Investidores Ambientais leva em conta os investimentos declarados nos 109 cases de 80 empresas e instituições que concorriam ao prêmio.
O case do BRDE com o programa Produção e Consumo Sustentáveis – BRDE PCS – liderou o ranking, com investimentos de R$ 456 milhões. Juntas, as empresas e entidades apresentaram projetos cujos investimentos somaram mais de R$ 1,2 bilhão.
Segunda colocada no ranking, a BRF investiu R$ 324,6 milhões em projetos sustentáveis, enquanto a Celesc, terceira da lista, investiu R$ 249,4 milhões.
O case do BRDE sobre o programa Produção e Consumo Sustentáveis mostrou os financiamentos concedidos pelo banco de fomento a projetos de empresas da região Sul com viés sustentável. Destacam-se os projetos de geração de energias limpas e de eficiência energética, com R$ 338,3 milhões. Neste montante estão os projetos de pequenas centrais hidrelétricas em SC e no PR e também parques eólicos no RS.
Clientes tradicionais do BRDE como Aurora Alimentos, Engie, Eletrosul e Fundação CERTI, foram ganhadores do prêmio, que está na sua 24ª edição.

A Agência Nacional de Cinema (Ancine) e a Prefeitura de Curitiba lançaram nesta semana o edital Produção Audiovisual FCC/FSA 2017, que prevê investimentos de R$ 2,7 milhões em projetos da área. Do valor total, R$ 1,2 milhão será liberado pelo Fundo Municipal da Cultura de Curitiba e R$ 1,5 milhão virá do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).
O FSA é operacionalizado em todo o país pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), a partir de equipes organizadas em Curitiba e Porto Alegre. Nos próximos cinco anos, o Banco repassará mais R$ 5 bilhões ao setor audiovisual brasileiro.
O gerente adjunto de Operações da Agência Paraná do BRDE, Tiago Pesch, acompanhou o lançamento do edital e falou da evolução da atuação do Banco no FSA. “Em 2013, foram 66 contratos, no valor de R$ 68,2 milhões. Em 2016, o número de contratos saltou para 580 e o valor repassado chegou a R$ 343,8 milhões”.
Os recursos do edital FCC/FSA 2017 são destinados à produção de curtas metragens de ficção e de animação, telefilmes de animação, ficção e documentários, distribuição de filmes e realização de dois festivais de cinema em Curitiba. Os interessados podem fazer as inscrições até às 12h do dia 25 de setembro de 2017, pelo site www.sic.cultura.pr.gov.br.
“O edital vai incentivar a indústria do cinema e apoiar o setor de audiovisual da cidade”, disse o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, no lançamento do edital. “É um momento muito importante para uma indústria que trabalha forte e gera emprego e desenvolvimento, que é a indústria do audiovisual”, afirmou o presidente da FCC, Marcelo Cattani.
SAIBA MAIS SOBRE O FSA
O FSA é um fundo destinado ao desenvolvimento articulado de toda a cadeia produtiva da atividade audiovisual no Brasil. Criado pela Lei Federal nº 11.437, de 28 de dezembro de 2006, e regulamentado pelo Decreto nº 6.299, de 12 de dezembro de 2007, o FSA é uma categoria de programação específica do Fundo Nacional de Cultura (FNC).
O FSA contempla atividades associadas aos diversos segmentos da cadeia produtiva do setor – produção, distribuição/comercialização, exibição, e infraestrutura de serviços – mediante a utilização de diferentes instrumentos financeiros, tais como investimentos, financiamentos, operações de apoio e de equalização de encargos financeiros.
O FSA possui programas direcionados a todos os segmentos da indústria audiovisual, que se constituem em diversas linhas de ação, inauguradas em 2008 e ampliadas em 2013, ancoradas no Regulamento Geral do PRODAV, aprovado pelo Comitê Gestor do FSA. Dentre os programas do Fundo Setorial do Audiovisual, destacam-se:
•PRODECINE – Programa de Apoio do Desenvolvimento do Cinema Brasileiro;
•PRODAV – Programa de Apoio do Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro;
•PROINFRA – Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Infraestrutura.

