BRDE

O edital do Programa BRDE LABS foi lançado na sexta-feira (27/09) e está disponível no site do banco, em www.brde.com.br/licitacao-presencial-brde-2019-154/. A finalidade é a contratação de uma Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT) ou aceleradora de startups para realizar a etapa piloto do programa com 10 empreendimentos do Rio Grande Sul, sendo, no mínimo, dois do interior do Estado.
O anúncio foi feito na quinta-feira (26), em evento no auditório do BRDE, em Porto Alegre, coordenado pelo vice-presidente do banco, Luiz Corrêa Noronha, e o superintendente da Agência RS, Mauricio Mocelin. Participaram da mesa o secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, a diretora de Artes e Economia Criativa da Secretaria da Cultura, Ana Luísa Fagundes, representando a secretária estadual, Beatriz Araújo, e os sócios da Domo Invest, Franco Pontillo e Mário Letelier, gestores do FIP Anjo, Fundo de Investimento do qual o BRDE é cotista.
BRDE LABS
As startups selecionadas receberão capacitação em áreas como estratégia de vendas, relações públicas e financeira, entre outras. O programa terá duração de seis meses e não haverá custos para as startups. Serão considerados, prioritariamente, empreendedores que tenham soluções voltadas para o agronegócio, saúde, indústria 4.0 – IoT, tecnologia da informação, energia, educação, logística e meio ambiente.
Ao final do programa, o BRDE, em conjunto com a ICT ou Aceleradora, avaliará o desempenho de cada startup e premiará as três melhores colocadas, da seguinte forma: 1º lugar: R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais); 2° lugar: R$ 15.000,00 (quinze mil reais) e 3º lugar: R$ 10.000,00 (dez mil reais).
FIP ANJO
O objetivo do fundo é o aporte em empresas nascentes, sendo que 40% delas com faturamento anual de até R$ 1 milhão. O restante será destinado a empresas com faturamento de até R$ 16 milhões. Deverão ser contempladas cerca de 150 empresas.
O fundo já dispõe de R$ 60 milhões, com expectativa de elevar a captação para R$ 100 milhões. As empresas alvo são das áreas de Economia Criativa, Agronegócio, Saúde e Biotech, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Fintechs e Cidades Inteligentes.
“A nossa expectativa é aportar recursos para 150 empresas, durante um período de investimento de cinco anos. O patrimônio comprometido deverá ser de até R$ 100 milhões”, informou o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha.
RS CRIATIVO
Pela manhã, os sócios da Domo Invest, o diretor Luiz Noronha e a equipe do BRDE estiveram na Casa de Cultura Mário Quintana para conhecer os 17 empreendimentos que fazem parte do primeiro Ciclo de Residência Criativa do Programa RS Criativo, com a presença da secretária estadual de Cultura, Beatriz Araújo, da diretora de Artes e Economia Criativa, Ana Fagundes, e da cordenadora do Tecna/PUC-RS, Aleteia Selonk.
Cada residente teve dois minutos para expor os objetivos de seu empreendimento e, na sequência, conheceram a proposta do FIP Anjo e relatos de experiência dos sócios da Domo. Mario Letelier, um dos fundadores do Buscapé, enfatizou que empreender exige resiliência, persistência, e afirmou que o Fundo Anjo pretende ajudar a nova geração com conhecimentos e recursos. “Nosso objetivo é identificar um modelo de negócios com perspectiva de ganhar escala para mudar de patamar”, disse.

