FAQ

FAQ

O BRDE possui escritório de representação na minha Região?

Além das Agências localizadas nas capitais dos Estados da Região Sul, o BRDE possui espaços de divulgação nos Municípios de Caxias do Sul-RS, Lajeado-RS, Passo Fundo-RS, Pelotas-RS, Chapecó-SC, Joinville-SC, Lages – SC, Francisco Beltrão-PR, Toledo-PR, Cascavel-PR e Campo Grande-MS e também um escritório de representação no Rio de Janeiro – RJ. Para acessar nossos endereços, clique aqui.

O BRDE realiza convênios com empresas produtoras de bens de capital para o financiamento de seus clientes?

Sim. O fabricante de bens de capital que desejar firmar convênio com o BRDE deve contatar a Gerência de Planejamento da Agência do BRDE em seu Estado.

O Cliente tem que pagar algum valor durante o período de carência nos financiamentos do BRDE?

Normalmente sim. No prazo de carência, são cobrados os juros incidentes sobre o saldo devedor.

A cobrança dos encargos na carência poderá não ocorrer em alguns financiamentos que apresentem esquemas de capitalização e/ou em programas específicos.

O Município pretende incentivar a instalação de empresas em seu território e para isso dispõe de uma determinada área. Como proceder para garantir que estes imóveis sirvam como garantia?

Toda transferência de imóveis, seja em doação ou compra e venda, deverá ser antecedida de procedimento licitatório na modalidade de concorrência, respeitando as formalidades inerentes, como a publicação de editais, prazos etc., conforme Lei nº 8.666/93.

O que é prazo de amortização?

É o período que se inicia imediatamente após o término da carência, quando tem início o pagamento do principal dos recursos contratados no financiamento, acrescido da parcela dos encargos capitalizados, quando for o caso. No período de amortização, paga-se, periodicamente, uma parcela do principal, acrescida das capitalizações realizadas, mais a taxa de juros incidente sobre o saldo devedor da operação. Esta periodicidade normalmente é mensal, mas alguns Programas de Financiamento poderão ter periodicidade trimestral ou semestral. Na regra geral, o BRDE utiliza o Sistema de Amortização Constante (SAC), mas admite em alguns casos, o Sistema Francês – Price.

O que é prazo de carência?

É o período compreendido entre a assinatura do contrato de financiamento e o pagamento da primeira parcela de amortização do principal.

Usualmente, o prazo de carência é definido de forma tal que o seu término ocorra, no máximo, até seis meses após a entrada em operação comercial do empreendimento financiado.

O que não pode ser financiado?

– Aquisição de terrenos e outros bens imóveis;
– Custeio e gastos com manutenção corrente;
– Transferência de ativos;
– Aquisição de software produzido no exterior, exceto quando associado a projetos de desenvolvimento tecnológico e inovação ou adaptações (customização/tropicalização) realizadas no País;
– Ações e projetos sociais contemplados com incentivos fiscais;
– Quaisquer despesas que impliquem remessa de divisas, incluindo taxa de franquia paga no exterior;
– Aquisição de máquinas e equipamentos novos, aí considerados os conjuntos e sistemas industriais produzidos no País, não credenciados pelo BNDES;
– Itens isolados que não constituam um projeto de investimento;
– Aquisição de animais para revenda;
– Quaisquer investimentos ou gastos de qualquer natureza nos setores:
– Empreendimentos imobiliários, tais como edificações residenciais, edificações comerciais destinadas à revenda, empreendimentos comerciais destinados a aluguéis de escritórios, time-sharing, hotel-residência e loteamento, exceto materiais, componentes e sistemas construtivos destinados a obras civis financiados no âmbito do Cartão BNDES;
– Comércio de armas no país;
– Atividades bancárias/financeiras;
– Motéis, saunas e termas;
– Empreendimentos do setor de mineração que incorporem processo de lavra rudimentar ou garimpo;
– Empreendimentos relacionados a jogos de prognósticos e assemelhados.

Pode ser oferecido como garantia imóvel recebido em cessão real de uso?

Não. O BRDE não analisará imóveis neste caso, pois o cessionário tem apenas o direito de usá-lo, não podendo dele dispor.