Estão liberados os recursos do Plano Safra 2017/2018. São R$ 190,25 bilhões destinados aos produtores rurais, montante superior aos R$ 185 bilhões da safra 2016/2017. Os recursos são para operações de investimentos, comercialização e custeio e houve redução de até dois pontos percentuais nas taxas de juros.
Para investimentos em inovação e tecnologia agrícola, por meio do Inovagro, e para investimentos em armazenagem, pelo Programa de Investimento para Construção de Armazéns (PCA), programas que são prioridades do BRDE, a redução foi a máxima: de 8,5% a.a. para 6,5% a.a.
O programa Inovagro, financia inovações e modernizações em tecnologias agrícolas, com o objetivo de aumentar a produtividade das propriedades rurais e melhorar a sua gestão. Atende diversos segmentos, como avicultura, suinocultura e pecuária de leite. As condições de financiamento são as seguintes: taxa de juros de 6,5% a.a, com prazo de até 120 meses e participação de até 100% do investimento.
Para investimentos no segmento avícola, o produtor deve procurar seu integrador. O site do BRDE – https://www.brde.com.br/contato/conveniadas/ – traz a relação dos integradores parceiros do Banco. Já para os demais segmentos, o produtor pode entrar em contato diretamente com o BRDE, pelo e-mail brdepr@brde.com.br ou telefone (41) 3219-8150.
PARA INVESTIMENTOS EM MATO GROSSO DO SUL
Para investimentos rurais localizados em Mato Grosso do Sul, o BRDE disponibiliza a linha FCO Rural. São passíveis de financiamento investimentos em armazenagem, máquinas e implementos, irrigação, instalações agroindustriais, melhoramento genético do rebanho, florestas e outros.
As condições vigentes desta modalidade consistem em taxa de juros de 6,375% ao ano, já considerando o bônus de adimplência, prazo de até 120 meses (prazos superiores podem ser analisados conforme exigência de projeto) e participação de até 100%, conforme localização do projeto. Estão aptos a essa modalidade produtores rurais que faturem até R$ 16 milhões por ano.
Podem ser financiados projetos de produtores rurais do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul interessados em fazer investimentos em Mato Grosso do Sul e também de produtores sul mato-grossenses, ou de outras regiões, que invistam naquele estado e adquiram bens e serviços produzidos na Região Sul.
Para operações de FCO, dúvidas e outras informações sobre as linhas de crédito entre em contato com a Agência Paraná pelo e-mail brdepr@brde.com.br e telefone (41) 3219-8150.

A Agência Paraná do BRDE está recebendo inscrições para apoio a projetos via leis de incentivos fiscais nos três estados do Sul. O prazo de cadastramento de projetos vai até 31 de outubro de 2017. As inscrições devem ser feitas somente por meio eletrônico, pelo portal www.brde.com.br, acessando o banner “Incentivos Fiscais” e em seguida no link “cadastre seu projeto”.
O BRDE apoia projetos sociais, culturais e esportivos com base na apuração do imposto a pagar. Em 2016, o BRDE no Paraná apoiou 37 projetos, no valor superior a R$ 2 milhões. São projetos que ajudam a mudar a realidade de milhares de crianças, jovens e adultos, proporcionando maior acesso a serviços de saúde, ao esporte e à cultura.
Em 2016, entre outros projetos, O BRDE apoiou a equipe de esgrima em cadeiras de rodas da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná. Com o apoio, os 18 atletas da equipe disputam neste ano pelo menos dois campeonatos brasileiros da modalidade, além dos torneios regionais.
A equipe de esgrima em cadeira de rodas disputa torneios e acumula medalhas há 11 anos. É considerada a maior e mais bem estruturada da modalidade no país. Alguns dos atletas disputam pela seleção brasileira da modalidade e participaram das Paralimpíadas Rio 2016, entre eles o bicampeão Clodoaldo Lima Zafatoski.
Podem receber apoio projetos que se enquadrem nos seguintes fundos e programas, de acorde com as respectivas leis:
• Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica – PRONON
• Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência – PRONAS
• Fundos Municipais de Direitos da Criança e do Adolescente
• Fundo do Idoso
• Lei Federal de Incentivo ao Esporte
• Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet)
• Lei do Audiovisual
Para dúvidas e outras informações entre em contato com a Agência Paraná pelo e-mail duvidasincentivosfiscais@brde.com.br.