Com a presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, o BRDE celebrou contratos de financiamento, no valor total de R$ 119 milhões, com três importantes cooperativas gaúchas: a Cooperativa Central Gaúcha Ltda. – CCGL, a Cooperativa Dália Alimentos Ltda. e a Cooperativa Agroindustrial Nova Aliança Ltda. O evento ocorreu na quarta-feira (28), na Casa do BRDE no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, durante a 42ª edição da Expointer.
O presidente do BRDE, Marcelo Dutra, o vice-presidente, Luiz Corrêa Noronha e o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Neuto Fausto de Conto participaram do ato de assinatura, que foi prestigiado por clientes, parceiros institucionais e veículos de comunicação.
A CCGL, representada por seu vice-presidente, Darci P. Hartmann, investirá R$ 59,7 milhões  na implantação de uma planta de produção de Leite Condensado Açucarado e na expansão da capacidade industrial da Unidade de Lácteos. Esse empreendimento vai gerar 35 novos empregos diretos. A cooperativa hoje abrange mais de 171 mil famílias.
Na Dália, representada por seu presidente, Gilberto Antonio Piccinini, os R$ 54 milhões financiados destinam-se à integralização de cotas-partes dos associados na cooperativa, aporte no Programa Frango de Corte, (composto por Incubatório, Matrizeiro, nove condomínios associativos de produtores associados, fábrica de rações, frigorífico e fábrica de farinhas de carne) e aquisição de túnel de congelamento IQF, destinado à unidade frigorífica de aves. A cooperativa atua em 132 municípios do Rio Grande do Sul, onde residem 3.154 famílias associadas e 2.160 funcionários.
Pela Nova Aliança, o presidente Alceu Dalle Molle assinou operação, no valor de R$ 5,2 milhões, para modernização da infraestrutura das unidades industriais de Santana do Livramento e Linha Jacinto, no município de Farroupilha, incluindo a implantação de dois sistemas geradores fotovoltaicos, com capacidade total de 501,12 kWp. O investimento contempla também o aumento de 10,47 ha na área plantada de vinhedos em Santana do Livramento. A cooperativa possui mais de 700 famílias associadas.
Foto: Felipe Dalla Valle/Piratini

Nesta sexta-feira (26), o BRDE realizou rodadas de negócios nas cidades de Francisco Beltrão e Pato Branco, que ficam no Sudoeste do Paraná. O evento aconteceu em parceria com a Fomento Paraná e a Agência Paraná de Desenvolvimento (APD).
O diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, apresentou as linhas de financiamento que o banco opera. Empresários de todos os portes, prefeitos, vereadores e secretários municipais participaram do encontro.
O diretor Administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira, também esteve presente e, junto com Wilson Bley, recebeu o livro “Amsop 50 Anos”. A obra conta a história da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná e como a instituição tem trabalhado para fortalecer a região.
Ao lado de técnicos do banco, os diretores também puderam visitar potenciais clientes e conhecer projetos que podem ser financiados. As rodadas de negócios estão previstas para acontecer em todo o Paraná. Além de Francisco Beltrão e Pato Branco, as regiões do Médio Paranapanema, Vale do Ivaí e Campo Mourão já sediaram o evento.

