NOTÍCIAS BRDE

Fórum BRDE-Rede Pampa apontou cenários do desenvolvimento sustentável no Sul

Por: Imprensa - RS

Em parceria com a Rede Pampa de Comunicação e com apoio do Ministério Público do Rio Grande do Sul, o BRDE promoveu, na segunda-feira (3/12), no auditório do Ministério Público, em Porto Alegre, o Fórum Fomento ao Desenvolvimento Sustentável no Sul do Brasil. O evento, que teve 500 inscritos, reuniu autoridades dos setores público, privado e financeiro para debater, em três painéis temáticos, os problemas, soluções e expectativas sobre o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Estado, com foco nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e na Agenda 2030 propostos pela ONU.

Representatividade

A mesa de autoridades, na abertura oficial do Fórum, foi composta pela secretária estadual de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori – no ato representando o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; pelo procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Fabiano Dallazen; o diretor de Planejamento e Financeiro do BRDE, Luiz Corrêa Noronha; o presidente da Rede Pampa de Comunicação, Alexandre Gadret; o deputado estadual Ernani Polo, representando a presidência da Assembleia Legislativa gaúcha; o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan; o conselheiro do Tribunal de Contas do RS, Cesar Miola, representando a presidência do TCERS; a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do RS, Ana Pellini; o presidente do Sistema Farsul, Senar e Casa Rural, Gedeão Silveira Pereira; Gilberto Petry, presidente do Sistema Fiergs – Ciergs, SESI e SENAI; o presidente do Sistema Fecomércio– SESC, Senac e IEL, Luis Carlos Bohn; o superintendente Estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen; o vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna Júnior; o representante do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), Haroldo Machado Filho; o representante da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira; a presidente do Sindirádio, Christina Gadret, e o vice-presidente da Rede Pampa e coordenador do Fórum, Paulo Sérgio Pinto.

Ações sociais

No painel do setor público, as secretárias Maria Helena Sartori, Ana Pellini, e o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, apresentaram os avanços e desafios de suas áreas, respectivamente, social, ambiental e de justiça. A coordenação do painel coube a Haroldo Machado Filho, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), co-presidente da Força Tarefa no âmbito do Sistema da ONU no Brasil sobre os ODS.

A secretária Maria Helena destacou o valor da educação e da promoção da cultura da paz, em diversas ações e programas em desenvolvimento do Estado, que envolvem crianças e adolescentes. “Nossos cuidados começam com o Programa Primeira Infância Melhor – PIM, que está presente em 247 municípios, tendo beneficiado mais de 200 mil famílias e 250 mil crianças. Temos também o Criança Feliz, presente em 82 municípios do Estado, acompanhando mais de 5 mil e duzentas famílias e as Cipaves, presentes nas 2,5 mil escolas estaduais, com excelentes resultados como a redução, em 2018, de 60,3% nos índices de agressões físicas em relação a 2017″, informou, ressaltando a importância de avançar no campo das ações preventivas.

Para a secretária Ana Pellini, “emprego e renda são importantes em qualquer país do mundo, todos os problemas mais graves decorrem da pobreza”, enfatizando o ODS 8: trabalho digno e crescimento econômico. Ela defende a simplificação de processos burocráticos com o objetivo de dar agilidade à concessão de licenças ambientais sem, no entanto, descuidar do propósito central de proteção à vida no planeta.

Sobre o setor privado, debateram, com a coordenação do secretário executivo do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira, o presidente do Sistema Fecomércio/RS, Luiz Carlos Bohn, o presidente do Sistema Fiergs, Gilberto Petry, e o presidente do Sistema Farsul, Gedeão Silveira Pereira. Para os dirigentes empresariais, a geração de novos postos de trabalho é o maior desafio.

No terceiro e último painel, sobre o setor financeiro, o diretor de Planejamento e Financeiro do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, participou junto com o vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna, e com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen.

Oportunidade

Segundo Noronha, o Fórum veio ao encontro “da linha de trabalho do BRDE com foco realmente no desenvolvimento sustentável”. O diretor considerou que o Fórum foi uma excelente oportunidade para avaliar como está o Rio Grande do Sul frente à Agenda 2030, que hoje, em nível mundial, conta com o compromisso assumido por praticamente todas as nações alinhadas aos 17 ODS e às 169 metas para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. “Cada um dos interlocutores falou um pouco sobre o que está acontecendo na sua área no Rio Grande do Sul, foi uma prestação de contas dos três setores”, disse.

Na visão do diretor do BRDE, o conteúdo da Agenda 2030 é inquestionável, tanto que foi aprovada por inúmeros países no âmbito das Nações Unidas. “Todos assumiram um compromisso internacional”. Noronha considera que o Rio Grande do Sul é hoje um dos estados mais focados na sustentabilidade e um dos exemplos disso é a transformação da matriz energética.



VOLTAR