O centenário de nascimento do ex-governador do Paraná Ney Braga, um dos fundadores do BRDE, foi comemorado no início da noite desta terça-feira (25), no Museu Paranaense, em Curitiba, com a abertura da exposição “Ney Braga: 100 anos na história do Paraná”. O vice-presidente e diretor Administrativo do BRDE, Orlando Pessuti, representou a diretoria do Banco no evento.
Pessuti prestou depoimento sobre a importância de Ney Braga no desenvolvimento do Paraná e lembrou alguns dos momentos de sua carreira na vida pública em que o ex-governador esteve presente. O depoimento foi apresentado em vídeo, do qual também participaram outras autoridades. Estavam presentes familiares e amigos do ex-governador, políticos, desembargadores, secretários de Estado e ex-governadores do Paraná. A homenagem foi organizada pelo Movimento Pró-Paraná.
“Com seu perfil inovador, modernista e a visão de promover o Sul do Brasil, Ney Braga teve a preocupação, ao criar o BRDE ao lado de Celso Ramos e Leonel Brizola, de impulsionar a economia da região sem perder de vista a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, disse Pessuti. “Foi responsável também pela criação de outros órgãos importantes, como a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná”.
O presidente do Movimento Pró-Paraná, Marcos Domakoski, disse que Ney Braga foi um paranaense singular, que fez um trabalho único pelo Estado, nas esferas política e econômica. “Ney Braga deu início à modernização do nosso Estado, pensou um novo Paraná, desenvolvido integralmente. Deixou como legado a projeção do Paraná no cenário nacional”, afirmou.
PERFIL
Nos quase 50 anos de vida pública, Ney Braga ocupou diversos cargos, entre eles prefeito de Curitiba, de 1954 a 1958, deputado federal, duas vezes governador do Paraná, ministro da Agricultura e da Educação e Cultura, senador, diretor-geral da Itaipu Binacional e presidente do Conselho de Administração da Copel. Nasceu na histórica cidade da Lapa, na Grande Curitiba e faleceu em 2000.
Enquanto governador do Paraná, Ney Braga fortaleceu a Copel, recuperou o Banestado, asfaltou a Rodovia do Café, elo de integração entre o sul e norte, equacionou questões de terra e implantou novas centrais geradoras de energia elétrica. Também atraiu novas indústrias. Na época, o Paraná deu um salto, com o aumento de 153% na renda da economia paranaense.
Criou a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codepar), o Instituto de Previdência do Estado (IPE), a Café do Paraná, a Celepar, Sanepar e Fundepar, além do BRDE, em 1961, juntamente com os então governadores de Santa Catarina, Celso Ramos, e do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola. Esses órgãos asseguraram ao Paraná um ciclo notável de prosperidade.
MOVIMENTO PRÓ-PARANÁ
O Movimento Pró-Paraná, organizador das homenagens a Ney Braga, atua para o reconhecimento do potencial econômico e cultural paranaense articulando ações da sociedade organizada, inclusive em conjunto com os setores públicos e privados, para a finalidade do desenvolvimento integrado do Estado e dos cidadãos.
Tem entre seus associados as principais entidades representativas dos setores empresariais e sociais do Paraná, compreendendo instituições financeiras e empresas públicas, entre elas o BRDE, a Itaipu Binacional e a Copel.
A EXPOSIÇÃO
A exposição “Ney Braga: 100 anos na história do Paraná” é composta por fotografias, textos e objetos que contemplam a carreira política do ex-governador, militar de formação, que teve início em 1952 como chefe de polícia, a convite do então governador Bento Munhoz da Rocha Netto, e termina em 2000, como presidente do Conselho de Administração da Copel. A mostra poderá ser visitada dia 5 de novembro de 2017. A entrada é gratuita.
Serviço
Abertura da exposição “Ney Braga: 100 anos na história do Paraná”
Dia 25 de julho de 2017 às 17h
Período expositivo: até 5 de novembro de 2017
Horário de visitação: terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.
Entrada gratuita
Museu paranaense
Rua Kellers, 289, São Francisco. Curitiba-PR
Terça a sexta-feira, das 9h às 18h.
Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.
(41) 3304-3300 | www.museuparanaense.pr.gov.br