A Cooperativa Santa Clara inaugurou sua nova planta industrial de laticínios no município de Casca, no Noroeste gaúcho, na tarde de sexta-feira (12/07). De um investimento total de R$ 130 milhões, R$ 101 milhões foram financiados pelo BRDE. Nas instalações de 22 mil m2, teve início a produção de 300 mil litros de leite por dia e a previsão é de chegar a 600 mil litros até 2021. Ao todo, 150 funcionários e terceirizados já estão trabalhando na industrialização de leite UHT integral, desnatado, semidesnatado e zero lactose, com perspectiva de futura ampliação para outros produtos derivados.
Com a presença do governador Eduardo Leite, o evento de inauguração reuniu cerca de 1.000 pessoas nas novas instalações localizadas na Estrada RS-129 s/nº, km 165, entre autoridades, associados e funcionários da Cooperativa. O BRDE foi representado por seu vice-presidente, diretor de Planejamento e Financeiro, Luiz Corrêa Noronha.
O presidente da Santa Clara, Rogerio Bruno Sauthier, agradeceu a todos, especialmente aos associados. “Me sinto privilegiado, me sinto um grão de pó ao representar os nossos 5.500 associados, os quase 2.200 funcionários, em uma solenidade dessas”, afirmou.
O diretor Administrativo e Financeiro da Cooperativa, Alexandre Guerra, explicou que a inauguração foi resultado de minucioso planejamento. “Já temos 100 anos de história e investimos pensando nos próximos 100”, disse. Segundo Guerra, a fábrica foi instalada em Casca por uma questão estratégica: a região concentra a maior parte da produção láctea do Estado e oferece boas condições de escoamento.
O secretário estadual de Logística e Transportes, Juvir Costella; o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho; e do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, acompanharam a agenda do governador no município. Estavam presentes prefeitos e vice-prefeitos da região, parlamentares, lideranças do cooperativismo, produtores e funcionários da Santa Clara.
Após os pronunciamentos, o governador e o presidente da Santa Clara descerraram a placa alusiva à inauguração e o padre Luiz Signori conduziu uma oração coletiva, abençoando a unidade e seus funcionários. Um brinde com Leite Santa Clara encerrou a solenidade, que foi seguida de visita técnica às instalações da nova indústria.
Pelo BRDE, também participaram do evento em Casca o gerente da GEOPE Rural, Fabiano Casiraghi; Augusto Platonow de Barros, da GEOPE Industrial II; Alexandre Platonow de Barros, gerente para a região do Planalto; e os assessores Paulo Roberto da Silva e Sylvia Bojunga.
Sobre a Santa Clara
Atualmente, a Santa Clara conta com outras duas plantas de processamento de leite no Rio Grande do Sul, uma em Carlos Barbosa, que compreende indústria de leite UHT, leites pasteurizados e derivados, e outra em Getúlio Vargas, apenas para derivados. Em 2018, foram recebidos pela Cooperativa 285 milhões de litros de leite de seus 3.300 produtores em atividade em 136 municípios gaúchos.
Além de laticínios, a Cooperativa atua nos ramos de frigorífico suíno, fábrica de rações, cozinha industrial e varejo, com 11 supermercados, 15 mercados agropecuários e uma farmácia. São 5.500 famílias associadas, 2.150 funcionários e um mix de 350 produtos entre leite e derivados, embutidos e cortes suínos, doces e sucos de frutas.
Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Entre os dias 31 de maio a 2 de junho acontece a Inovapork: primeiro desafio de ideias na suinocultura, com patrocínio do BRDE. A proposta do evento é reunir propostas de inovação e soluções para a cadeia produtiva de suínos, setor de extrema importância para a economia catarinense.
Além das atividades de imersão e palestras, a Inovapork selecionou ideias de estudantes e profissionais inovadores na área da agropecuária. Entre os finalistas está a Kemia – tratamento de efluentes, microempresa de Chapecó que criou um processo de tratamento que utiliza tecnologias verdes de eletro-oxidação e eletrofloculação para tornar o tratamento de efluentes mais eficaz.
A proposta da Kemia teve o financiamento do BRDE, que através do microcrédito, atende importantes demandas comunitárias, além de fomentar inovação.
A equipe vencedora do Inovapork estará classificada para a etapa final do Pontes para Inovação, uma parceria da Embrapa para conectar agritechs com investidores.

Com o patrocínio do BRDE, o evento de posse na ACIB deu início ao novo mandato do presidente Avelino Lombardi nesta segunda-feira, dia 27.
O gerente de planejamento do Banco, Felipe Castro do Couto, esteve presente no evento, e reforçou o interesse do BRDE em fortalecer os laços comerciais com a ACIB.
Na presença de políticos e empresários locais, Avelino destacou a importância de investir do Vale do Itajaí e de se governar perto da comunidade. No mesmo evento foram empossados o vice-presidente, membros dos conselhos deliberativo e fiscal, coordenadores e diretoria.
O mandato de Avelino e o vice Renato Medeiros, vai até 2022.