Conhecida por buscar inovação nos processos industriais, a empresa catarinense de automação inteligente Welle Laser, desenvolve atualmente equipamentos para marcação, limpeza, corte e solda a laser. Desenvolveu para a Whirlpool, cliente da marca, o único equipamento capaz de marcar superfícies curvas horizontal e verticalmente. A Welle Laser é cliente do BRDE e consumou financiamento por meio do Programa BRDE Inova para atender a demanda interna e alavancar as vendas da nova tecnologia que agora pode ser requisitada em outras empresas.
Na última terça-feira (11/07) protagonizou a coluna Panorama da jornalista Janine Alves, no jornal Notícias do Dia com seus cases de sucesso.
A sede da Welle Laser fica na Pedra Branca, Palhoça. Em 2015 inaugurou filial na Suíça.
A equipe técnica da empresa recebe treinamento em institutos de pesquisa da Alemanha como o Fraunhofer Institut für Lasertechnik. Também em 2015 foi eleita a empresa que mais cresceu no Brasil pela consultoria Deloitte e revista Exame PME.
Foto: Gabriel e Rafael Bottós à frente da Empresa
Link para a coluna https://ndonline.com.br/florianopolis/coluna/janine-alves/welle-laser-technology-ha-quase-uma-decada-produzindo-inovacao-para-a-industria-brasileira

O desempenho operacional e financeiro do BRDE em 2016 e as principais ações do Banco em prol da sustentabilidade podem ser acessadas no Relatório de Administração e Socioambiental de 2016. Conheça mais sobre os destaques operacionais da instituição no documento, que traz ainda cases de clientes e informações institucionais sobre o BRDE. Você terá acesso também a uma lista de projetos apoiados via Leis de Incentivo.
Para acessar, clique aqui.

A Financiadora de Estudos e Projetos – Finep homenageou, no último dia 19 de junho, organizações que contribuem extensivamente no fomento à ciência, tecnologia e inovação. Dentre as organizações catarinenses homenageadas está a Fundação CERTI – Centro de Referências em Tecnologias Inovadoras, cliente e parceira institucional do BRDE no Programa BRDE Inova. O BRDE financiou cerca de R$10 milhões em projetos por meio do programa BRDE Inova para a entidade.  Outra entidade parceira do BRDE homenageada foi a FAPESC, que dá suporte à avaliação de projetos submetidos ao Programa.
O BRDE Inova é um programa de fomento a empresas inovadoras lançado pelo BRDE em 2013. As linhas de financiamento do programa são BNDES MPME Inovadora e Finep Inovacred, linha de crédito criada pela Finep e destinada ao desenvolvimento de projetos inovadores de micro, pequenas e médias empresas. O BRDE tem se mantido líder nacional em repasses de ambas as linhas, no âmbito do BRDE Inova.
Além de homenagear, a Finep também foi homenageada por seus parceiros. O superintendente geral da CERTI José Eduardo Fiates, ressaltou a grande importância da parceria com a Finep em 30 anos de relacionamento e entregou a Marcos Cintra, presidente da instituição, uma placa e uma bandeira do estado de Santa Catarina assinada pelo BRDE e outras das principais organizações que contribuem para os segmentos de tecnologia, inovação e educação.
Foto: João Luiz Ribeiro/Finep

Pesquisa da FIESC apoiada pelo BRDE aponta que 67% das empresas pesquisadas farão investimentos este ano

As indústrias catarinenses pretendem investir este ano R$ 7,3 bilhões, de acordo com a pesquisa “Investimento e Competitividade 2017” lançada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) nesta quinta-feira, dia 22. A publicação tem o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O montante representa ligeira queda frente aos R$ 7,6 bilhões que as participantes do levantamento investiram em 2016. De acordo com os dados levantados, os recursos serão aplicados especialmente na aquisição de máquinas e equipamentos, na ampliação da capacidade produtiva, na atualização tecnológica, na ampliação das instalações e em pesquisa, desenvolvimento e inovação.