Começou nesta segunda-feira, dia 27, o II Fórum de Líderes da Indústria realizado pela ACIMAFRA.
Durante o primeiro dia, a palestra de abertura foi conduzida pelo Gerente Regional do BRDE, Nivaldo Presalino, que apresentou as iniciativas do BRDE voltadas para o agronegócio, cooperativismo, indústria e sustentabilidade.
Na sequência aconteceu a  palestra ‘O impacto de um Ecossistema de Inovação ativo na Indústria’, com Claiton Camargo de Souza da Orion Park.
Com o tema ‘Voltando a Crescer’, o evento cria a oportunidade de aproximar os empresários de Mafra das tendências de impacto, uso de novas tecnologias e como aplica-las no setor de interesse.
Entre os mais de 300 participantes do evento estavam colaboradores da indústria, investidores locais e estudantes.
O II Fórum de Líderes da Indústria segue até o dia 30 de maio, com palestras sobre empreendedorismo, competitividade e inovação. O BRDE é um dos patrocinadores do evento

A Feevale, em Novo Hamburgo, foi o ponto de encontro da equipe do BRDE com integrantes do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Rio dos Sinos (Consinos), representantes de prefeituras, associações, universidades e empreendedores da região, com participação de técnicos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na quarta-feira (10/04), para a realização da oficina de análise de projetos de desenvolvimento regional.
Este evento encerrou uma longa jornada, iniciada em 2018 pelo BRDE, com o apoio da então Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) do Estado, hoje Secretaria de Governança e Gestão Estratégica, que percorreu todos os 28 Conselhos de Desenvolvimento Regional (Coredes) do Rio Grande Sul, analisando cerca de 2 mil projetos.
Participaram da abertura da oficina, com o vice-presidente, diretor de Planejamento e Financeiro do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, o secretário de Governança e Gestão Estratégica do Estado, Cláudio Gastal; a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico de Novo Hamburgo, Paraskevi Bessa-Rodrigues; o reitor da Feevale, Cleber Prodanov; o presidente do Consinos, Gabriel Grabowski; e o representante do BID, Tulio Cravo. Maria Victória Fazio, do BID, e Teonas Baumhardt, que atuou como coordenador da ação com os Coredes desde o início do programa, também estiveram presentes, além de gerentes, técnicos e assessores do BRDE.
Apoio para a continuidade da ação
O secretário Claudio Gastal afirmou que o Governo do Estado buscará dar continuidade a este ciclo de interlocução com as comunidades gaúchas, por meio dos Coredes, tendo como objetivo retomar a discussão sobre desenvolvimento regional. Ele agradeceu a parceira do BRDE e disse: “O que é bom e bem feito deve ser continuado. Queremos aperfeiçoar e avançar no diálogo com as regiões”.
O representante do BID, Tulio Cravo, informou que o Banco está preparando um novo produto para oferecer o aporte de recursos internacionais, por meio do BRDE, a municípios com menos de 100 mil habitantes, onde há demandas importantes que não podem ser financiadas por fontes nacionais. Segundo ele, a experiência do BRDE com os Coredes ajuda o BID a pensar o desenvolvimento local no Sul do Brasil, conhecendo mais de perto as redes e estruturas existentes para elaborar e entregar novos projetos às comunidades.
Recursos e arranjos institucionais
De acordo com o vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, a análise técnica do BRDE, com foco específico na captação de recursos financeiros, indicou que os 41 projetos apresentados pelo Consinos em seu Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional, na realidade desdobram-se em 71 projetos, dos quais 23% são financiáveis pelo próprio BRDE.
Após apresentar o histórico da ação BRDE-Coredes e fazer considerações sobre o conceito de desenvolvimento regional, Noronha comentou, um a um, os projetos do Consinos, tratando de identificar as providências e os arranjos institucionais necessários para possibilitar a captação de recursos, inclusive daqueles que não podem ser financiados pelo BRDE.
Em paralelo, na segunda parte da oficina, a equipe técnica do BRDE realizou a rodada de diálogo com os representantes de prefeituras e empresários. Houve demandas de recursos para infraestrutura viária – construção de ponte, estradas vicinais, pavimentação – iluminação pública, saneamento, construção de centro cultural e um projeto para uso de biodigestor na atividade de produção rural, entre outros.
Sobre o Consinos
O Consinos é composto por 14 municípios do Vale do Sinos: Araricá, Campo Bom, Canoas, Dois Irmãos, Estância Velha, Esteio, Ivoti, Nova Hartz, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Portão, São Leopoldo, Sapiranga e Sapucaia do Sul. Dos quase 2.000 projetos analisados pelo BRDE, 41 foram propostos pelo Corede Consinos.

Na manhã desta quarta-feira (03), empresários da região meio-oeste reuniram-se no Auditório da Associação Comercial e Industrial do Oeste Catarinense (ACIOC) para conhecerem as fontes de financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O evento foi promovido pelo IEL/SC em parceria com a ACIOC, Polo de Inovação Vale do Rio do Peixe (Inovale) e Unoesc.
Na oportunidade, Paulo César Antoniollo, gerente regional do BRDE apresentou as soluções de crédito de longo prazo do Banco. De acordo com Paulo, eventos como este oportunizam conhecimento e geram oportunidades para os empresários interessados em ampliar o seu negócio como foco na inovação e tecnologia.
Nos próximos meses, outras atividades relacionadas ao habitat de inovação e tecnologia em nossa região deverão ser realizadas em parceria entre as entidades promotoras deste painel relacionado a fontes de financiamento.

Fonte: IEL

No primeiro dia da 20ª edição da Expodireto Cotrijal (11/03), em Não-Me-Toque, na presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e do vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, o banco celebrou dois contratos de financiamento que totalizam R$ 73,3 milhões. Desse montante, R$ 44,3 milhões serão investidos pela Cotripal Agropecuária Cooperativa em uma Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) localizada no município de Condor. Os outros R$ 29 milhões destinam-se à implantação da Central Geradora Hidrelétrica Igrejinha, pertencente às cooperativas Coprel e Ceriluz, na divisa dos municípios de Boa Vista do Cadeado e Joia.
O estande do BRDE ficou lotado com a chegada da comitiva do governador, acompanhado pelo presidente da Cotrijal, Nei Mânica; a secretária extraordinária de Relações Federativas e Internacionais, Ana Amélia Lemos; o chefe da Casa Civil, Otomar Vivian; o Secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Junior; o prefeito de Boa Vista do Cadeado, Fábio Mayer Barasuol, clientes, equipe técnica do BRDE, assessores e profissionais de comunicação.
Cotripal: sementes com valor agregado
Fundada em 1957 no município de Panambi, a Cotripal conta com mais de 4.000 produtores associados. Desde 1980 é cliente do BRDE, já tendo financiado diversos empreendimentos por meio do banco. Sua nova UBS, 100% financiada pelo BRDE, terá capacidade para produzir 300.000 sacas de sementes de soja e de trigo ao ano. Dessa forma, os associados terão acesso a sementes com valor agregado, elevado grau de tecnologia e ganhos em produtividade. A unidade funcionará também como centro de pesquisa para desenvolvimento e aperfeiçoamento de duas das principais culturas produzidas no Rio Grande do Sul. O contrato foi firmado pelo presidente da Cotripal, Germano Dowich.
CGH Igrejinha, fonte de energia renovável
Com a Coprel e a Ceriluz, o BRDE celebrou contrato de financiamento no valor de R$ 29 milhões de um investimento total de R$ 35 milhões para implantação da CGH Igrejinha, com potência instalada de 4,85 MW, no rio Ijuizinho, afluente do rio Ijuí. A central geradora fornecerá energia elétrica de fonte renovável, com baixo impacto ambiental. O empreendimento resulta da união de duas importantes cooperativas de geração de energia no Estado: a Coprel – Cooperativa de Geração de Energia e Desenvolvimento, com sede em Ibirubá, e a Ceriluz Geração – Cooperativa de Geração de Energia e Desenvolvimento Social, localizada no município de Santo Augusto. Os presidentes das cooperativas, Jânio Vital Stefanello e Iloir de Pauli, fizeram a assinatura do contrato.
Na foto que ilustra esta matéria (do fotógrafo Itamar Aguiar/SECOM-RS), o governador Eduardo Leite (ao centro), está acompanhado pelo vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha; o presidente da Cotrijal, Nei Mânica; o superintendente da agência do BRDE no Rio Grande do Sul, Maurício Mocelin; clientes, equipe técnica responsável pelo atendimento na feira, assessores e profissionais da imprensa.