O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, avalia como positivo o valor dos investimentos considerando a atual conjuntura econômica e, principalmente, política. “É importante destacar que 87% das empresas pesquisadas estão com a capacidade de produção adequada à atual demanda. Isso mostra que o industrial catarinense olha para frente”, diz.
Para o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Neuto Fausto De Conto, o empresariado catarinense vem trabalhando para manter a competitividade com redução de despesas e investimentos em inovação. “A pesquisa corrobora a percepção do BRDE, de que a indústria segue investindo. Temos um volume significativo de projetos buscando financiamento”, explica.
O levantamento mostra que as principais estratégias adotadas pelas empresas para elevar a competitividade foram o enxugamento de custos (82%), a qualificação de pessoal (61%), o lançamento de novos produtos (60%) e novas tecnologias (58%), além da busca de novos mercados (51%). “A pesquisa confirma que a indústria enfrenta desafios, mas não se abate. Tem estratégias muito claras e se prepara para a retomada da economia”, acrescenta Côrte.
Na avaliação do Diretor Financeiro Renato de Mello Vianna, a pesquisa mostra que a indústria viu na crise uma oportunidade para rever processos e reduzir custos. “O empresariado catarinense está fazendo a lição de casa. Cortando custos e investindo em inovação. Isso é essencial para que o estado se mantenha competitivo e nossas indústrias possam continuar exportando e ampliando seus negócios no exterior”, afirmou. A pesquisa mostra de 41% dos investimentos projetados tem como destino outros países, especialmente os da América Latina.
Em 2016, as empresas respondentes investiram R$ 7,6 bilhões principalmente na continuação de projetos que já estavam em andamento (56%). Devido à incerteza econômica, 42% das empresas que investiram afirmaram que os projetos não foram realizados integralmente. Entraves burocráticos, dificuldades com financiamento e aumento inesperado dos custos também foram citados.
Inovação – Quando o assunto é inovação os altos custos para aquisição de novos bens e para investimentos em pesquisa e desenvolvimento são os principais entraves citados. Ainda assim, 54% das empresas investem em inovação, especialmente na aquisição de máquinas e equipamentos (60%) e em pesquisa e desenvolvimento (58%). Produtos e processos são as áreas que mais recebem investimento em inovação.

Com Assessoria de Imprensa da FIESC.

As linhas de financiamento do BRDE para a cadeia do agronegócio, incluindo a aquisição de equipamentos, foram destaque na 11ª edição do Sábado Show, promovido pela empresa MacPonta – Máquinas Agrícolas Ltda em maio, em dois municípios do Estado: Guarapuava e Ponta Grossa. Mais de 5 mil pessoas participaram dos eventos. Foram comercializados nos eventos equipamentos, peças e serviços a preços e condições de pagamento diferenciados.
O Sábado Show oferece oportunidades de negócios ao segmento agrícola e promove comercialização da linha John Deere, permitindo ao agricultor e pecuarista renovar ou melhorar sua frota com as melhores condições financeiras do mercado e a agilidade que a presença das instituições financeiras parceiras ofertam durante o evento.
O BRDE participou do Sábado Show com estande próprio para atendimento de parceiros e novos clientes. O estande foi visitado por empresários e produtores rurais interessados em financiamento para compra de máquinas e implementos, inclusive tratores usados, e construção de silos.
Plano Safra – Nas próximas semanas serão divulgadas as novas condições de financiamento para o Plano Safra 2017/2018. Nesse período, o BRDE estará recebendo normalmente as propostas de financiamento, que serão aprovadas após a divulgação das condições pelo Ministério da Agricultura e BNDES.
Procure a Agência Paraná do BRDE, na Avenida João Gualberto, 570, bairro Alto da Glória – Curitiba, para obter mais informações sobre financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas. Ou ligue para (41) 3219-8150.